História O Melhor Amigo do Meu Pai! ( Interativa ) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias ASTRO, Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Bill Kaulitz, Conrado "Caco" Grandino, Dani Weksler, Di Ferrero, Eunwoo, Filipe Ricardo, Georg Listing, Gustav Schäfer, Jackson, JB, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jinjin, Jinyoung, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Leandro "Gee" Rocha, Mark, Min Yoongi (Suga), MJ, Moonbin, Nathan Sykes, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rocky, Sanha, Tom Kaulitz, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 9
Palavras 1.329
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Esperado - HOT


Fanfic / Fanfiction O Melhor Amigo do Meu Pai! ( Interativa ) - Capítulo 4 - Esperado - HOT

Narradora on 

Depois da pequena "briga" que teve na casa dos Grandino, a Carolina foi embora. Todos ainda estavam um pouco assustados com o que aconteceu. Mas claro, quem não se assustaria? Ainda mais com aqueles nove estrangeiros, que não estão acostumados com esse tipo de coisa. 

—Cadê o povo?- V adentrou a casa, perguntando mais para sí. Pois nem havia ninguém a sala. 

V andou calmamente até a varanda da casa, logo vendo os convidados conversarem entre si. O som havia sido desligado e o garoto procurava por sua amiga; Lay; 

—LAAAAAAAAAYYYYYYYYY CHEEEGUEEEIIIIII SUUUUAAAA REEETARDADAAAA DAA MAIOOONESEEEE.- os convidados de início se assustaram. Talvez pensando ser um possível assalto. 

Ainda bem que a piscina estava coberta, pois Georg, caiu ali dentro derrubando a cerveja em cima de sí. Thomas, caiu da cadeira de sol, que estava sentado, derrubando a vodka que estava em sua mão, e de quebra levando Jay junto de sí. Os demais, apenas se assustaram mesmo. Não! Gustav, que estava comendo um churrasco, acabou se engasgando, tropeçou em Di, que caiu em cima de Daniel. Agora, eu acho que sim, foram apenas esses que se assustaram pra valer. 

—Cadê a Lay?- ele perguntou aproximando-se de Yoojung que estava ao lado de Nathan. 

—Deve estar no quarto dela. Tu não sabe a briga que perdeu Taehyung.- e riu, pegando o dinheiro da mão de Nathan, que havia perdido a aposta. 

Ninguém mandou ele gostar mais de loiras, e apostar que Carolina iria ganhar a briga. 

—Que briga?- e sentou-se a mesa, deixando um pouco sua barra de chocolate de lado. 

—Da Lay e a ex do Gee.- sorriu de lado, sentando-se também. 

—Hey! Você tem que dividir esse dinheiro comigo.- Thomas chegou ao lado de Yoojungi, pegando um pouco da quantia do dinheiro. 

—Verdade.- e riram. 


Gee POV'S 

Caramba! O que eu ia fazer? Beijar a filha do meu melhor amigo? Não acredito nisso.

 Eu tenho que me controlar, por mais que esse desejo seja forte. Já consegui controlar durante um ano. O resto de minha vida, não será nada. 

Ah, vai sim! Com certeza será. Aquela garota mexe comigo, e muito. Sinto-me um pecador por isso. A vi crescer, e fico a desejando todas as noites quando deito em minha cama. Esse não é o percurso certo das coisas.  Meu desejo era de tê-la somente pra mim, sendo apenas minha. 


Lay POV's 

Acalmei-me e desci para a varanda. Todos ainda estavam lá, curtindo e bebendo. 

Respirei fundo, e sentei-me numa poltrona, olhando em volta. 

—Que briga hein?!- sua voz, atrás de mim, fez-me ficar mais atenta. Olhei-o e sorri de lado. Tom sentou-se a minha frente, bebeu sua cerveja e apagou o cigarro. 

—Gostou? Só brigo assim com as vadias. Se quiser, posso acabar com a vad... Ria em dois tempos.- pisquei e ele olhou-me rindo de leve. 

—Aquela ali, já teve o que merece.- deixou a cerveja de lado, ascendendo outro cigarro. 

—Como assim?- estava confusa, e queria saber logo o que aconteceu com aquela vadia. 

—Deixa quieto. O que importa agora, é que estou aqui no Brasil e solteiro novamente.- sorriu animado, após dar a tragada em seu cigarro. 

Era assim que eu gostava de ver o Tom. ... 

Depois de dividir uma garrafa de wiscky com Tom, estava no corredor, sendo prensada a parede, enquanto ele chupava meu pescoço e acariciava meu corpo com suas mãos grandes. 

—Vamos para o quarto.- ele assentiu, beijando o meu colo, puxando-me para mais perto de seu corpo, dando impulso para cima, onde envolvi minhas pernas em volta de seu quadril. 

Entramos em meu quarto. Tom trancou a porta, e logo senti o colchão bater contra minhas costas. Ele sorriu malicioso, tirando sua camiseta, dando-me aquela linda visão, de seu corpo bronzeado, mas malhado. Tão lindo, tão perfeito pra mim. 

