1. Spirit Fanfics >
  2. O Melhor de um Tutor >
  3. Ela vai ficar bem?

História O Melhor de um Tutor - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Ela vai ficar bem?


A recuperação de Luna tem sido algo surpreendente. Ela ainda não sente suas pernas, mas já se sente muito melhor, e isso é muito bom, segundo o Dr. Simon.

Ficou muito claro que Gaston realmente era o pai do bebê que Nina esta esperando. Luna ainda não sabe de nada, o jovem Perida estava com medo de contar e Luna não querer mais o ver.

E esse era o mais lógico, porém a Valente não uma pessoa rancorosa, se foi capaz de perdoar Fabrício, pode ser que perdoasse o Gaston. A jovem sente falta do garoto, afinal eles eram melhores amigos desde a infância. E já tinha duas semanas sem ver Gaston.

Matteo tentava. Apenas tentava ser uma boa companhia, mas não conseguia. Tinha se passado duas semanas depois que soube da gravidez de Thaís, e sinceramente? Ele não sabe como agir diante de tal coisa. É fato que ele amava sua noiva. Tá, é verdade que sentiu algo por Luna no momento em que a viu, mas Thaís era sua noiva, estávamos juntos a muito tempo. Era nítido a dor em seus olhos, e Luna percebia isso.

Nina se recusava a ir visitá-la, se sentia mal por estar grávida de Gaston seu... Namorado?! 

– Tá bom, já chega. O que está acontecendo? – Luna pergunta olhando para Matteo.

– Como?

– Matteo, o que está acontecendo? A Nina não veio aqui, o Gaston sumiu... Você só finge estar bem. E a Sol insistindo pra me ver. Vai me contar o que está acontecendo?

– Luna...

– A verdade... Por favor.

– Bem, isso não sou quem deva te falar.

– Mas é a você que estou pedindo uma explicação.

– Nina esta grávida de dois meses, não pode ter fortes emoções, já que é uma gravidez de risco.

– Gravidez de risco? Meu Deus, como ela está?

– Bem, repousando. 

Matteo suspira e abaixa a cabeça.

– E o Gaston?

– Luna, eu não posso falar.

– Matteo, eu tô te pedindo... Por favor.

– Mas não cabe a mim lhe falar nada. Me entenda por favor.

– Mas... Matteo... Por favor.

– Luna, o Gaston...

– Eu sou o pai do filho que Nina esta esperando... É isso o que o Matteo não podia falar. Porque eu era quem tinha que te falar isso.

Gaston finalmente apareceu e já chegou falando o que estava acontecendo. Luna o encarou e olhou para o seu tutor.

– Vou deixar vocês conversarem. Qualquer coisa me chama. – Matteo falou indo até o outro lado do quarto onde estava o Gaston.

– Não, você fica... – Ela olhou em seu olhos. – Por favor. 

Os olhos da valente brilharam, e não foi de felicidade. Ela iria chorar, e queria que ele estivesse ali para a abraçar depois de ouvir o que Gaston tinha para dizer.

– Eu posso entrar? – O loiro perguntou.

– Entre.

Matteo voltou para onde estava e sentou na poltrona encarando o loiro, que por sua vez abaixou a cabeça. Luna olhou de Matteo para Gaston e esperou que o mesmo começasse a falar.

Era engraçado como todos os garotos que ela amava e admirava, a machucavam sem se importar com o que ela sentiria. Primeiro foi o Fabrício, que fez uma aposta com os amigos de que conseguiria namorar a menina de coração de gelo. Por causa disso seus pais a levaram para viajar, e na volta da viagem aconteceu aquele maldito acidente, onde ela perdeu seus pais. E agora o garoto que falou que a amava a duas semanas atrás, o garoto com quem ela resolveu que ficaria, vai ser pai do filho da irmã do seu tutor.

Isso era injusto.

Qual era o problema que a vida tinha com Luna Valente?

O que de tão grave ela havia feito, para que a vida fosse tão cruel com ela?

Como ela poderia olhar para o céu e agradecer a Deus por mais uma oportunidade de vida, se a vida só ferrava com ela?  

