História O leão e o lobo - Furry - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Furry, leão, Lobo, Original, Yaio
Visualizações 70
Palavras 1.687
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OOOOOOOIIIIIIII
já venho me desculpando pra ter demorado mais de um mês pra postar, sabem como é, eu trabalho e n consigo estar todos na frente do pc, esse cap era pra ser mais longo, mas decidi encurtar m pouco pra postar logo, quero lembrar a vcs que eu criei um grupo no discord, vou deixar o link nas notas finais, além de escrever eu tbm desenho e faço vídeos pro youtube, tem um canal de jogos, vão estar tudo nas notas finais pra quem quiser conferir
Espero que gostem, fiz com mt, MT amor pra vcs ^.^

Capítulo 12 - Capítulo 11 - Uma pequena confusão


 

POV Derek

 

Eu estava imóvel, congelado sem saber o que fazer

_Anthony, eu posso explicar_ Finalmente conseguir falar.

Mas ele bateu a porta antes de qualquer coisa, Matt me olhava assustado e provavelmente pensando o mesmo que eu, “ e agora? “, levantei correndo, vesti uma cueca e saí do quarto, Ant estava parado a minha frente, de braços cruzados e um olhar mortal fixado em mim.

_Não é o que parece_ Tentei falar.

_Você deitado com outro homem e não é o que parece?_ Disse ele batendo o pé nervosamente.

_A quanto tempo?_ Perguntou Anthony.

_O que?_ Fiquei confuso.

_A quanto tempo está escondendo isso?_ Levantou a voz.

_Alguns meses_ Expliquei.

_O que você me prometeu quando a nossa mãe morreu?_ Disse ele.

Eu abaixei e rangendo os dentes.

_RESPONDE!_ Gritou ele.

Já conseguia ver as lágrimas escorrendo em seu rosto.

_Não esconder nada de você_ Falei baixo.

_Você mentiu pra mim_ Disse Ant.

Enxugando as lágrimas ele seguia pelo corredor.

_Anthony!_ Tentei chama-lo.

_Não quero ouvir, NEM MAIS UMA PALAVRA!_ Berrou ele.

Ant saiu pelos fundos e bateu a porta, e eu ali imóvel e assustado, nunca tinha o visto desse jeito, furioso e entristecido, todos os outros me encaravam no mesmo estado em que eu estava, Robert, Alfred e Abe se entreolhando confusos com o que acabou de acontecer.

Cambaleando voltei ao quarto, fechei a porta e caí de joelhos, fiquei escorado nela.

_O que foi essa gritaria?_ Perguntou Matt assustado.

Ainda não conseguia falar direito e nem sabia como ia explicar aquilo, ele veio até mim, quase tropeçando, já que estava enrolado no lençol, se sentou na minha e passava a mão em meu rosto tentando me acalmar.

_Tá, o que eu consegui entender, foi que escondemos o nosso relacionamento de todos_ Disse ele.

Segurei sua pata que ficava em minha bochecha.

_O melhor a se fazer, é esperar a poeira abaixar, os ânimos se acalmarem_ Disse Matt.

Ele tentava roubar minha atenção com leves selinhos, mas eu ainda estava ocupado processando as ideias.

_Não fique tão distante, isso vai passar_ Falou ele.

Me inclinei e escondi meu rosto em seu pescoço, Matt passava os dedos pela minha juba a acariciando.

_Esse chão tá gelado_ Reclamou ele.

Segurando em minhas mãos, me ajudou a levantar, deitamos na cama um de frente pro outro, deitei de barriga pra cima encarando o teto, Matt deitou em cima de mim, nos cobri com o lençol e o abracei, não podia ficar muito tempo ali, mas ia aproveitar cada segundo.

_Eu queria tanto saber o que se passa na cabeça dele_ Suspirei chateado.

_Ele nunca foi o mesmo depois que a mãe morreu_ Me ajeito na cama.

_Faz quanto tempo que isso aconteceu?_ Perguntou Matt.

_A exatamente a um ano_ Expliquei.

