1. Spirit Fanfics >
  2. O Mafioso e o professor de ballet >
  3. XXVI - Já pensou em namorar um mafioso?

História O Mafioso e o professor de ballet - Capítulo 26


Escrita por: instintosempalavras

Capítulo 26 - XXVI - Já pensou em namorar um mafioso?


Após os acontecimentos os convidados caíram na bebedeira aproveitando tudo o que o evento tinha a oferecer, Jeon por sua vez ignorou o interrogatório dos amigos tomando a chave da mão de Yoongi.

Juro que eu queria muito explicar tudo de novo, matar a saudade de vocês. – Sorriu para os amigos. – Mas preciso ir ver minha filha e o Jimin. – Tentou andar depressa com ajuda das muletas.

Entrou no carro acomodando o objeto de madeira do banco do passageiro, ligou o veiculo e pisou fundo no acelerador correndo de encontro aos outros dois. Na pequena casa no meio do nada, Jimin entregava a Rosé uma vasilha com salgadinhos e uma lata de refrigerante deitando em seguida ao lado da garotinha. Deram play na televisão dando inicio ao filme escolhido pelos dois, se mantinham concentrados com os olhos na tela e um enorme cobertor jogado sobe seus corpos quando ouviram do lado de fora, era o motor de carro estacionando em frente da casa.

Quem poderia ser essa hora, fique aqui boneca. – O loiro pediu. – Ai meu Deus Kook fique quieto. – Brigou com o cachorro.

Em passos lentos foi se aproximando da entrada da casa, Jimin assustou-se quando por ventura forçaram a fechadura, estático ele deu um passo para trás recuando e trombou em algo que o assustou.

Ai. – Falou se virando. – Rosé o que faz aqui? Não pedi para ficar na sala. – Abraçou a pequena.

Senti medo Chim. – Viram o cachorro arranhar a porta. – Kook vem aqui, anda shiiu.

Ah pelo amor de Deus abram logo essa porta, estou ouvindo os dois. – A voz grossa do lado de fora falou em meio a risos. – E esse cachorro não serve para nada, pulguento fedido. – Brincou com o mesmo assim que a mesma foi aberta.

Appa appa. – A menina correu em direção ao homem. – Senti saudade, achei que não voltaria e meu coração doeu. – Revelou chorosa. - Que isso? - Encarou curiosa o objeto de madeira em que ele se apoiava. 

Eita vamos com calma princesa. – Encheu o rostinho dela de beijo. – Entre já é muito tarde, pelo que vejo andou comendo tudo o que quis. – Sorriu vendo a bancada da cozinha repleta de embalagens. – Nunca te abandonaria meu bem eu te amo, desculpe por fazer seu coração doer meu amor! Oi Jimin. – Analisou o outro e mordeu seus lábios.

O oi Jeon, demorou. – Reclamou. – Porque esta de muleta? 

Machuquei a perna, o que faziam acordados tão tarde? – Arqueou a sobrancelha.

Eu chorei com saudade ai o Chim chorou também e depois me levou para comprar sorvete. – Começou contar. – Agora estamos vendo filme. – Sorriu.

Chorou Park Jimin? – Questionou irônico. - Por mim suponho.

Não foi bem assim, ela esta sonolenta não acredite. – Negou rápido. – Chorei porque tinha acabado o macarrão instantâneo. – Inventou uma desculpa arrancando risos do moreno.

Não Chim tem um monte aqui e você falou. – Engrossou a voz imitando o loiro. – Não faça isso comigo pequena eu...

O dançarino voou em cima da pequena tampando lhe sua boca a impedindo de falar, vermelho como um pimentão o rapaz segurou a mão da menina. Aproveitaram por alguns minutos a presença de Jeon, Rosé ficou aninhada no colo do pai sentindo o cheiro do mais velho matando sua saudade até começar a bocejar. Vendo a sonolência da pequena Jimin á levou até o quarto onde estavam dormindo há dias, lá banhou a garota a vestiu com seu pijama favorito e depois fez a criança dormir, certificou-se que a mesma estivesse bem aquecida também sem segurança saiu do quarto e começou descer as escadas contando os degraus adiando seu reencontro com o moreno, pois havia ficado envergonhado com a revelação da criança.

