1. Spirit Fanfics >
  2. O Jantar de Natal do Departamento Policial da Zootopia (DPZ) >
  3. Segunda Parte

História O Jantar de Natal do Departamento Policial da Zootopia (DPZ) - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Segunda Parte


Na frente dos seus olhos verdes-esmeralda, uma pequena caixa pendia sobre os seus dedos. Ele olhava para aquele pequeno objeto, ponderando na sua mente se teria sido uma óptima escolha.

Será um ótimo presente. Tenho a certeza que ela vai adorar.

As palavras da fêmea que lhe vendeu o colar e que participou na ajuda da escolha, repetiam na sua mente vezes sem conta. O presente era perfeito a seu ver. Uma boa escolha. Mas, e se ela não gostasse? Pousando o colar sobre a mesa, ele levou as suas patas abertas à sua cabeça, esfregando-a em frustração. Logo, pousou os seus cotovelos na mesa, deixando a sua testa repousar nas suas patas. Os seus olhos fixaram o nada. Há um ano. Fazia um ano que eles ficaram parceiros e grandes amigos. E fazia meses, longos meses, que ele tinha descoberto que amizade dera lugar a sentimentos fortes. Tão fortes que ele até ficou surpreendido consigo mesmo.

Quando é que ele se começara a sentir assim? Nick não o sabia. Só sabia que, com o passar do tempo, a sua amiga e companheira passou a ser mais aos seus olhos.

Deuses! E logo por uma espécie diferente. Ele suspirou.

A compra do colar foi em conjunto com a compra do fato para o jantar. Nick não tinha qualquer roupa mais elegante. Longos anos nas ruas, as roupas elegantes ou chiques não eram precisas. Porém, no jantar de Natal, apesar de ser um simples jantar e dança, de certeza que os seus colegas não iriam levar roupas comuns. As roupas seria um pouco…mais sofisticadas. Para tal, ele ponderou pedir primeiro a Judy que o acompanhasse até ao centro comercial para o ajudar na escolha. Mas, logo ponderou que queria surpreendê-la no dia do jantar e lembrou-se Clawhauser. Pelo que Nick se tinha apercebido, na semana passada ele falava com um colega que também precisava de comprar um novo fato, já que o anterior lhe tinha deixado de servir. Aproveitando essa lembrança, ele retirou o telemóvel do bulso das calças e decidiu combinar com a chita.

"Sem qualquer problema, Nick. Mas sabes que só deixo o serviço pelas 18h. Nem todos temos a sorte de ter o dia livre como vocês os dois!"

Foram as palavras que a Chita disse ao telefone e que proporcionou um riso suave na raposa.

Tal como combinado, Nick decidiu ir buscar a chita ao departamento. Clawhauser correu, literalmente, até ao carro parado na frente da porta principal do departamento. Quase sem fôlego, a chita abriu a porta do lugar do passageiro, entrou e fechou-a.

"Desculpa o atraso." ele disse. O seu peito enchia e esvaziava furiosamente. Apesar da distância dos balneários dos machos até à saída da ZPD não ser muito longa, aquele pequeno esforço custou-lhe um pouco, devido ao seu peso. "Acho que deveria começar a fazer uma dieta!" ele riu-se, agora colocando o cinto de segurança.

"Não tem qualquer problema do atraso. E, se sentes isso, dou-te o meu apoio. Se for só pela estética, fica como estas." ligando o motor do carro, eles seguiram caminho até ao grande centro comercial de Zootopia.

Óbvio que assim que chegaram, Clawhauser implorou para que eles fossem comer alguma coisa. Ou, melhor dizendo, beber algo. Sem pressa alguma, Nick concordou e pararam primeiro num dos muitos cafés que ali existiam. Depois, seguiram o primeiro piso do centro comercial, onde as lojas decoradas para o Natal, deixavam transparecer montras com mais efeitos da festividade do que as roupas propriamente ditas.

Três, quatro… Seis...quinze lojas ao todo eles passaram. No meio dessas quinze, Clawhauser pedia para entrar numa e noutra, saindo de lá com alguns sacos. Nessas quinze lojas, nada de jeito chamou atenção da raposa. Na décima sexta loja, Clawhauser perdeu-se por completo.

"Só mais este. Só mais esta!" os olhos da chita brilhavam, pois a loja era de donuts.

Variados no seu tamanho. Variados no seu sabor. E a baba da chita como os corações que substituíram as suas íris era a aprovação de um sim e não de um não. Nick suspirou e concordou, avisando-o que, enquanto ele tivesse nessa loja ele iria à joalharia procurar algo. Acenando simplesmente com a cabeça, Clawhauser entrou na loja e deixou-se de ver.

