História O Melhor Amigo Do Meu Irmão - YoonMin - Capítulo 57


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, CL (Chaelin Lee), F(x), HyunA, Park Hae-jin
Personagens Amber Liu, Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Cho Seung Yeon, HyunA, Jackson, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Ji Yoon, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lee Chaelin "CL", Lisa, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Hae-Jin, Park Jimin (Jimin), Rosé
Tags Cj E&m, Cj Group, Comedia, Drama, Exército, Mensão Chanbeak, Mensão Hoseyeun, Mensão Lisoo, Mensão Markson, Mensão Namjin, Mensão Taekook, Romance, Yoonmin
Visualizações 403
Palavras 2.662
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai Deus, chegamos ao fim desta fanfic, minha primeira fanfic.
Eu realmente não estou muito bem preparada como eu achei que estava, eu vou chorar aqui de emoção.

Eu realmente amei escrever essa fanfic, não foi de longe a minha melhor fanfic, na minha opinião pelo menos não, mas eu amo ela de todo o meu coração, é minha primeira fanfic e cara, depois de um ano e alguns meses, um ano e uns sete ou oito meses, ela chega ao fim e eu to chorosa.
Obrigada por todo amor, por todos os favoritos, por todas as listas de leituras, por todos que adicionaram ela a biblioteca, por todos comentários, muito obrigado por tudo. Eu amo muito vocês que leem essa fanfic e dão amor a ela. Quem sabe um dia poderemos conversar e trocar um papo, certo?

Não haverá segunda temporada, a fanfic já é grande porque eu quis por tudo em uma temporada só, tudo de uma vez só, também não haverá extra, o máximo que pode ter é um "capitulo" de agradecimento na semana que vem que olha só, quem lembra o que tem semana que vem? Quem lembra, ok, quem não sabe, vão saber só no "capitulo" de agradecimento se ele acontecer.

Bem, sem mais delongas, aqui está, o último capitulo de O Melhor Amigo Do Meu Irmão

Capítulo 57 - Young Forever.


Fanfic / Fanfiction O Melhor Amigo Do Meu Irmão - YoonMin - Capítulo 57 - Young Forever.

*Pov’s Narração*

O antidoto já tinha sido dado a Jimin e agora era uma questão de tempo e espera até que ele melhorasse a acorda-se deixando todos mais aliviados. Kyung já tinha sido tratado e agora estava com a perna enfaixada, Hyuna estava morta agora e foi enterrada no mesmo cemitério que a mãe de Jimin já que as duas se davam muito bem, Kyung quis que ao menos na morte, Hyuna pudesse ficar com Jimin.

Todos estavam muito aflitos já que o medico disse que logo Jimin acordaria, os pais do mesmo estavam no quarto assim como Taehyung estava. Yoongi decidiu que iria dar um tempo para a família se resolver e explicar tudo a Jimin, e por isso foi com Hae-Jin tentar se adaptar novamente na empresa, o que não foi nada difícil.

Ao chegar da tarde, Yoongi caminhava calmamente para o quarto de Jimin, até que ouviu uma conversa das enfermeiras sem querer.

- Tadinho, o pai abandonou, e mãe morreu no parto e os avós não o querem. Irá para adoção. – Uma enfermeira falou e Yoongi escutou atentamente sorrindo com uma ideia que surgiu em sua cabeça.

 

...

 

Quando Jimin viu Yoongi entrando pela porta do quarto, sorriu para o noivo que logo foi retribuído e ganhou um selinho rápido nos lábios.

- Fiquei com medo que não viesse. – Ditou Jimin para Yoongi que se fingiu de ofendido.

- Como eu, logo eu, o seu querido noivo que na realidade não é tão noivo porque a gente se casou no Japão, não viria te ver? Estou me sentindo ofendido com suas palavras Park Jimin. – Os dois riram com a demonstração dramática de Yoongi.