Termine logo de descer loiro, está há quase vinte minutos no meio da mesma. – Jeon riu. – Confesse que chorou e pronto. – Brincou.

Eu não chorei, nunca choraria. – Falou manhoso. – Convencido, o que tem na perna?

Acredito em você. – Convidou o dançarino para sentar-se ao seu lado. - Levei um tiro na coxa e outro no ombro. – Contou.

Sente dor ainda? – Tinha expressão preocupada em seu rosto. – Me conta tudo Jeon.

Não sinto dor, te conto mais tarde. – Disse calmo. – Eu chorei, nunca tinha chorado em toda minha vida. – Confessou. – Queria voltar para minha filha e para você, precisava dizer que estou completamente apaixonado por um loirinho abusado ai.

Jimin sentiu seu coração pular de alegria pelas palavras ditas, juntou sua testa na do outro sentindo a respiração quente do homem contra sua face e ficou encarando o moreno por alguns segundos. Em seguida selou os lábios alheios, o beijo que começou calmo aos poucos se transformou em algo mais carnal cheio de desejo, sentiu a língua do homem tocando na sua depois enroscando na mesma, os dois músculos brigavam por espaço enquanto Jeon explorava toda sua cavidade bucal.

Queria muito te amar hoje. – Sussurrou. – Mas como podemos ver minha condição não permite. – Sorriu desanimado.

Vem comigo. – Ajudou Jeon se levantar e subir as escadas. – Hoje eu vou te amar senhor.

No quarto o loiro despia o homem aproveitando bem a visão que tinha do corpo do outro e assim que retirou a cueca do moreno sentiu a boca salivar ao ver o pênis ereto de Jeon ir de encontro ao umbigo do mesmo por já estar tão duro. O sentou na cama com suas costas pousada na cabeceira, voltou a ficar de pé Park e começou a retirar suas vestes de forma atrevida na frente no outro o provocando de todas as formas possíveis.

Nu o baixinho engatinho pela cama em direção ao maior até chegar no rosto de Jungkook onde deixou um beijo em seu queixo, depois em seu pescoço e outro no peitoral. Levantou sua cabeça encarou o moreno e sorrindo travesso o loiro distribuiu pequenos selares por todo o peitoral do homem, lambeu os mamilos alheios enquanto dava mordidinhas no bico já eriçado do mesmo e sem parar ele continuou sua trilha de beijos pelo abdômen do mafioso até chegar a virilha dele onde deixou um chupão forte que foi capaz de marcar a pele instantaneamente.

Oh oh anjo. – Mordeu seus lábios. – Não seja malvado.

Sorrindo ainda mais perverso Park segurou o membro do outro pela base levando a cabeça inchada do caralho de Jeon próximo a sua boca, mas interrompeu o ato. Parado encarou outra vez seu "refém", subiu e desceu sua mão masturbando o homem vendo-o se contorcer de prazer e riu. Ele riu do desespero do outro, sentia prazer em ter Jeon Jungkook em sobe seu domínio.

Tão duro Jeon. – Contornou seus lábios com a cabecinha inchada do pau do moreno depois passou a língua sobre a glande sensível. - Tãao doce. – Provocou.

Aanw meu Deus oh. – Se contorceu as toques do loiro. – Você me paga.

