1. Spirit Fanfics >
  2. O lado C de Sonserina. >
  3. O banheiro da fantasma

História O lado C de Sonserina. - Capítulo 6


Escrita por: a-autora

Notas do Autor


Em constante conserto. (◍•ᴗ•◍)

Capítulo 6 - O banheiro da fantasma


Fanfic / Fanfiction O lado C de Sonserina. - Capítulo 6 - O banheiro da fantasma

- Hey! - Dizia Sophia constantemente aquela semana. - Ta distraída com quê? 

-  Eu não sei. - Menti. Mas a realidade é que a conversa com o Wesley estava na minha mente, o vislumbre também, e pra piorar, não saber com quem eu estava conversando fazia sim diferença, eu estava chateada comigo mesma. 

- Ainda não acredito que não conseguiu falar sobre a Sonserina pra ele.- Falava ela brava na aula de Poções.

- Eu ia apagar tudo mas ele foi tão gentil. - Disse com sinceridade. 

- Ah, fala sério! Ele pode contar pra todos.

- Você poderia ter fé em mim e nele, o que acha, fomos úteis para você! Gratidão é a palavra que precisa existir em você. - Disse um pouco chateada. 

Snape ficou observando nossa conversa de longe desconfiado, quase nunca conversávamos na aula dele.

- Ta bom. Eu vou considerar a boa vontade. 

Até porque ela e Neville estavam felizes, sempre que podiam trocavam informações e até estudavam juntos com a ajuda do pergaminho.

- Neville tem dificuldade com poções. - Falava agora Soph , constantemente sobre Neville. - E tem medo de Snape. Contei que ele é inofensivo e que você consegue dobrar ele no meio. 

E rimos. Para raiva de Snape que se aproximou de nós. 

- Se essa poção ficar ácida, cada uma vai beber a da outra. - Disse ele entre dentes e seriamente. 

Ao se afastar Soph susurra pra mim:

- Vai nada. 

Final da aula, Snape olha pra mim e diz : "Fique no final". O que significava que alguma coisa ele queria me dizer. Talvez estivesse ainda pendente nossa conversa sobre a penseira e estudo dos vislumbre. Quando todos saíram e Soph deu uma piscadela de despedida eu fui até a mesa de Snape. 

- O que estava fazendo no sábado de manhã na ala leste do castelo sozinha?

Eu gelei. Eu não estave esperando e não sabia o que esponder. Segui o plano. 

- É. Bom, você deve conhecer o Fobos, ele parecia meio perdido, fui atrás dele...

- Sophia disse para Patrícia que você estava no banheiro. Não há banheiros daquele lado do Castelo. 

- Exatamente, mas saindo do banheiro fui atrás do Fobos.

- Uma hora depois? - Snape perfuntava com frieza, sentado balançando uma pena.

- Acontece, Senhor. - Respondi na esperança dele acreditar.

- Sabe quem eu vi?

- Não. - Respondi achando que ele vou o Wesley. 

- Eu vi uma aluna correndo pelos corredores e não atrás de um pássaro, pelo contrário, o pássaro seguia você. O que esta acontecendo? - Perguntou ele ainda com o humor frio. 

- Nada. Eu acho que nada. 

- O Castelo está em risco, como nada está acontecendo?- Ele agora parecia aborrecidos. - Você não me convenceu,mas vou ficar de olho em você e na Rosier. Estamos todos preocupados. 

- Nós também, Snape. - Disse ficando mais séria, eu acho. - Também não sabemos o que está acontecendo mas gostaríamos de saber, é do nosso interesse. 

Snape se levantou, contornou a mesa e se aproximou.

- Jenna, não saia do dormitório por nada, por ninguém, por curiosidade alguma. Não fique sozinha...

- Minhas colegas já foram. - Disse tentando correr da conversa. Ele se ergueu e concordou.

