História O laço que nos une - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Ash, Cake, Hudson Abadder, Lady Íris, Marceline, Marshall Lee, Princesa Jujuba, Principe Chiclete, Rainha Gelada
Tags Bubbline, Gils Like Girls, Mais Yuri Por Favor
Visualizações 40
Palavras 1.171
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, FemmeSlash, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Chapter one


Fanfic / Fanfiction O laço que nos une - Capítulo 2 - Chapter one

Queria tanto que a nova namorada do idiota do meu irmão pudesse desaparecer como névoa ao vento ou um cervo fugindo dos lobos pela floresta adentro, a poucos metros do terreno gigantesco do meu pai.

Bufei pela milésima vez encarando os meus pais que não parava de comentar sobre o quanto a Marceline Abadeer era encantadoramente talentosa ou que ela é a melhor nora que tiveram ou a mulher que desejaram tanto para Gumball ou príncipe chiclete por motivos óbvios de ser o filho mimado preferido, não que me importe com isso, mas é muito ridículo ele ser sempre o centro das atenções da família Bubblegum, donos das maiores empresas de moda reconhecida pelo Estados unidos sendo que sou eu que cuido de uma delas e ele não faz nada além de ficar vadiando por aí com o meu ex Marshall Lee, que não durou menos de seis meses a nossa relação que eu mesma terminei por motivos próprios.

- Saindo do assunto. Pigarreou o único homem que sorria largamente lançando o olhar em minha direção - Bonnibel amanhã você terá uma reunião com um dos chefes da agência de modelos, ele está interessado em uma parceria com a nossa marca, você já fez o portfólio da sua nova coleção de outono? Papai sendo controlador e interesseiro como sempre.

Sorri cínica cruzando meus braços abaixo dos seios.

- Senhor Denzel Bubblegum, eu sei muito bem dos meus deveres e até aonde sei não preciso de alguém se intrometendo nos assuntos da minha empresa. Pronunciei ríspida deixando transparecer a minha expressão irritada.

Pois se ele pensa que irá arrancar algum centavo da minha empresa, ficando com todo lucro que me matei de tanto esforço e trabalho, que o mesmo pode tirando o cavalinho da chuva.

Meu pai que estava sentado em umas das cadeiras da cafeteira, de repente lançou um olhar ameaçador em mim o deixando extremamente assustador em seu terno risca giz preto, que destacava os fios dos cabelos castanhos claros jogado pra trás e raspado nos lados, sinceramente o homem parecia mais um gângster do que um pai de família, ao contrário da minha mãe que estava nem aí, contando que pudesse esbanjar dinheiro em jóias importadas, se exibir para as outras mulheres dos coordenadores e presidentes de seu marido. Tudo o que ele mandava e desmandava, ela assinava embaixo.

- Pode ir senhorita Bonnie. Diz por fim indiferente.

Depois disso não dissemos mais nada e morreríamos no torturante silêncio senão estivemos na cafeteria mais famosa da cidade de Los Angeles, o que fez meu irmão que brincava com a colher dentro da caneca de cappuccino nos entreolhar sentindo uma discussão vindo e desaparecer junto com a mamãe mais rápidos que o flash com uma desculpa esfarrapada de que iriam ao banheiro. Revirei os olhos emburrada.

E antes que eu pudesse finalmente sair do lugar já impaciente, o mais velho limpou a garganta chamando a minha atenção e de alguns clientes mais próximos da nossa mesa 

- E sobre hoje a noite, a senhorita Abadeer jantará conosco. Num tom calmo como quem não quer nada. - Hum seria bom que você viesse para conhecê-la.

Affs. Tudo o que eu menos quero no mundo é conhecer uma mulher interesseira em garotos ricos e trouxas.

De relance troquei olhares com a minha mãe junto a Gumball que voltavam sorridentes e com a cara mais lavada do mundo. “Como são falsos”.

- Não sei. Tenho compromisso para tratar na empresa, mas prometo que irei pensar sobre isso com carinho.

Sorri cínica antes de me despedir do mesmo, saindo dali em passos apressados, porque mais alguns segundos minha cabeça iria explodir por tamanho absurdo.

- E não se esqueça do nosso plano Bonnibel. Faça a tua parte, porque se caso der errado, vou tornar o resto dos seus dias um inferno que você nunca irá esquecer. Alertou meu pai com uma expressão ameaçador, engoli a seco sentindo uma sensação horrível percorrer pelo meu corpo, porém permaneci de cabeça erguida agindo com superioridade com o intensos dos meus olhos azuis afiado como lâmina.

Sem mais nem menos, dei as costas realmente muito puta nem me dando o trabalho de responder aquele imbecil, retirando-me daquele lugar luxuoso entrando no Lamborghini prata parado em frente e sai cantando pneu pouco fodendo se ultrapassei o sinal vermelho que não demorou muito para desacelerar o automóvel diante do prédio empresarial Bubblegum.

- Bom dia Bonnie. Diz a mais nova feliz por me ver.

- O que foi? Num tom seco que assustou a assessora. - Me desculpe Iris...

Ela fez que sim compreendendo com um pequeno sorrindo nós lábios.

- Senhorita Bubblegum o chefe da companhia de modelo está em sua espera na sala seis.

- Okay. Já estava indo encontrar ele mesmo.

Respondi conforme abria a porta de vidro que ao ouvir o bater dos meus saltos altos de camurça rosa contra o chão, chamando atenção de todos os empregados que do nada ficaram imóveis de tão perplexos por verem a presidente tão cedo ou a “mulher do demônio”, com longas madeixas róseas caindo sobre o corpo curvilíneo e bem desenhado por baixo do vestido de alcinha rosa salmão. Como eu amo ter esse efeito sobre eles e de qualquer um que ousa desafiar minha autoridade.

Os fuzilei friamente, passando reto por eles cumprimentando alguns seguranças pelo corredores, rumando para o elevador junto com Iris ao meu lado que estava estranhamente quieta para quem fala além da conta enquanto apertava o botão do segundo andar. Suspirei pesarosa que não passou despercebido pela loira com mechas em tons de ciano, rosa e lilás.

- Senhorita o que houve? Com uma voz preocupada.

Mudei o peso da perna para outra encarando pelo reflexo meu rosto fino que realçava o azul vibrante como fogo, desviando para o castanho avelã da garota de estatura alta e a aparência madura demais para uma jovem de dezessete anos.

- Não é nada.

- O seu nada, pode ser tudo Bonnie. Pronunciou baixinho que pude escutar claramente.

- Não me diz que você tirou isso do Tumblr. Ergui uma das sobrancelha indignada fazendo a mais nova abaixar a cabeça envergonhada por a estar encarando tão indiretamente que logo cortei o contato passando a mão no cabelo, o jogando pra trás e suspirando pela milésima vez.

- Reuniões  familiares me tiram do sério como sempre.

Ela sorriu de canto acariciando minhas costas de baixo para cima, apesar de tratá-la mal Íris é muito amável comigo e não se importava com o meu jeito autoritário e teimosa.

- Se for por causa da futura noiva do seu irmão, não se preocupa. A senhora sempre consegue o que quer sem mover um dedo.

Ela ri divertida que correspondi a prensando contra parede com o meu corpo, descendo minha mão por dentro da saia preta sentindo aquele íntimo quentinho que tanto provei e chupei com vontade, arrancando pequenos gemidos da mesma que rebolava sob meus dedos com avidez. Sorri maliciosa ficando excitada com a cena.

- Eu sei baby.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...