1. Spirit Fanfics >
  2. O Legado >
  3. Toque

História O Legado - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


ALERTA DE HENTAI OLE OLE OLAAA
Bom, gente... To internada.
É complicado escrever pelo celular usando uma mão só (porque o acesso da mão esquerda incomoda pra digitar)
Então tenham paciência comigo e perdoem os erros
Boa leitura <3

- Crédito da imagem da capa: @Lesyarei no instagram

Capítulo 17 - Toque


Fanfic / Fanfiction O Legado - Capítulo 17 - Toque

- M-Madara… Onde estamos? - perguntou Hikari assim que a pus no chão - Eu não conheço essa parte da floresta!

- Não importa. - respondi tomando a boca dela com severidade. Que boca deliciosa tinha aquela mulher!

Eu ditava o ritmo do beijo e ela me acompanhava com vontade, expressando todo o desejo que tinha por mim com a própria língua e as mãos que passeavam descontroladamente pelas minhas costas.

Puxei seu corpo contra o meu com força, impedindo que existisse qualquer espaço entre nós e sentindo seus seios amassados contra o meu peito, uma sensação deliciosa. Hikari tinha seios pequenos e firmes, mas macios. Afastei-me minimamente a fim de pegar um dos seios dela em minha mão esquerda e ela suspirou em meio a um suave gemido. Aquilo me deixou louco. Deitei Hikari no chão e me posicionei em cima dela, o que pareceu assustá-la e muito.

- M-Madara-kun!

As unhas dela se cravaram nos meus ombros enquanto os olhos arregalados fitavam meu rosto. A fim de facilitar o trabalho dela, puxei meu manto e minha camisa de uma vez só, despindo a parte de cima do meu corpo. A menina mordeu o lábio e fitou meus músculos com desejo e o rosto completamente vermelho.

- Me toca. - ordenei guiando as mãos dela ao meu abdome - Pode explorar o quanto quiser.

- M-Madara, eu… Aaaaaaah!

Estimulei a intimidade dela por cima da roupa com a ponta do meu dedo e foi suficiente para enlouquecê-la, resultando em um enorme arranhão na minha barriga.

- Aaah, aaah! Maaadara… Nnnnnng!

A menina se contorcia descontroladamente, sem entender as sensações que tomavam seu corpo e a minha visão daquilo era incrivelmente satisfatória. Eu já havia desvirginado algumas mulheres, mas a surpresa de Hikari com a sensação de prazer era muito mais incrível do que a de qualquer outra. Hikari fincava as unhas no chão, deixando marcas profundas na terra e curvava o corpo inteiro para trás, tomada pelo prazer, enquanto gemia descontroladamente. Se eu já a estava tirando do sério com apenas um dedo e algumas camadas de roupa molhada atrapalhando, mal podia imaginar qual seria a reação da mulher quando eu a tomasse completamente.

Após alguns minutos estimulando-a, cessei o contato entre meu dedo e seu corpo e Hikari suspirou, puxando o ar com força.

Enquanto a menina tentava se recompor, puxei lentamente as calças dela para baixo. Quandopercebeu o que eu estava fazendo, Hikari imediatamente segurou o cós da calça fitando-me assustada.

- M-Madara-kun! N-Não podemos fazer isso!

- E por que não? - questionei - Você mesma disse que queria…

- M-mas… Meu irmão…

- Foda-se. Eu te quero e você me quer. Eles não tem que se meter. - respondi inclinando-me sobre seu corpo para beijá-la - Ou você não me quer mais, Hikari-chan? - provoquei tocando gentilmente o clitóris exposto da garota com a ponta do meu dedo.

- Hmmm! Q-Quero!

- Ótimo! - sussurrei em seu ouvido com a voz mais sedutora possível, o que fez com que a garota fincasse as unhas no chão com ainda mais força. Voltei minha atenção às suas calças e deslizei-as por suas pernas até deixá-la completamente despida e exposta para mim, mas assim que puxei a calça de seus pés, Hikari fechou as pernas, por vergonha

- Abre essas pernas para mim, Hikari. - pedi acariciando suas pernas e olhando-a nos olhos - Confia em mim.