- Certo , então vá logo, e corra como correu no sábado. - Disse com rispidez. Cruzou os braços como costume, e saindo da sala, olhei para trás. E ele estava sorrindo um pouco e ficou mais sério quando o olhei. Nunca vi Snape sorrir mas o pouco que vi foi muito emocionante. Saí logo quando os alunos da próxima aula chegaram, e pra minha surpresa os alunos do quarto ano da Griffinoria entraram.

- Ola Jenna! - Disse os gêmeos Fred e Jorge ao mesmo tempo. Sorri sem graça e sai. O desejo de olhar novamente para trás e ver a cara do Snape era forte, mas o medo era maior. Raramente um aluno da Griffinoria falava com um da Sonserina, então eu não conseguia imaginar o que Snape deduziria.

- E ai? Foi Fred ou Jorge, já conseguiu saber? - Perguntou Sophia quando ficamos uns minutos sozinha no quarto. 

- Eu não sei Sophia!!!!! - Disse eu enfiando a cara no travesseiro. 

- Aí, eu não quero nem ver quando um deles puxar assunto com você e você se perder geral.  

Uma ideia me ocorreu. 

- Sophia! Pergunta pro Neville! Você pode pedir pra ele chegar em um deles ...

- Ah esquece. Eu não disse a ele como eu consegui os pergaminhos, ele acha que sou tão inteligente que fiz sozinha. 

- Ah, não! Cadê meus créditos!? - Perguntei indignada. 

- Não se preocupe, vou contar mas não agora, porque se eu contar de você, tenho que falar dos gêmeos e assim vai, e pelo que notei, os gêmeos não contaram pra ninguém, ninguém sabe. 

- Os gêmeos!? Nem sei se ele contou ao irmão. Eu sou uma idiota! - E enfiei a cara no tavesseiro de novo. 

- Hey, me conta, o que mais rolou na sala do relógio!?

- Como é que é!? - Me levantei e sentei. E respondi pois ela estava me olhando esperando.-  Então depois dele conseguir fazer o elo nos pergaminhos a gente se cumprimentou e nos despedimos e só. - Só que não. Não quis contar da visão que tive. 

- Aham, sei. - Disse desconfiada. - Eu não me convenci sabe, como pode ter sido fácil. 

- Lembra que você disse sobre reputação, no primeiro dia do segundo ano? Então, nós temos uma boa por sermos amigáveis com eles da Griffinoria..

- Pelo menos com eles, porque com a Lufa-Lufa eu não tenho.- Disse Sophia rindo. Sophia pegou o pergaminho dobrado que vivia no bolso e ficou um pouco espantada.

- Jenna... Neville escreveu algo importante. - Me levantei e sentei ao lado dela e ela leu. - "Ouvi Harry e Roni falarem de um tal banheiro do segundo andar, achei perigoso eles irem lá sozinhos se tem um fantasma e pior, entrar em banheiro de meninas ".- Leu Sophia. 

- Ele deve confiar muito em você. - Respondi.

- Deduzo que ele não conversa muito com os colegas. Então tem mesmo um fantasma lá? - Nunca conversei nem cheguei perto de fantasma, suporto as aulas de História da magia do Binns da última carteira. 

- Ouvi Patrícia dizer no ano passado para ninguém ir lá a não ser que quisesse ter pesadelos.- Disse Soph,pensativa.

- Não deve ser uma boa ideia irmos lá. - Disse com medo.

- Jenna, fantasma então no castelo a muito tempo, li em " Hogwarts, uma história". Tem fantasma aqui dês da fundação a mais de mil anos. Se quisermos saber mais sobre tudo que aconteceu aqui, seria interessante conhecê-los e conversar com alguns. 

- É, eu sei eu li também. Podemos ir terça, depois de sairmos da aula de feitiços que fica próximo.

E assim fizemos. Após a aula de Flitwick conseguimos sorrateiramente entre alunos ir no banheiro da tal fantasma. Era um banheiro grande, aparentemente maia mais antigo e ignorado, pouca luz, nenhuma movimento. 

