1. Spirit Fanfics >
  2. O Melhor Amigo Do Meu Irmão >
  3. Sonhos Eróticos

História O Melhor Amigo Do Meu Irmão - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Gente eu juro que não foi por mal, me perdoem mesmo! Foi mais de duas semanas de muita dificuldade para mim, uma eu fiquei estudando e a agora to trabalhando de domingo a domingo ta muito corrido pra mim, me desculpem mesmo e eu sei que é muito chato ficar esperando e para compensar o meu erro... o capituulo está grande, uhuuu!!!

Boa Leitura ❤🌵

Capítulo 27 - Sonhos Eróticos


Pov's Katherine

Sabe aqueles momentos que você fica sem saída? Quando o seu coração martela nos ouvidos, ao ponto do seu ouvido ficar entupido, quando o seu corpo gela e você não consegue ver outra alternativa a não ser encarar o problema? Bom, tenho muitas alternativas, levando em conta que a porta está logo atrás de mim, não seria uma ideia ruim.
– Katherine, querida. – Disse Helena, avó de Will, sorrindo amigavelmente para mim, bem diferente do resto da sala que me julgavam com os olhos. Também não é todo dia que eu apareço por ai suada, descabelada e com cara de ressaca, sem falar que eu estava fedendo a álcool puro.
– Oi Helena. – Dei um sorriso fraco para a senhora de idade, permaneci calada e torcendo para que eu não dissesse nenhuma besteira, eu já estava ferrada o suficiente por uma noite só. Os olhos de James faiscavam em minha direção, eu não sabia dizer o que ele estava pensando, mas aquele olhar significava apenas uma coisa vindo dele, ele estava sentindo ódio.
– Seja bem-vinda Katherine. Will, esqueceu do jantar em família? – Perguntou o pai de Will para ele, ao contrário do pai de James, o pai do Will era um cara muito amoroso e generoso, não é à toa que em pleno 22 anos de idade decidiu adotar uma criança mesmo sem uma mulher por perto, apenas pelo prazer de ser pai.
– Desculpe, eu havia esquecido. – Will deu um sorriso amarelo e em seguida me olhou como se me pedisse desculpas, revirei os olhos irritada, pensar que ele havia me garantido que não teria ninguém casa. – Se não se importa eu e Katherine vamos subir, mas logo descemos.
– Eu vou embora. – Sussurrei em seu ouvido, Will apertou ainda mais a sua mão no meu braço, me prendendo.
– Não vai, não. – Rosnou Will, entramos em seu quarto bem arrumado, e era exatamente como ele, a parede estava pintada em tons claros, perto da mesa com notebook havia pôsteres de jogos de internet bem famosos, estava espalhado pela mesa alguns mangás e perto da cama havia uma espada de Star Wars.
– Nerd. – Acabei soltando a palavra assim que terminei de analisar o quarto, Will deu uma risada nasal e me fez sentar na cama enquanto ia ao banheiro. Analisei bem a janela do seu quarto, a casa não era altas e baixas e eu podia pular muito bem sem me machucar, me aproximei da janela e já estava colocando o meu pé para fora quando Will me puxou pela cintura e me jogou na cama com brutalidade.
– Tá doida? – Reclamou o ruivo estressado.
– Eu não quero ficar aqui. – Falei de um jeito manhoso. Pensar que eu iria descer e jantar com os leões me dava náuseas, não que eles fossem más pessoas, tá bom alguns deles eram mesmo.
– Katherine, você vai ficar. – Disse Will pausadamente de forma autoritária. – Faça isso por mim. – Pediu ele com um sorriso no rosto, infelizmente eu não podia negar nada para ele, foi ele quem me ajudou hoje, se me deixasse naquela boate provavelmente eu estaria agora nua dentro de uma lata de lixo em um beco qualquer de Londres, sem saída apenas bufei e fui direto para o banheiro. – Vai jogar uma água no seu rosto e tem um perfume meu na pia, você fede.
– Que gentil da sua parte. – Murmurei, não era para menos também, quando me olhei no espelho confesso que me assustei, meus cabelos estavam bagunçados. Peguei a escova de cabelo de Will e demorei alguns minutos até o meu cabelo tradicionalmente liso estar em forma novamente, liso e reto. Olhei a sua escova de dentes azul e dei um sorriso maligno, comecei a escovar os meus dentes tentando eliminar o bafo de bebida. Por fim, lavei o meu rosto e olhei-me mais uma vez no espelho, agora era a Katherine de sempre, eu já estava apresentável.
– Vamos? – Eu disse saindo do banheiro e encontrando Will sentado na cama, os seus olhos me analisaram de cima a baixo e finalizando com um aceno de cabeça.
– Muito melhor. – Disse ele sorrindo com os seus dentes perfeitamente alinhados e os olhos verdes brilhando como sempre, o que me fez lembrar imediatamente do meu bem feito.
– Quase ia me esquecendo, usei a sua escova de dentes. – Sorri de ponta a ponta com orgulho de mim mesma, Will franziu o seu rosto em uma enorme careta.
