História O loiro do 1010 - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari
Tags Comedia, Drama, Família, Narusasu, Naruto, Naruto X Sasuke, Romance, Sasuke, Sasuke X Naruto, Yaoi
Visualizações 143
Palavras 2.927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora 🙏
Segue o capitulo novo 😘

Capítulo 6 - O Que Há Por Trás


Fanfic / Fanfiction O loiro do 1010 - Capítulo 6 - O Que Há Por Trás

Sasuke:


Acordei meio sonolento, abri os olhos com uma certa dificuldade, olhei em volta reparando o quarto onde eu dormia. Nossa eu estava na casa do loiro, levei a mão aos olhos os esfregando. Bendita bebedeira, minha cabeça estava explodindo, meu estômago roncando e meu cu ardendo.

Ergui as cobertas reparando minha nudez. Sério o que foi que eu bebi ontem? Eu transei com um desconhecido e dormi na casa dele, puta que vergonha. Ouvi a porta do quarto ser aberta, sai de baixo das cobertas e olhei o loiro adentrar no quarto trajando somente uma cueca box vermelha, me remexi na cama sentindo uma descarga elétrica passar pelo meu corpo só de olha-lo.

- Bom dia, rabugento. – Ele me olhou entregando-me o mais lindo sorrindo branco e alinhado que eu já vi na vida.

- Bom dia. – Falei me sentando na cama.

- Dormiu bem? – Se sentou ao meu lado na cama, observei seus olhos azuis... Poxa eles já eram tão azuis assim ontem a noite?

- Acho que sim, dormi igual uma pedra. – Falei apalpando a cama atrás da minha cueca. – Que horas são?

- 8:00 da manhã– Respondeu pegando minha cueca debaixo do travesseiro.

Como ela foi parar ali? Ele a balançou em frente a minha face, tentei pega-la mas ele foi mais rápido e não deixou. O olhei com a cara fechada mas tudo que consegui foi um riso baixo e fofo. Para por que ele tinha que ser tão lindo? Acabei me contagiando pelo seu riso e sorri vendo-o me fazer de besta enquanto eu tentava tirar a cueca da sua mão. Ergui as mãos demonstrando derrota, eu estava muito mole por causa do porre e a dor de cabeça.

- Já pedindo arrego? – Falou jogando-a na minha cara.

- Tô de ressaca, mole, com dor de cabeça e fome. – Falei pegando-a para vestir.

Tentei colocar a cueca de baixo das cobertas mas o loiro puxou as mesmas revelando minha nudez, ele sorriu e mordeu o lábio inferior enquanto me olhava.

- Marrento, mas muito gostoso. – Sua mão apertou minha coxa e subiu.

- Para Naruto eu tenho que ir embora, eu preciso trabalhar. – Falei sentido sua mão parar na minha virilha.

- Que horas você entra no serviço?

- As 10:00, mas hoje terei que entrar as 12:00 troquei com outra funcionaria que precisava entrar cedo.

- Então temos tempo... – Naruto se deitou por cima de mim. – Como está seu...? – Ele interrompeu a frase achando que eu deduziria sua pergunta.

- Meio dolorido. – Falei tirando-o de cima de mim. – Ah e seus pais? – Perguntei tentando desviar o assunto.

-Meu pai já foi trabalhar, e minha mãe já já vai também, em falar nela, ela ouviu nossos gemidos ontem. – Ele falou na maior naturalidade como se isso foi tranquilo, deitou de barriga pra cima na cama e colocou os braços atrás da cabeça.

- Cara que vergonha.

- Relaxa ela acha que é uma agora que está aqui.

- Então ela sabe que a tal garota ainda está aqui? – Perguntei olhando sua tranquilidade.

- Sim.

- Sua mãe não sabe que você é gay?

- Não só gay, sou bissexual, e não ela não sabe sobre os caras, pois você é o primeiro. – Ele rolou na cama e ficou por cima de mim novamente, sua mão puxou a coberta cobrindo nossos corpos.

- Naruto eu estou indo. – Meu coração gelou ao ouvir a voz da mãe dele dentro do quarto. A velha era ninja, porra ela nem barulho fez, nossa sorte era a coberta nos tampando.

- Mãe, isso é jeito de entrar no meu quarto? – Perguntou ele tirando a cabeça loira de baixo da coberta.

- Ttebane Naruto a casa é minha não se esqueça disso, leva a menina pra tocar café deixei a mesa pronta, e é só esquentar o almoço.

- Okay, mãe agora sai por favor. – Eu podia ver o quanto o loiro estava com medo do flagra.

Eu escutava a conversa suando frio.

- Menino mal educado. Tchau desconhecida, se comportem, juízo e usem camisinha não quero neto, sou muito nova pra isso.

