1. Spirit Fanfics >
  2. O Melhor Amigo Do Meu Irmão >
  3. As Consequências

História O Melhor Amigo Do Meu Irmão - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


gente eu devo dizer que as minhas aulas já começaram, e eu estou no 2 ano do ensino médio ou seja esse ano vai ser foda pra mim, até os meus lindos domingos serão recheados de estudo portanto esta autora aqui vai estar totalmente dedicada aos estudos(até matemática, essa bosta) então vai ser um pouco difícil postar vários capítulos na semana, ( vou tentar postar aos domingos ) Agora chegou o tão esperado e desejado capitulo, quero agradecer a vocês meus leitores que me deixaram muito feliz com os comentários, obrigada aqueles leitores que decidiram aparecer no capitulo passado também, obrigada a todos! Sem exceção!

Boa leitura.♡

Capítulo 22 - As Consequências


pov's katherine

O meu coração estava na garganta, e a cada passo que Derek dava em nossa direção uma gota de suor escorria pela nuca, mesmo eu estando com muito frio, o meu corpo estava entrando em harmonia com a minha mente, o meu corpo emitia o meu desespero, até mesmo tentei sorri quando ele se aproximou, mas acredito que tenha saído como uma cara de choro. O rosto de Natsumi ao nos ver era tão aterrorizado quanto o meu já James aparentava estar não se importando com a presença de Derek.
– O que estão fazendo aqui? Juntos! Podem me explicar? – Disse Derek com um olhar sério, suas sobrancelhas estavam juntas deixando a sua face bem carrancuda. Abaixei a cabeça sem saber o que aconteceria a seguir.
– Estamos em um encontro. – Disse James com a voz tão séria quanto a de Derek, levantei minha cabeça olhando diretamente para James sem saber o que ele estava fazendo, Derek estava pálido e não sabia o que responder.
– Digam a verdade. –Disse meu irmão com a voz mais calma. Ele não estava conseguindo acreditar no que escutou apesar de saber bem no fundo de sua alma que era a mais pura verdade.
– Eu disse a verdade, e eu e sua irmã estamos namorando. – Disse James. Eu sentia principalmente os meus pés e minhas mãos geladas, nem por um momento eu me lembro se algum dia já sentir isso. Derek recuou um passo alternando o olhar entre eu e James sem saber ao certo quando e como aquilo começou, eu queria que ele pudesse compreender, mas psicologicamente eu devia estar preparada para isso, mas infelizmente não estou e nem acho que um dia eu estaria.
Derek foi em direção ao James e o levantou da cadeira pela gola da camisa, dei um soluço de susto ao vê-lo levantando James, os seus olhos faiscavam de ódio enquanto o seu peito subia e descia com a sua respiração irregular.
– Como você pode? – Rosnou Derek.
– Eu não escolhi isso, eu juro! Eu nunca faria nada para te deixar mal. – Disse James, senti alguns pingos tocarem as partes descobertas da minha coxa então finalmente notei que estava chorando esse tempo todo, nem havia notado quando eu havia começado a chorar. Derek abaixou a cabeça tentando manter o controle em vão, eu sabia que ele iria surtar e iria ficar ainda muito pior, as pessoas de outras mesas nos olhavam torto, com raiva por aquelas crianças estarem tirando o silencio do local. Derek acertou um soco no rosto de James, alguns homens imediatamente se levantaram da sua mesa com medo do rumo que as coisas estavam levando, obriguei as minhas pernas a se moverem e me levantei tentando me colocar entre os dois, mas era impossível.