O quarto ficou em silencio por um tempo, mas um silencio bom. Yoongi apreciava a aparência de Jimin, que mesmo um pouco mais magro, meio pálido, com seus lábios nem tão rosinhas como sempre fora e o cabelo desengonçado, vestido naquela roupa estranha de hospital, Jimin estava lindo aos seus olhos. Assim como Jimin observava a aparência cansada, porem alegre, mais madura, com a pele pálida como sempre e os lábios um tanto feridos de tanto o outro morder, ele continua aquele mesmo Yoongi de anos atrás que ele se apaixonou.

- Eu estava com tanto medo de te perder Jimin. – Yoongi se sentou na poltrona ao lado de Jimin, segurando a mão do outro e fazendo um leve carinho nela antes de depositar um selar ali. – Eu fiquei desesperado.

- Parece eu quando você foi para o exército, mas você ao menos não recebeu alguém falando que eu tinha morrido. – Jimin sorriu fraco e sem animo ao recordar dessa horrível lembrança.

- Eu sei meu amor, eu sei que isso com certeza foi muito pior, mas eu realmente fiquei muito mal e desesperado. Não sabia o que fazer. Eu te amo tanto, depois de tanto tempo sem me lembrar de quem eu era, você chega e consegue me fazer lembrar das coisas boas, de nós. Tive medo de me lembrar por nada. – Lagrimas já desciam pelo rosto pálido de Yoongi, este que também já soluçava. – Eu realmente não saberia o que fazer se te perdesse amor.

- Ei, eu estou aqui, vivo e bem agora, não estou? – Jimin se levantou um pouco e se sentou com certa dificuldade, passando a mão nas lagrimas de Yoongi para seca-las. – Não pense nisso ok? Pense em nós, no futuro que temos pela frente. Temos que falar para os meninos e nossa família que nos casamos, certo? Você prometeu me comprar uma aliança, mesmo que eu já ame a nossa primeira. Temos que voltar para nossa casa, nossa vida. Eu quero poder logo dormir juntinho e agarradinho com o meu homem. Quero assistir programas de tv com você, jantar com você, viver juntos, passar o resto da minha vida contigo. Te ver sorrir todos os dias. Eu te amo Yoongi, te amo muito mesmo.

- Nossa, isso pareceu um pedido de casamento. – Yoongi sorriu. – Está querendo casar comigo de novo Park Jimin?

- Com você eu casaria um milhão de vezes Min Yoongi. Eu te amo, eu quero construir uma vida com você, eu quero ter uma família com você. Eu quero tudo com você.

- Tudo mesmo? – Yoongi sorriu sugestivo fazendo Jimin rir e assentir que sim.

- Tudo mesmo.

- Que ótimo, sabe porquê? – Jimin sorriu e fez cara de falso inocente e confuso. – Por que eu estava vindo para seu quarto e ouvi as enfermeiras falarem que um bebe nasceu, e o pai abandonou, os avós não querem o neto e a mãe morreu no parto.

- Você não está dizendo o que estou achando, está?

- Se você está achando que eu estou sugerindo para a gente ter um filho, sim, é isso que você está achando. – Jimin sorriu de orelha a orelha, sentiu uma onde de alegria o tomar o fazendo puxar o pescoço de Yoongi e o abraçar.

- Sim! Com toda certeza sim! Eu quero ter um filho com você hyung, vamos adota-lo com certeza! – Yoongi retribui o abraço sorrindo alegre assim como Jimin.

- Então, vamos ter um filho. – O abraço foi desfeito com muitos selinhos e sorrisos de ambas as partes. Jimin sorria animado olhando para o teto, fantasiando uma vida com Yoongi e seu filho como se o outro nem estivesse ali, enquanto Yoongi apenas o observava.

- Yah! O que está fazendo aqui anda hyung? – Jimin perguntou olhando para Yoongi que não entendeu a ação no momento do outro. – Saia já daqui!

- Você está me expulsando do quarto Park Jimin? Sério isso? – Yoongi desacreditava da ação do outro.

- Logico que estou. – Jimin disse fazendo sinal para o outro sair. – Ande, saia daqui agora. Eu quero sair logo desse hospital, e quando sair, quero estar com meu filho nos braços, por isso então, vá já atrás da papelada para adotarmos o bebê. Saia, vá, vá!

