História O Jogo - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Visualizações 193
Palavras 1.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas, tudo bem com vocês? eu espero que sim...
Eu estou demorando para postar porque estou sem Pc no momento, por isso peço que tenham paciência....
Beijos ;)

Capítulo 31 - O primeiro.


Entremos no banheiro, ela estava se apoiando em mim, a levei até o chuveiro e em seguida liguei o mesmo, fiquei em completo silêncio enquanto observava a água molhar o seu corpo.

 

-- Flash Back—

 

Ela segurou a toalha que Ino havia trago em suas mãos enquanto observava a mesma sair do quarto. Assim que Ino saiu Sakura caminhou até o banheiro, abriu a porta do mesmo e colocou a toalha sobre a pia, em seguida voltou para o quarto se aproximou de mim e me ajudou a levantar, seus olhos cruzaram os meus por um breve momento, ela então me ajudou a tirar a blusa de frio que cobria o meu membro e jogou a mesma sobre o chão, e calmamente foi caminhando comigo em direção ao banheiro. Assim que entramos no mesmo ela me colocou dentro do box e lentamente ligou o chuveiro para que eu me acostumasse com a água que logo cobriria o meu corpo, mas logo comecei a ficar agitado, não porque eu não soubesse o que era, mais sim para ver como ela reagiria.

 

-Calma, calma.... Disse ela ao me segurar. –Não vai machucar. Após essas palavras um sorriso escapou dos seus lábios enquanto ela lentamente colocava a mão sobre a agua para que eu notasse que aquilo não me machucaria. –Não precisa ter medo. Complementou ela.

 

Confesso que achei essa atitude dela não bonita e inocente. Em seguida pude sentir ela tocar em minha mão e me guiar em direção a água e assim que senti a agua tocar em minha pele a olhei e sorri, ver a forma maravilhada que ela estava me olhando preencheu o meu coração de uma forma inimaginável, em pouco tempo ela terminou de guiar o meu corpo para de baixo do chuveiro...

 

--Fim do Flash Back –

 

Por um instante me lembrei disso e então notei que havíamos trocado de papéis naquele momento, logo todos esses pensamentos e lembranças foram quebrados quando senti os braços dela envolta do meu pescoço, eu sabia que naquele momento ela precisava de conforto e carinho depois do que houve. Lentamente coloquei as minhas mãos envolta de sua cintura enquanto sentia a agua molhar nossos corpos, naquele momento senti vontade de fazê-la minha mais eu sabia que esse não era o momento apropriado, sabia que possivelmente se eu tentasse algo ela poderia achar que eu estava tentando me aproveitar da situação e eu não queria que ela pensasse isso de mim ou se magoasse comigo.

 

-Eu amo você. Sussurrou ela.

 

-Eu também te amo, não se esqueça disso.

 

Lentamente a soltei, e em seguida peguei o sabonete e comecei a ensaboar o seu corpo, logo após  lavei os seus cabelos com toda a paciência do mundo, ver o sangue escorrendo junto com a água pelo ralo fazia o meu sangue ferver, só de imaginar pelo que ela passou.... Oh céus! Eu queria matar Shino. Assim que terminei de dar banho nela, peguei a toalha e cobri o seu corpo, a peguei em meus braços e então voltamos para o quarto, a deitei sobre a cama, em seguida tirei a minha roupa que estava completamente ensopada, vesti uma roupa seca e me deitei ao lado dela enquanto a abraçava delicadamente.

Não demorou muito para que ela finalmente adormecesse em meus braços, e quando isso aconteceu eu a cobri com a coberta e lentamente me levantei da cama, a olhei por um breve momento e em seguida sai do quarto. Respirei fundo e caminhei em direção a sala onde eu sabia que Helena estaria já que eu podia ouvir a voz dela ecoando pela casa.

Quando cheguei a sala lá estava ela sentada ao lado de Jiraya, seus olhos imediatamente se voltaram em minha direção, pude notar que ambos pareciam nervosos e aflitos.

 

-Como ela está? Perguntou Jiraya.

 

-Agora ela está bem.

 

-Ela precisa de algo? Perguntou Helena.

 

-Ela está dormindo agora, Helena muito obrigado pelo que fez hoje, eu realmente serei eternamente grato a você.

 

-Não precisa agradecer, vocês são parte da família agora eu faria isso tanto por você quanto por ela.

 

-Ainda assim, obrigado.

 

Ela sorrio logo após as minhas palavras.

 

-Onde ele está?  Perguntei logo em seguida.

 

-No porta-malas do carro.

 

-Vocês têm alguma arma aqui?

 

-Eu tenho. Disse Jiraya.

 

-Poderia me emprestar?

 

-Claro. Disse Jiraya ao se levantar.

 

Ele calmamente saiu da sala enquanto Helena me encarava em silêncio, poucos minutos depois ele voltou com uma arma de calibre 38 nas mãos.

 

-Está carregada? Perguntei assim que ele me entregou a mesma.

 

-Sim, tem 6 balas aí, se você precisar de mais balas eu tenho lá dentro.

 

Acenei com a cabeça positivamente, Helena por sua vez jogou a chaves do carro em minha direção, eu rapidamente segurei a mesma em minhas mãos e em seguida fui para fora.

Caminhei lentamente até o carro enquanto pensava em tudo o que eu poderia fazer com Shino, sobre todo o sofrimento que eu poderia lhe causar, um dia ele me causou tanta dor e sofrimento e hoje tudo quase se repetiu, essa seria a minha vez de lhe causar dor e sofrimento era a minha vez de ver o sangue dele jorrando pelo chão. Peguei a chave e rapidamente abri o porta-malas e lá estava ele, seus olhos se voltaram diretamente em minha direção, apontei a arma para ele.

 

-Saia.

 

Ele me obedeceu e em seguida sorrio.

 

-Nunca em toda a minha existência eu achei que veria você novamente e olhe só como a vida as vezes nos prega algumas peças.

 

Estávamos ali cara a cara depois de tantos e tantos anos.

 

-Como está a nossa boneca?  Ela deu muita sorte. Disse ele ao sorrir. – Eu iria estupra-la por várias e várias vezes, eu iria fazer com ela pior do que fiz com Samara, ela seria a minha....

 

Antes que ele pudesse terminar de falar dei o primeiro tiro que lhe acertou a perna. Um enorme sorriso apareceu no meu rosto ao ver seu sangue escorrer, coloquei a arma sobre a cintura enquanto ele estava sobre o chão com as mãos sobre a perna, me aproximei dele e assim que ele levantou a cabeça para me olhar lhe dei um chute na boca que fez o seu sangue espirrar para todo o lado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...