– Para com isso Derek. – Pedi tentando puxa-lo pela camisa.
– Seu merda! Quando você era apenas um muleque que foi abandonado pela mãe eu te ajudei! Ajudei em tudo, inclusive fui parar na delegacia por causa das suas burradas e o que você faz? Me traí! – Gritou Derek dando mais um soco em James que nem por um segundo perdia a postura de superior, Natsumi estava parada sem saber o que fazer enquanto eu tentava separa-los em vão.
– Faça alguma coisa! –Gritei para ela acordar do seu transe, parecia que estava mais vendo uma novela mexicana do que o seu namorado batendo no meu.
– Não posso. –Disse ela cruzando os braços, por um momento eu não acreditei no que escutei, ela não ia me ajudar porque o meu irmão iria ficar com raiva? Realmente hoje vai ser um dia de decepção para todos, ignorei ela e voltei a tentar separa-los.
– Ela não é sua! – Disse James entre dentes, sangue jorrava do seu nariz enquanto sua bochecha direita estava roxa. Derek deu uma gargalhada forçada em seguida deu um soco no estômago de James que urrou de dor, quando ele levantou novamente a sua cabeça para olhar diretamente para Derek eu vi o mesmo ódio que brilhava nos olhos de Derek agora refletidos no de James, ele deu um passo para frente.
– Ele só vai te usar, Katherine! Ele não presta você conhece ele! –Gritou Derek olhando na minha direção, os seguranças chegaram pedindo para nos retirarmos do restaurante, mas ninguém dava atenção para eles.
– Ele é o seu melhor amigo. –Eu disse baixinho.
– Por isso eu sei muito bem que ele está te usando! Ele só vai te comer e jogar fora, é o que ele faz! – Exclamou Derek, James deu um soco no rosto de Derek que cambaleou para trás, depois disso os dois rolaram pelo chão em um momento Derek ficava por cima e no outro James, o rosto dos dois já estava roxo. Eu já estava começando a ficar sem lágrimas quando gritei para os seguranças fazerem algo, quando finalmente separaram eles dois eu prendi o choro me recusando a passar pela chorona. – Você vem comigo. – Disse Derek me puxando pelo braço, suas mãos estavam apertando fortemente o meu braço.
– Derek...- Disse Natsumi sem saber o que dizer, olhei para ela esperando que dissesse algo, mas ela voltou a fechar a boca e abaixar a cabeça sem saber o que fazer.
– Escolha eu ou ele. – Disse Derek me olhando seriamente, aquilo deveria ser uma brincadeira de péssimo gosto, como se escolhe entre o seu irmão e o homem que você ama? Derek ainda apertava o meu braço e permanecia com ódio no seu rosto, olhei dessa vez para James que estava com a sua blusa para fora da calça e um pouco amassada, sua bochecha direita estava roxa, tinha um corte próximo à sobrancelha, enquanto um pouco de sangue saía do seu nariz. Seus cabelos estavam bagunçados muito diferentes de quando entramos, seus olhos azuis focavam o chão, ele já esperava que eu fosse escolher Derek, nem eu mesma sei o que fazer.
– Ele. – Eu disse baixinho, não levantei a cabeça para ver a sua reação apenas esperei que os seus passos fortes no chão se afastassem, quando levantei novamente a minha cabeça Natsumi e nem Derek estavam mais ali, saí do restaurante sendo seguida por James em silêncio, entramos no carro e ficamos daquele jeito por quase 1 hora de tempo, sem ele e nem eu falar absolutamente nada, com o carro parado no estacionamento. All Of The Stars do Ed Sheeran começou a tocar no rádio do carro.