Yoongi sorriu e se levantou da cadeira, dando um beijo na testa de Jimin e foi fazer o que seu marido mandou, sorrindo com a ideia de construir uma definitivamente uma família com Jimin. Era tudo bom demais para ser verdade, para Jimin, aquilo nem parecia ser mais real, mas tinha certeza que se fosse um sonho, ele não queria acordar. Mas aí que estava o problema, foi coisa de um segundo, ou até menos, Jimin despertou.

 

...

 

Seus olhos abriram e Jimin se chocou com realidade fazendo uma pequena onde de tristeza passar por si. Nada daquilo foi real. Bem, na realidade foi real, mas aconteceu a tanto tempo que Jimin agora mal se lembrava dos detalhes.
A pele branca, suave a macia do Park agora continha rugas de velhice, os olhinhos puxados e brilhantes agora aparentava cansaço e não brilhavam mais como antes, a disposição que tinha lá em seus vinte anos de idade já havia se perdido depois dos quarenta, já não era mais tão forte e ágil, seus cabelos sedosos continuavam sedosos, mas agora brancos, e não por alguma tintura, pela idade já avançada. Assim como para todos, a velhice chegou para os sete amigos que agora só se sobravam um, Jimin. A morte é triste de qualquer forma, mas a morte precoce é realmente uma tristeza, porém a de velhice pode se dizer que é como uma sorte, um orgulho que infelizmente não são todos que tem. De forma ou de outra, a morte vem a todos, precoce ou não, assim como veio para os sete amigos que um a um foram morrendo, chegando ao seu limite da vida. Não seria legal descrever a morte de cada um neste momento, apenas são acasos que infelizmente acontecem e que não são reversíveis.

Apenas aceitamos e tentamos seguir da melhor forma possível. Foi isso que Jimin fez quando a dois anos atrás seu marido e pai de seus filhos – sim, filhos, Jimin e Yoongi adotaram mais um bebê – morreu de velhice, ou quando a morte chegou para Taehyung e para o resto de seus amigos.

Era uma situação triste, porém de se esperar a de Jimin. Um senhor com seus noventa e poucos anos em uma cama de hospital esperando a morte vir lhe buscar, vendo seu filho e sua filha ao lado da cama com seus filhos, netos de Jimin, juntos naquele momento tão triste.

- Não chorem crianças, a vida é assim mesmo. – Jimin disse fraco aos netos menores que choravam abraçando uns aos outros. – Chegou a hora do vovô partir, apenas isto. O vovô partirá para um novo lugar, um lugar distante e diferente, mas vocês apenas me verão, deitado e dormindo, eu estarei descansando.

- Vovô, o senhor vai encontrar o vovô Yoongi? – Perguntou Jeongyeon, a neta mais nova.

- Sim querida, irei. – Jimin sorriu fraco olhando para face jovial de sua neta.

- Então, entregue isso a ele. Eu que fiz, ele disse que gostava dos meus desenhos então fiz esse para vocês dois. Olhe. – Jeongyeon ditou sorrindo e ajudou seu avô a abrir o papel dobrado vendo um lindo desenho de sua família completa. – Gostou? Espero que o vovô Yoongi goste também.

- Ele irá adorar, assim como eu adorei Yeonnie. Venha, de um abraço apertado em seu avô. – Jimin estendeu os braços e logo sentiu a pequena o apertando.

Os seus outros netos também quiseram dar um abraço em Jimin que sorriu abraçando cada um de seus netos e logo depois abraçando seus dois filhos e pedido para seu genro e sua nora cuidarem de seus filhos e seus netos, tendo como resposta um sim cheio de lágrimas.

E assim chegou a hora de Jimin, logo os sons dos equipamentos médicos foram se distanciando e em um piscar de olhos, Jimin estava em pé ao lado da maca olhando seu próprio corpo já morto e ouvindo seus netinhos e seus filhos chorarem.