– Você é desprezível, Fields. – Disse Will ainda sério colocando uma mecha do meu cabelo para trás, ele pegou gentilmente minhas mãos e me guiou até a escada, respirei fundo novamente e descemos até o andar de baixo. A sala estava completamente vazia quando descemos, presumi que todos já estivessem na mesa de jantar, para comprovar a minha teoria vozes saiam da cozinha a preenchiam a casa que antes estava silenciosa. Pegamos o caminho até a sala de jantar e encontramos todos sentados formalmente, era algo novo que eu nunca tinha visto antes, uma mesa de família foi algo que eu nunca tive, nem mesmo sei a sensação de viajar em família, na ponta da mesa logo em frente à James tinha duas cadeiras vagas, me aproximei ainda envergonhada e me sentei sendo cada ato meu seguido por uma das tias fofoqueiras de Will, nunca gostei dessa mulher mesmo.
– Está se sentindo melhor, querida? – Perguntou a avó de Will com um sorriso no rosto, retribui o sorriso e acenei com a cabeça, evitando falar alguma besteira, já James não havia levantado o olhar do prato nenhuma vez.
– Óbvio que está, não parece mais bêbada. – Disse a tia de Will, eu não sei se era o álcool mas eu queria dar um soco no meio da boca dela preenchida de batom vermelho exageradamente me fazendo lembrar de um palhaço, dei uma risada baixa dos meus pensamentos porém quando levantei os meus olhos, todos pareciam ter escutado e me olhavam com curiosidade, principalmente James que agora focava os seus olhos azuis em minha direção.
– Você era pior, Carmen. – Disse Helena, avó de Will, fazendo todos na mesa rir, exceto Carmen, eu e James que parecia um robô ao pegar a comida com um garfo e leva-la até a boca. Senti vontade de me trancar no meu quarto novamente, a dor havia voltado, já era de se esperar que quando o visse novamente eu não iria reagir bem, eu não sabia mais o que estava acontecendo comigo, eu não era mais tão próxima dos meus amigos, nem mesmo do meu irmão, meu pai havia aparecido e a vida que eu conheci fica passando pelos os meus olhos, levando cada rastro daquilo que conheci, então talvez eu não pertença mais a este lugar.
– Então...estão namorando? – Perguntou o pai de Will, Deus porque não podemos entrar em uma conversa que as minhas merdas não sejam o centro delas? Se formos analisar nem sou uma garota problemática, apenas uma nerd comum que faz besteira uma ou duas vezes mas tornar estes poucos assuntos palta da noite, é sacanagem, deve ser algum tipo de carma. Will que estava bebendo água se engasgou, já James havia voltado a prestar atenção novamente na conversa.
– Claro que não. – Respondeu James rapidamente antes mesmo de eu sequer pensar em abrir a boca. Se eu não soubesse que ele é completo idiota que apenas me usou, eu diria que estava com ciúmes. O pai de Will pareceu um pouco decepcionado mas logo me ofereceu mais um pedaço da deliciosa lasanha quebrando o silêncio que havia se instalado depois da reposta de James, obviamente aceitei e comi a comida tão educadamente quanto os Overstreet.
– É óbvio que ela não é namorada do Will, ela é do James, eu vi vocês juntos no casamento. – Disse Carmen sorrindo falsamente para mim.
Não pense Katherine.
Não ataque a mulher-palhaço.
– Não somos namorados. – James se pronunciou novamente, e abaixou o olhar voltando a comer.
– Então o que era aquilo? – Indagou Carmen realmente curiosa no assunto, as respostas estavam prontas na ponta da minha língua, era como se um ser falante e mal educado houvesse dominado o meu corpo, porque em outra ocasião eu teria ficado calada.
– Foi uma brincadeira nossa, cada segundo foi uma brincadeira. – Eu disse seriamente olhando para James que me encarava da mesma forma, por um segundo achei que fosse começar a chorar porém engoli o choro. Um clima de silêncio pairou sobre a mesa e nem a mais doce avó de Will conseguiu tirar o clima pesado.
– Infelizmente alguém levou a brincadeira a sério. – Disse James dando uma risada sem humor, as pessoas alternavam o olhar de mim para ele, e como um grande soco na cara a resposta me atingiu, todos na mesa esperavam uma reação minha, por mais que eu lutasse, chorasse, ou batesse nele ainda seria o novo James, porque o que eu havia conhecido a minha vida toda mesmo que me achasse irritante, não deixava de ser ele mesmo nenhum momento, era sincero e não frio, era brincalhão e não cruel, e eu esperava com cada pedaço do meu coração que em algum lugar dentro dele aceitasse que o que passamos não foi uma brincadeira ou uma atuação qualquer, mas sim os melhores dias da minha vida. Gargalhei sem ânimo.
– Uma pena que essa pessoa tenha sido você. – Minha voz saiu sarcástica, James me encarou por alguns segundos chocado, os seus olhos azuis começaram a ficar marejados e lágrimas lentamente começaram a rolar pelo o seu rosto, senti uma dor sobrenatural dentro de mim, não era para eu me sentir tão mal em fazê-lo se sentir triste, nem sei porque ele está chorando. Eu era apenas uma presa como ele mesmo disse, não?
– Terminei o jantar. – Disse James fechando a cara e se levantando brutalmente da mesa. Seja lá o que tenha acontecido entre nós, realmente morreu, e vou enterrar James junto com o que aconteceu, ele vai sumir da minha vida.

