História O Legado de Kira. - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Death Note
Personagens Personagens Originais
Tags Death Note, Kira, Shinigami
Visualizações 4
Palavras 757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Agora que seu nome foi citado.
Que comece a história.

Capítulo 38 - Discussão.


“Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira... Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, , Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira, Kira”.

 

— Quem é Kira?

— Assassino do Corazon surgi pela primeira vez em rede nacional, se autodenominando “Kira”.

— Mas você sabe o que é “Kira”?

— O nome “Kira” tem muitas variedades, podendo ser traduzido de “Killer”, que significa “Assassino” ou “Kyros”, que significa “senhor, que tem plena autoridade”. Independente de qual significado seja, uma coisa é certa: Kira é um ditador, um déspota que deseja envolver o mundo em guerra.

— Você acha que a Terceira Guerra Mundial eclodiu graças a Kira?

— Eu não tenho dúvidas disso. Dezenas de líderes mundiais foram mortos por ele, não é mesmo?

— Bem, ainda não podemos confirmar que foram todas obras dele. Precisamos investigar melhor a...

— Ele invade uma rede de televisão, mantém os funcionários reféns e se autodenomina, em rede internacional, um assassino; como você mesmo disse, um tirano! Ainda quer falar que ele não é responsável por...

— Muitos destes líderes também eram terroristas e ditadores cruéis de países submissos, não eram? Não significa que ele também fez coisas boas?

— Do que está falando? Matá-los apenas incitou com que grupos menores nascessem. Ele apenas bagunçou a situação. Se antes era mais difícil encontrar um único grupo, imagine...

— Mas é verdade que suas ações ajudaram muitas das forças nacionais que tinham os braços amarrados quanto o paradeiro e captura de muitos criminosos mundiais escondidos por aí.

— Você realmente está tentando dar créditos para um assassino? O que ele fez foi matá-los de forma fria e cruel. Deve responder na justiça pela violação ao direito à vida!

— Graças as ações de Kira, o nível de criminalidade mundial diminuiu em níveis jamais imagináveis. E isto não pode ser ignorado. Acredito que, se conseguirmos ter uma conversa direta com ele, poderíamos fazê-lo com que nos ajudasse, não cometendo assassinatos, mas...

— Estamos falando de um genocida!

— Não é o que a população está falando? Já viu as redes sociais? Kira é clamado como um herói, e muitos o idolatram.

— E desde quando a população sabe o que deseja? Qualquer pessoa que cumpra com o desejo deles já é motivo para ser reverenciado. A sociedade é burra.

— As pessoas são como crianças, basta alguém vim com um doce que conquista suas confianças.

— Pensem bem, muitas nações se livraram das garras de ditadores que...

— A eclosão da Terceira Guerra Mundial resultou na destruição parcial da Europa! Você realmente acredita que um pessoa destas é alguém bom?

— A destruição da Europa foi resultado das ações de líderes mundiais que brincavam de serem Deus! Além do mais, não é o criador da arma nuclear um homem que todos idolatram por suas equações matemáticas e físicas?

— Isto não vem ao caso.

— Como não?! Kira ajudou muitas pessoas, e graças a ele é que podemos sair pelas ruas durante a noite. Pois todos os criminosos sabem que serão punidos caso cometam crimes.

— Acredita mesmo que o único jeito de diminuir a criminalidade seja matando-os e não ensinando-os que é possível que se conciliem com a sociedade? Qual a diferença então? Vocês estão cultuando um assassino... um CRIMINOSO igual!

— Numa guerra, se um soldado mata alguém ele é um herói. Fora da guerra, ele será considerado assassino. Não são as ações, e sim as circunstâncias. Kira age pelo bem da população, e posso confiar que suas ações sejam para um mundo melhor.

­— Nós não estamos em guerra...

— Por favor, já viu os noticiários antes da chegada de Kira? Estupros, assassinatos, sequestros... isso tudo existia como um hábito. Era quase nojento ler os noticiários com notícias tão repetitivas.

— Eu tenho um filha de 14 anos, e fico aliviado de saber que ela não será estuprada por um maníaco que pensa que não será punido. Nossas leis não funcionam, e quando a lei não faz sua função, alguém faz.

— Não quer dizer que falhamos com a lei também?

— Todos falharam, de certa forma. Agora, devemos pagar e corrigir por isso. Acredito que Kira será alguém responsável por mudar este país, não... este mundo. A partir de agora, e sempre.

— Bem, por hoje terminamos nossa entrevista sobre um assunto tão polêmico que abalou o mundo inteiro. E aí? Matar criminosos é a única forma para mudar o mundo? Somente com violência é que podemos nos tornar pessoas melhores? Estas e outras perguntas vocês conferem no nosso próximo programa. Uma boa noite, e até a próxima.


Notas Finais


Ele está entre nós.
Protejam seus nomes!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...