1. Spirit Fanfics >
  2. O melhor lugar do mundo (Taekook) >
  3. Capítulo 5

História O melhor lugar do mundo (Taekook) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Passando aqui para avisar que essa é um short fic, a partir de agora estamos na reta final.
Fiquem tranquilos que tem muito o que acontecer ainda.
Vamos de cap 5

Capítulo 5 - Capítulo 5


Acordo com um barulho de vozes no quarto. Abro os olhos e vejo Sana, junto do doutor falando com Taehyung. 

— E como está as noites? — o doutor pergunta. 

— Sinto dores, porém com menos intensidade, hoje a noite acordei com uma dor pequena quase nula, consegui dormir calmamente sem que ela me atrapalhasse — Taehyung responde. 

Isso já responde a minha pergunta do porque ele não me acordou essa noite.

— Bom dia — digo me levantando. 

— Bom dia — os três respondem. 

— Seu café está alí — Sana diz apontando para o meu café. 

Vou até ele e enquanto como ouço a conversa dos demais presentes no quarto. 

— O que vamos tentar hoje Kim Taehyung não é apenas te colocar sentado em uma cadeira de rodas, mas sim um avanço. Você sairá dessa cama, porém está impossibilitado de andar ainda, mas pode se locomocer. Poderá ir aonde quiser, contanto que não seja uma área restrita — o médico diz — mas só tentaremos se o senhor concordar. 

— Eu compreendo e concordo sim, doutor — ele diz. 

O doutor e Sana começam a trabalhar juntos para tira-lo da cama. 

Com muito tempo e suor Taehyung está sentado na cadeira de rodas. 

— Como foi? — O doutor pergunta. 

— Uma sensação estranha, já que tem um ferro no lugar do meu osso, mas nada que eu já não tenha sentido antes — ele diz. 

— Pronto Taehyung, está livre dessa maca — o doutor diz sorrindo e se retirando — qualquer dificuldade não hesite em chamar a Sana, ou qualquer outro enfermeiro. 

— Sim senhor — Taehyung diz, era notável a sua felicidade. 

Sana se retira logo atrás do doutor. 

— Olha você, pode andar por aí — digo a ele. 

— Andar ainda não — ele diz, aish Jungkook como você diz uma coisas dessas — e eu não conheço esse local, vou me perder assim que sair porta a fora! 

— Eu apresento o hospital para você — digo me levantando. 

— Agora? — ele pergunta. 

Concordo e abro a porta para ele passar com sua cadeira de rodas. 

— Quer que eu empurre? — ofereço. 

— Não precisa — ele diz, girando as rodas e correndo pelo corredor. 

— Vai devagar — grito correndo atrás dele. 

Taehyung entra no elevador e eu entro atrás dele. 

— Aish Hyung, não vá tão rápido — digo dentro do elevador. 

— Quero ver o Jimin, me leva até o quarto dele? — ele pede e eu concordo. 

Coloco o andar de Jimin e seguimos rumo ao seu quarto. Assim que as portas do elevador se abrem, eu ia saindo quando sem querer quase esbarro em um garoto mais alto que eu. Ele sorri mostrando suas covinhas e entra no elevador. 

Sigo rumo ao quarto de Jimin com Taehyung empolgado ao meu lado. 

Bato na porta e Jimin logo responde. 

Entro no quarto com Taehyung atrás de mim. 

— TAE! — Jimin grita. 

— Oi Jiminnie — Taehyung responde, abraçando o menor. 

— Oi para você também Jimin — digo. 

— Oi Jungkook — ele diz sorrindo — fico feliz que vieram aqui, você já está em uma cadeira de rodas Tae, que legal! 

— Sim — Taehyung concorda sorrindo — ainda não é andar, mas agora posso sair, não aguentava mais aquele quarto. 

Ficamos conversando a manhã toda, na verdade, acho que nossa "conversa" foi na verdade uma disputa entre Jimin e Taehyung para descobrir quem fala mais. E para falar a verdade, não sei quem ganhou essa disputa. 

— Amanhã voltamos para ver você Hyung — digo fechando a porta de seu quarto e saindo. 