                             ~~~~~~

O som dos armários abrindo e fechando fazia meus ouvidos zumbirem, não era uma sintonia muito agradável para uma ressaca, depois de tudo estou voltando para a escola e me sinto nostálgica por me sentir exatamente como me sentia ao longo da minha vida, com medo e acanhada de que alguma brincadeira ou humilhação nova acontecesse. Meu cabelo está preso na mesma trança de sempre, meus óculos no lugar de costume e estou com um casaco que cobre metade do meu corpo.
– Senhorita Katherine. – Disse a voz rouca do professor de matemática, Hendrix, ele estava ereto e formal como de costume, não era um cara muito comunicativo ou brincalhão, ao contrário.
– Sim? – Eu disse parando de caminhar em direção à sala e comprimi os lábios toda vez que sentia que algo poderia ter dado errado, seja nas minhas notas ou no meu comportamento. – Algo errado?
– Nada, apenas quero lhe fazer uma proposta. Daqui há uma semana iremos concorrer ao campeonato nacional de matemática e cada escola tem o dever de apresentar o seu melhor aluno para concorrer ao prêmio, e como representante oficial da escola em matemática, quero lhe convidar para nos representar, o que acha? – Disse o professor me olhando seriamente, desde o inicio até o final da sua explicação tudo o que consegui pensar foi que aquilo iria influenciar mais do que tudo no meu futuro currículo, se eu ganhasse, minha vaga já estaria garantida em Harvard, iria melhorar todo o meu histórico em proporções inimagináveis, é o campeonato nacional em que vários gênios da matemática vão estar concorrendo e a chance de eu fracassar é bem numerosa, mas a chance de eu vencer também não deixa de ser.
– É claro. – Eu disse sorrindo de ponta a ponta, empolgada por finalmente alguma coisa estar dando certo, talvez seja isso, o meu recomeço. O professor sorriu entusiasmado e apertou a minha mão como se estivesse selando um acordo.
– Ao final das aulas vamos treinar para o campeonato, tenha um bom dia, senhorita Fields. – Ele acenou cordialmente e saiu andando firmemente pelo corredor, não podia deixar de escapulir um sorriso pelo o meu rosto. Era a minha chance.