A menina separou as pernas hesitante e pude enfim ver sua vulva rosada e maravilhosa, o que fez meu pênis pulsar com muito mais força em minha calça. Eu estava louco para puxar aquele maldito tecido para baixo e libertá-lo, mas não queria assustar a Hikari-chan, então passei meu polegar lentamente pelo clitóris da garota enquanto beijava e mordiscava o interior de suas coxas, arrancando gemidos de prazer e satisfação de Hikari, que àquela altura já estava extremamente sensível. Me aproximei lentamente da intimidade da Senju e pude sentir o típico cheiro da genitália feminina que eu tanto gostava, mas em Hikari era tão agradável que eu podia jurar que tinha um leve aroma frutado. Beijei lentamente os lábios, fazendo-a estremecer dos pés à cabeça e passei lentamente minha língua por toda a extensão do clitóris.

- AAAAaaaaah Maaadaraaaa! - gemeu com a voz aguda de desespero enquanto se contorcia, dificultando meu trabalho. Meu pau pulsava com tanta força que fui obrigado a abaixar minha calça mesmo que Hikari não pudesse ver, para libertá-lo daquela prisão de tecido.

Assim que a menina parou de se contorcer e deixou o quadril novamente no chão, lambi suavemente o interior da sua coxa. Hikari tremia descontroladamente e puxava o ar com desespero, como se todo o oxigênio do mundo não fosse o suficiente para seus pulmões. Eu mal havia começado e ela já estava enlouquecendo, então precisaria tomar cuidado para que o orgasmo não fosse tão rápido e Hikari pudesse aproveitar as sensações que eu queria proporcioná-la. Novamente passei minha língua suavemente pela intimidade da garota e novamente minha língua foi recebida com gemidos e uma árdua luta de Hikari contra si mesma para não se contorcer novamente. Continuei movimentando minha língua na área sensível e seus gemidos logo se suavizaram. Ela estava finalmente se acostumando com o toque. Desci minha língua até encontrar a abertura da vagina e deslizei-a para dentro da garota.

- AAAAAAAAAAH MADARA! NNNNG!

Hikari se contorceu completamente para trás e apertou minha cabeça com força entre suas coxas, mas logo usou os pés para rastejar de costas para longe de mim e rapidamente levou a própria mão à intimidade, fechando as pernas.

- O-o que foi isso? - perguntou se sentando, ainda trêmula.

- Não gostou? Não faço mais. - respondi colocando-me de joelhos.

Seus olhos rapidamente se voltaram para o meu pênis exposto e Hikari ficou paralisada, fitando-o assustada.

- Eu coloquei minha língua dentro de você, mas parece que você sentiu bastante dor. - expliquei, deliciando-me com a visão da menina assustada fitando meu pênis com os olhos arregalados e a boca semi-aberta. - Você quer tocá-lo? - perguntei - Ou prefere que eu continue com a língua?

- E-eu… Prefiro que continue. E… Eu gostei! - explicou - Foi bom, eu só… Levei um susto porque… Porque doeu.

Engatinhei lentamente para cima dela, que se encolheu com a proximidade e beijei suas pernas.

- Deita. - pedi - Deixa eu te fazer gozar na minha boca!

A menina estremeceu mas deitou-se, fitando o céu.

Posicionei-me novamente com a cabeça no meio de suas pernas e voltei a chupá-la. Estimulei os lábios dela com a minha língua e deslizei minhas mãos para baixo dela, tomando as duas nádegas e apertando suavemente. Que corpo delicioso tem essa mulher, me kami-sama!

Passei meu lábio inferior calmamente por toda a extensão da vulva dela e a ouvi suspirar, enquanto as pernas tremiam. Uni minha língua ao lábio e massageei calmamente toda a extensão de sua vulva, desde a ponta do clitóris até a entrada da vagina, várias vezes. Hikari suspirava com mais força a cada movimento da minha boca e eu queria fodê-la mais do que qualquer coisa, mas precisava me segurar. Tirei calmamente a minha mão esquerda da bunda dela e enquanto estimulava o clitóris com a língua, deslizei um dedo lentamente para dentro dela, o que a fez a gritar. Enfiei mais um dedo e o resultado foi delicioso:

- AAAAAAAAAAAAAH! NNNNNNNNNG! MAAAH! MAAA! MAADARAA! AAAH!

