História O Melhor Pior Aniversário - Capítulo 1


Escrita por: e zpyo

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags 10132017, Chimchimday, Happy Jimin Day, Jiminhouse, Park Jimin, Sugamin, Yoonmin
Visualizações 297
Palavras 1.939
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Fluffy, Shonen-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


|| Letícia: De um dia pro outro eu me vi apaixonada por esse ser tão lindo chamado Park Jimin, mesmo estando tão longe ele conseguiu me trazer muita alegria e eu sou grata por isso. Te amo ChimChim!

Emily: Quando conheci o BTS o primeiro ser humaninho que me conquistou foi esse bebe <3 Ele é até hoje meu UTT do BTS, embora eu ame tanto esses meninos que não consigo escolher um só. Espero mesmo que ele nunca perca esse brilho único dele e nunca tire esse sorrisinho perfeito do rosto. #HappyJiminDay ||

Boa leitura, amores^^

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction O Melhor Pior Aniversário - Capítulo 1 - Capítulo Único

O aniversário de Jimin finalmente havia chegado e ele esbanjava felicidade. Sorria admirando as árvores coloridas pelos tons quentes do verão que se despedia durante a nova estação, essas mesmas que coloriam as ruas, calçadas e telhados. Mas Park não via aquelas folhas caídas como um adeus e sim como um “Olá inverno, seja bem-vindo”, via como um olá à coisas novas. E era desse mesmo modo que ele via seu aniversário, não como um adeus a sua idade, mas como um olá à nova fase da sua vida.

Para ele, a melhor parte de estar de aniversário era poder ficar rodeado por todos os seus amigos e comemorarem juntos essa nova etapa da sua vida. Era nítida sua animação e ansiedade para saber o que seus amigos e também seu namorado fariam para comemorar esse dia. Enquanto andava pelas ruas do seu bairro, perdido em seus felizes pensamentos, avistou Taehyung vindo em sua direção. Um largo sorriso estampou-se em seus lábios e logo acenou para o amigo.

— TaeTae!

— Ah, oi Jimin! — o cumprimentou ao se aproximar, no entanto, Taehyung não parecia estar tão animado quanto Jimin.

— Quer dar uma volta comigo? — convidou ainda mostrando seu sorriso contagiante.

— Desculpa, Chim...Eu combinei de me encontrar com o Hoseok e já ‘to atrasado. — respondeu olhando para o relógio em seu pulso. — Até mais!

Antes que o garoto pudesse dizer mais alguma coisa, Taehyung saiu apressado. O sorriso de Jimin já havia se desfeito, agora ele estava magoado. Como seu melhor amigo pôde se esquecer de seu aniversário?  

Não posso ficar abatido no meu aniversário! — pensou. Então tirando seu celular do bolso resolveu ligar para Jungkook.

“Alô?” — atendeu o mais novo.

— Oi, Kookie! É o Jimin! Que acha de sairmos... — enquanto falava fora interrompido pelo amigo.

“Desculpa, Hyung. Estou ocupado agora. Vou desligar.” — e desligou.

Jimin ficou encarando o telefone por alguns segundos no meio da calçada na qual caminhava, tentando controlar sua frustação misturada com tristeza.

O que deu nesse moleque? Desligou na minha cara! Nem deu uma desculpa convincente!

— No meu aniversário... — balbuciou.

Já não estava mais a fim de caminhar, o que era para ser um passeio alegre acabou o deixando triste. Então rumou para sua casa, abatido e sozinho. Ao adentrar seu bloco, lembrou-se de um ser pequeno e branquinho que o aguardava. “Yoongi com certeza se lembra!”, pensou e então caminhou feliz até seu apartamento. Ao entrar viu seu namorado sentado no sofá enquanto mexia em seu próprio celular. Ele estava arrumado; maquiagem, jaqueta de couro, calças jeans rasgadas, seu relógio caro no pulso e seus cabelos aloirados — que Jimin via como um pecado capital — um tanto bagunçados, apenas para completar o estilo do mais velho.

— Hyung! — Park colocou seu melhor sorriso no rosto – aquele que sempre guardava para Min –, caminhou até o namorado, sentou-se ao seu lado e colocou a perna direita sobre a esquerda do mais velho. — O que ‘tá fazendo?

— Jiminnie, vou sair com uns amigos. — levantou-se sem olhar muito para o mais novo.

A expressão contente de Jimin havia sido levada pelas palavras do seu Hyung. Park simplesmente não conseguia entender como seu namorado — geralmente muito carinhoso em datas especiais — havia esquecido de seu aniversário.  

Mas ele nunca foi de prender o namorado ou especular sua vida. Nada disso. Ele era seu namorado, não seu filho. Então limitou-se apenas em perguntar se Yoongi voltaria muito tarde.

— Talvez. — pegou sua carteira na estante e saiu.