Quando volto minha atenção ao corredor me desespero no mesmo momento, Taehyung sumiu. 

— Droga! — exclamo andando em passos apressados pelo corredor.

Taehyung é muito teimoso, ele não conheçe o local, pode se perder, custava esperar eu fechar a porta? 

Vou até o elevador e encontro o mesmo fechado, Taehyung já deve ter pegado o mesmo e agora está em um lugar não identificado. 

Observo logo em cima da porta do elevador em qual andar ele vai parar, me espanto em ver o elevador indo pelo lado contrário do nosso quarto. O elevador para, 1° andar. Ele foi para o jardim. 

Assim que as portas do elevador se abrem para mim, sigo rumo ao jardim. 

Sana vai nos matar quando não encontrar ninguém no quarto. Não imaginava que colocar Taehyung em uma cadeira de rodas ia ser tão prejudicial assim. 

Quando o elevador para saio apressado do mesmo e vou rumo ao jardim, o local é enorme, cheio de pacientes... Vai ser difícil encontrá-lo. 

Dois minutos depois rondando o jardim, encontro Taehyung conversando com uma menina, que aparenta ter uns 5 anos. 

Vou correndo até ele. 

— Taehyung como você sai assim? Não conhece esse local poderia ter se perdido, fora que a um horário desses Sana deve estar querendo quebrar nosso pescoço ao meio! — digo. 

— Shh! — ele me olha feio — não está vendo que estou ocupado? — volta a sua atenção para a menininha. 

— Quem é ela? — pergunto, vendo que a mesma não tem nenhum responsável por perto. 

— Foi o que me perguntei quando a vi sentada aqui sozinha sem seus pais, mas ela se recusa a falar alguma coisa — Taehyung diz. 

Me ajoelho em frente a mesma e a olho, ela é muito bonitinha, como toda criança. 

— Onde estão seus pais? — pergunto. 

Ela nada responde, só se encolhe cada vez mais. 

— Ela não fala — surge uma voz as nossas costas. Me viro de imediato e encontro uma moça. 

— Mil perdões — Taehyung diz se reverenciado, um tanto estranho por ele estar sentado na cadeira. 

— Sem problemas — a moça lança um sorriso cúmplice — ela não tem pais, fugiu do quarto denovo não é mocinha? — diz pegando a menininha no colo. 

— Quem é você? — pergunto. 

— Prazer, sou Park Jihyo e essa mocinha teimosa aqui é a minha colega de quarto Im Nayeon. Ela tem o costume de fugir do quarto e vir até aqui, sempre a encontro no mesmo lugar — ela diz. 

— Conheço uma pessoa que também gosta de fazer esse tipo de coisa — digo olhando de relance para Taehyung. 

— Bom temos que voltar, não é Nayeon? Até mais — ela diz sorrindo e saí. 

— Qual é o seu problema? — digo me virando para Taehyung. 

— Aish Jungkook, desculpa. Eu queria vir aqui um pouquinho, mas vi aquela menininha aqui sozinha e quis ajudar — ele diz com um biquinho fofo. 

Droga! Não consigo ficar bravo com ele, Taehyung é fofo demais para se brigar. 

— Tudo bem Taehyung, mas não faça mais isso! — digo. 

— Quem vê de fora pode até pensar que você é o Hyung entre nós — ele diz sorrindo. 

Sorrio também, de fato pelo jeito como somos e agimos eu tenho uma postura mais velha que Taehyung. 

— Vamos voltar Hyung, Sana vai nos matar! — digo, empurrando sua cadeira de rodas. 

— Ya! Jungkook-ah eu posso ir sozinho — ele diz tentando tirar minhas mãos de suas cadeiras. 

— Nada disso, é mais seguro eu levá-lo, sabe-se lá quais problemas mais podemos arrumar com você sob total controle dessa cadeira de rodas — digo e Taehyung bufa. Sorrio com a cena, embora Taehyung seja desse jeito mais extrovertido eu gosto de sua companhia, ao conhecer ele estou mudando meus conceitos sobre a vida. Talvez, mas só talvez, uma vida agitada não seja tão ruim assim.


Notas Finais


Obrigada por ter chegado até aqui.
Até a próxima 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...