História O Mal é Apaixonante - Camren - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello
Personagens Camila Cabello, Personagens Originais
Tags Revelaçoes, Romance
Visualizações 58
Palavras 1.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus amores, tô muito feliz com o resultado da fic!
ENFIM, esse capítulo está mais ou menos mas o próximo vai ser bombástico, beijos! Boa leitura 🤘
- Só para deixar claro que algumas coisas que eu ponho da fic aconteceram de verdade - Flw.

Capítulo 5 - Capítulo cinco: Boy, are you mistaken.


Fanfic / Fanfiction O Mal é Apaixonante - Camren - Capítulo 5 - Capítulo cinco: Boy, are you mistaken.

Lauren POV'S.

Já sentiu como se o mundo tivesse parado para ver você errar? Pois é, eu acabei de ter essa maldita sensação agora pois Brad me convidou para sair numa balada em outra cidade e eu aceitei mesmo sabendo que ele com toda a certeza do mundo iria tentar alguma coisa. Passei um batom vermelho, logo depois de um lápis preto e máscara de cílios pegando a minha bolsa com a carteira preta e descendo as escadas para esperar ele num lugar não muito longe daqui.

_Ei Lau. - ouvi meu irmão me chamar, me virei.

_Oi? - perguntei, tentando me livrar dele antes que Brad achasse que eu iria furar. 

Mas ele sabia que eu era uma garota de palavra então tinha tempo. 

_Onde vai?

_Sair com um cara.

_Com um cara? - ele parecia meio confuso.

_Sim, algum problema? - perguntei dando de ombros.

_Eu achava que...

_Tchau, bebê. - mandei um beijinho no ar e sai da porta antes que ele me enchesse com mais perguntas que eu não sabia responder.


Camila Cabelo POV'S.


Dei uma última mordida na pizza fria enquanto assistia Crepúsculo na Tv. Eu, Camila Cabello, não perdia nenhuma oportunidade de ficar em casa comendo comida gordurosa enquanto passava um filme depressivo em algum canal.

Sean mandou uma mensagem para mim, com um áudio de uma melodia que não saia da minha cabeça.


Uma nova música sua? Adorei a melodia, tanto que não sai da minha cabeça!

De: Camila.


Ele respondeu que iria ficar pronta semana que vem, a letra ele iria ganhar de um de seus melhores amigos e iria estreiar ela pela primeira vez no mesmo bar que fui com Lolo naquele dia.


Estarei lá para ver você, cuidado, você está me criando uma fã maluca! Rs. 


Não consegui não sorrir ao receber a sua outra mensagem de resposta.


Não será difícil encontrar você, a garota mais sorridente e bonita  PS: Achei que já era uma fã maluca.  

De: Sean seu vizinho mais bonito.


Lauren Jauregui POV'S. 


Brad aumentou o volume do carro e eu dei uma risada contagiante, acompanhando a música balançando minha cabeça.

_É difícil achar garotas que ainda gostam de rock. - ele comentou sorrindo virando a rua com tudo.

_Eu amo rock. - respondi.

_Sabe, porque te expulsaram da escola? Faz uma semana que não te vejo lá e estou bem triste. - ele soltou e eu encarei os seus olhos, talvez ele não disse aquilo de brincadeira.

_Eu sou uma puta para eles, Brad. E é isso que eu sou. - eu disse abaixando os olhos.

_Eu não acho mesmo, Lauregui.

_Você não conhece minha vida.

Descemos no carro e fomos a balada; foi uma das melhores que eu já visitei, era realmente um lugar de ricos.


***


Acho que bebi três garrafas inteiras de bebida alcoólica e estava fora de mim a algum tempo, Brad me assistia e dava risada a cada cinco minutos das minhas danças malucas. A música que estava tocando era contagiante e eu a amava desde muito tempo.

_Vem logo, bobinho! - eu gritei trazendo Brad para a pista e dando espaço para ele dançar e se contagiar comigo. Eu descia e subia em ritmo da música enquanto balançava meu cabelo o provocando, não sensualmente, apenas para nós divertir.


Brad Simpson POV'S


Eu percebi que gostava da Lauren desde quando a vi. Ela tem aquele sorriso e um corpo que te faz morrer, a única desde tipo e é por isso que eu me apaixonei por ela. Dei um último gole na minha bebida enquanto ela se divertia, parecia bem mais feliz agora, e quando eu menos esperei ela me ofereceu uma mão com esmaltes pretos mostrando um lugar ao lado dela para dançar.

_Eu não danço bem. - comentei.

_Eu não ligo, ninguém liga pois estamos todos bebados - ela respondeu me dando um beijo rápido da bochecha,  ela não ligou para aquilo mas me deu uma breve esperança. Acabei cedendo e então dancei com ela.

Essa é a hora Brad. Tenha coragem; comentei comigo mesmo enquanto Lauren dançava perto demais de mim, aquela sua dança sensual estava acabando com a minha sanidade e a vontade que eu tinha era de toca-la. Eu queria beija-la e fazer o meu jogo.

Vamos lá Brad! Hora da jogada.

Coloquei a mão em seu cabelo e me aproximei dela, lançando um olhar tentador,  e ela ficou pasma como se eu tivesse cometido um pecado.

_Lauren eu... Queria dizer isso a muito tempo, e acho que você também tem os mesmos sentimentos que eu.... e como homem é difícil não te querer porque...

_Brad...

_Lauren eu...

_Brad, você está enganado, eu não gosto dessa fruta.


***


_Brad, você está enganado, eu não gosto dessa fruta.

