1. Spirit Fanfics >
  2. O itinerante. >
  3. Ainda em setembro.

História O itinerante. - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Ainda em setembro.


- engraçado.Agora pode falar a verdade, por gentileza?

- essa è a verdade.

- Prove.

- Nâo tem como provar nas condiçôes atuais.

- Sei. e quais sâo?

- Se for assim vou precisar contar a història toda.
         

 Nataha olha para cima.

 

- O sol nâo se pòs ainda. Temos tempo.

 

Simon suspira.

- Não se sabe como ele surgiu,mas existe um clâ chamado de Itinerantes, pois eles tem a habilidade de vagar pelo tempo. Meus pais tinham essa habilidade e eu a herdei.

- E seus pais?

- Estamos falando do clâ, nâo dos meus pais.

- Certo, continue.

- Bem, uma das regras è que nâo podemos nos revelar para os normais.

- Entâo alguèm aqui vacilou feio.

O garoto lança um olhar irritado para Natasha.

- Tà, Tà. Eu parei.

- Nòs sò`podemos usar nossa habilidade très vezes em um periòdo de 24 horas, pois isso consome enèrgia corporal e a gente pode superaquecer e derreter de dentro pra fora.

- Que nojo.

- Pois è. E quanto maior a distância do presente para a data que a gente quiser ir, mais enèrgia consome.

- Entâo você voltou no tempo para impedir que eu caìsse da escada.

- Sim. Nem queira saber o quê aconteceu com você antes.

- E como funciona esse lance de viajar no tempo?

- Bem, primeiramente existem 2 passados.O passado que você nâo està e o que você està. Dà para ir e voltar no primeiro passado sem nenhum problema, mas no segundo passado è mais complicado. Conhece a lei na qual dois corpos nâo ocupam o mesmo lugar?

- Conheço.

-Pois, bem. Ao voltar para um periòdo do tempo na qual você està, você acaba absorvendo seu eu do passado  e ele sò`volta quando você volta para sua època. O quê seria um problema caso você queria voltar para o tempo da sua infância ou algo assim e seus pais te flagrassem. Acredite , eu jà tentei.

Os dois deram uma risadinha e Simon continuou.

- O presente è de boa. Se pode ir para qualquer lugar do presente. É praticamente um teletransporte.

- E quanto ao futuro?

- esse ai è o mais complicado. Tambèm tem o futuro que você existe e o que nâo  existe.  Podemos comparar o futuro com as barrinhas de vìdeo do YouTube. a barrinha cinza è o tempo em sì e a barrinha vermelha è a gente e o nosso tempo. Nâo tem como pular da linha vermelha para alguma parte mais distante da cinza.

Natasha olha para ele com uma expressâo confusa.

- Resumidamente - ele estala os dedos para tentar encontrar um jeito simples e direto de explicar - Nâo dà para ir para o futuro que você està, pois você è quem vai faze- lo, entâo como ninguèm fez nada, nada estarà là. Ai, você pode morrer ou nâo. Isso depende da sua força mental de aguentar ver como o espaço temporal è em sua forma real. O quê raramente da`certo.

- Mas deu para você.

- Sem chance. Eu nunca tentei.

- E como sabe como è ?

- Està tudo no livro  regras e conselhos de itinerantes. Ele foi escrito pelas 10 primeiras geraçôes de itinerantes que experimentaram um monte de coisas. Assim, sò tem um livro que està com a famìlia da geraçâo principal.Mas tudo è atualizado oralmente pelos demais e transmitido.

- Quantos te vocês tem pelo mundo?

- Mais do que você imagina - Ele sorri e continua a falar - mas, dà para ir para um futuro onde você nâo està presente por sua presença nâo ser necessària. É como se desse para pular o futuro que sua presença existe, mas è necessària a enèrgia das très vezes para poder passar pelo, como eu gosto de chamar, túneL do vàcuo.

- Isso foi a coisa mais incrìvel que eu jà ouvi.

-Isso porque você nâo experimentou ainda.

- E como eu posso? Tem como me levar?

- Sim e nâo. Para conseguir viajar com um itinerante se precisa ingerir parte do DNA dele para suas molèculas se conectarem. Quanto mais DNA, mais longe da pra te levar.

- Um fio de cabelo ou algo assim?

- Saliva è mais eficaz. Aposto que você està querendo me beijar - Ele lança um olhar provocador para ela.

- Soco no estômago? Puxa, Simon, eu nâo consigo entender como um soco no estômago pode ajudar- Ela faz uma expressâo de falsa inocência.

-Ok,ok - O garoto levanta as mâos - sò nâo và se apaixonar por mim.

Antes que Natasha pudesse mostrar alguma reaçâo , Simon se levanta ràpidamente e diz que vai comprar algo para beberem pergunta se a garota quer algo tambèm. Ela responde que um suco està bem  e dà o dinheiro. Para ela nâo importa o sabor do suco, desde que nâo seja de abacaxi.

Enquanto o jovem itinerante nâo chegava, a moça estava tentando saber como evitar um surto.

Fala sèrio! Quem nâo iria ficar totalmente ansiosa em ter um amigo ( ou ao menos conhecido, ela nem sabe como ele a vê) viajante do tempo! isso è uma loucura! E saber que tem muito mais gente do que aparenta desse jeito a faz questionar algumas coisas.

Jà faz algum tempo que Simon havia ido atràs de algo para beber para ambos e nâo voltou ainda. Ela se levantou do balanço e começou a andar em direçâo na qual ele havia ido. Em pouco tempo ela encontrou com o garoto voltando com um copo de suco de maçâ em cada mâo.

- pegue seu copo - ele estende a mâo esquerda para ela.

A jovem agradece e começa a beber enquanto ele se desculpava por ter demorado para voltar.

Apòs ambos jogarem seus copos no lixo, Simon pergunta:

- O que achou do suco?

- Estava normal.

- Nenhum gosto estranho?

-Na......... Você colocou o quê nessa porcaria?

- Seu convite para uma viagem sem data de validade.

- Você me fez engolir a sua baba !!!!!!!

- Calma, calma,calma!!! Olha! Agora você vai poder saber a sensaçâo de viajar no tempo. Como metade do seu copo tinha minha saliva, você vai poder percorrer longa distâncias comigo!

- METADE DO COPO! E ERA UM GRANDE! POR ISSO A DEMORA! - Natasha coloca as mâos no rosto- que nojo! Acho que vou vomitar!

- Que tal vomitarr apòs a viagem? - Disse com um ar enojado - Aconselho que mantenha seus pès fixados no châo ou vai cair.

Entâo Natasha sentiu um baque que a empurrou para tràs bem rapidamente, fazendo-a cair de costas.

- Ah, bem, eu avisei.

A garota abre os olhos.

- Acho que aqui nâo è a praça perto da escola!

- Acho que ela ainda nem foi construida ainda.

Natasha olha o cenàrio a sua volta.

- Ah, meu deus!

 

 


Notas Finais


Agredaceria se alguèm comentasse falando suas impressôes.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...