- É triste não? Deixar seu corpo, ver quem amamos chorar por nossa morte sem podermos fazer nada. E principalmente, querer voltar e não poder. – Jimin tirou o olhar de seus familiares chorando pela sua morte e olhou para o dono dessa voz tão familiar.

- Jin-hyung! – Jimin foi até o outro e o abraçou matando saudades que sentia do amigo.

Ficaram alguns segundos no abraço que para a realidade foram quase que uma hora – já que nesse "novo plano" o tempo passava mais devagar – e logo se soltaram fazendo Jimin se dar conta que não estavam mais em um quarto de hospital, e sim num lindo campo florido com uma estrada no meio levando sabe se lá aonde, e que nem Jin, nem ele tinha a mesma aparência velha de quando morreram.

- J-jin, o que? Você está jovem, eu estou... Céus. – Jimin olhava suas mãos que antes tinham rugas agora são fofinhas novamente e olhava para Jin que estava jovem novamente, talvez até mais jovem do que quando o conheceu.

- Mais jovem? – Jin riu. – Sim Jimin, estamos mais jovens. Neste lugar somos jovens, somos para sempre jovens. Mais especificamente a parte da nossa juventude que mais gostamos. Eu, estou com a mesma aparência que tinha quando comecei a namorar o Namjoon. Talvez por isso você me ache um pouco diferente. Assim como todos os outros, você está com a aparência da parte da sua juventude que você amou.

- Quando comece a namorar o... Yoongi. – Jimin perdeu a fala num suspiro fazendo Jin sorrir. – Jin-hyung, o Yoongi também está aqui?

- Sim Jimin, ele está. Estão todos aqui, Taehyung, Jungkook, Namjoon, Hoseok, eu, Yoongi e agora, você também está. – Jimin sorriu de alegria só de imaginar em encontrar seus amigos novamente, em pensar que encontraria seu irmãozinho, e o principal, o amor de toda a sua vida.

- Sentiu saudades? – Uma voz grossa e impossível de não se recordar disse na orelha de Jimin o fazendo virar sorrindo e abraçar o dono dela. – Pelo visto sim. Socorro, se eu pudesse morrer de novo, morreria sufocado agora.

- Taehyung! – Jimin ditou desfazendo o abraço no irmão e logo foi puxado novamente para abraçar Taehyung novamente. – Eu senti muito a sua falta.

- Também senti Jiminnie. – O abraço foi novamente desfeito e Jimin olhou para trás de Taehyung e viu os meninos, não demorando em abraça-los um de cada vez.

- Céus, como eu senti a falta de vocês.

- Também sentimos muito a sua falta Jimin. – Namjoon diz sorrindo. – Mas tem alguém que sentiu realmente muito a sua falta.

Namjoon apenas apontou para trás de Jimin onde Jin saiu da frente dando visão de Yoongi observando tudo com um lindo sorriso no rosto. E por Deus como ele estava lindo, assim como todos, mas para Jimin, céus ele estava tão perfeito.

- Yoongi! – Jimin correu como nunca em direção a Yoongi e pulou na cintura do outro o abraçando com toda a força, chorando muito pela saudade que sentia. – Amor, você está aqui, eu estava com tanta saudade de você. Como você fez falta amor.

- Você nem imagina o quanto doeu te deixar Jiminnie. – Yoongi também chorava abraçando Jimin de volta. – Ver nossos filhos e nossos netos chorando foi horrível, mas te ver chorando me fez chorar também.

Jimin soltou Yoongi e os dois se encaram brevemente antes de juntarem os lábios num beijo amoroso.

- Você não sabe a falta que eu senti do seu beijo, ChimChim. – Yoongi disse depois de parar o beijo dando uma leve mordiscada no lábio de Jimin.

- Eu também senti falta do seu beijo, Suga. – Jimin selou mais uma vez seus lábios com o de Yoongi sem se preocupar com nada. Só parando o beijo ao ouvir Taehyung fingir de tossir.

- Então gente, vamos? – Disse Taehyung chegando perto do casal.

- Vamos aonde? – Jimin perguntou confuso.

