1. Spirit Fanfics >
  2. O lado sombrio do coração(editando). >
  3. Uma história de falso amor.

História O lado sombrio do coração(editando). - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, boa leitura.

Capítulo 7 - Uma história de falso amor.


Fanfic / Fanfiction O lado sombrio do coração(editando). - Capítulo 7 - Uma história de falso amor.

No carro, Oswald estava dirigindo quieto com Sofia ao seu lado olhando para ele.

- Você não se lembra de nada?- pergunta ela, esquisita.

- Não.- responde ele seco.

- Não sente nada quando estou perto?

- Só sinto arrepios.- diz Ozzie. Sofia ficou quieta e olha para a janela.

- Você sabe que vai demorar umas 17 horas até chegarmos, né?

- Não importa, eu vou conhecer esta criança. 

- Por que escolheu o caminho mais longo?

- Porque você vai me contar tudo.- exige ele.

- Tudo o quê?

- Tudo tudo, como nos conhecemos, eu te trai, tudo.

- Então tá. Não sei por onde começo.

- Do começo.

- Certo, estudavamos juntos e você era o aluno nota 10 da escola, mas meu irmão e uns amigos faziam bullying. Você era um alvo, porém eu sempre gostei de você, fui te pedir desculpas pelo o que meu irmão fez e...

* Flashback*

Oswald estava sentado em um banco no recreio, Sofia se aproximou e sentou em seu lado.

- Desculpa pelo meu irmão, ele não sabe o que fala às vezes.- explica ela olhando para ele, que estava observando o céu nublado.

- Tá.- diz ele calmo e direciona seu olhar ao dela, que fica corada.- Mais alguma coisa?

- Não, sim, não, não sei.- se embaralha ela, sorrindo timidamente.

- Tudo bem?

- Sim, por quê?

- Você está vermelha.

- Não, é o sol.

- O sol?- questiona Ozzie, olhando para o céu cinza.

- É.

- Entendi.- declara ele, se levantando para não ter problemas com Mário.

- Pinguins são legais.- diz ela rapidamente.

- O quê?- estranha ele, olhando para ela.

- Eu quero dizer que eu gostaria que me chamassem de pinguim, pois os pinguins são..fofos.

- Então tá bem, pinguina.- fala ele em tom de brincadeira. Fazendo ela rir.

** Alguns dias depois da nossa conversa ficamos mais amigos.**

Sofia e Oswald convervam e riam, mas Mário olhava enojado.

** Porém nem todos gostavam da nossa aproximação e ficou pior quando te levei para conhecer meus pais.**

Todos a mesa e Don Falcone e Mário multilavam Oswald com o olhar.

- Quantos anos você tem?- pergunta a mãe de Sofia alegre.

- 12 anos, senhora.- responde Ozzie.

- Não me chame de senhora.- diz ela brincalhona.

- Desculpa, senhorita.- fala Oswald.

- Então garoto, por que está com a minha filha? Gosta dela?- pergunta Carmine sério.

- Sim, senhor.- afirma Ozzie.

- É virgem?- questiona Don Falcone.

- O quê?- estranha Oswald.

- Responde, é ou não?- exige Don.

- Não.- diz Os olhando para baixo.

- Foi com minha filha?- sugere Carmine.

- Não.- fala Ozzie.

- Então quem foi? Foi com uma menina?- pergunta Mário.

- Não.- responde sem pensar, Os.

- Não? Como não?- se assusta Sofia.

- É que, ela é uma mulher, mais velha.- explica Oswald.

- Quem é essa mulher?- questiona preocupada a mãe de Sofi.

- Se o senhor matar todos os namorados de sua filha, vocês estaram sempre brigando.- declara Ozzie.

- Por que falou isso?- pergunta Don.

- Estou vendo a arma apontada para mim em baixo da mesa.- esclarece Oswald.

- Está com medo?- questiona Carmine.

- Não, mas não quero morrer.- fala Os.

- Então termina com minha filha e nunca mais a veja.- manda Don Falcone.

- Que isso pai?- pergunta Sofia.

- Não senhor, isso não é uma escolha sua.- declara Ozzie.

- Achei que não quisesse morrer.- diz, se fazendo de idiota, Mário.

- E não quero, mas não vou fazer o que manda. Se eu fizer isso você vai fazer de novo com outro, não deixando sua filha viver e não é nada saudável para uma família brigas sem sentido algum.- explica Oswald.

- Tá bem, eu vou te matar.- conclui Carmine.

- Não, não vai.- se estressa Sofi.

- Cala boca, Sofia.- grita Don.

- Não, e eu vou dormir na casa do Ozzie hoje.- ela se levanta e puxa Os para segui-la, eles foram para casa dele. 

- Desculpa.- fala ele frio.

- Não foi culpa sua, foi do meu pai. Ele é um idiota.- diz ela brava.

- Foi um pouco minha, eu não deveria ter respondido ele.- declara ele.

- Tudo bem.- fala ela sorrindo.- Então quem é essa mulher?

- Por que quer saber?

- Não posso?

- Sim, pode é a professora de educação física.

- Professora? É proibido e ela é maior de idade.

- Eu sei, mas ela me obrigou.

- Como é que você é péssimo em educação física?

- Depois do que aconteceu, eu disse que iria contar para o diretor e ela me odeia.

- Quantos anos você tinha?

- 10 anos, foi sem consentimento da minha parte.

- Que horror. Mas agora você tem alguém que te ama.- expressa ela é da um beijo nele.

- Merda.

- O quê?- estranha ela.

- Não, é a primeira vez que diz que me ama e estou um pouco constrangido.

- Tudo bem.

*Fim do flashback*

-Mais alguns dias depois e você tirou minha virgindade. E eu engravidei. Meu pai não gostou nem um pouco, minha mãe morreu e quando nosso bebê nasceu alguém o roubou. Aí meu pai tirou meu irmão eu de Gotham.- fala ela chorando.- Só voltei porque Jim Gordon pediu ajuda do meu pai para te tirar do poder, aí eu me aproximei de você, mas era como se você nem ligasse se eu estivesse ali ou não. Eu realmente acho que você nunca me amou, mas eu não queria acreditar então quando descobri que você disse a ruiva que a amava, eu endoidei. Pois você nunca havia dito isso para mim, então cometi erros com você que me arrependo muito. Muito, muito. Desculpa, me desculpa.- fala ela chorando. Ele olha para Sofia e segura a mão dela.

- Não precisa chorar, eu te perdôo.- declara Os.

- Isso é porque você não lembra.- esclarece ela.


Notas Finais


Tchau, obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...