So open your eyes and see (Então abra os seus olhos e veja)
The way our horizons meet (Os nossos horizontes se encontrando)
And all of the lights will lead ( E todas as luzes irão te guiar)

Into the night with me (Pela noite comigo)
And I know the scars will bleed ( E eu sei que essas cicatrizes irão sangrar)
But both of our hearts believe (Mas os nossos corações acreditam)
All of the stars will guide us home (Que todas as luzes irão nos guiar para casa)

Eu já não chorava mais, só sentia uma angústia imensa para ser descrita, eu já havia voltado a respirar normalmente e algo dentro de mim gritava que eu tinha feito o correto, Derek uma hora ou outra iria aceitar, e se não aceitasse eu realmente havia perdido o meu irmão, mas talvez isso era o que preciso para poder ser independente, para ser finalmente quem eu deveria ter sido desde o começo, não uma garota fechada e fria que por dentro queimava de tantos sentimentos, era para eu ter sido eu mesma, deixei ele me moldar e no final não era eu, claro que amo estudar e isso faz parte de mim, mas eu também descobri que quero viver que quero ter histórias e quero sorrir sem motivos aparente e James foi o único que me mostrou como ser eu mesma, quem eu odiava e menosprezava era o único que realmente me aceitava, como o mundo é engraçado.
Olhei para o lado encontrando James chorando com a cabeça baixa, passei minha mão pelo o seu cabelo.
– Ele está certo. – Disse James tentando conter o choro, sua voz estava embargada. – Eu não quero te machucar. – James me olhou, seus olhos azuis brilhavam com as lágrimas presas.
– Eu conheço você, sei seus defeitos, eu não espero outra pessoa desde que comecei a namorar com você. –Eu disse exaltada, era difícil ver que James até agora concordava e aceitava com tudo o que Derek diz e faz. – Eu não me importo com o que os outros vão dizer, eu nunca me importei! Eu sempre fui motivo de riso para os outros, mas a única diferença é que agora eu tenho um motivo que vale a pena para eu continuar sendo motivo de piada. – James ficava calado me escutando enquanto me analisava. – Eu sei o que eu quero e sei as consequências das minhas decisões, mas também sei que você pode ser uma pessoa incrível quando quer. Então não me diga que o Derek está certo porque ele não está.
– Você piora tudo! Fica fazendo tudo correto enquanto eu faço tudo errado. Eu sinto que a qualquer momento você vai perceber que eu sou um imbecil e vai me chutar. –Disse James suspirando, depois de horas acabei realmente rindo do que ele disse. – Porque está rindo como uma hiena? – James perguntou com raiva.
– Você é engraçado. Não deve se preocupar com isso, eu te amo e isso me impossibilita de te achar um imbecil. – Eu disse voltando a rir, dessa vez James me acompanhou, era como se há uma hora e meia atrás nada disso tivesse acontecido, quando estávamos juntos nada mais fazia sentido. James me puxou para o seu colo deixando minhas pernas uma de cada lado da sua cintura, fiquei vermelha de vergonha, eu nunca tinha feito aquilo com um menino antes e para mim era algo muito intimo, James deu um risinho baixo dando um beijo no meu ombro.
– Não precisa ficar com vergonha. – Disse ele rindo, abaixei a minha cabeça para ficar na mesma altura em que a dele e selei nossos lábios, seu lábio superior começou a puxar o meu me incentivando há abrir um pouco minha boca, quando senti sua língua quente entrar em contato com a minha o calor se espalhou no meu corpo fazendo minhas unhas cravarem na sua nuca, suas mãos foram parar na minha coxa apalpando elas, nossas línguas se enlaçavam enquanto nossos lábios se acariciavam. Senti minhas bochechas arderem de tanta vergonha, apesar de James ter tentado duas vezes impedir que eu acabasse com o beijo me puxando pelo pescoço novamente, mesmo assim afastei os nossos rostos sabendo que aquele beijo estava indo longe demais. –O que foi? – Ele gemeu tristemente.
– Sobre o que o Derek disse...eu acho que eu não...-Eu fiquei gaguejando igual uma idiota, tentei encontrar as palavras certas ou melhor as palavras que não fizessem me sentir uma virgem medrosa e chata, James tentou me entender e finalmente arregalou os olhos entendendo do que eu estava querendo falar.
– Sinceramente estou cansado das merdas que o Derek fala, e eu quero você assim, foi só um beijo! Eu não tirei a sua virgindade com ele. – Disse ele rindo de mim, tentei olhar com raiva para ele, mas foi impossível porque acabei rindo também. –Eu amo você assim, ruiva.
– Eu também te odeio.-Eu disse rindo da sua careta, sai do seu colo e voltei a me sentar no banco do motorista. –Eu...posso dormir na sua casa? – Perguntei sem jeito, o que eu menos queria no momento era voltar para casa e discutir com Derek.
– Claro! – Disse James sorrindo, ele deu partida no carro e fomos o caminho todo em silêncio. – Como você acha que a Amanda está? – Perguntou James quebrando o silêncio.
– Acho que ela está se recuperando emocionalmente, ficar sozinha com a família dela sempre ajuda, até mesmo com a mãe maluca. – Eu disse fazendo uma careta ao me lembrar da mulher hippie, James gargalhou também se lembrando da figura que ela era. Chegamos a sua casa que estava totalmente escura e em silêncio.
– Meu pai saiu. – Disse James constatando ao olhar dentro do quarto do pai que estava vazio assim como nos outros cômodos, segui para o quarto de James sabendo muito bem o caminho, seu quarto estava organizado com exceção da sua cama que estava bagunçada, os seus pôsteres de bandas de rock que eu desconhecia estavam colados na parede ao lado da mesa que deveria ser de estudos, mas ao invés de livros tinham partituras, com letras musicais impressas. Sua guitarra estava posicionada ao lado da mesa, me aproximei da sua estante do outro lado do quarto em que tinha carros e motos de brinquedo organizados em uma linha reta, no canto havia um quadro parcialmente grande, não pude evitar uma gargalhada ao olhar a foto.