A joalharia estava um pouco cheia. Vários mamíferos de todas as espécies procuravam com os seus olhos brilhantes o prefeito presente. Nick arqueou uma sobrancelha, vendo o aglomerado de machos e contava-se pelos dedos as fêmeas que ali estavam. Era dito que a véspera de natal seria passada com a família, mas o dia de Natal poderia ser o dia de um encontro perfeito entre casais. Portanto, o presente tinha de ser valioso. Apesar de que, Nick achava que não iria ser um anel ou um objecto que conquistaria o coração das fêmeas. Bom, ele também sentia que deveria dar algo mais do que o seu coração à fêmea que amava. Portanto, não poderia estar a os julgar.

Desviando-se da multidão, ele já tinha em mente do que queria dar à sua "amiga secreta". Desde meados de novembro que o jantar de Natal e a troca de presentes era falado e confirmado, por isso na sua mente ele começou a procurar na sua imaginação o presente, sabendo para quem era destinado.

Na primeira montra que olhou, através do vidro bem límpido, vários colares faziam pandam com anéis e brincos. Mas nenhum lhe agradou. Desviando-se, ele foi a outra montra só de colares. Cinquenta poder-se-iam contar, expostos no seu esplendor. Vários feitios, várias cores e tamanhos. Mas, nenhum, lhe parecia adequado. Ele queria dar-lhe a prenda perfeita. Algo que ela se recordasse dele. Apesar da amizade forte, se não fosse correspondido, pelo menos ela saberia o quanto significava para ele.

"Boa tarde, meu senhor. Precisa de ajuda?"

A voz feminina, fez Nick desviar a sua atenção para a fêmea na sua frente.

"Procuro um colar que tenha o nome de Judy com uma cenoura ou pata de coelho se for possível." respondeu Nick.

"Peço que me dê uns minutos para ir buscar os colares com as características que pretende."

Acenando com a cabeça, a fêmea desviou-se da vitrine e foi até outra mais ao fundo da loja. De lá, retirou uma pequena caixa e voltou para junto de Nick. A pequena caixa foi colocada na sua frente. Dez colares tinham as características que ele pretendia, mas um em particular chamou-lhe atenção. A ideia original foi esquecida quando ele viu o design magnifico. Simples. O fio que prendia os ordenamentos, era em ouro branco brilhante. Uma pequena pata com um design muito fofo, juntava-se a letra J de Judy. A pequena pata era cinzenta em redor e as 'almofadas' de um tom rosa muito claro. Já na letra, duas pequenas perlas violeta destacavam-se na ponta do J e no fundo.

"Este!" ele apontou.

"Será um ótimo presente. Tenho a certeza que ela vai adorar." disse a fêmea, retirando o colar.

Depois, ela agachou-se para retirar algo do armário em baixo e levantou-se logo em seguida. Uma pequena caixa violeta pôs-se na frente de Nick. A gema colocou o fio, cuidadosamente, lá dentro e fechou a caixa, completando o visual com um pequeno laço em volta branco.

Após pagar, já fora da loja, Nick contemplou a pequena caixa na sua frente. O sorriso nos seus lábios estava radiante com a escolha.

"Wow… Que bonita caixa!"

Clawhauser assustou-o, fazendo a raposa colocar a pequena caixa dentro do bolso das calças, rezando para que o laço não se amachucasse.

"Oh, não precisavas de o esconder. O que compraste para a Judy?" ele troçou, levando um donut à sua boca, mas não deixando de mostrar o sorriso matreiro nos seus lábios.

A prenuncia do nome da parceira, os seus olhos se abriram em choque.

"Porque dizes que isto é para ela?" ele tentou disfarçar, tentando colocar uma cara de confusão e não de choque.

"Nick, deixa-me dizer-te uma coisa." fez uma pausa para lamber os dedos do açúcar do donut que tinha terminado de comer. "Posso ser várias coisas. Distraído, desajeitado ou, como os nossos colegas dizem, só tenho olhos para a Gazelle. Mas há uma coisa que sempre notei desde que tu, minha popular raposa, entrou acompanhado com a nossa coelha favorita na ZPD."

"E, podes ser claro no que notaste?" arqueado uma sobrancelha, Nick cruzou os braços em frente ao seu peito.

"Amor, Wilde!" Clawhauser piscou-lhe o olho.

"Amor?" ele repetiu as palavras chocado, sem fazer menção de mostrar outra expressão senão a verdadeira.

"Portanto sei que esse presente será para ela." remexendo no saco da sua frente, a chita retirou outro donut e o levou à boca.

"Acho que precisas de óculos, Ben."

"Não preciso e tu sabes bem do que falo. Agora, vamos lá buscar as nossas roupas elegantes para o jantar. Afinal, tens de impressionar uma certa coelha." e, desviando-se, ele virou costas e seguiu caminho.

Nick ficou perplexo. Era assim tão óbvio os seus sentimentos por ela? Ou simplesmente, Clawhauser afinal era muito observador?

Abanando a cabeça ao mesmo tempo que remexia com os seus dedos, Nick respirou fundo e seguiu a chita.

Continua…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...