Eu nem imaginava o que aconteceria se ela soubesse agora que eu não era uma garota. Mano onde eu fui amarrar meu burro?

- Mãeeeee! – Naruto estava tão ou mais nervoso eu, eu o coloquei em uma enrascada dormindo aqui.

Ouvi a porta bater, e ele soltar o ar que provavelmente estava segurando de nervoso, suspirei aliviado, mas meu coração ainda batia descompassado pelo susto.

- Puta que pariu eu quase me borrei. – Falou tirando a coberta de cima de nós.

- Eu não devia ter dormido aqui, melhor eu ir. – Levantei-me da cama e peguei minhas roupas que estavam dobradas ao pé da cama.

- Fica, ela já foi. – Ele segurou meu pulso fazendo-me estremecer.

Eu queria ficar, queria beija-lo, tocar seu lindo corpo bronzeado e definido mas eu precisava ir ou poderia lhe causar mais problemas.

- É melhor pra você que eu vá quase lhe causei problemas agora.

- Deixa que eu descido o melhor pra mim, e nesse momento o melhor pra mim é te ter aqui. – Ele me puxou pro seus braços.

Que merda de resposta foi essa? Puta resposta de galinha, mulherengo, se eu fosse uma mulher carente provavelmente iria cai nesses papinhos e logicamente já estaria de quatro por ele, mas eu também era homem e sabia os truques do que dizer para conseguir o que queria, dei um selinho nele e sai do seus braços.

- Belas palavras, mas eu já vou indo. – Coloquei minha cueca, peguei a calça e a vesti.

- Sabia que quanto mais cu doce você faz mas com vontade você me deixa. – Naruto foi até a porta e a trancou.

- Nem vem, vai me fazer refém agora? – Perguntei colocando a camiseta.

- Não, mas quero conversar com você antes que fuja. – Ele se sentou a beira da cama e cruzou as pernas em posição de lotos.

- Fala. – Cruzei os braços na frente do peito e o encarei atentamente.

- Bem, porque mentiu ontem dizendo que eu era o primeiro a ser ativo com você?

- Eu não menti.

- Corta essa, nenhum ativo vira passivo do nada. Sério foi sua primeira vez?

- Não, não foi... – Bufei, era melhor ele ter perguntado isso quando eu estava bêbado, agora era difícil falar sobre isso.

- Que foi? Não quer mais falar? Ontem você queria.

- Ontem eu estava bêbado, esse assunto é complicado pra mim.

- Okay. Desculpa. – Ele baixou a cabeça, parecia realmente arrependido por talvez ter me ofendido.

- Diferente de você eu sou gay, sempre fui, nunca transei com mulheres, já as beijei mas não gostei, sempre senti atração por homens, e sempre quis ser passivo, mas era obrigado a ser ativo.

- Obrigado? Como assim?

- Sério eu não quero falar sobre isso, só posso dizer que quis que fosse você o primeiro a realizar minha vontade.

- Sasuke... – O silenciei com um selinho, sua mãos agarraram meus cabelos transformando o selinho em um beijo ardente.

Fiquei travado, pois deveria estar com um bafo horrível mas ele pareceu não ligar, me beijou com vontade, forte arrancando meu ar. Nossas línguas se tocaram, se exploraram, sua boca mordeu meus lábios, e eu suguei os dele, depois chupei sua língua, seu beijou acendeu um fogo dentro de mim, me excitando, passei minha mão pelo seu peito nu e fui descendo. Naruto soltou um leve gemido, tudo que eu consegui pensar era “me fode”, “me beija”, “ me chupa”, “me ama”... Ama? Me separei dele me torturando por pensar isso, amar? Ahhh que loucura, eu nem sabia o que era isso e tinha medo de descobrir.

- Loiro eu realmente tenho que ir.

- E o café? Minha mãe arrumou a mesa, não se desperdiça o café da manhã da Dona Kushina. – Se levantou da cama em um pulo com um sorriso enorme indo pegar uma roupa limpa no seu pequeno guarda roupa.

Ele tinha que parar de sorrir assim, sinto que qualquer coisa que ele me pedisse com esse sorriso eu faria. Porra Sasuke para com isso... Não se apaixone pelo vizinho loiro, gato, perfeito, sarado, bonitão, de pegada boa e sorriso perfeito.

Fui vencido por ele e aceitei o café. Fomos até a sala de estar onde o mesmo estava serviço da mesa, nos sentamos, nossa que fome, peguei um pouco de tudo e comi feito um mendigo na ceia de natal. Eu realmente era fraco pra bebida, o filho da mãe loiro bebeu igual bezerro e estava bem, nem parecia ter ressaca e olha que quando eu cheguei aqui ontem ele estava com um funil na boca bebendo sei lá o que e mesmo assim estava aqui na minha frente lindo e maravilhoso. Credo seu pai e sua mãe capricharam demais na hora de faze-lo.