FLASHBACK ON

Eu queria ir para casa estudar, qualquer coisa seria melhor do que ficar rodeada de pessoas que nem sequer gostam de você e fazem de tudo para fazer da sua vida um verdadeiro inferno na escola. Estava no aniversário de 12 anos meu e de Derek na casa de James, era uma festa na piscina e eu fui a única a vir sem biquíni pelo o fato que eu não iria tomar banho na piscina mesmo, me sentei na cadeira de sol ainda sentindo muita raiva pelo o estrago que James fez no meu vestido novo, se a empregada não tivesse me impedido de dar uma facada nele talvez o mundo estivesse livre de um monstro a menos, mas não! Deixem essa criatura viver.
– Katherine venha tirar foto com James. – Disse o pai de James que segurava uma câmera na mão.
– Não, pai! Ela é psicopata. – Escutei James dizer para o seu pai, cruzei os braços me negando a ir tirar foto com ele, minha mãe se aproximou me olhando severamente.
– Seja educada, filha. – Disse Ashley, minha mãe, com a mesma postura leve e superior de sempre.
– Mas eu não quero! Ele destruiu o meu vestido e eu prefiro ficar em casa estudando. – Murmurei chateada. Olhei James e o seu pai discutindo, imagino que o mimadinho estava fazendo um escândalo, mas no final o poder do seu pai foi maior, James se deu por vencido.
– Vai ou eu te dou umas tapas por ser mal educada. – Disse a minha doce e violenta mãe. Caminhei lentamente ficando lado a lado com aquela espécie deformada de um ser humano, não que James fosse feio, claro que não! Ele era incrivelmente lindo, mas o garoto tinha um parafuso a menos. O pai de James posicionou a câmera na direção correta e disse.
– Se aproximem mais e sorriam! –Ele disse empolgado, James passou o seu braço pelos os meus ombros e se aproximou do meu ouvido.
– Aproveita que isso é o máximo que vai ter de mim, um dia você ainda vai implorar por um beijo meu. – Disse James no meu pé do ouvido, apesar de sermos crianças sempre fomos muito espertinhas.
– E um dia você vai morrer engasgado com o seu próprio veneno, Overstreet. – Eu disse entre dentes, James gargalhou ao perceber que havia conseguido me provocar, coloquei o meu melhor sorriso no rosto então a foto foi tirada.

FLASHBACK OFF


As lembranças eram tão frescas na minha mente que parecia ter acontecido ontem, meu vestido branco estava sujo de suco na barra do vestido, meus cabelos batiam na cintura estavam arrumados num rabo de cavalo, meu sorriso não parecia forçado, na época eu achei que devia ter saído forçado, mas eu aparentava estar feliz com um sorriso ingênuo no rosto. Já James estava o oposto de mim seus olhos e seu sorriso estavam perversos, de quem tinha aprontado e iria aprontar ainda mais, seus olhos azuis eram cínicos, suas mãos pareciam apertar gentilmente o meu ombro. Escutei uma risada atrás de mim e encontrei James praticamente colado ao meu corpo olhando a foto.
– Sempre gostei dessa foto. – Disse ele rindo e me dando um beijo na bochecha.
– Você era malvado. – Resmunguei me sentando na sua cama.
– E você era muito chata. – Disse James, joguei um travesseiro no seu rosto. Ele caminhou até o seu guarda-roupa e jogou a sua blusa do batman em mim. – Pode usar isso, eu vou tomar banho. – Ele pegou a toalha e se trancou no banheiro. Tirei a minha roupa e coloquei a blusa de James que foi parar nas minhas coxas, senti os meus olhos pesarem de cansaço e sono, me deitei na cama e fiquei esperando James sair do banho.

