1. Spirit Fanfics >
  2. O Juiz - MadaSaku >
  3. Lembranças, Bebedeira e Amizade...

História O Juiz - MadaSaku - Capítulo 2


Escrita por: e Flor_Cerejeira1


Notas do Autor


Quero agradecer grandemente a Flor_cerejeira1 que se tornou meu potinho de amor e que sempre inconsciente ou não (rsrs),me ajuda a externalizar algumas história!
Boa leitura amorinhas,bjos e até o próximo capítulo maravilindo!

Capítulo 2 - Lembranças, Bebedeira e Amizade...


Fanfic / Fanfiction O Juiz - MadaSaku - Capítulo 2 - Lembranças, Bebedeira e Amizade...

 

Madara POV

 

Levantei da minha cadeira me sentindo muito mal, pela primeira vez estava sentindo como se eu estivesse tirado aquela senhora que tanto me auxiliou de mim mesmo quando eu era criança , meu coração doeu, fiquei um pouco aliviado quando lembrei  que aquela advogada havia ganho a causa.

Segui para meu apartamento, quando cheguei fui analisar alguns casos pendentes e vi que daqui a alguns dias teria um feriado prolongado, aquele sentimento de tristeza e culpa me assolou por dias até a véspera de feriado ainda era de manhã quando fui para um bar que fica perto do meu prédio, “bebi...bebi. muito”, já era noite quando fui colocado pra fora por estar arrumando briga, permaneci sentado para não dizer jogado na calçada.

Sakura Pov

Cheguei de mais um dia exaustivo de trabalho, tomei um banho e fui para cozinha ver o que eu poderia fazer para o jantar, preparei arroz, achei batata palha no armário, uma caixa de creme de leite, pensei delícia, vou fazer minha salada e assim que eu terminar inicio o preparo de um strogonoff de frango, terminei a salada, cortei todos os ingredientes para o prato principal, quando notei que eu não tinha uma gota de conhaque, pensei “ahhh que vida vaga...bunda" opa já sei vou ali no bar e peço uma dose bem grande para o Yamato, troquei de roupa e fui até lá, quando entrei vi um monte de bêbados me olharem como se eu fosse um “pedaço de carne no açougue”, bando de escroto desocupados. Pensei comigo, vou até Yamato que era quem cuidava das bebidas do bar e também as servia.

— Boa noite Yamato! tudo bem? – perguntei

— Boa noite Doutora... Estou bem. O que a senhora precisa hoje? —perguntou

— Preciso de uma grande dose de conhaque para meu strogonoff... — falei

— hum que delícia Doutora estou até com água na boca. — Yamato falou

— Pois quando estiver no seu horário de jantar, toque meu interfone que levo um pouco pra você! — falei

Assim que sai do bar vi uma cabeleira preta comprida no chão, junto com um grande corpo estirado ali, pensei “isso deve ser coisa da minha linda cabeça, eu não estou vendo aquele Juiz sem coração jogado ali” e continuei a andar quando cheguei ao meio da quadra minha cabeça pesou e eu voltei para tirá-lo dali, me aproximei e assim que ele me viu me reconheceu.

— Eu não acredito que uma das causadoras do meu surto vai me ajudar hoje... —ele falou

— Surtou por que quis, não tenho culpa se o senhor não teve a capacidade de se colocar no lugar do outro! — respondi — Agora se apoie em mim para conseguir se levantar. — falei.

— Pronto agora vai querer me dar ordens... — Madara resmunga.

— O digníssimo senhor filho da puta estou tentando te ajudar aqui. — falei já irritada

— É Vossa Excelência! — falou ele e eu ri.

— Ok! Vossa excelência excelência filho da puta, melhorou? — perguntei fazendo cara feia.

Agora segure-se em mim, vou te levar até meu apartamento e cuidar de você se por acaso você não estiver com estado pra isso!

O carreguei aos trancos e barrancos até meu prédio, e constatei que o filho da puta mora aqui, pois assim que o porteiro o viu veio em minha direção e me perguntou o que havia acontecido com Madara, lhe respondi que ele só estava bêbado e lhe pedi para me ajudar a carrega-lo até meu apartamento, chegando lá tentei fazê-lo voltar a si, mais não deu certo então apelei para o banho gelado, no qual ele reclamou muito, mais melhorou um pouco, lhe dei um remédio pra ressaca e o deixei na sala, e fui para cozinha terminar meu jantar e nas quase duas horas que estive lá ele permaneceu dormindo enquanto babava no meu sofá, só acordou com o barulho do interfone ,Yamato estava na portaria esperando a comida que eu havia lhe prometido, ele acordou assustado por conta do barulho.

— Já que Vossa Excelência princesa acordou me faça um favor, leve essa marmita até a portaria é entregue para Yamato, e se você não está se lembrando de quem e foi quem te serviu bebida por algumas horas tá.

Ele levantou gemendo de dor, e foi fazer o quê eu havia lhe pedido!

Com sua demora em voltar interfonei à portaria é falei pro porteiro manda-lo subir logo que o jantar estava pronto é que meu próximo passo era busca-lo pelos cabelos,pois estava morrendo de fome.

Assim que minha porta se abriu ele entrou e estava com uma cara péssima

— O que aconteceu que o princeso voltou com a cara amarrada? — perguntei.

— Você é a mulher mais louca que atravessou meu caminho... — ele falou

— Eu sei, 1.68 de pura loucura que mantém paz universal. — falei e ele sorriu, “porra lindo pra caralho!”

— Espera faz de novo que eu vou gravar. — falei e ele arqueou as sobrancelhas.

— Do que você falando mulher? —perguntou

— Daquele sorriso lindo pra caralho que você deu há segundos atrás, vai faz de novo, vou gravar e quando meu dia estiver uma merda eu vou assistir para me sentir no paraíso. — falei e ele ficou ruborizado.

Vamos jantar espero que goste de strogonoff por que é o que temos pra hoje, senta aí e aproveite por que eu cozinho bem.

Ele apenas se sentou e ficou esperando, olhei pra ele é falei fique a vontade pra se servir madame, ele começou a se servir da comida que eu havia preparado pra poder jantar e almoçar no dia seguinte mais não sobrou nada, ri, me sentindo bem por ter compartilhado aquela refeição com ele, assim que terminamos o jantar fiquei arrumando a louça na lavadora e ele foi pra sala aonde repetia pela décima vez o pudim de sobremesa,assim que terminei me aproximei e estendi a mão pra ele.

— Amigos senhor Madara? — perguntei e ele apertou de volta

— O que significa ser seu amigo? —perguntou ele

— Significa que podemos almoçar quando pudermos juntos, jantar todos os dias, bad nunca mais existirá em sua vida e claro você ficará responsável pelo meu estoque de chocolates quando estiver na tpm, seremos amigos e apoiarem um ao outro. — respondi e ele sorriu

— Me parece ótimo, aliás, o jantar estava maravilhoso, obrigada... — ele falou parecendo estar sendo sincero.

 

 

 

 

 — Hum... Já que estamos falando de amizade você hoje dormirá aqui, pois precisa ficar melhor dessa ressaca ok... —falei e ele apenas concordou com a cabeça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...