Assim que terminei de comer me despedi dele, atravessei o hall e entrei em casa. Quis morrer ao ver aquela pessoa sentada no sofá de casa.

- Dormiu fora Sasuke? – Perguntou com aquela voz asquerosa que me provocava arrepios.

- Não é da sua conta. – Respondi indo pro meu quarto.

- Tudo que você faz é da minha conta.

- Não mais, eu não devo mais nada pra você.

- Ahh me deve, deve onde mora, deve sua vida, eu adotei você e seu irmão, os salvei de ter o destino dessas pessoas que crescem na rua sem pai e mãe.

- Talvez fosse melhor viver assim do que ser abusado por você. – Ele se levantou feito um raio do sofá e esbofeteou minha face.

- Não ouse falar assim comigo. Eu não abuso de você, eu amo você, você me pertence. – Suas mãos nojentas acariciaram meus cabelos.

Segurei meu rosto sentindo-o arder, onde estava meu irmão? Eu sempre clamava por ele quando esse homem vinha nos visitar, mas sabia também que ele só vinha quando Itachi estava longe, dessa vez mais do que clamar por ajuda do meu irmão, desejei estar nos braços do loiro, correr, atravessar novamente o hall e ficar em seus braços.

Empurrei Orochimaru o afastando de mim.

- Nunca mais me toque. – falei com ódio.

- Está valente hoje? Você sabe que tem que fazer o que eu mando ou deixo você e seu irmãozinho na rua e ainda tiro aquela porcaria que ele chama de emprego. – Ele balbuciava mais uma de suas ameaças para me obrigar a fazer o que eu sempre tinha que fazer por causa do medo e da submissão.

- Eu arrumei um emprego, nos não dependemos mais de você, vamos arrumar onde morar sem sua ajuda.

- Hahahaha, você sabe que seu irmão gosta de mim, e que não conseguiriam viver sem minha ajuda.

- Ele gosta de você porque não imagina o que faz comigo, agora eu tenho emprego e vou conseguir ajudar ele, nós vamos sair daqui, Itachi vai saber o que você me faz.

- Se contar pra ele eu o mato. – Ele me olhou com cara de vitorioso sabendo que suas chantagens faziam-me fraquejar.

- Você não seria capaz. – Falei por falar, pois sabia que esse homem era capaz de tudo.

- Não? Eu amo você Sasuke e seu irmão me impende se possui-lo por completo.

Meu Deus essa cara não tinha limites ou escrúpulos, ele sempre arrumava algum jeito de me ter nas mãos, de me obrigar.

- Vamos deixa de conversa, você sabe por que eu vim, trata de se estimular e vem que eu estou com pressa hoje. – Ele começou a tirar suas calças enquanto me olhava com desejo.

Ele me causava repulsa. Eu já não era aquela criança que ele brincava, que obrigava a fazer sexo com ele por medos bobos, mas mesmo agora ele conseguia me por medo, me ameaçar colocando Itachi em risco. Fechei os olhos e pensei em ontem, pensei nos toques do loiro em meu corpo, em seus beijos, sua boca pelo meu corpo, finalmente pensei nele me penetrando, consegui sentir o mesmo tensão que senti em tê-lo dentro de mim.

- Isso foi rápido, está durinho. – Não abri os olhos mas senti sua mão tocar meu pênis por cima da calça. Ele desbotou a mesma, não consegui me mexer, só sentia vontade de chorar.

Minhas calças foram arrancadas, senti sua boca imunda me chupar, apertei os olhos pensando que já ia passar, que logo acabava. Vi o sorriso do loiro na minha frente continuei pensando nele para tentar continuar excitado, se eu abrisse o olhos e visse o Orochimaru ali a excitação passaria e eu sofreria como da última vez.

- Que delicia, você nunca ficou tão duto assim. – Ele me arrastou e me sentou no sofá, continuei de olhos fechados, senti ele colocando a camisinha em mim.

Depois de um tempo senti ele sentando no meu pau, ele gemeu e começou a pular.

- Delicioso, me fode Sasuke. – Levei minhas mãos aos ouvidos tampando-os eu odiava ouvi-lo gemendo, isso me persiguia em meus sonhos.

Aquilo pareceu durar uma eternidade...

- Vai Sasuke...e...eu...vou...Ahhh. – Assim que ele terminou o empurrei e sai correndo pro banheiro.