Pov's Natsumi


Como combinado estávamos todos embaixo das arquibancadas na hora marcada antes do inicio das aulas, quando atravessei a quadra podia ver a roda que se formava composta por Hanna, Amanda, Alec, Kurt, Cory, Dylan, Derek e Jason sentados e rindo como um grupo de amigos jogando conversa fora. Apertei o meu casaco contra o meu corpo, sentindo o frio intenso da manhã gélida de Londres tomar conta do meu corpo, sempre apreciei o frio, é um clima agradável e acolhedor, infelizmente alguns dias são mais intensos que outros, quando me aproximei Hanna dirigiu o seu olhar para mim como se dissesse um “oi”, eu aprendi a me acostumar com a sua presença entre nós, ela era o nosso elo, nos fazia lembrar que ainda éramos um grupo de pessoas totalmente diferentes, uma mistura de nerds e populares.
– Desculpe o atraso, dormi demais. – Dei um sorriso fraco e me sentei ao lado de Derek que passou os braços ao redor dos meus ombros, em seguida dando um beijo em minha bochecha, seu nariz deslizou até o meu pescoço fazendo com que o frio sumisse e eu pudesse apenas sentir a sua respiração na minha nuca, depois do momento raivoso que ele teve quando descobriu que James e Katherine namoravam, ele voltou ao ser o Derek de sempre, apesar de eu julgar que no fundo ele quer voltar a ser o melhor amigo de James. Do outro lado da roda Amanda estava se remexendo no seu lugar e trocava olhares com Jason o tempo todo, realmente era um caso mal resolvido, ele a queria e ela não sabia direito o que queria.
– Como todos sabem daqui há uma semana vai ser o aniversário da Katherine que por alguma maldição cai no mesmo dia em que ela vai concorrer ao campeonato de matemática. – Disse Hanna revirando os olhos enquanto segurava uma prancheta e uma caneta. Hanna estava pálida, com os seus cabelos loiros bem amarrados num rabo de cavalo, usava uma calça jeans, uma blusa branca com uma jaqueta preta de couro e um salto agulha, não pude deixar de pensar que ela era mil vezes mais linda do que Bethany.
– Vai? Ela não me disse. – Falou Derek franzindo a sobrancelha.
– Nem ela sabe, vai ser informada hoje de manhã, apenas consegui essa informação quando fui falar com a secretária do diretor e obviamente a Katherine vai aceitar participar, portanto enquanto ela estiver no campeonato organizamos tudo na casa dela e quando ela voltar terá uma grande surpresa, esse campeonato só vai nos ajudar ainda mais com a surpresa, ela vai estar muito ocupada estudando para notar que estamos estranhos. – Disse Hanna animada.
– Não vamos torcer por ela no campeonato? – Perguntou Amanda fazendo Hanna revirar os olhos, as duas juntas era um confronto de personalidades muito parecidas.
– Você e o Derek podem ir, enquanto o resto fica na casa comigo. – Disse Hanna tendo consciência que nem Amanda e nem Derek iriam faltar em um precioso momento como esse para Katherine, eu também não queria faltar mas seria eu quem ia tomar conta da casa enquanto todos organizavam. Por algum motivo a ideia de Amanda ficar com Derek no campeonato não me agradou, eu sei que é idiota, ela é uma das minhas melhores amigas e nunca faria nada para me magoar, mas porque não me sinto à vontade com a ideia?
– Então está tudo fechado! – Disse Cory sorrindo, o sinal para a o inicio das aulas tocou fazendo todos se levantarem e seguirem para dentro da escola, me deixando sozinha com Derek.
– Você está bem? – Perguntou Derek segurando em minhas mãos e colocando elas sobre a sua cintura, assenti com a cabeça e fiquei na ponta dos pés para poder beija-lo. – Eu te amo, obrigada por não ter desistido de mim quando eu agi como um irmão louco. – Disse Derek revirando os olhos e sorrindo docemente para mim.