Engoliu o cacete inteiro, centímetro por centímetro acabando de vez com o sofrimento de Jungkook, o baixinho chupou e lambeu toda extensão daquele mastro repetidas vezes enquanto ouvia os gemidos grossos do outro. Vendo as pernas do homem tremer e as veias do membro engrossarem Jimin o tirou da boca passando a masturba-lo rápido, esfregando sem dó um de seus dedos na fenda do moreno que gozou jatos fortes que sujaram as mãos e o queixo do loiro que riu satisfeito. Muito depressa o dançarino posicionou-se de quatro com o peitoral colado no colchão e a bunda empinada para Jeon, usou a porra que estava em seus dedos  a esfregou em sua entrada inserindo em seguida dois dos seus dígitos em seu interior, gemeu manhoso e passou a se penetrar preparando seu anel para algo maior.

Ah aawn Jeon. – Gemeu encarando o homem por cima dos ombros. – Imagina você aqui oh oh. – Acelerou o movimento dos dedos.

Ainda sentado tentando recuperar seu folego o moreno se deleitava com a cena a sua frente, Jimin de quatro se masturbando e gemendo seu nome todo provocativo. Era devasso, sim ele era! Levou uma de suas mãos ao próprio membro que agora ganhava vida de novo e endurecia cada vez que o baixinho se penetrava com seus dedinhos curtos e o massageou devagar.

Ah porra. – Resmungou sentindo a glande sensível pelo recente orgasmo. – Ah ah.

Contente Park retirou seus dedos de si, continuou deitado na mesma posição mais dessa vez balançava o quadril rebolando sua bunda provocando Jeon que gemia grosso de tesão. Minutos atiçando o outro, o loiro se levantou e foi de joelhos até o moreno, passou uma perna de cada lado do corpo do homem elevou um pouco seu quadril encaixando o caralho do mesmo em sua entrada deslizando devagar por ele até sentir que o membro o tivesse preenchido.

Sentindo sua bunda bater contra a pelve alheia ele apoiou suas mãos no ombro largo do mafioso dando inicio aos movimentos, o baixinho se moveu para cima depois para baixo criando um ritmo gostoso para os dois. Ele subia e descia por todo cumprimento do outro enquanto Jeon desferia tapas em sua bunda e coxa o incentivando a ir mais rápido, o moreno falava palavras sujas e com a outra mão massageava o pênis rosado de Jimin. Minutos na mesma posição que mais pareceram uma eternidade, afinal a condição do mafioso não o permitia se mover, o dançarino se sentia cansado então deitou a cabeça no ombro do homem apenas remexendo seu corpo, ondulando seu quadril ele cavalgava em Jungkook.

Para trás e para frente esses eram os movimentos de Park, a cada movimento realizado podia sentir o membro grosso do outro surrar seu ponto de prazer enquanto era apertado pelas paredes de seu interior. Vendo o estado do baixinho Jeon usou e abusou de sua mão ágil e masturbou o rapaz mais e mais depressa esfregando a glande alheia acariciando as bolas do loiro que gemia desesperado. 

Aaanw Jeon hum. – Gemeu. – Isso é bom aaawn aah.

Em um pique de adrenalina repentino o dançarino subiu e desceu o pau já roxo e teso do moreno com rapidez, Jimin rebolou com vontade jogando sua cabeça para trás contraindo as paredes de seu interior uma depois duas e três vezes apertando o caralho de Jeon  que gemeu alto enquanto seu membro liberava jatos e jatos de gozo. O liquido quente e grosso preencheu o interior baixinho que murmurou coisas desconexas durante seu segundo orgasmo, os dois homens colaram seus lábios dando um beijo quente cheio de luxuria. 

Jimin. - Chamou entre os lábios. - Já pensou em ser namorado de mafioso? - Perguntou sorrindo. - Você quer?

Hum, ainda não. - Riu sapeca. - Quero sim. - Mordeu os lábios. - Jeon não me diga que...

Duro de novo? - Interrompeu o loiro. - Culpa do sim. - Chupou o pescoço do outro.

Oh oh, não aguento montar em você de novo não. - Falou manhoso de olhos fechados sentindo o membro do outro ganhar vida dentro de si. - Awn meu Deus.

Fica de lado dessa vez meu anjo. - Desferiu um tapa na coxa de Jimin.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...