Todos os meus nervos ameaçaram pular fora da pele, enquanto eu entrei numa espécie de transe.

_C-como?

Ela riu.

Eu não consegui rir porque aquilo tudo doeu muito em mim. Eu achei que como homem ela me queria muito mas ela tinha outros planos, é por isso agora estou como um idiota parado aqui. Acho que para Lauren foi uma coisa bem difícil de dizer porquê ela ficou bem abalada. 

_Como isso aconteceu? Como sabe disso? - perguntei com a voz um pouco rouca. Ainda não tinha caído na real. 

_Eu estou apaixonada por uma garota, Brad. - ela respondeu enquanto umas duas lágrimas saíram descendo pelo seu rosto - Eu já tentei mas não sou afim de caras.

_Droga, Lauren porquê nunca me contou? - perguntei.

Oh porquê? Queria que alguém pudesse me dizer o porquê, eu fiquei apaixonado pelos seus olhos.

Mas ela disse que já tentou, e não é afim de caras.

_E posso saber qual é o nome desta garota de sorte?

_Camila Cabello.


Camila Cabello POV'S


_Eu acho isso um absurdo mãe! Mal acabamos de nos mudar para cá, oque merda você está querendo com a minha vida?! - gritei, não deixando algumas lágrimas de lado enquanto elas corriam livremente ao meu rosto.

_Não fale assim, Camila. - meu pai me advertiu enquanto assistia a cena da briga entre mim e a minha mãe, sentado impaciente.

Encarei aquela situação, confusa e cheia de angústia.

_Eu queria que houvesse outro modo mas esta cidade está impregnada.

_Quer saber, mamãe? Antes eu até concordava com você em algumas coisas mas hoje... Você virou oque eu mais temos que virasse. Essa cidade está impregnada? só se for do seu ódio! - ri amargurada.

Uma ruga de preocupação surgiu na sua testa.

Pelas minhas contas, estávamos brigando e argumentando há mais de quinze minutos, minha mãe queria mudar de novo de cidade porquê eu estava tendo alguns "comportamentos estranhos".

_Fiquei sabendo que você estava andando com a sobrinha do Jauregui. - ela disse arqueando a sombrancelha.

_Estava, ainda estou, e vou continuar andando. - reprimi um sorriso de ironia.

_Olha aqui Camila! Eu não sei oque você virou, eu estou estranhando tudo em você eu perdi a minha filha - ela sentou, com a pressão baixa - EU PERDI A MINHA FILHA.

Sorri fraco com todo o meu interior doendo, tudo doia inclusive o meu coração.

_Eu sempre fui a sua filha dos sonhos mamãe. Mas eu percebi que ficar dentro das suas medidas do que é perfeito, me destruia. Então se você acha que descordar da vida em que eu cresci é me perder, eu sinto muito.


Dia Seguinte.


A sala estava uma bagunça, cheia de pacotes de coisas do meu pai e da minha mãe. Eu não sabia oque estava acontecendo quando nenhuma das minhas coisas estavam em caixas nenhuma, e algo como desespero começou a crescer dentro de mim.

_Ei pai, onde vocês vão? - perguntei olhando toda aquela baderna ao meu redor.

_Vamos embora para a sua cidade natal, eu não consegui dizer não para a sua mãe - senti um beijo no topo da cabeça - me desculpe.

Meus olhos marejados estavam a mostra para ele. 

_Eu ganhei amigos aqui pai. - eu disse.

_Eu tentei ao máximo, Mila. Ou você vai com a gente ou você fica, morando aqui e viremos te visitar os finais de semana. - ele respondeu.

_S-sozinha?

_Não, é claro que não. Sua prima, Ariana, vem estudar aqui na universidade e pode morar na nossa casa com você até o último ano, ela é de maior e uma garota responsável! - ele explicou.

Percebendo todos os pontos, aquilo não era uma má ideia.

_Antes de ir eu preciso te contar uma coisa... - eu estava confusa com tudo aquilo, comigo mesma, e acho que a pessoa certa para contar aquilo era para o meu pai. Eu não sabia se ele iria entender ou não, o mais fácil de acontecer era ele mesmo me negar e tudo acabar ali. Mesmo assim, aquilo iria me sufocar se eu não contasse para alguém. 

_Me fale oque quiser, terá o meu apoio. - seu sorriso apoiador derrubou todas as minhas muralhas.

_É um pouco complicado. Eu vou entender se você achar que isso é... - respirei fundo, aquilo era difícil e eu queria apenas chorar no chão agora.

_Eu te amo independente de qualquer coisa. - ele me respondeu, esperando que eu dissesse algo.

Algumas lágrimas começaram a brotar em meu rosto.

_Pai eu sinto muito.

_Eu sei que sente.

_Tente adivinhar.

_Eu quero que saia da sua boca, Mila.

Apertei os olhos.

_Eu...Acho que gosto de garotas. - soltei e ouve um profundo silêncio.

Tudo se quebrou quando ele me abraçou.

_Eu já sabia. E acho que por um lado sua mãe sabe, só não quer aceitar. 

_Me desculpe. - choraminguei.

_Porque está me pedindo desculpas? Não tem que se desculpar de nada, eu só não quero que você sofra, entendeu? - ele levantou meu queixo para saber minha resposta.

_Entendi. - sorri no meio das lágrimas.


Notas Finais


Foi um capítulo + ou -
Mas mesmo assim não me abandonem e obrigadíssima por ler.
Beijos até semana que vem!
- Decidi que vou postar capítulo novo toda quinta feira. - ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...