Nem um beijo de despedida. Sequer um selinho.

Como da noite para o dia, Min Yoongi, o amor da sua vida, mudou tanto?

Os pensamentos obscuros de Jimin resolveram vir à tona para fazê-lo desabar. “Por que justo no meu aniversário?”, “Eu não sou importante para ele?” e o pior de todos “Será que ele não gosta mais de mim?”.

Os olhos do garoto, antes marejados, agora não conseguiam conter as lágrimas que derramavam. Não conseguia acreditar que até Yoongi havia esquecido de seu aniversário. Fechou os olhos e respirou fundo, ele não queria chorar, não podia deixar isso acontecer.

Então se recompôs e lembrou-se da companhia de Jin, que, além de o alegrar, fazia questão de sempre preparar um bolo para ele em seus aniversários.

 Jimin ainda tinha esperanças de que alguém se lembrasse.

Ao chegar na casa de Jin, tocou a campainha e bateu na porta diversas vezes, mas parecia que o mais velho não estava em casa, então pegou seu celular e ligou para ele.

— Hyung, onde você ‘tá? — perguntou assim que o outro atendeu.

“Estou almoçando com o Nam, por quê?” — perguntava calmo. Talvez realmente não lembrasse do aniversário do Dongsaeng.

— Ah, é que eu estou aqui na frente da sua casa. — colocou a mão livre no bolso de sua calça e chutou uma pedrinha que estava a sua frente. — Vai chegar muito tarde?

“Acho que sim, nós ainda queremos ir em outros lugares.” — Jimin conseguia ouvir o som de talheres e pessoas conversando no fundo da outra linha.

— Está bem. — fez uma breve pausa. — Até mais, então. — e desligou.

Todos haviam se esquecido, todos estavam ocupados demais para se lembrarem que era um dia especial para Jimin, o dia em que ele completava seus vinte e dois anos.

Jimin estava magoado. Em casa, pegou um bolo Ana Maria em seu armário, foi para um canto escuro do quarto que dividia com Yoongi e pois pra tocar Pity Party da Melanie Martinez.

— “Tell me why the hell no one is here” — cantava alto abraçado a um travesseiro.

Já era a quinta vez que ele ouvia a música e ele já havia comido os dois bolinhos, Park não aguentava mais passar seu aniversário do mesmo jeito que passou em seu primeiro término de relacionamento; triste e não querendo chorar.

Então vestiu um casaco, pegou sua carteira e entrou no primeiro ônibus que viu. Queria se perder. Se perder do mundo e de si mesmo.  No entanto, quando o ônibus chegou ao fim da linha e Park desceu, aquele não era o lugar mais bonito do mundo e também não parecia ser o mais seguro. Então toda a coragem que Jimin teve ao deixar tudo e se enfiar em um ônibus com paradeiro desconhecido, o abandonou.

Jimin olhou em volta. Parecia ser o único ser vivo em meio aquelas ruas desertas. Com certeza um alvo fácil para qualquer malfeitor.  Suas mãos começaram a suar, olhou em volta e viu que alguém se aproximava, era um homem e, julgando por sua aparência, não parecia ser nem um pouco confiável.

— O que está fazendo sozinho aqui, rapaz? — o homem perguntou enquanto aproximava-se.

— E-eu... — se afastou. — Pode me informar onde estou? — perguntou gentil, tentando não demostrar seu medo e nervosismo. Afinal, poderia estar errado sobre o cidadão.

— Então quer dizer que você está perdido? — um sorriso assustador se formou nos lábios do homem.

Jimin, sem pensar duas vezes, começou a correr. O garoto não queria ser abusado ou morrer bem no dia de seu aniversário, por mais que não estivesse sendo nem de longe, um dos melhores. O homem começou a correr atrás dele, o que só deixou Jimin mais aflito. Ao chegar em uma rua mais movimentada, entrou em um restaurante na intenção de se esconder, os que estavam ali presentes o encararam por um instante, assustados com a forma súbita em que Park entrou no estabelecimento.

— Desculpa, será que você poderia me dizer onde eu estou? — perguntou para a recepcionista.

Assim que a funcionária lhe informou, pegou seu celular e ligou para Yoongi.

— Hyung! — seu tom desesperado assustou um pouco Min do outro lado da linha. —Vem me buscar, por favor! — respirou fundo para não chorar. — Estou com medo!

“Como assim? Onde você ‘tá?” — o mais velho ficou preocupado. Em que tipo de problema Jimin teria se medito agora?

O mais novo passou o endereço de onde estava, Yoongi pediu para que ele não saísse dali pois logo chegaria. Quando Yoongi entrou no local, Jimin foi correndo até ele e o abraçou.

— Seu louco! O que ‘tá fazendo aqui? — questionou retribuindo o abraço do namorado.