Pov's Katherine


Assim que entrei na sala de aula percebi que estava terrivelmente atrasada, o professor Hendrix parou de explicar e me olhou cautelosamente assim como o resto da sala, ele não parecia estar zangado por eu ter chegado atrasada.
– Sente-se, senhorita Fields. Estava acabando de explicar para os seus colegas sobre o campeonato, todos estaremos lá torcendo pela senhorita. – Disse ele sorrindo e logo dando inicio à aula novamente, as pessoas me encaravam torto e faziam comentários uns com os outros, eu não fazia ideia do que tanto cochichavam, ainda estariam todos rindo de mim pelo o que James fez? Eu devo ser a piada da escola, umas pessoas riam de mim, algumas jogavam coisas em mim durante a aula mas não era nada que eu já não tenha me acostumado. Olho em volta e apenas agora percebo que nenhuma das minhas amigas estão aqui, o que é bem estranho. Matemática era uma matéria legal tirando a voz do professor que era como um sonífero para mim, meus olhos foram se fechando devagar, deveria ser uma consequência de ontem à noite.
 Assim que bateu o sinal para a próxima aula me levantei da cadeira e segui no meio da multidão de pessoas que me imprensavam umas nas outras, esqueci como era terrível sair na hora exata em que bate o sinal, sempre espero alguns minutos para não ter que passar por isso mas por algum motivo hoje não esperei, minha respiração ficou ligeiramente mais pesada quando sou puxada por uma mão forte, logo minha respiração se normaliza mas sinto que estou num lugar abafado, está tudo escuro quando a luz é acesa e vejo James com a mão no meu braço, pelo local em que estamos diria que é o armário do zelador.

– O que você quer? – Perguntei cruzando os braços, seus olhos azuis estavam tão quentes quanto da última vez em que nos beijamos, eu podia sentir o calor do seu corpo naquele armário minúsculo. James se aproximou lentamente do meu ouvido me fazendo estremecer imediatamente, sua respiração tocava a minha orelha suavemente.

– Você. – Sua voz rouca ecoou no armário, ele respondeu aquilo com tanta casualidade que fez o meu corpo incendiar, e caramba como eu o queria também, e pela primeira vez não queria emocionalmente mas eu o queria fisicamente, estava sentindo algo totalmente carnal que nunca havia sentido antes, confesso que me assustava porém me dava uma outra personalidade, o empurrei contra parede deixando nossos corpos grudados, James estava assustado com a minha atitude mas ao mesmo tempo parecia ter gostado.

– Quem é você? – Disse ele rindo, acabei sorrindo junto com ele, a felicidade em vê-lo sorrindo para mim era tão grande que chegava a sufocar internamente, eu queria aquele sorriso de novo, e de novo, e de novo. Sua boca vermelha me chama e assim como da primeira vez tomei a iniciativa, passei minhas mãos alisando os seus cabelos e logo descendo para o seu peitoral, minha boca se encaixou perfeitamente com a dele como se fossem parte de um quebra cabeça se montando, sua língua entrou na minha boca me fazendo gemer imediatamente com a temperatura quente e molhada que ela estava, suas mãos foram parar na minha bunda apertando-a com carinho se é que isso é possível. Gemi novamente.
– Tão linda. – Sussurrou James em meu ouvido, dessa vez sua boca capturou a minha nos fazendo voltar de onde havíamos parado, comecei a retirar a sua blusa euforicamente, para um prejuízo futuro sua blusa estava com a gola arregaçada e jogada no chão sujo. Comecei a chupar o seu pescoço lentamente, dessa vez era ele que gemia, me afastei alguns centímetros suficientes apenas para tirar a minha blusa e o meu sutiã, os olhos azuis de James pairaram alguns minutos pelo o meu corpo me avaliando, um sorriso tarado tomou conta do seu rosto quando ele se aproximou novament
e e imprensou
o seu corpo contra o meu, enlacei minhas pernas na sua cintura e o puxei para mim. Eu não me importava com mais nada, eu o queria, no sentido literal.
– Katherine. – Disse James com sua voz rouca, meu nome parecia tão indecente na sua boca. Minhas mãos não abandonavam o seu cabelo, deixando-o todo bagunçado, James com a ponta dos dedos tocou a minha espinha me fazendo arquear com o seu toque gelado no meu corpo quente. – Katherine, Katherine, Katherine. – Sua voz foi ficando cada vez mais longe dando lug
ar
a uma voz mais grave.