 _Ela teve um infarto fulminante, não deu tempo de fazer nada_ Digo entristecido.

_E mesmo assim eu fiquei mais de uma hora fazendo massagem cardíaca esperando que ela voltasse_ Suspiro.

Empurro o Matt gentilmente, fico sentado na cama olhando o chão, ele me abraçou por trás, passando a mão em meu peito e lentamente descendo até a minha cueca.

_Não é uma boa hora_ Tirei sua pata de lá.

Fui ao guardo buscar uma muda de roupas.

_Preciso ver como o Ant tá_ Falei enquanto me vestia.

Saí pela porta e fui pro corredor onde dava a saída pros fundos, abri uma pequena fresta pra espiar, Anthony não estava do lado de fora da casa, mas o ouvi gritar lá no galpão, em passos leves me aproximei e por uma pequena abertura, consegui vê-lo jogado no chão se mantendo erguido pelos braços, me doía ver essa cena, ele soluçava de tanto chorar, berrava e socava o chão...

 

POV Matt

Tinha ficado sozinho no quarto, optei por me vestir também e me explicar pro pessoal, abri a porta lentamente e pus o rosto pra fora, todo mundo estavam na sala me olhando e cochichando.

_Então, alguém com fome?_ Falei sorrindo de nervoso.

Eu balançava o corpo de um lado pro outro, esperando a reposta.

_Tô na cozinha se precisarem de mim_ Disse antes de virar as costas e ir pra lá.

Eu me tremia todo, arrepiado dos pés a cabeça, me propus a fazer algo pra comer e conversar com eles sobre o que aconteceu, respirei fundo e comecei a fazer as coisas, primeiro o café, cafeteira ligada, então pus uma capsula de café forte e o deixei fazendo, abri a geladeira e peguei uns seis ovos, os quebrei numa tigela, pus um pouco de creme de leite, sal, pimenta e bati tudo até ficar homogêneo.

Com a frigideira no fogo, lancei um fio de azeite sobre ela, e em seguida adicionei os ovos e um pouco de leite, mexendo sem parar em fogo baixo, e está pronto, ovos mexidos de hotel cinco estrelas, reservei na mesma tigela de antes e deixei descansando, peguei pão dentro do armário pra fazer as torradas, seis fatias, fazendo duas de cada vez na torradeira.

Nesse meio tempo o café ficou pronto, mas antes de levar tudo pra sala, eu hidrato um pouco de proteína de soja, a espremo num pano de prato e a refogo em fogo alto com alguns temperos pra dar um gostinho, misturo com maionese fazendo assim um patê pra passar na torrada. Voltei pra sala carregando tudo com cuidado pra não cair, deixei na mesa de centro e sentei ali no chão com as pernas cruzadas.

_Vão ficar parados olhando pra comida_ Perguntei levantando levemente a sobrancelha.

Rapidinho começaram a comer.

_Por que não contou antes?_ Perguntou Abe falando de boca cheia.

_Medo_ Falei inclinando o corpo pra trás.

_Mas do que?_ Perguntou Alfred.

_Do Anthony acabar surtando, Derek sempre me disse que tinha medo do Ant o odiar, por ser, você sabe, gay_ Falei.

_Isso completamente normal nos dias de hoje, não há problema nenhum em ser gay_ Disse Robert.

_Mas o que fez o Anthony surtar foi porque guardamos segredo dele_ Expliquei.

_Se tem uma coisa que ele não gosta, é que alguém esconda alguma coisa dele_ Falou Abe.

_Eu conheço o Anthony desde de a quinta série, com certeza ele tá furioso com isso, mas daqui a pouco isso passa, Ant não é de guardar de rancor ainda mais pelo seu irmão_ Disse Alfred.

_É um alívio ouvir isso_ Suspirei.

Enquanto conversamos ouvi a porta dos fundos se abrir...

POV Derek

Depois do que eu vi, meu ânimo só piorou, ainda cabisbaixo, eu cruzava o corredor apenas olhando pro chão até encontrar com os pés do Matt.

