História O Lobo de Noxus - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias League Of Legends (LOL)
Tags Demonios, Drama, Magia, Policial
Visualizações 11
Palavras 2.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - "Dividido"


Fanfic / Fanfiction O Lobo de Noxus - Capítulo 4 - "Dividido"

Matar parecia natural para Red, e cada vez que ele matava ficava mais fácil ignorar o sentimento doloroso de culpa em seu estômago. Cada vez que matou, ele deixou uma marca perto do corpo, adicionando uma nova marca para cada vítima, mantendo o controle de quantas pessoas ele havia matado. Era menos uma contagem de quão bom ele estava se tornando e mais um lembrete de que era humano como eles, mesmo que fossem seres humanos terríveis, ele não esqueceria um único. Era uma promessa não só para si mesmo, mas para aqueles que ele matou, uma promessa que ele fez com sua primeira morte. Cada alvo abusava de seu poder, e Red observava cada um deles durante dias antes de matá-los apenas para ter certeza desse fato, recusando-se a matar aqueles que não mereciam. Aqueles que mereciam a morte receberam isso, e a marca de quantos vieram antes deles. O mais recente assassinato deixou muito de Noxus regozijando-se e celebrando a morte de uma figura tão alta no Kinkou, tudo o que fez para Red é garantir quem seria seu próximo alvo.Também havia Cassiopeia.

Red não foi para o jardim e nem para o sótão no dia seguinte. Na verdade, ele não foi nos dois dias seguintes. Toda a situação com Cassiopeia o deixou exausto e completamente assustado. Ele não tinha certeza do que os motivos da loira eram, possivelmente para humilhá-lo de alguma forma. Independentemente das intenções reais, o problema ainda estava de pé e, o que é pior, foi que Red realmente gostou do beijo. Ele se lembrava da sensação dos lábios de Cassiopeia; que eram chocantemente macios, por conta própria. Parecia que não importava o que ele fizesse, ele não conseguia tirar sua mente dela. Em vez de apenas gastar todo o seu tempo em treinos, ele estava pensando em sua chance de ver Cassiopeia mais uma vez. Era difícil para Red manter o foco na tarefa real, tinha sido fácil o suficiente para ignorar os sentimentos que sentiam em seu estômago quando ele não tinha capacidade de agir sobre eles, mas agora que ele estava naquele ponto onde ele estaria na mesma casa que a mulher que ele não podia esquecer. Ele estava tendo dificuldade em se concentrar no fato de que realmente não deveria ter contato com Cassiopeia logo depois do que houve no dia anterior.

Red deveria focar em seus exercícios agora. O boneco de treinamento bateu no chão. Red soltou o ar que estava segurando quando deu o golpe fatal em seu alvo, tomando um momento para redefinir sua postura e retornar sua postura para ficar à vontade. Red limpou uma gota de suor da testa. Esse conjunto de exercícios e mais exercícios nunca o deixava cansado. Ele estava ficando fora de forma. Sua técnica era muito mais desleixada do que durante seus dias nas forças armadas e seus ataques eram lentos e desmedidos. Ele tinha estado na sala de treinamento todos os dias durante a última semana e ainda não via nenhuma melhora em seu trabalho com lâminas. Ele fazia questão de treinar apenas na calada da noite, quando os corredores da mansão estavam vazios e silenciosos para evitar interações desnecessárias. Como tal, ele sempre teve o espaço para si mesmo. Ele se alinhou para outra corrida do exercício, antes que o rangido da porta atrás dele o tirasse de sua concentração.

- Lutando, somos nós? 

Uma voz familiar e sensual disse da porta. Red fechou os olhos com força, sabendo exatamente quem estava atrás dele sem ter que se virar.

Red - Treinamento.

Ele murmurou. Ele voltou sua atenção para sua prática, de pé e segurando a lâmina na frente dele, com a palma da mão pressionada contra a borda plana. Ele não ia deixar seu foco quebrar.

- Cabeça alta agora, Red. Lembre-se do que o seu sargento disse a você.

A voz provocou novamente. 

- Se ele pudesse ver você agora, estremeço ao pensar no que ele diria.

Os músculos dos ombros de Red ficaram tensos e seu aperto no cabo da espada se apertou. Seu lábio levantou-se em desgosto quando respirou fundo para tentar acalmar sua frustração. Ele relaxou antes de se mover em sua posição de combate e se preparando para balançar sua lâmina e começar sua próxima rodada de treinamento. Ignore isso. 