Agarrei a bunda dela com mais força a fim de impedi-la de se mexer, mas não aguentei. Logo tirei meus dois dedos de dentro dela, e ambos tinham um cheiro característico de sangue. Enfiei os dois na boca de uma vez só, sentindo o gosto amargo e ferroso do sangue do hímem de Senju Hikari. Voltei a acariciar a intimidade da mulher com minha língua e usei a mão agora livre para me masturbar antes que meu pau explodisse ou eu acabasse metendo-o dentro daquela boceta deliciosa de uma vez.

Nem eu sabia que tinha tanto autocontrole para não ter comido aquela mulher ainda.

Continuei acariciando e estimulando Hikari lentamente com minha língua até que encontrei o seu ponto sensível. Hikari deu um salto quando eu o toquei e soltou um gemido alto, então me concentrei naquela área, aumentando gradativamente a velocidade até que os gritos da garota ecoassem pela floresta. Observei salivando de desejo enquanto a vulva de Hikari se contraía em volta de minha língua e um líquido característico escorria da entrada de sua vagina, que eu me apressei em lamber juntamente com o ponto sensível do clitóris da Senju. As pernas dela vibravam em volta da minha cabeça e seus gritos faziam meu pau pulsar loucamente.

- MADARA! AAAH! MAAA! MAADARA! AAAAAAAAAAAH! NNNNNNG!

O gosto de Hikari era diferente de qualquer outra mulher que eu tivesse provado. Era doce e amargo ao mesmo tempo, provavelmente pela presença de vestígios de sangue do hímem recém rompido. Continuei estimulando-a com a língua até que os gritos cessaram, então passei a fazer leves movimentos circulares com a língua em volta do clitóris.

- Madara! - suplicou Hikari com a voz aguda pelo desespero - Maaadara! Madara! Aaaah, Madara… Aaaaah! Me… Aaah Madara… Eu quero… Eu quero você! Aaaah…

Fiz um certo esforço para mantê-la excitada e parece ter funcionado. Quando senti que Hikari estava pronta para o próximo round, chupei o máximo que pude da minha saliva e coloquei-me de joelhos na frente dela, que rapidamente se sentou, ofegante.

- Minhas pernas estão tremendo. - murmurou fitando-me nos olhos, tentando desviar o olhar de meu pênis exposto.

- Não se preocupe com elas. - respondi, levando minhas mãos à barra de sua blusa.

Hikari levantou os braços e deixou que eu a despisse, então desamarrou a faixa que utilizava para cobrir os seios e logo estava completamente nua diante de mim.

- Eu não sabia que o pênis se mexia. - observou, fitando diretamente o meu pau. O simples fato de saber que ela estava olhando para ele me fez arfar e desejar sentí-la em volta dele.

Tive que fechar os olhos e reunir todo o meu autocontrole para não avançar sobre ela e fodê-la no mesmo instante. Aqueles olhinhos curiosos, aquela boquinha carnuda… Por que tudo em Hikari tinha de ser tão convidativo? Para me enlouquecer?

- Venha cá. - ordenei.

Ela se aproximou de mim, colocando-se de joelhos em minha frente. Tomei os dois seios dela com as mãos e logo abocanhei o esquerdo, fazendo-a se contorcer e jogar a cabeça para trás, com um delicioso e longo gemido de prazer.

Puxei o corpo dela com força, pressionando sua virilha contra meu pênis desesperado enquanto chupava seu peito com força. Que delícia era senti-lo em minha boca, podia passar o dia inteiro chupando aquele peito delicioso! Mordisquei o mamilo de leve, fazendo-a arfar e logo repeti com o outro seio. Hikari bateu a testa contra meu ombro e ficou gemendo baixinho próximo à minha orelha, meu pau implorava por ela e eu decidi atendê-lo. Peguei a mão da menina que estava com as unhas cravadas em meu ombro e levei-a até meu pênis, recebendo um olhar assustado.

- Hmmmm! - gemi ao sentir seus dedos delicados tocarem minha glande. Ela pareceu surpresa com a sensação, voltando os olhos ao meu órgão e sua respiração ficou completamente descompassada.

Hikari estava excitada. Não tanto quanto eu, mas estava.


Notas Finais


Opiniões?
Me ajudem, sou insegura com hentai
Até o próximo cap <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...