- Parece vazio. - Disse para Soph. 

- Ah, relaxa, vamos observar. 

- Não tem o que observar, Sophia. - Disse com receio 

"Sophia, é? Prevejo que vieram mais para debochar de mim. " Ouvimos num canto do banheiro, uma voz chorosa que causava um grande eco, pois parecia que vinha de cima. 

- Ola moça. Boa tarde. Eu sou Sophia e essa Jenna. 

Um vulto cinza saiu de cima de uma das vidraças e eu me escondi atrás de Sophia, que por sorte, era mais alta que eu. 

- Então a outra tem medo de mim? Ou acha que é uma boa piada? - Disse a fantasma com um pouco de raiva na voz. Sua voz oscilava de humor e era aterrorizante.

- Jenna tem medo sim. Vocês fantasmas impõem respeito, sabe..

- Isso sim é uma piada! - Gritou a fantasma se aproximando. 

- Calma, você ainda não se apresentou. - Disse Sophia com tranquilidade. 

- Hm..- Murmurou a fantasma desconfiada. - Eu sou a Murta, não sabe não?

- Não dou ouvidos para boatos, é melhor ser apresentado. Bom, Murta, você deve estar sabendo de diversos acontecimentos aqui em Hogwarts...

- Tô sabendo, mas não que isso me interessa, os outros vivem falando..- Disse Murta aparentemente equilibrada. - E de nada eu tenho haver, porque estão aqui?

- Bom, somos curiosas em conhecer o castelo, vivemos muito aqui e

- Vocês são da Sonserina! Vocês conhece o tal herdeiro ou sei la o que?

- Não. - Ai disse eu e Soph. Eu saindo aos poucos por de trás da minha amiga.

- Na verdade queríamos conhecer você, já que está no Castelo a muito tempo. Qual a sua idade?

- Não entendo seu interesse em mim, eu sou tão velha aqui que não sei mais... Eu digo.. faz tanto tempo.. - Disse Murta chorando.

Sophia se aproximou da fantasma.

- Eu sinto muito. Eu não entendo o que está passando, mas saiba que se você ainda está aqui é porque é importante.- Disse Sophia com gentileza. Eu não entendi muito bem a estratégia de Soph, mas parecia saber o que está fazendo.

- Hum... Acho que uns 50 anos, sempre nesse inferno, em vida... Em morte.... Sempre sozinha.. - Disse aos soluços.

- Lamento não poder abraça-la. Acho que consigo ver o brasão da Corvinal em suas vestes, estou certa?? Isso é um sinal de quê você é muito inteligente e esforçada, vai conseguir ...

- Eu era sim, agora olha pra mim... Eu sou isso.. - E começou a chorar novamente.- Porque está sendo gentil comigo!? O que você quer?

- Como você morreu? - Sophia foi curta e direta, não deve ser confortável falar disso.

Murta ficou sobrevoando de costa no meio do banheiro e respondeu olhar para nós.

- Eu morri aqui. - Disse olhando para o chão.

- Porque acha que alguém iria querer fazer isso com você? Você tinha inimigos?

Rapidamente Murta sobrevoou e ficou cara cara com Soph, eu me afastei uns 3 metros. 

- Como se nem amigos eu tinha!!!? -Gritou Murta.

- Perdão, moça. Eu também não tinha. Eu entendo. Mas você ainda pode ter. Posso vir aqui se você não se importar. 

- E porquê você está pedindo permissão!?

- Veja, o banheiro é praticamente seu. Você é jovem, seus pais nunca vieram te ver!?

Mais uma pergunta indelicada que fez Murta encolher os ombros e chorar. Depois de alguns minutos a fantasma pareceu se recompor e com uma voz estranhamente grave e com raiva respondeu:

- E como poderia? Nenhum trouxa já passou em Hogwarts.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...