Pais mortos, paraplégica, vive na casa de Matteo, e seu “namorado” vai ser pai. O que mais poderia acontecer para ela?

– Eu sei que você deve está me odiando.

– Não fale o que estou sentindo... Você não faz ideia do que se passa aqui. 

Luna falou pondo uma de suas mãos no peito.

– Luna, quando eu fiquei com a Nina, nos dois não tinha nada.

– Vocês mentiram pra mim. Eu perguntei de onde se conheciam.

– E realmente foi em uma festa... Porém ficamos, e ela está grávida.

– Você vai assumir?

– Claro, é meu filho.

– Claro... Espero que cuide da Nina, ouvi dizer que é gravidez de risco.

– Mas isso não muda o que sinto por você...

– É, não muda o que você sente. Mas muda o que há entre nós.

– Luna...

– Vai pra casa Gaston... Depois conversamos.

Matteo encarou a menina, ela não parecia nenhum pouco abalada. Mas só parecia mesmo.

– Luna... – Gaston tenta falar.

A valente olha para Matteo e ele entende o que ela quer.

– Gaston, vai. – Ele fala.

– Mas...

– Gaston... Por favor.

– Tudo bem...

O Perida foi embora e Matteo fechou a porta do quarto. Luna permaneceu calada e olhando pro nada, o Balsano se aproximou dela e a mesma se negava a olhar para ele.

– Você está bem?

– Estou.

Ele a olhou e levou sua mão até o queixo da menina a fazendo olhar para ele.

– Luna, a verdade.

– O que você quer que eu diga? 

– A verdade.

– Matteo, eu me apaixonei pelo Fabrício e descobri que era só uma aposta, quando decido o perdoar descubro que ele estava me traindo com minha amiga. Viajei com meu pais, porque estava muito mal e eles queriam me distrair de alguma forma, quando estamos voltando pra casa, um caminhão vem para o nosso lado e meu pai tentou desviar. Eles morreram e eu estou paraplégica. Meu pais morreram porque amei demais, ao ponto de quase tirar a minha vida. – Matteo a olhava calado, ela estava chorando. – Você quer que eu diga que o Gaston ter engravidado sua irmã me magoou? Tá, eu falo. Tá doendo. Ele disse que me amava a duas semanas atrás, e hoje descubro que ele vai ser pai.

– Luna.. 

– Eu não quero mais... – Ela levanta o olhar e o encara. – Não quero mais me apaixonar. Sempre que tento algo com alguém, essa pessoa me machuca. E sinceramente? Eu não aguento mais.

Matteo a abraçou e chorou.

Era basicamente o que ele estava sentindo. Tudo bem, que não havia perdido tanto quanto Luna perdeu durante um ano. Mas a mulher que ele amou, a mulher com quem ele ia casar em um mês, o traiu e também estava grávida. 

Isso era ridículo. O amor era ridículo. O amor era doloroso, e nenhum dos dois queriam amar. Não mais.

•°•°

•°•°

•°•°

•°•°

Thalya e Sol Benson estavam sentadas em umas poltronas na sala de espera. A única que sempre entrava no quarto era Thalya, Luna se recusava a ver sua prima e até Matteo já estava se irritando com essa situação.

Todos os dias, Sol Benson, estava sentada naquela sala de espera. Ela sabia que Luna não a receberia, mas queria saber como estava sua prima. Todos os dias escutava uma das enfermeiras a mandar embora porque Luna não queria vê-la. Mas todos os dias ela estava lá, e hoje não era diferente. 

Matteo havia saído do quarto para comprar um lanche para ele e encontrou as duas garotas sentadas e conversando. Ele encarou a cópia fiel de Luna e seguiu até onde elas estavam.

– Thalya? – Ela o encarou.

– Senhor Balsano, como ela está?

– Ela está bem, nunca vi uma garota ser tão forte como a Valente. Pode entrar, faca companhia a ela enquanto eu estiver no refeitório e Sol?

Ela o olhou com esperança.