- O garoto-propaganda de Noxus. Como as coisas mudam.

Red congelou. Ele girou sobre os calcanhares e encarou o recém-chegado, finalmente olhando nos olhos que enviaram mil pensamentos de corrida para sua mente. Katarina Du Couteu sacudiu distraidamente uma de suas muitas lâminas entre os dedos, jogando-a no ar e girando-a ao redor do polegar. Ela mantinha uma expressão perpétua, presunçosa e arrogante no rosto, e Red viu como os cantos de sua boca tinham subido em um leve sorriso. O rosto de Red era duro quando tentou esconder sua frustração, mas Katarina estava muito consciente pelo branco de seus dedos ao redor de sua espada. Em pouco tempo, o suor voltou à superfície da pele de Red enquanto uma onda quente corria por seu corpo.

Red - O que você quer?

Perguntou Red sem rodeios, esperando que o tom de rosa em suas bochechas tivesse passado despercebido.

Kat - Só para ver como você estava lidando. Noxus sente sua falta, Lobo. 

Katarina respondeu dando um passo para dentro da sala e fechando a porta atrás dela. Com um movimento de seu pulso, ela deslizou o ferrolho, trancando-o por dentro.

Red - Eu não sinto falta.

Disse ele.

Kat - Oh, agora isso é muito ruim. A cidade anseia por seus grandes guerreiros, não seja uma decepção agora. Não tivemos ninguém com todo o seu potencial desde que você nos abandonou.

Red - Ficar longe por alguns dias não é abandonar. E lutar pelo que é certo não me torna uma "decepção", Sra. Du Couteu. Você não parece entender isso.

Kat - Então é isso que você estava fazendo, era? Vagando por toda Valoran em busca de sua auto-estima é o que você considera certo . Não me deixe impedir você, Red. 

Katarina deu outro passo à frente. 

Kat - Mas, talvez, já que agora você voltou direto para mim, o que você procurava estava bem debaixo do seu nariz o tempo todo.

Katarina continuou seguindo em frente até ficar a poucos centímetros do guerreiro de cabelos castanho-escuro. Red olhou a ruiva de perto, observando cada movimento dela e estudando seu rosto. Katarina ainda estava vestida com a roupa que normalmente seria vista em um de seus trabalhos, o couro apertado apertando a carne de suas coxas e seios. A icônica tatuagem preta que subia até o umbigo dela estava exposta como de costume, e traçar suas linhas elegantes ao longo de seus lados enviou um arrepio na espinha de Red.

Red - Não tenho ideia do que você está falando.

Disse Red, desviando o olhar do corpo da assassina.

Kat  - Você certamente faz. Eu ainda posso ver isso em você. Seus olhos não mudaram desde a última vez que nos encontramos. 

Katarina levantou a mão que ainda segurava a faca e afastou a franja de Red com a ponta. A ponta da lâmina demorou-se ao redor do nariz dele, mas Red sabia que não deveria fazer movimentos bruscos. Enquanto sua força era inigualável pela assassina, a velocidade e a agilidade de Katarina o superaram completamente. Neste momento, cansado de seus exercícios, um duelo não seria a seu favor. 

Kat - Costumávamos estar tão próximos.

Disse Katarina. Os olhos vermelhos de Red caíram no chão.

Red - E então você foi e mudou. 

Disse Red em voz baixa. Katarina pareceu surpresa com a mudança de tom. A voz do garoto tornara-se fraca e arejada.

Kat - Ainda sou eu.

Disse Katarina com um sorriso caloroso e um passo à frente, olhando-o nos olhos. 

Kat - Deixe-me provar para você.

Em um instante, os olhos de Red se arregalaram quando Katarina pressionou os lábios contra os do caçador, puxando-o de costas para o lugar do assassino. Ela pegou sua mão direita e a perdeu dentro das mechas castanhas e bagunçadas de Red, pegando uma mecha do cabelo castanho e sedoso. Katarina certificou-se de que ele não se afastaria, mantendo os lábios do garoto fervorosamente plantados por conta própria. O calor surgindo nas bochechas do Lobo se espalhou em torno de seu corpo, sentado na boca do estômago e impregnando seu núcleo. Uma onda de calor nostálgico atingiu o núcleo de Red quando ele se lembrou dos tempos no sótão, onde os diferentes lábios e toques a fizeram se sentir tão seguro. Embora dias tivessem passado e as batalhas tivessem vindo e ido embora, os sentimentos ainda permaneciam nos cantos de sua mente. Red ficou atordoado com os avanços da ruiva, mas logo se encontrou derretendo no abraço de sua amante. Ele tinha perdido o aperto inflexível da mulher e sua capacidade de estar completamente no controle. Red permitiu-se ser conduzido junto. As mãos de Katarina saíram da cabeça dele, pelas costas, antes de descansar no fundo de sua espinha, onde a carne de seu traseiro fazia com que suas cobertas se projetassem. Ela pegou um punhado de carne através do tecido da calça de Red enquanto sua outra mão deslizava pela frente do Lobo. 

