História O melhor acaso do destino ( Im Jaebum-GOT7 ) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Bambam, Got7, Jackson, Jaebum, Jinyoung, Kpop, Mark, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 129
Palavras 1.338
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oulaaa, mais um capítulo e pra não quebrar a tradição tem que ser logo pela manhã mesmo kkkj
Obs: Sou muito hacker foda, to sem Internet e dei um jeito de roubar o Wifi do vizinho pra postar o cap. pra vcs kkkjk me amem u.u
Boa leitura! 💕

Capítulo 6 - É oficial eu odeio ele.


Fanfic / Fanfiction O melhor acaso do destino ( Im Jaebum-GOT7 ) - Capítulo 6 - É oficial eu odeio ele.


Minha consciência estava pesada. Eu queria pedir desculpas à ele. Eu deveria pedir. Mas o fato é que eu sou muito orgulhosa, e por mais que eu tenha feito errado em colocar toda a culpa nele, ele também tem uma parcela de culpa.
Ele foi desde que nos conhecemos grosso e arrogante comigo. Por isso, eu não vou dar o braço a torcer lhe pedindo desculpas. Não agora. Não hoje. [Armys sentiram a referência?] 

Tava na cara que ele não gostava de mim, que não foi com a minha cara desde o início,  então vou fazer o sentimento ser recíproco. Afinal, eu não vou aceitar ele ter sido tão ignorante comigo desde sempre e ainda lhe pedir desculpas. Não mesmo.
Por mais que eu esteja decidida a não dar o braço a torcer, eu tenho que quebrar esse silêncio incômodo já visto que ele não falaria nada. Que droga. Logo eu que estou aqui nervosa por tudo que aconteceu, com medo de perder minha vaga e ao mesmo tempo envergonhada, por que mesmo ele sendo arrogante, ainda assim é muito bonito. (Deus como alguém consegue sentir tudo isso ao mesmo tempo?!)

(Nota mental 1: Não gaguejar. Já chega de todo esse constrangimento. Nota mental 2: Lembrar que ele é um grosso mal educado.)

Pensei comigo mesma e estava decidida a  não gaguejar. Pelo menos era o que eu esperava.


                        Kim Alice P.O.V


Alice: - É-érr.. Você-ê  já pode me pedir desculpas! (Droga, eu tinha que gaguejar?!) - Falei corada por ter gaguejado.

- Não seria você que deveria me pedir desculpas? Que eu saiba foi você que jogou toda culpa em mim. - Falou arqueado as sobrancelhas e sorrindo cínico. (Provavelmente ele notou que eu estava nervosa e corada e quis me intimidar. Droga.)

Ótimo, agora como vou sair dessa? Ele tinha razão, mas eu não vou dar esse gostinho à ele. Então, já que ele não gosta mesmo de mim, vou provocar ele mais um pouco. Provavelmente to brincando com fogo, mas o que posso fazer se eu adoro me queimar?!


Alice: - Que eu saiba foi você que arruinou nosso trabalho. Então a culpa é sua sim! - Afirmei num tom irônico,  dando de ombros.

Eu não sei o que tava me levando a falar essas coisas pra ele, eu não sou assim, nunca fiz essas coisas. Mas ele me deixa assim, desde que nos conhecemos ele desperta essas coisas em mim. Sentimentos. Raiva, ódio e vontade de xingar ele de todos os palavrões que eu conheço. Não consigo controlar.

Ele riu cínico revirando os olhos, estava estampado na cara dele que eu o deixei com muito ódio. Mas eu não consigo evitar.

- Você é muito atrevida sabia?! Sem dizer que você tem um ego gigante, acha que tudo gira em torno de você. Como pode ter tanta certeza que fui eu que estraguei o experimento se colocamos os ingredientes juntos? - Ele disse erguendo as sobrancelhas em um tom desafiador.

Ele estava certo, não sei e não teria como saber quem errou. Mas vou falar isso pra ele? Óbvio que não. - Pensei comigo mesma.

Alice: - Por que eu sei que desde que você me conheceu, ficou com raiva de mim por eu ter esbarrando em você, lhe fazendo quase perder a vaga. Você mesmo me disse. - Respondi convicta cruzando os braços.

- Sim isso tudo é verdade, mas eu nunca faria uma infantilidade dessas de estragar um trabalho ao qual eu também precisava da nota, você não me conhece por isso continua me julgando. Eu nunca faria isso. 

Alice: - Eu não sei, não tenho como saber se fez ou não de propósito. Mas tanto faz, cansei de discutir com você. Só fique sabendo que se eu perder minha bolsa por sua culpa, você vai desejar nunca ter me conhecido.