Me despi rápido e entrei de baixo d’água, me lavei desesperado tentando tirar seu cheio do meu corpo, eu me sentia imundo, sempre me sentia imundo quando ele me tocava assim.

- Eu vou indo Sasuke, lhe darei um presente por isso, não sei no que você estava pensando hoje mas continuei assim. – Comecei a chorar, ouvi seus passos pelo corredor indo embora.

Me sentei em posição fetal no box e gritei. A dor sempre vinha depois disso, era uma dor emocional enorme que me destruía, eu sentia nojo de mim, sentia vergonha e ódio. Me odiava por fazer o que ele queria, mas me via refém disso tudo. Me via refém por ameaças, por sempre ter tido medo dele, de nunca ter conseguido lutar contra ele.

Os abusos começaram aos 11 anos, perdi minha infância. Aos 13 eu achava que o amava, como um pré-adolescente inocente achei que o que acontecia comigo era normal, que todos passavam por isso, na época ele me compra com presentes, com jogos, doces e todo tipo de bobeira que uma criança deseja. Aos 15 comecei a tentar evitá-lo foi quando descobri que eu acontecia comigo era abuso, pedofilia e que não era algo normal. Cada vez que eu o evitava que e não fazia o que ele queria eu era espancado, o filho da puta, me batida com a tolha de modo que não deixava marcas, e quando deixa era em lugares que eu tinha que esconde-las, mas mesmo assim eu ainda nutria algo de amor por ele. Você se pergunta como alguém pode amar seu abusador? Pois é, nem eu sei responder isso, porém me pergunto a mesma coisa quando vejo mulheres que apanham do marido dizer que o ama. Não sei talvez, a gente enxergue algo bom por trás do mostro, que na verdade não existe, algo bom que criamos em nossas mentes perturbadas.

O abuso nos faz ter vários medos, faz achar que a culpa do que ocorre é nossa. Em várias vezes Orochimaru me fez acreditar que a culpa era minha por ser gostoso, por tenta-lo, dizia que me amava. Quando fiz 16 parei de ama-lo passei a sentir de nojo dele, eu queria mata-lo, desejava sua morte todos os dias, tinha tomado coragem para contar pro meu irmão o que acontecia, mas suas ameaças passaram a ser mais serias, uma certa vez ele cumpriu uma delas quando mandou espancar um garoto com quem eu comecei a sair, o mesmo ficou internado em estado grave por meses mas conseguiu se recuperar. Depois disso nunca mais namorei ninguém por medo de dele machucar quem eu gosto.

Provavelmente mataria o Naruto se soubesse o que nós fizemos.

Naruto... Poderia não conhece-lo bem, porém já me sentia bem ao seu lado. Eu queria ser amado, amparado, queria viver os romances que eu lia nos meus livros, mas nunca tive uma pessoa a quem eu me entregasse, não até agora, não até conhecer o loiro do 1010 só ele me tocou daquela maneira, só ele fez eu saber o que é ter prazer de verdade.

(...)

Sai do banheiro após gastar muita água e lágrimas, fui pro quarto me arrumar pro serviço, assim que terminei, escovei os dentes, peguei minhas coisas e sai. Estava fechando a porta quando senti um tapa na minha bunda. Me virei assustando achando que ele havia voltado.

- Que foi Sasuke? Parece que viu um fantasma, não queria assusta-lo. – Meus olhos estavam esbugalhados olhando o Naruto na minha frente, eu não pensei direito só me joguei em seus braços. – O que houve?

- Só me abraça por favor. – Apoiei minha cabeça na curva do seu pescoço sentindo seu cheiro.



Naruto:

O que estava acontecendo aqui? Sasuke virou assustado parecia ter medo de alguma coisa. Ele se jogara em meus braços, seu corpo estava tremendo, algo de muito errado estava acontecendo. Passei a mão pelos seus cabelos negros molhado, senti suas lágrimas molhagem minha camisa.

- Fica comigo. Quero lhe ajudar, seja lá o que for que lhe acusou essas lágrimas vou enxuga-las, e te fazer cafune até você ficar melhor. – Falei apertando-o em meus braços.

- Eu tenho que ir. – Falou com a voz abafada pelo meu pescoço.

- Eu ligo no seu serviço. Arrumo um atestado pra você com a minha mãe, só fica. – Falei quase implorando, eu queria cuidar dele.

- Okay. – Sua voz estava baixa e cheia de tristeza.

Tirei sua mochila e o levei pra dentro de sua casa...


Notas Finais


Como eu odeio esse Orochimaru
Que dó do Sasuke 😢
Mano tô sem palavras para dizer o como esse loiro é perfeito 😍

Espero que tenham gostado 🙏
Comentem o que acharam please 😘

Multi Bjos da Sombras 💋🌀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...