– Katherine, senhorita Fields, acorde! – Levantei a minha cabeça da cadeira totalmente assustada, o suor escorria pela a minha nuca, e o mundo parecia girar, abri e fechei os meus olhos diversas vezes para que a minha visão se adaptasse novamente com a luz da sala, minha cabeça parecia que ia explodir de tanta dor. Só então percebi que minha respiração estava irregular, provavelmente devido ao sonho nenhum pouco inocente que eu tive, todos na sala me olhavam prendendo a risada outros simplesmente riam na cara de pau. – Não é assim que a senhorita vai ganhar o campeonato, que isso não volte a acontecer. – Avisou o professor me olhando seriamente.
– Nunca mais. – Eu disse fazendo o professor assentir com a cabeça e voltar para a sua explicação, eu apenas não sabia se a minha resposta era que eu nunca mais iria dormir em sala de aula ou se eu nunca mais iria devanear com James. Meus olhos se encontraram com o de James imediatamente, eu ainda não havia parado para olha-lo hoje, ele não me olhava friamente e nem calorosamente, era um olhar curioso como se quisesse saber o que estava acontecendo comigo, em nenhum minuto desviamos o olhar um do outro quando olho para a sua boca e me lembro imediatamente do sonho, meu Deus! Eu tive um sonho erótico! Não tão erótico porque não chegou a acontecer mas tenho certeza que se o professor não tivesse me acordado, teria mais, teria muito mais. Entreabri os meus lábios e fiquei vermelha da cor de um tomate, James continuou sério me olhando com cuidado, abaixei a minha cabeça tendo a certeza que isso não podia voltar a acontecer.
Chega de sonhos eróticos.

                            ~~~~~~

Respirei longamente após a aula de educação física, por incrível que pareça hoje o professor havia notado a minha existência e praticamente me jogou para fora do banco de reservas, para a minha total desgraça. Caminhei em direção ao meu armário me sentindo grudenta e dolorida, minhas pernas doíam e ainda recebi uma bolada no estômago e no meu braço, de fato não havia sido um dia muito bom, mas com tantos acontecimentos consegui me distrair, quando abri o meu armário levei um susto ao encontrar ele vazio, continha apenas a foto da minha avó e os meus livros, as minhas roupas, no entanto já minhas meias, meus tênis, mochila e casaco haviam desaparecido.
– Katherine, acho que você deixou cair algo do lado de fora. – Disse uma menina morena ao passar por mim com um sorriso maligno, todas as meninas estavam indo para o lado de fora da escola, todas estávamos ainda com o uniforme de educação física. Respirei profundamente e sai da escola encontrando uma roda de pessoas ao redor da árvore que se localizava em frente à escola.
– O que está acontecendo? – Me aproximei de Kurt que olhava de longe o que estava acontecendo, Kurt colocou as mãos no coração como se houvesse tomado um susto.
– Katherine, sumiu minha gostosa! Vamos lá para dentro. – Disse ele tentando me puxar pela mão mas eu sabia que haviam feito algo com as minhas coisas, me soltei e fui me metendo entre as pessoas até estar cara a cara com James que estava encostado na árvore e cantarolava, pessoas ficavam tirando foto da árvore o tempo todo mas eu ainda não havia entendido até finalmente olhar para cima e encontrar todas as minhas coisas penduradas na árvore. Estava boquiaberta, eu não sabia o que fazer, até Alec que era alto subir na árvore e começar a jogar todos os meus pertences de lá de cima, ao fim ele juntou tudo e trouxe para mim.
– Obrigada. – Sussurrei cabisbaixa. Olhei com toda a raiva contida dentro de mim para James. – Agora é guerra, Overstreet. Eu juro que você vai se arrepender de tudo o que fez pra mim, eu vou tirar tudo o que você tem. – O sorriso de James havia sumido assim como o das outras pessoas.
Eu iria destruí-lo.


Notas Finais


Katherine safadinha ein meu povo? kkkk quem gostou?

Muitoooo obrigado pelos comentários no cap passado me amimou 100% pra escrever esse aqui 💜💕

bjos de luz pra vcs meus amores tenham uma boa noite💖💫

ps: se cuidem muito ok ? não quero ninguém doente por causa do vírus, amo vocês ❤💫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...