(Senhoras e senhores Kim Alice também sabe ser ameaçadora, isso mesmo, caso o meu sonho acabasse por causa desse moleque mal educado, eu faria da vida dele um inferno. Estejam avisados.)

- Você acha que me põe medo? Falou se aproximando, nitidamente me deixando mais nervosa. - Olha o seu tamanho... Baixinha! No mínimo você iria conseguir morder minha canela com esse tamanho todo. - Riu em um tom debochado, dando ênfase ao 'todo' e dando batidinhas na minha cabeça.
 

- Revirei os olhos sentindo o ódio me consumir, saí bufando dali antes que eu falasse umas boas verdades pra ele. Garoto idiota. Fui pra sala me acalmar e não tinha ninguém. Provavelmente já era o recreio. Sentei na minha cadeira, coloquei meus fones e tentei me acalmar. Minhas músicas sempre foram meu refúgio. Desde que me lembro.


Se ele tava querendo me deixar mais brava, conseguiu. Esse garoto consegue me enfurecer com apenas poucas palavras. Ah que raiva! Quem ele pensa que é? Eu não sou baixa, bato na altura da barriga dele, babaca. É oficial, Eu o odeio.

E como odiar alguém que você nem sabe o nome? 

Pois é. Exatamente o que eu estava me perguntando. Eu não sei o seu nome, a idade e muito menos onde ele mora. Geralmente são coisas essenciais para se saber quando você não gosta de alguém. (o endereço nem tanto but ok). Mas o que eu sei é o tamanho da raiva que eu sinto dele. Sério. Nunca senti isso por ninguém. E olha que sempre tive umas "inimigas" na escola. Aquelas que geralmente são chamadas de patricinhas e que mechem com alguem por não ser o padrão "aceitável" pela sociedade. Que era o meu caso. Uma nerd. Não do tipo inteligente que nem nos filmes e sim aquelas que geralmente preferem ficar jogando no computador ou assistindo dorama, comendo besteiras ao invés de ir pra uma festa ficar com garotos. O que na época era o que as garotas da minha idade faziam. (Confesso que nunca entendi essa obsessão delas em garotos.

E quando se tem uma amiga como a Mari, você descobre a vida inteira delas. Como já havia falado, ela é sociável, sabia  da vida de todos alunos daquela escola se duvidar. E se não sabia dava um jeito de descobrir. Ela sempre me falava tudo que eu deveria saber dessas garotas, para pelo menos, se eu tivesse uma chance de me defender, usar algum segredo contra elas. Eu sei que isso não é algo pra se orgulhar. Mas eu já estava cansada de anos de perseguição,  ouvindo elas falarem de mim para todos meus colegas, inclusive pro garoto que eu era afim desde o ensino fundamental. Aquela foi a gota d'água.

Por mais que a Mari e o Dudu sempre me deram apoio, me defendiam quando viam algo, eu queria pelo menos uma única vez me sentir onipotente. Queria conseguir me defender sozinha. E consegui. 

Desde aquele dia prometi a mim mesma, não abaixar a cabeça pra qualquer um e fingir que tá tudo bem. Sempre enfrentar meus problemas e tentar resolver-los.

Por isso quando esse garoto me chamou de patricinha eu fiquei muito brava, não suporto a ideia de me compararem à esses seres desprezíveis que  faziam as pessoas mais fracas sofrerem pra sua diversão doentia. Esses monstros fizeram isso comigo a vida inteira, só eu sabia o tanto que minha adolescência foi difícil e conturbada por causa disso. Jamais espero ser comparada à elas de novo. Eu às abobino.

 Então se tem uma coisa que eu preciso descobrir, é o nome deste garoto, cujo eu mal conheço mas já odeio tanto. Ele já se tornou meu grande inimigo e eu não sei nem seu nome, enquanto as patricinhas da minha escola eu sabia até o nome dos cachorros. Sim eu realmente sabia, e lembro claramente que uma delas tinha um filhote muito fofo inclusive chamado Chimchim. Cadê a Mari quando se precisa dela nesse momento?! A propósito saudades. Enfim, terei que descobrir do meu jeito. E não vai ser perguntando pra ele, já que prevendo o jeito que ele age com certeza iria falar que eu to interessada nele e blá, blá, blá. Convencido. Jura. Eu o odeio. Enquanto isso continuarei o chamando de Sr.arrogante.




Notas Finais


Por hoje é isso, muitas tretas acontecendo e muitas estão por vir!!! 💣🔥
Quem nunca foi zuada por alguém na escola né nom?!
A saga do sr.arrogante continua ksnskdj
E as referências armys??? Sou muito army meixmooo 💙
Bye xoxo 🐤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...