_ E aí, como ele tá_ Perguntou segurando meu queixo fazendo olhar em seus olhos.

_Bem mau_ Suspirei.

_Vem comer_ Disse Matt segurando minha mão e me guiando até a sala.

Avistei que ele tinha feito algo pra comer, pegou a bandeja que ainda havia um pouco do café da manhã e voltamos pro quarto, trancamos a porta e ficamos, ele deitado eu sentado na beira da cama, passava as mãos em meu rosto ainda chateado.

Senti Matt segurar em meus ombros os apertando carinhosamente, me puxou devagar e pousou minha cabeça em seu colo, eu o encarava com um olhar parado e sem vida, ele puxou a bandeja, pegou um pouco com o garfo e dirigiu a minha boca, dei uma mordida sentindo o sabor molhado dos ovos. Saí de seu colo e fui pro travesseiro, deitado de barriga pra cima, eu encarava o teto.

_Sei o que pode animar você_ Disse Matt.

Ele se cobriu e deitou em minhas pernas, apalpava minha cueca com os dedos, o sentia cheirar e passar o focinho por toda extensão do meu membro, decidi deixar as coisas fluírem, talvez iria me fazer ficar melhor, já conseguia me sentir excitado, ele abaixou a cueca fazendo pênis pular pulsante mente.

_Hmm_ Matt engoliu por inteiro.

Fazendo movimentos circulares com a cabeça ele sugava bem devagar, segurando a base de membro com a mão direita, sua boca quente me envolvendo me levava as alturas, me apoiei na cama com os braços e joguei a cabeça pra trás, Eu dobrei os joelhos pra esconder ainda mais o Matt debaixo das cobertas.

_Glrk, mm_ Ele chupava com força.

Os sons emitidos de sua boca eram bons de ouvir, me deixavam com mais tesão, levantei os cobertores pra mostrar apenas o seu rosto, segurei a sua cabeça com a mão esquerda e pressionei um pouco pra baixo, mas pra de leve pra ele não engasgar, acariciava seus cabelos.

_Pop_ Matt parou um de sugar fazendo um barulho estalado com a boca.

Colocou meu membro em sua língua e começou a fazer um vai em vem com mão me masturbando, com o prazer veio eu segurei os gemidos e apertei os lençóis, um jato da minha semente voou em sua boca a sujando, assim como seu focinho e rosto também.

_Glup, hmm_ Depois de engolir, lambia os dedos o beiço.

_Bem melhor agora_ Falei o ajudando a limpar o rosto.

 

Quebra de tempo

 

POV Anthony

 

_AAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHH_ Gritei o mais alto que pude.

Arremessei uma garrafa na parede a quebrando em mil pedaços, era a quarta cerveja que eu tinha virado no gargalo, não conseguia enxergar direito, as lágrimas não deixavam, essa raiva, a dor não sumia.

­_POR QUE VOCÊ NÃO SOME?!­

Escancarei a porta do minibar e arranquei de lá o uísque mais forte, mordi e tirei o lacre a dentada, cuspi a tampa pra longe e comecei a virar a garrafa inteira, me forçava a engolir aquilo, descia queimando, chegou ao ponto deu engasgar e sair tudo pelo nariz, joguei o que sobrou no meu rosto e explodi a garrafa no chão.

Agora além das lágrimas, a minha visão embasava, eu soluçava sem parar, não sabia se era o álcool ou a tristeza, peguei o pedestal do microfone, batia nos cacos de vidro com ele, cada golpe um mais forte que o outro, só parei quando o ferro da base ficou completamente entortado e destruído. Estava ofegante, minha visão cada vez ficava mais escura, eu caí de joelhos e vomitei, tentei me levantar, mas não tinha mais forças, fui de encontro com o chão...


Notas Finais


meu canal: https: //www.youtube.com/channel/UClOsX8aOXddTNDzJsFk-PhA/videos
meu deviantart: https://www.deviantart.com/bigdead
grupo no discord: https://discord.gg/j8k6y4


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...