— Me tira logo daqui! — Park pediu escondendo seu rosto no peito do outro.

Para a sorte de Jimin, ele havia pegado o carro de Jin emprestado, o que diminuía as chances de se encontrarem com aquele homem novamente. Entraram no veículo e logo Yoongi deu a partida. Jimin se manteve em silêncio, ainda estava magoado por seu companheiro não ter lembrado do seu aniversário.

— Por que veio a um lugar que nem sequer conhece? — Min perguntou curioso enquanto dirigia.

— Queria apenas dar uma voltinha. — cruzou os braços e suspirou, o que fez o outro rir. — O que foi?

— Nada. — respondeu contendo o riso. — O Hoseok nos chamou para ir na casa dele, disse que tem uma coisa importante pra falar. — disse calmo e um tanto sério.

— O quê? — Perguntou sem ânimo.

— Não sei... — respondeu brevemente.

Então foram para casa de seu amigo, porém, Jimin não estava nem um pouco animado, já que sabia que ninguém diria “Feliz aniversário!” para ele naquele dia.

— É hora do almoço, por que Hoseok tem que ser tão inconveniente? — queixou-se Jimin que apenas queria ficar sozinho depois de ter sido tratado daquela maneira por seus amigos.

Yoongi apenas ignorava as reclamações do namorado enquanto desciam do carro estacionado em frente ao prédio do amigo.

— Parece aquelas tias chatas que ligam pra sua mãe enquanto ela ‘ta fazendo almoço. — fez uma pausa para cumprimentar o porteiro que já os conhecia e entrarem no elevador. — Daí você ‘tá lá, com fome e sua mãe no telefone deixando o arroz queimar!

— Ai chega, Jimin! — disse um pouco exaltado. — Não aguento mais! — alisou a testa tentando ignorar o estresse do mais novo.

— Sabe quem não aguenta mais? EU! — a voz aguda de Jimin parecia se esganiçar mais quando ele aumentava seu tom. — Pois eu pensava que você estaria ocupado com seus amigos. — alfinetou.

— Você vem em primeiro lugar. — respondeu. Jimin não sabia se achava fofo ou ficava com raiva.

— Não parece. — Yoongi olhava tedioso Jimin surtar. Park ia reclamar mais, mas o elevador abriu no andar de Hoseok.

Cainharam até o apartamento dele e Jimin tocou a campainha, a demora só deixou Jimin mais irritado.

— Calma, baixinho! — Jimin apenas o olhou feio, ele odiava que o chamem assim, ainda mais Yoongi, que era da sua altura.

— Ele vai nos fazer ficar esperando? Porque eu ‘to com fome!

Yoongi apenas deu um breve sorriso e girou a maçaneta, logo abrindo a porta que estava destrancada. Ao abri-la por completo, confetes foram jogados para o alto.

— Surpresa! — os que haviam se “esquecido” do aniversário de Park, gritaram em uníssono.

— M-mas o que... — o garoto havia ficado sem palavras.

— Você realmente achou que tínhamos esquecido? — Namjoon perguntou com um grande sorriso.

— Parabéns, Jiminnie! — Jungkook, que segurava um bolo, se aproximou. — Assopre as velinhas!

Jimin não podia estar mais emocionado. Soprou as velas e todos comemoraram.

— Não acredito que vocês fizeram isso. — disse enquanto limpava suas lágrimas. — Obrigado!

— Você merece, seu bobo! — Jin respondeu.

— Seu melhor amigo não esqueceria do seu aniversário jamais! — Taehyung o abraçou.

— A globo deveria contratar vocês. — Jimin brincou ainda emocionado com a situação.

— Foi realmente difícil fazer a minha cena. Jimin já estava bem abatido quando entrou em casa. — riu soprado.

— Hyung! — abraçou seu namorado que retribuiu o ato. — Eu achei que você não gostava mais de mim. — chorava no peito do mais velho.

— Tudo bem, meu amor. — beijou o topo da cabeça de Jimin e acariciou suas costas.

No fim das contas, esse dia se tornou o mais feliz para Park. Ele estava com as pessoas que mais amava e que o queriam bem.

— Agora me deem minha comida!


Notas Finais


Muuito obrigada por ler^^ Não esqueçam de comentar! Beijus

|| LINKS IMPORTANTES ||

Assistam esse compilation de feliz aniversário pro Jimin <3
https://twitter.com/barmysense/status/918556762256674818

Não esqueçam de votar no BTS^^
http://mwave.interest.me/en/mmusicchart/result

Deem view em DNA para alcançarmos os 200 milhões sz
https://www.youtube.com/watch?v=MBdVXkSdhwU

PEDIDOS DE CAPAS:
https://goo.gl/forms/31esFFYRykwQxrSl1

PORTFÓLIO:
http://moomyfanfics.weebly.com/

Conheçam nossas outras fanfics <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...