Seus lábios se uniram aos meus novamente, nossas linguas pareciam mais dançar sensualmente, conhecendo cada espaço um do outro. Suas mãos rápidas, desceram pela lateral de meu corpo, apertando minha coxa direita, logo subindo e puxando a barra de minha blusa, que logo foi tirada por ele com a maior pressa. 

Enquanto Tom beijava meus seios, finquei minhas unhas em suas costas, logo as arranhando. Fazendo-o soltar um gemido, tanto de prazer e dor. Puxei de leve seus dread's, após sentir aquele chupão em meu seio. Sua mão direita descia pela lateral de meu corpo, logo desabotoando minha calça. Com um pouco de dificuldade tiramos minha calça, sendo seguida da sua.  

Tom subiu com beijos molhados por minhas pernas, chegando em minhas coxas, dando mordidinhas gostosas. Minha respiração estava descompassada, e mordia meus lábios vez ou outra para evitar possíveis gemidos. Mas ao sentir sua lingua em contato com meu clitores, foi inevitável não soltar um gemido de prazer. Sentia-me com um turbilhões de sentimentos, e prazeres. 

Estava ficando cada vez mais louca, a cada toque dele, cada beijo. 

—Tom...- gemi, ao sentir ele deliciar-se com o meu gosto. Seus dedos adentraram-me começando com entocadas leves. Mas logo ficando rápidas, enquanto sua lingua ia com mais rapidez. Ele estava de brincadeira comigo, só pode. Deixando-me louca daquele jeito, e quando sentia que iria explodir em prazer, ele voltava a estaca zero, voltando a iniciar com os movimentos. 

Puxei Tom para cima, tomando seus lábios aos meus. Mordi seu lábio inferiro sensualmente, chupando seu piercing. Uma coisa que sempre tive vontade de fazer. 

O peguei desprevinido, virando-o na cama, ficando por cima, com uma perna de cada lado. Sorri vitoriosa, colocando minhas mãos sobre seu peitoral. Comecei beijando seu pescoço, sentindo suas mãos em minha bunda apertando-a. Gemi em seu ouvido, sentindo seu membro despertar-se cada vez mais dentro da cueca boxer preta. Ele ficava tão sexy assim. Mordi meu lábio, e desci beijando seu peitoral, sendo seguido da barriga. Cheguei em seu membro. Tirei sua boxer, logo vendo seu membro saltar. Suas veias dilatadas e seu membro excitado. Vi Tom olhar-me com expectatividade, sorrindo malicioso, passando a lingua em seu piercing. ... 


Acordei, sobre a claridade que adentrava meu quarto. Sentei-me a cama, ainda de olhos fechados e tateei a cama ao meu lado, parando a mão em seu peitoral. É, ele ainda estava lá. Sorri, logo lembrando-me dos momentos hot's que tive com Tom. 

Abri os olhos, logo bocejando. Espreguicei-me e levantei-me da cama, mas logo caindo após tropeçar no tênis dele. 

—Ah, merda. Tão desastrada você Lay.- murmurei levantando-me e costatando ainda estar nua. 

Olhei para a cama, e o vi abrir os olhos sonolento. Com aquela carinha linda, que ele sempre tem. Tão fofo. 

Droga! Eu tô nua. 

Peguei o lençol em cima da cama e me cobri, o olhando espantada. 

—Não adianta você tampar nada aí. Já vi tudo mesmo.- sorriu colocando os braços atrás da cabeça. 

Olhei para o seu corpo, e vi que ele estava sem nenhum lençol sobre sí. Acho que estava começando a babar e não acreditar que havia transado com o Tom. 

—Tá babando aqui óh.- e passou o dedo sobre meu lábio, mas o beijando em seguida. ... 


—AH EU QUERO CHOCOLATE V! CADÊ? EU VOU TE MATAR!- ele era o único que sabia onde meus chocolates ficavam. E meus chocolates não estavam debaixo da pia da cozinha. 

—NÃO FUI EU LAY! EU JURO. ATÉ TROUXE ALGUNS DE RESERVA PRA MIM, PORQUE EU NÃO QUERIA PEGAR OS SEUS.- e sorriu mostrando-me suas duas barras. 

—Quem comeu então?- fui até a sala, o vendo dar de ombros. 

Quase ninguém havia acordado, e quem havia acordado( Georg, Siva, Max, Gustav, Tom, K-Chan, Rocky e Yoojung.) estavam na cozinha tomando café da manhã. 

—Mamãe, es...este...estetixista.- Eduardo segurava uma revista qualquer sentado no chão da sala. Olhei para o Tae, que olhou pra mim. Sorrimos como dois retardados. 

—GENTEEE O DUDU TÁ LENDOOOO.- caímos na risada e Dudu nos olhou estranho, logo saindo da sala com UMA BARRA DE CHOCOLATE NA MÃO! 

—EDUARDO! VOCÊ PEGOU MEU CHOCOLATE.- ele saiu correndo. 

Eu só não fui atrás dele, pois era uma criança. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...