História O melhor da vida - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Anna Heartfilia, Aquarius, Aries, Bickslow, Brandish μ, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Carla (Charle), Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Flare Corona, Freed Justine, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Irene Belserion, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Kagura Mikazuchi, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Lector, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Millianna, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Rufus Lore, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Fairy Tail, Gruvia, Jerza, Nalu
Visualizações 149
Palavras 1.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Capítulo 11


Posso dizer que passei o resto da tarde com Natsu assistindo filmes, e confesso que foi uma péssima ideia assistir os filmes de terror depois dos de desenhos, eu havia me esquecido de um pequeno detalhe, hoje eu teria que dormir sozinha no meu dormitório ja que as meninas não ficariam o final de semana aqui, até Juvia se foi.

 

Eu me enfiei de baixo das cobertas, mas aquela sensação de ter alguém perto não passava, e se eu me descobrisse para olhar as sombras dos objetos me davam medo, e a porta do banheiro não parava de ranger e eu não tinha coragem de ir fechar a porta. Peguei meu celular e mandei uma mensagem para Natsu, ele pode ser um bruto mas não me ignorados. Dez minutos se passaram e nada de resposta, se bem que já eram duas da manhã, ele ja deve estar dormindo. Como ele conseguiu?

Reunindo meu último restinho de coragem eu liguei a lanterna do meu celular, desci da cama e me aventurei pelos corredores escuros do colégio até chegar no quarto dele. Bati uma vez, duas e nada, então quando decidi entrar ele abriu a porta.

- por que demorou? - perguntei indignada.

- por que você está aqui? - perguntou ignorando minha pergunta.

- eu vou dormir aqui. - informei entrando, mas ele se colocou em minha frente.

- não você não vai. Sabe que é proibido. - resmungou sonolento.

- eu sei. Mas hoje é sábado e no fins de semana quem fica como expetora é a Áries e ela aceita chocolate como suborno, então caso ela me descubra aqui é fácil de resolver.

- mas por que você quer dormir aqui? Quer saber não responde. Só... Só me deixa dormir. - falou bocejando, fechando a porta. Acho que se eu um dia precisar convence-lo de algo é apenas negociar quando ele estiver com sono.

Ele se arrastou para sua cama e enfiando de baixo das cobertas. Eu me deitei a cama do Gray, mas mesmo não estando sozinha eu não conseguia dormir. Por que? Filha do mal nem é tão assustador assim.

Será que Natsu já dormiu? Se ele ja estiver dormindo e eu acordar ele, será que ele fica bravo? Bom se bem que ele sempre fica bravo.

Novamente liguei a lanterna do meu celular, iluminei na direção dele, seus olhos estavam fechados nas se abriram com dificuldade por causa da luz do celular.

- oque foi? - resmungou voltando a fechar os olhos.

- posso dormir com você? - perguntei hesitante, eu não queria dormir sozinha.

- meu Deus. Não me diga que está com medo pois assistimos a filha do mal.

- eu to. Por favor deixa. Eu juro que não vou ocupar muito espaço.

Ele suspirou cansado.

- você não vai aceitar um não, não é? - que bom que ele já está começando a me conhecer.

- não...

- está bem. Vem... - falou erguendo o cobertor.

Eu corri para de baixo da sua coberta.

- obrigado. Acho que você não é tao mala quanto tenta ser. - cometei me aconchegando nele. Ele era quentinho.

- eu não sou mala, so... quer saber vai dormir.

Quando amanheceu eu estranhei o quarto, mas logo me lembrei do que havia acontecido, senti a respiração em meu pescoço, fazendo um arrepio passar pelo meu corpo, então reparei no braço em volta da minha cintura, olhei com dificuldade para trás, Natsu ainda estava dormindo talvez nem sabia da nossa a proximidade mas não meu coração não pode deixar de começar a bater como louco. Com cuidado eu retirei seu braço da minha cintura e me levantei, de mansinho sai do seu dormitório e fui para o meu. Corri para o banheiro precisava de um banho frio, para esquecer como é a sensação de estar tão próxima dele. Ao passar minha blusa de dormir pela cabeça senti o cheiro dele nela. Ela ia para o cesto. Entrei de baixo do chuveiro, logo me arrependendi da água gelada.

Se controla Lucy. Se controla! Não é a primeira vez que você dorme abraçada com um garoto. Não seja menininha.

Lucy off.

Natsu on.

Quando eu acordei estranhei por não ter encontrado Lucy no dormitório. Será que eu havia sonhado? Bom não importa é melhor eu ir me arrumar, tenho um dia inteiro pela frente, se bem que não sei oque vou fazer hoje.

Sendo guiado pela minha fome fui para o refeitório, não havia muito se alunos como de costume, e também não vi uma certa loira, talvez ela tenha ido embora. Que pensando bem seria uma ótima ideia, mas ainda assim não acho que a escola seja tão ruim quanto ficar de vela para o Zeref e a Mavis.

- aff… - resmunguei cansado. Em seguida senti o peso nos meus ombros, assim que olhei para trás vi a garota albina do dia da piscina.

- vejo que a alguém está entediado...- cantarolo próximo ao meu ouvido.

- há, oi. Yukino, certo? - não tinha certeza que me lembrava do seu nome.

- sim. Yukino. Você é o Natsu não é? -perguntou se sentando ao meu lado.

- isso mesmo. Vejo que você tem a memória melhor que a minha. - respondi dando 90% da minha atenção para o prato em minha frente.

- que fofo você é tímido. - comentou empolgada de mais para o meu gosto. - não precisa ser tímido eu não vou te morder. - tentou me tranquilizar pegando minha mão, e que eu puxei rapidamente da sua.

Essa garota devia saber a diferença entre uma pessoa tímida e alguém que não quer ser incomodado.

- sabe Natsu me diz uma coisa. Você e a Heartfilia estão juntos?

- acho que você devia ter perguntado isso antes de começar a flertar comigo. -ironizei.

- sabe, a Lucy não é garota para ter uma relação seria, acho que você deveria saber disso.

Curioso não é a primeira pessoa que diz isso dela.

- por que? - ela não me parecia ser uma garota imprópria. Ela pode ter seu jeito impulsivo mas esse é seu charme.

Natsu off.

Lucy on.

Eu chegava no refeitório quando escutei duas vozes familiares, então parei para escutar pois falavam de mim.

- quando você a conhecer como eu conheço vai saber que é um grande erro se envolver com ela. - afirmou aquela abutre.

- sério? Acho que isso não é argumentos suficiente para me fazer acreditar que Lucy não é uma pessoa digna de se namorar. - ai coração se aquieta ai dentro, ele so ta sendo legal.

- está dizendo namoraria ela sem problemas? - sua pergunta foi quase como se o desafia-se a dizer sim.

Eu não queria saber a resposta, pois dependendo dela eu teria um troço. Então entrei no meio da conversa:

- bom dia Natsu. Tchau Yukino. - falei expulsando ela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...