pov's james

Quando sai do banheiro encontrei Katherine dormindo pesado em minha cama, sorri ao notar o quanto ela estava cansada e nem mesmo eu havia percebido que ela estava esgotada do dia hoje, que graças a Deus havia acabado, não foi fácil para ninguém, entrei de baixo do lençol em que Katherine estava, passei os meus braços ao redor da sua cintura e deitei a minha cabeça no travesseiro inspirando o cheiro que o seu cabelo emanava, meu corpo gemeu de felicidade ao sentir a maciez da cama e principalmente o conforto do corpo dela colado ao meu.
– Boa noite, nerd. – Eu disse baixinho sabendo que ela não estaria escutando. Por mais sufocante, irritante e insuportável que Derek fosse doía saber que eu havia perdido o meu melhor amigo, agora estava em minhas mãos provar para ele que eu não sou o que ele diz, pior tenho que provar para mim mesmo.
Os raios de sol atingiram o meu rosto me fazendo gemer e notar que já eram 6:30, sabe aquela sensação que você só fechou os olhos por um segundo e quando abriu de novo já era de manhã? É a sensação mais desgraçada que existi porque estou morrendo de sono, rolei na cama e notei que estava sozinho.
– Mas que diabos. – Reclamei sabendo que deveria ter uma ruiva do meu lado, a contra gosto abri os meus olhos e encontrei a porta do banheiro aberta. –Katherine? – Chamei.
– Tô escovando os dentes. –Disse Katherine, provavelmente ela estava com pasta na boca, pois a sua fala estava engraçada, estralei algumas partes do meu corpo e fui em direção ao banheiro. – Preguiçoso. – Disse ela se sentando no vaso e encarando cada gesto que eu fazia, comecei a escovar os dentes sendo observado por Katherine, ela já estava me irritando, fiz careta para ela que começou a rir. Peguei o barbeador e o creme de barbear, a minha barba já crescia novamente pelas laterais e em cima da boca, eu especialmente não gosto de barba, não por enquanto. Comecei a tirar com cuidado, quando olhei para o lado encontrei Katherine rindo.
– O que foi, coisinha? –Eu disse rindo junto com ela.
– Você fica gostoso enquanto tira a barba, continua. –Disse Katherine rindo, os seus olhos brilhavam uma vez ou outra, eu sentir dentro de mim que eu queria com todas as minhas forças aquele sorriso e aquele brilho dentro dela, eu devo fazer de tudo para que ele continue ali, sendo meu.
– Bom saber disso, senhorita Fields. – Eu disse rindo, coloquei uma grande quantidade de creme de barbear na mão, quando Katherine não estava percebendo passei no seu rosto todo fazendo até um coração enquanto ela gritava ofensas e palavrões.
– Desgraçado! Ah você me paga, James! – Disse Katherine com o seu típico olhar raivoso, ela pegou o barbeador e apontou na minha direção pronta para cortar a minha carne.
– Calma Kat, vamos ser civilizados! – Eu disse saindo do banheiro lentamente, sendo seguido o tempo todo por uma ruiva descontrolada. – Papai! – Gritei correndo do quarto enquanto Katherine corria atrás de mim.
–Volta aqui, seu vagabundo. – Gritou ela ferozmente. Fui em direção a cozinha encontrei o meu pai sendo servido pela a empregada, ele parecia estar muito concentrado no seu jornal, mas ao escutar a nossa gritaria não pode deixar de ficar assustado. Corri para um lado da mesa sabendo que logo Katherine entraria na cozinha.
– O que está acontecendo? – Perguntou meu pai. Katherine me viu e veio correndo na minha direção com o barbeador, ficamos correndo como cão e gato ao redor da mesa até o meu pai gritar para pararmos. – Quando vocês vão crescer?! – Exclamou ele com raiva. –Agora vamos ter um café como pessoas normais. – Ele ordenou. Katherine estava um pouco envergonhada, deixou o barbeador delicadamente em cima da pia da cozinha, nos sentamos comendo em silêncio o tempo todo.
– James passa o suco. – Disse Katherine apontando para o suco de laranja que estava ao meu lado.
– Pega você, não tá aleijada. – Resmunguei, seu rosto ficou vermelho de raiva, imediatamente fiquei feliz ao saber que havia a deixada irritada, afinal era uma das minhas maiores virtudes. Katherine bufou. Senti alguém chutando a minha perna de baixo da mesa, olhei para a ruiva na minha frente que tinha um sorriso malvado, provavelmente eu iria para a escola mancando, chutei ela com a mesma força que ela havia me chutado, dessa vez ela choramingou atraindo a atenção do meu pai.
– Pare, James! – Ele me repreendeu, se ele soubesse que aquela monstrinha havia começado tudo. – Como vocês dois namoram? Existe algum momento de paz?
– Foi essa louca que começou! – Praticamente gritei.
– Do que me chamou? - Ela olhou ao seu redor procurando a coisa mais pontuda que ia encontrar pela frente, Katherine pegou a faca bem amolada e apontou para próximo do meu rosto, engoli em seco sabendo que essa rodada ela havia ganhado.