Ele sentiu seu suspiro em sua boca, seus gemidos suprimidos pelos lábios de Katarina. A assassina se encheu de orgulho, congratulando-se com a rapidez com que conseguira desgastar a casca dura de Red. O aperto de Red em sua espada se soltou quando ela caiu no chão. Como dar as costas a uma fiel companheira, ele a empurrou para o lado com o pé dando-lhes mais espaço na sala de treinamento mal iluminada. A mão de Red subiu para roçar a pele exposta do umbigo de Katarina, sentindo o calor da mulher mais uma vez nas pontas dos dedos. Ele arrastou mais alto, seu toque deslizando ao longo do peito da ruiva, mas achando-o obstruído por seu bustiê de couro. Desapontado, mas não dissuadido, Red decidiu deixar sua outra mão seguir a direção de Katarina e cair no traseiro da mulher. A ação causou arrepios ao longo da superfície da pele dele e os disparos de eletricidade percorreram sua forma. Ele então soltou e enfiou as mãos nas calças de couro apertadas de Katarina e apertou as mãos ao redor das bochechas. Não. O que você está fazendo? Uma voz interior, baixa, quase grunhindo com ele. Não caia nos jogos dela, seu idiota. Red quebrou o beijo, empurrando a ruiva para trás e segurando-a no comprimento do braço. As mãos de Katarina foram arrependidas, puxadas por baixo das roupas de Red. Suas palmas sentiram imediatamente o frio. Ele olhou para a esmeralda dos olhos da Lâmina Sinistra, notando como a dureza estóica deles havia se reduzido a uma luxúria vívida, embora maliciosa.

Kat - Você não esqueceu como fazer isso.

Disse Katarina com um sorriso arrogante.

Kat - Diga-me, como é beijar Cassiopeia. Foi doce, macio ou apenas horrível como você diz para... Como é mesmo, escória humana?

Ela deu um passo para trás, soltando-se dos ombros dele. Ela traçou os olhos para cima e para baixo em sua forma tonificada, apreciando a visão da pele nua do garoto sem origem. Seu peito e abdominais eram firmes e duros, afiados por exercícios militares e experiência de combate na selva. Marcações negras em espiral espalhadas pelo peito e braços como as pinceladas de um artista em uma tela. 

Red - Qual o significado disso? O que você acha que está fazendo aqui? 

O rosto do menino dizia muita coisa, menos amigável, uma expressão fria com olhos vazios e endurecidos como gelo. Katarina suspirou e inspecionou preguiçosamente as unhas bem cuidadas.

Kat - Você achou que eu não iria descobrir, Red. Ela mesma me contou. Oh, você tinha que ver a cara dela enquanto ela falava, ela estava... feliz. Mais do que deveria.

Ela parou, seu olhar indo para longe do garoto, algo que Red nunca havia visto na ruiva mostrando-se como um fantasma, mas desapareceu rapidamente.

Kat - Eu nunca a vi tão feliz antes daquele jeito...

Ela murmurou. Katarina sorriu abafado quando abriu a porta da sala de treinamento. 

Red - Onde você pensa que está indo? 

Red perguntou. Katarina virou a cabeça para olha-lo, mas não disse nada, em seguida, saiu sem dizer uma palavra. Red ficou ali parado, sem palavras. Ele não se moveu por alguns momentos, ouvindo o vento farfalhar nas folhas das árvores lá fora e o último grilo estridente na fria noite do outono. O que trouxe esse comportamento de Katarina, ele não podia dizer com certeza. Mas o que ele poderia dizer com certeza; talvez não conscientemente, era que ele amava. Ele sentiu-se dividido por um momento; longos e longos momentos, na verdade, parecia que Marcus o havia partido ao meio com sua própria espada.

Red - Foda-se.

Ele murmurou antes de virar-se para pegar sua espada e continuar seu treinamento.

Continua....


Notas Finais


Todas querem um pedaço do lobo. Ui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...