- Para a nossa, e agora sua realidade, sua casa, seu lar aqui deste lado Jimin. A nossa casa para falar a verdade. – Yoongi disse e Jimin suspirou olhando para trás. – Está na hora de dizer adeus Jimin. Mas antes, soube que alguém fez um lindo desenho para mim.

- Sim, a Jeongyeon fez, mas eu não trouxe comigo... – Jimin ficou confuso ao erguer a mão e lá estar carta de sua neta. – Como isso chegou até aqui?
- O tempo aqui passa mais devagar Jimin, lá na Terra já se passaram um dia praticamente, estão fazendo seu funeral provavelmente. Jeongyeon deve ter colocado isto no seu caixão e acabou vindo também já que tem muito sentimento nessa cartinha. As vezes acontece. – Hoseok explicou sorrindo.

- Bem, então já que você está com ela, devia me entregar certo? – Yoongi disse e Jimin apenas sorriu entregando o pedaço de papel para Yoongi que logo viu o desenho e sorriu orgulhoso. – Minha neta é uma artista, pelo amor, olha que maravilha gente. Tinha que ser minha neta mesmo.

Yoongi mostrou o desenho de sua neta aos meninos que falaram o quanto estava lindo o desenho.

- Bem, agora acho que realmente temos que ir. – Jungkook disse e todos concordaram.

Despedidas nunca foram fáceis, mas muitas vezes necessárias, e aquela despedida foi necessária, Jimin teve que se despedir de toda sua família ali da Terra e seguir agora para um lugar diferente com o seu amor, mas não precisa ser um fim dessa história de amor, não é mesmo?

Talvez Jimin e Yoongi reencarnem em outros corpos e se reencontrem na Terra novamente. Logicamente não com o mesmo nome, muito provavelmente não terão a mesma história, e talvez quem sabe terão alguns detalhes na aparência parecidas, como a bochecha fofinha de Jimin e a pele pálida de Yoongi. Porém, quem sabe não é mesmo?

 

Isso é até uma coisa estranha a se dizer, até mesmo talvez uma coincidência já que alguns bons anos depois da morte de Jimin, uma mulher dava a luz a um menino de cabelos pretos, com bochechas e mãozinhas fofinhas, enquanto outro bebê dois anos mais velho e de pele branquinha como a neve tentava desvendar o que era aquele fio vermelha amarrado em seu dedinho e até onde ela levava.


Notas Finais


Eu estou sentindo o hate, o odio, o ranço e o desespero de quem tá lendo daqui.

Sabe aquela coisa de que quando estamos para morrer, nossa vida passa diante dos nossos olhos? então, bem isso. Sim, foi tudo uma ilusão, um sonho do Jimin, visto por algumas partes pelo Yoongi.

Não me odeiem, mas sim, eu praticamente matei todo mundo no final, é. Eu já ameacei matar o Yoongi no exército, mas não matei, ameacei a matar Jimin nessa última treta, mas não matei, e agora, quando está tudo bem, eu venho e faço isso. Pelo menos não foi algo dramático e sofrido.
Eu realmente acho que a morte de velhice é triste, mas também um orgulho já que não são todos que podem morrer assim. Muitos perdem a vida muito mais cedo do que devia e isso sim é realmente triste. A morte em si é triste, pois para quem vai, é o fim, e para quem fica, é uma perda, porem a morte de velhice para mim é a maneira mais bonita de se morrer. E querendo ou não, uma hora ela vem para todos.
Mas não fiquem tristes por isso ok? Viva la vida loca!

Eu não poderia terminar essa história sem algo no final, algo tipo uma leve menção a uma lenda antiga japonesa ou chinesa, não sei, Akai ito, onde duas pessoas tem um fio amarrado no dedo ligando a sua alma gêmea, e bem, depois de tudo que esse YoonMin passou, só uma lenda dessas para justificar mesmo.

Obrigada por tudo meus amores!

Bom Dia Pra Quem É Dia! Boa Tarde Pra Quem É Tarde! Boa Noite Pra Quem É Noite!
Que A Força Esteja Com Vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...