História .O jogo. TaeTen. - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Taeyong, Ten, Yuta
Tags Chittaphon, Doyoung, Jaehyun, Nct, Nct127, Nctu, Neo Culture Technology, Taeten, Taeyong, Ten, Yuta
Visualizações 300
Palavras 967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ai me desculpem por esse capítulo ruim, sério, se aparecer dnv notificação desse cap é pq excluí e arrumei k

e não é nesse ainda o beijo rs

Capítulo 13 - 1.3 PiXeLS


O domingo já começou bem com o dono da casa acordando às 1 da tarde, quando o Sol já penetrava pelos vidros da janela e batiam no pé da cama. 

Ele coçou os olhos e se espreguiçou, emitiu pequenos murmúrios, passou a mão no cabelo e finalmente abriu as pálpebras. Sua direção dava para o teto e ele o encarou, ainda sonolento; se lembrou que havia dormido com dois homens e sorriu inconscientemente. Se virou, sabendo que iria ver o mais lindo homem do mundo em sua frente, deitado. Mas na verdade, a cena que se via ali ao seu lado, o chocou minimamente. Um Yuta abraçando um Ten por trás e o tailandês entrelaçando seus dedos nos do mais velho.

Taeyong não sabia se sentia ciúmes de Ten ou se sentia inveja de Yuta. Mas seu sorriso havia sumido.

Ele não havia ficado triste, sabia que era porquê haviam dormido juntos, não havia nada demais ali; na realidade, a sua cabeça estava - mais ou menos - assim: "eles trasaram do meu lad... não Taeyong eles nã... sim eles fizeram e você nem... o Yuta não pôde ter fei... sim caralho tá na sua frente... cala boca mente... cala boca você...". Mas por fim, ele balançou a cabeça, bufou e depois suspirou.

Mentalmente, contou até três e levantou. De pé, parado e olhando a cena ainda imóvel, sentiu uma pequena raiva e no automático, puxou com força uma coberta que estava de baixo de ambos, o que resultou na queda do japonês, já que esse estava bem na ponta.

O estrangeiro olhou para cima, não entendendo o que havia acontecido e viu Taeyong rindo, bom, estava tudo bem entre eles. Sempre são coisas da cabeça de Taeyong. Ele sabia que sempre eram.

- Acorde ele! - Taeyong cochichou de longe para o outro.

- Por que? - Yuta se levantou e sentou na beira da cama.

- Para gente ir almoçar! - O coreano revirou os olhos.

O que eles não sabiam é que o tailandês já estava acordado e ouvia tudo o que eles falavam. Ten acordara uns 20 minutos antes de Taeyong e estava na mesma posição que dormira, mas com um braço por cima de si. E todo aquele tempo, aqueles 20 minutos, Ten havia observado o coreano, havia notado como seu rosto era bem desenhado e que tinha uma cicatriz perto de um dos olhos, certamente ficou curioso. Ele não percebeu aquele tempo passar e quando viu Taeyong abrindo os olhos, rapidamente fechou os seus; e com eles semiabertos, viu TY sorrir e depois viu sumir. Ten podia ter se enganado por causa dos cílios que atrapalhavam sua visão, mas Taeyong havia ficado triste com o que vira? Ten, por um momento e talvez até agora, achava que sim.

- Teeeenn iuhul!? - Yuta obdecera Taeyong e cantarolou o nome do que fingia dormir. Mas depois o japonês foi bruto e chacoalhou o mais novo.

Ten fingira que se assustou e sentou rapidamente, pondo a mão no coração e forçando uma respiração veloz.

- Calma, acordei! - Ten disse, batendo no ombro do japonês.

Bom, os três riram no final de tudo.

Taeyong expulsou todos do quarto da sua mãe e o arrumou, dobrando cada coberta nos mínimos detalhes, esticou o lençol, bateu os travesseiros e os guardou; e depois suspirou aliviado.

Enquanto isso, na parte de baixo da casa, o cheiro de comida caseira se instalava por todos os cômodos. Aquilo deixara todos os narizes felizes e com água em todas as bocas.

E quando comeram, Taeyong fez vários "Ow" e Yuta falava que aquilo nem era um dos melhores pratos de Ten; e esse corava a cada elogio. Não era pra tanto assim, ele sempre pensava. Ten achava seus pratos comestíveis, mas não algo que ficasse para sempre na lembrança. E quem lavou a louça foi Yuta, já que esse era preguiçoso e não havia feito nada até aquele momento. 

E da pia, Yuta podia ouvir os dois conversando atrás de si, sentandos ainda na mesa. As vezes, quando virava, via o olhar de Taeyong sobre Ten e Yuta tinha vontade de suspirar. Podia ver as pequenas estrelas de luminosidade nas suas escuras órbitas, enquanto TY olhava para o tailandês sem piedade.

Mas quando era por volta das 15:30, o celular do mais novo tocou e ele tinha que voltar embora. Yuta iria o acompanhar, afinal, era na mesma direção.

E se despediram de Taeyong na porta de sua casa. Yuta pulou a escada e já andava, devagar; enquanto Ten deu sua mão para o coreano e o agradeceu pelo sábado e pelas horas que conversaram. Ten sorriu grande e Taeyong corou, mas sorriu de volta. 

Taeyong suspirou quando viu o mais novo se virar e se afastar, mas quando esse já havia descido a escada e em passos pequenos de distanciava, se virou e gritou para o que ainda estava encostado na porta ouvisse:

- QUER IR TOMAR SORVETE COMIGO AMANHÃ?

E tudo o que Taeyong fez foi assentir várias vezes e rapidamente com a cabeça, logo bater a porta; Por isso, ele não pôde ver o outro grande sorriso que o tailandês deu, antes de virar e correr próximo a Yuta.

Dentro da casa, Taeyong pulou no sofá e escondeu seu rosto na almofada, enquanto sorria. Queria que amanhã chegasse logo, mas na verdade, estava nervoso.

"O que raios a gente vai conversar?" Ele pensou, mas depois balançou a cabeça. Iria deixar isso para amanhã.

Ele estava tão feliz que decidiu ir se destrair um pouco. Com o que? Claro né peoples, com o maldito jogo dele.

Ele subiu a escada correndo e literalmente se jogou na cadeira, essa correu um pouco pelo quarto. Se ajeitou em frente a mesa e clicou os botões necessários para entrar.

E já se surpreendera com um pedido de amizade. 

- LeeKul!? - Taeyong pensou alto.

E aceitou, dando de ombros. Não iria dar nenhum problema mesmo.


Notas Finais


td vez que eu não souber responder alguém nos comentários eu vou por "><" é isto. Me desculpem se tiver algum erro :D

ai eu vou contar, esse cap ficou ruim pq eu escrevi ele meio q desesperada, eu estava no meio de uma crise de choro e no meio de uma recaída. Eu escrevo realmente pra mim não pensar em coisas ruins e na maioria das vzs da certo, mas realmente, hj eu to muito ruim, tipo pra uma caralha. eu não quero falar sobre isso aq mas é q aaaaaaa, se eu sumir por muito tempo é pq eu não estou bem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...