– Venha comigo, se possível gostaria de falar com você.

– Claro. – Ela se animou e logo levantou-se.

Sol e Matteo seguriram para o refeitório e Thalya correu para o quarto da amiga. Sol já imaginava sobre o que Matteo falaria com ela, e estava pensando se ele a ajudaria depois de a ouvir. 

Ao entrar no quarto de Luna, Thalya quase pula em cima dela.

– Amor da minha vida! – Thalya quase grita, assustando Luna.

– Acho que se você continuar entrando assim aqui no meu quarto eu, vou voltar a andar rapidinho. Porque vontade de correr já temos.

– Desculpa...

– Tudo bem, como você está?

– Estou muito bem, e você?

– Estou bem, as vezes querendo tirar todos esses aparelhos mas tranquilo.

– Acontece. Mas eu me referi a outra coisa.

– Não quero falar do Gaston...

– Eu vi ele saindo.

– Viu? – Luna a olhou. Ela se preocupava com ele, afinal ele era seu melhor amigo. – E como ele estava?

– Chorando. Ele não quis falar com a gen.. comigo.

Luna suspirou e sorriu disfarçadamente.

– A Sol está aí né?

– Ela está com o Matteo no refeitório.

– Com o Matteo?

– Sim. Ele disse que queria conversar com ela.

– Foi?! Legal, fazendo novas amizades.

– Tá com ciúmes do seu tutor querida?

– Eu nã... 

Luna começa a tossir e ficar pálida. Thalya se assusta e se aproxima da amiga com um copo de água. 

– Se engasgou?

Luna tomou a água e olhou para a amiga rindo.

– Sim, menina você precisava ver sua cara, você ficou apavorada.

– Você estava fingindo?

– Claro que não. Thalya pega o balde, eu acho vou...

Thalya rapidamente pegou o balde e Luna começou a vomitar. Ao passo que Luna ia vomitando, também ia chorando de dor.

– Socorro, alguém ajuda aqui. 

– O que ela tem?

 Âmbar entra no quarto. Ela havia voltado a sua rotina no hospital e naquele dia estava de plantão.

– Tá doendo... – Luna falava chorando. – Tá doendo muito.

Âmbar ao ver o desespero chama grita no corredor mandando chama o Simon ou a doutora Layla, ela se aproxima de Luna e a ajuda se sentar direito para botar tudo pra fora.

– Tá doendo muito, Âmbar, minha barriga tá doendo muito.

– A barriga? – Âmbar olha para o balde e arregala o olhos. – Onde está o Dr. Álvares? É emergência.

– Âmbar o que ela tem?

– Eu não sei, Thalya. Eu não sei.

– Âmbar, que gritaria é essa?

 Simon entra no quarto acompanhado da Layla. E Âmbar mostra o que tem no balde.

– Ela está vomitando, sangue.

Layla mandou a Thalya sair do quarto e outro médicos entraram lá, ela correu para a sala de espera e encontrou Matteo e Sol voltando do refeitório.

– Sen- senhor Ba... Balsano. 

– Thalya, tá tudo bem? Você tá pálida. – Sol falou a olhando.

– É a Luna, ela começou a passar mal e me mandaram sair do quarto.

– Como assim passar mal?

– Ela começou a tossir do nada, e disse que tinha se engasgado. Depois começou a vomitar, o médicos me mandaram sair do quarto, ela tava chorando sentindo dor na barriga e vomitando muito.

Matteo correu até o quarto e a porta estava fechada. Ele tentou entrar mas foi impedido por Simon, o médico falou que ninguém podia entrar e aquilo o deixou maluco.

– O que ela tem?

– Eu não sei, mas vamos fazer uns exames. Vá para a sala de espera, daqui a pouco lhe levo notícias.

– Ela vai ficar bem?

– Isso eu não posso dizer agora.


Notas Finais


Oieeeee
Fiquem tranquilos, que já vou começar a escrever o próximo capítulo. Não vou deixar vocês surtando dessa vez.
Mas esperem só um pouco, pq quero atualizar Amo por Contrato.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...