                          ~~~~~~~~

Quando cheguei mais cedo na escola havia sido um choque para todos, tanto para os homens quanto para as mulheres, as pessoas comentavam, o meu namoro com Katherine era motivo de vários comentários e fofocas, alguns meninos soltaram boatos que eu estava com ela por causa de uma aposta e as meninas afirmavam que Katherine havia feito uma macumba poderosa em mim, cada pessoa contava o que achava da nossa relação. A parte mais complicada do meu dia foi quando percebi que as mulheres iam dar em cima de mim mais do que de costume, elas queriam sair falando que ficaram comigo enquanto eu estava namorando Katherine, queriam um bom comentário, queriam especificamente destruir o nosso relacionamento, mas cada uma delas voltava com a cabeça baixa para o grupo de amigas, nenhuma delas me interessava.
Estava indo em direção a minha aula de história que seria junto com Derek o que provavelmente iria me render muitos momentos ruins, ele iria fazer questão de tornar a minha vida um pouco mais complicada, quando já estava perto da sala encontrei Jack e a turma dele ao redor de Will, eles olhavam ameaçadoramente para o meu primo que pela primeira vez não estava com o seu olhar superior e nem sua pose de machão, ele estava em desvantagem e iria apanhar feio, eu não acredito no que vou fazer.
– Jack seu imbecil, vai procurar coisa melhor para fazer. – Gritei para Jack que me olhou com raiva e saiu resmungando junto com os seus amigos, Will me olhou surpreso.
– Eu não vou te agradecer por isso! – Disse Will me olhando com raiva. Dei o meu sorriso cínico de lado.
– Não quero o seu agradecimento, não fiz por você. –Eu disse olhando com nojo para ele que assentiu com a cabeça.
– Então...- Disse ele tentando buscar alguma explicação para a minha atitude, Deus queira que eu não me arrependa por não ter deixado Jack quebrar a cara dele, porque se não eu mesmo quebro.
– Fiz porque poderia ter sido a minha namorada, e não quero que ela passe por isso. – Will fez uma careta ao escutar a palavra “namorada”, ele que se acostume assim como os outros. Por falar em outros o furacão Bethany não havia dado sinal de vida. – Nos vemos por aí, priminho. – Eu disse voltando o meu caminho para a sala, assim que entrei na sala todos direcionaram o seu olhar para mim e a conversa cessou, Derek estava no fundo da sala e me olhava com ódio, mesmo assim não me deixei abalar e continuei o meu caminho até a minha cadeira que era ao lado da sua, eu estava preparado para tudo o que viesse, para Derek, Bethany, o importante é que pela primeira vez eu tinha um motivo para ser feliz e não iria desistir dela.


Notas Finais


Eita que o circo pegou fogo kkkkkkkkkkkkkkkkkkk gostaram do capítulo?

Vou deixar o link das minhas outras duas fics aqui:

https://www.spiritfanfiction.com/historia/meu-amor-e-um-sobrevivente-18312569

https://www.spiritfanfiction.com/historia/diario-de-thalia-grace-18293101


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...