1. Spirit Fanfics >
  2. O ladrão do meu coração - Mitw >
  3. O Começo

História O ladrão do meu coração - Mitw - Capítulo 1



Notas do Autor


Oiiii pessoal Isa falando, bom faz tempo que eu queria fazer uma fanfic aqui no Spirit, ent pedi ajuda pra duas amigas e aqui estou começando a fic com elas
:3
Era só isso msm ;-;
Bora ler

Capítulo 1 - O Começo


Tarik acordará com o perturbador som do despertador, batendo no mesmo, o derrubando e se partindo no meio, não se importou por ter custado caro, saberia que o dinheiro era o que menos fazia falta para si. O garoto de 17 anos abria seus olhos com dificuldade, aquela luz forte adentrava seu quarto, houve uma vontade de xingar cada coisa que ocorria a si, mas apenas deixou quieto e se levantou. Adentrou o banheiro com cautela, fechando a porta e se despindo, jogando a roupa em qualquer canto, saberia que alguém viria ali a recolher, então não se preocupou muito. Ligou o chuveiro e adentrou aquela água quente, tacando um foda-se para o gasto de água, ficando por lá cerca de 30 a 40 minutos, e assim que saiu, viu sua roupa já em cima da cama, provavelmente deixada por alguma empregada. As pegou e as vestiu, com um pouco de preguiça, desceu as escadas até a sala de jantar, onde encontra seu pai sentado com uma das pilhas de papelada que ele vivia assinando antes de sair de casa para o trabalho.

- Bom dia Tarik - o maior de idade diz sem tirar seus olhos dos papéis a sua frente.

- Bom dia - ele responde seco, mas porém sem sentimentos, passando pelo mesmo e se sentando.

- Hoje estarei em casa mais cedo do que o normal, talvez a reunião seja mais rápida - Lúcio Álvares, ainda sem dar a menor olhada ao filho, fala como se achasse que Tarik se importava.

- Tudo bem, não fazia diferença mesmo quando você chegava tarde - ele fala se levantando, sem ao menor encostar na xícara de café que havia a sua frente.

Tarik caminha até a sala, pegando sua mochila que estava jogada no sofá, caminhando até a garagem e entrando em um do milhares de carros que tinha, dando um sinal para o motorista o levar para a universidade. No meio do caminho, pensamentos surgiam a si: Seu pai não dava a mínima atenção ao menor, apenas se importava com o trabalho, apenas conseguia as coisas que queria pedindo.

Tarik não era muito de fazer amigos, apenas a amizade de Rafael Lange e Felipe Batista era o suficiente. Ele era um daqueles garotos Playboyzinho que conseguia tudo que queria, assim, era o mais popular entre os alunos de sua universidade.

A pouco tempo, o motorista parou em frente ao grande estabelecimento, abrindo a porta para que o de olhos negros saísse, caminhando até a entrada, sendo recebido por todos a sua volta, e como sempre, os olhares foram se preenchendo a si. Caminhando novamente, foi até seu armário, encostado no mesmo, Rafael.

- Olá Tarik - o cumprimenta.

- Olá - diz o tirando de frente de seu armários com apenas um leve empurrão, abrindo o mesmo e tirando de lá seus livros que seriam necessários naquela segunda de manhã - onde está Batista?

- Provavelmente na biblioteca, uma grande novidade - fala Rafael sarcástico.

- Ele passa 50% das aulas toda lá - realmente estava falando sério, Batista era um daqueles que adorava ler, mas nunca demonstrava isso a quase ninguém, apenas para seus amigos ali em si.

enquanto isso com Mikhael Línnyker ou melhor como todos os chamam "Dragão",ele e seus companheiros estavam armando uma armadilha para capiturar Tárik Peçanha o filho do homem mais rico do mundo,João Victor ou mais conhecido pelo seu codinome "Sombra" é um de seus companheiros e um infiltrado na escola de Tárik que nesse momento está com seu querido "amigo" Felipe Batista na biblioteca,Felipe Zaghetti mais conhecido por seu codinome "Binário" ele e o Hack do grupo que neste momento está hackeando os carros de Tárik pós eles são todalmente digitalizado, junto com Lucas Olioti mais conhecido pelo seu codinome "T3ddy" ele e ótimo para fornecer esconderijos além de trabalhar no FBI então ele pode fornecer farias coisas sobre o caso já que com certeza o FBI vai agir atrás de quem pegou o filho do homem mais rico do mundo.

