História O Maluco do Futuro - Capítulo 1


Escrita por: e exouls

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Chanyeol, Exo, Futuro, Magia, Passado, Romance, Xiumin
Visualizações 10
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello boys e girls, mais uma bebê!
Deem amor, e todo o carinho que vocês tem nesses kokoros.

ass: vick

Capítulo 1 - Capitulo 1



Park colocou sua bicicleta num cantinho e pegou a sua mochila. Se não voltasse cedo para casa iria perder a comida que a sua mãe estava fazendo e provavelmente ela ficaria chateada com ele por ter chegado tarde. O seu chefe tinha o mandado roubar uma coisa da velha bruxa que morava fora da cidade. O que ele tinha cabeça? Um pirulito vencido ou uma minhoca com pouco QI? Park deu a volta na casa e chutou a porta. Será que aquilo era uma pegadinha do seu chefe? Estava sendo fácil entrar e provavelmente seria fácil pegar as coisas. 

— Se aquela bruxa estiver aqui e ela me transformar num cachorro, faço questão de morder o Baekhyun. — Chanyeol entrou na casa e arrumou a porta. — O que é isso? — Park deu alguns passos até um armário que provavelmente guardava coisas interessantes e provavelmente seriam aceitas por Byun, mas um barulho vindo do andar de cima chamou sua atenção. — Olá? Eu estou perdido. — Antes que a pessoa ou seja lá o que estivesse lá descesse, colocou algumas coisas que pareciam interessantes no bolso. 
O ladrão andou até a porta que agora parecia intacta e tentou puxar para poder sair da casa. O que tinha acontecido para aquela porta se trancar? Não tinha como ela se trancar sozinha já que havia sido arrombada e portas normais — de casas normais — não fazem isso.

Park se virou para trás quando ouviu barulho de passos na escada, nunca tinha matado alguém na sua vida e agora estava trancado numa casa, onde portas arrombadas voltam para o seu lugar e não abrem de jeito nenhum. O que deveria fazer? Se matasse alguém iria se sentir culpado pelo resto da vida e acabaria se entregando para a polícia. Chanyeol viu uma fumaça vermelha vir na sua direção e seu corpo travou. Seria daquele jeito que iria morrer? Deus não tinha alguma criatividade? Tipo um tubarão com turbinas nas costas o devorasse ou sei lá.


Chanyeol não tinha medo de morrer, nem de virar um escravo de uma bruxa e nem de perder sua memória. Será que sua mãe e irmã iriam sentir falta? Elas normalmente não ligavam se ele ficava alguns dias fora e Chanyeol não era o tipo de filho que mandava mensagens ou ligava, mas sua mãe tinha feito sua comida favorita e ela não iria o perdoar se chegasse atrasado. O ser humano — na maioria das vezes — tende a fechar os olhos e dizer que está tudo bem morrer, afinal, pessoas morrem toda hora e Park estava tentando fazer aquilo. "Tudo bem se eu morrer" e "mamãe vai ficar puta comigo por eu demorar, mas seja o que deus quiser" foram os últimos pensamentos de Park antes dele abrir os olhos — como um bom corajoso — e ver a fumaça vermelha, é claro que Chanyeol entrou em pânico e isso dificultou um pouco e puff. O ladrão tinha caído na armadilha de uma bruxa e indo parar em outro lugar. 


Demorou um tempinho para Chanyeol abrir os olhos e piscar confuso. Aonde tinha ido parar? Aquilo eram algum tipo de céu? Bom, com todos os pecados que Park tinha feito, provavelmente iria parar no inferno com um cartão vip para roubar Lúcifer e seduzir ele com aqueles olhinhos de cachorro. Um cara baixinho com uma roupa ridícula, ele não tinha senso de moda? Deveriam fazer ele vestir uma camisa polo, um tênis da nike e uma calça apertada — calças assim realçam a bunda — ou roupas mais decentes. Sua mãe ficaria muito puta quando ele chegasse em casa, e diria para ele procurar uma profissão que não envolvesse roubar pessoas e que não o fizesse perder jantar com a família.


— Omo, onde eu estou? Ah, oi nanico. — Chanyeol disse passando pelo baixinho com uma roupa, particularmente, ridícula. — Isso é algum tipo de festa a fantasia?


— Vejas como me dirige a palavra, estás a falar com um príncipe! — Minseok olhou Chanyeol de cima a baixo, avaliando suas vestimentas. — Faça reverência antes de falar comigo.


— Príncipe é? — Park colocou a mochila em cima da cama e cruzou os braços. — Se você é o príncipe, então eu sou um bom menino que não roub…. Pega emprestado coisas. — Ó céus, abrigava loucos? Pelo menos ele era bonitinho. — Esse quarto parece ser confortável, vou dormir aqui, então vaza do meu quarto. 


— Acho que vós estais a enganaste, este quarto me pertence. Então, por favor, peço que se retire e faça seus afazeres, lugar de empregados com certeza não é nos meus aposentos. — Minseok cruzou os braços e olhou Park seriamente. 


— Empregado? Desde quando? — Chanyeol se aproximou mais alguns passos e pegou a coroa do príncipe. — Perdeu playboy, agora vaza do meu quarto antes que eu chute sua bunda gorda.


— O que achas que estás fazendo?! Me devolva agora mesmo! Se ponha no seu lugar! — O príncipe tentou pegar a coroa mas falhou miseravelmente. Qual era o problema daquele cara? 


— Puts, parece que eu sou o príncipe agora, então meu caro, poderia sair do meu quarto? Sono de beleza… Olha só, as bochechinhas do smurf ta vermelha. — Park sorriu enquanto colocava a coroa na sua cabeça e se afastou do outro. — Vai querer me ver sem roupa? Tipo… Eu tenho que colocar meu pijama de príncipe e fazer coisas de príncipes com… Aqui é proibido pegar homens? Eu sou gay. 


— Do que você está falando? — O príncipe estava confuso, curioso e irritado com aquilo, já que ninguém agia daquele jeito com ele. — Me devolva a coroa. 


— Aqui não tem cara gays? Isso é o inferno? — Chanyeol colocou as mãos na cintura e respirou fundo. — Eu vou ficar com a coroa. Será que você pode sair do meu quarto? Ah, poderia preparar algo para que eu possa comer? Eu estou morrendo de fome. — O príncipe ficou parado no meio do quarto com cara de tonto e Chanyeol o expulsou dali como um bom garoto. 


Park se jogou na cama, tal que era muito melhor que a sua e os cobertores eram macios e grossos, iria dormir como um rei. A coroa tinha caído ao seu lado, era prata com safiras azuis e combinava com aquele cara baixinho e irritado, a barriga de Chanyeol fez um barulhinho de fome e ele escondeu o rosto no cobertor. Aquele cara ia demorar muito pra trazer a comida? O garoto se virou de barriga pra cima e fez um biquinho, estava com fome, com saudades da sua mãe, do seu cachorro e de receber mensagem porque seu celular não tinha vibrado nenhuma vez. Park fechou os olhos e contou até três e voltou abrir eles, mas aquilo não tinha adiantado já que ainda estava ali. Aquilo era um inferno porque não tinha homens gays gatos, somente um cara chato bonitinho.
 


Notas Finais


É nozes, nos vemos na próxima

bjs da vick


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...