P.V.O Batista

Estou agora na biblioteca com um amigo que fiz esses dias ainda não o apresentei a Tárik ou a o Rafael o nome dele e João Victor porém ele deixou eu chamá-lo de Jv e de vez em quando Jotonha falando nele olha ele voltando com os livros que ele alugou para mim porque eu tinha que devolver um mais eu perdi ele então eu não posso pegar livro até devolver o livro.

- Felipe? voltei aqui os livros que você pediu espero que goste desses livros e vê se não perde dessa fez -ele fala a última parte com uma voz um pouco sarcástica me fazendo rir um pouco e concordar com a cabeça.

- Pode deixar dessa vez eu tomo mais cuidado! obrigada Jotinha- falo rindo um pouco e abraço ele,ele demora um pouco mais logo retribui o abraço,porém ele logo o separa e fala.

-A aula já vai começar Batata Humana- ele me deu esse apelido de batata porque eu sou um pouco esquecido e desastrado- agora vamos logo!quero chegar antes do sinal bater- ele fala com um sorriso estampado em seu rosto,quarto os livros na mochila coloco a mesma em minhas costas e como o Tárik não pode me ver com ele agente se separa e prossigo até sala de aula.

Chegando na sala de aula avisto meu outro amigo, Lucas ou Luba -como ele prefere ser chamado

-Oi Luba

- Ah....oi batista

Luba é um garoto meio quieto, ele prefere ficar quieto lá no canto dele, as vezes sinto dó dele, eu nunca vejo ele falando com ninguém além de mim.

P.O.V Luba

-Professor posso ir ao banheiro?

-Vai-mds professor grosso

Me levanto da minha carteira indo em direção ao banheiro, odeio ter que andar naquele corredor que mesmo que tenha aula, tem pessoas que continuam no corredor -affs bando de desocupados- bom.......na verdade eu não fui ao banheiro, na verdade eu fui na biblioteca pegar um livro pra mim ler, aquela aula tá muito chata aquele professor com a mesma cara de bunda de sempre, sério parece que tem uns 100 anos com aquela cara de macaco véio chato >:/

Eu sou bem tímido e quito, mas a minha mente é barulhenta e poluída

P.O.V Rezende

Caramba é todo dia a mesma coisa, sou obrigado a ir trabalhar, naquela maldita delegacia, depois que fiz 18 anos meu pai me obrigou a ser policial.......ESSE LIXO QUE EU CHAMO DE PAI....."ain na vc tem que ser policial" "ain vc tem que ser perfeito", pq eu não posso ser como uma pessoa normal, eu mal sai da escola e já tô trabalhando, eu odeio ele.....affs

-ei Rezende

-sim?

-acabaram de ligar dizendo que um mercadinho do centro foi assaltado

-obrigado pela informação Pk, vai chamar o Guaxinin, vou esperar vcs na viatura.

Q.D.T (quebra de tempo)

Já no mercadinho

-que droga, foram eles de novo -digo enfurecido

-e como você sabe que foram eles de novo?

-eles roubaram as filmagens das câmeras e destruíram tudo aqui, derrubaram as prateleiras, quebraram a janela....e mataram o caixa, da pra saber que foram eles

-ei Rezende achei uma pista aqui

Caminho em direção ao meu parceiro, que achou uma arma

-vamos levar isso pra delegacia agora, precisamos ver se tem digitais nela




Continua...


Notas Finais


Bom esse foi só o primeiro capítulo
Ainda vai vir muitas coisas pela frente
>:3
Espero que tenha gostado é isso flw
Ame cookies (eles merecem '-')
( ˘ ³˘)🍪


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...