1. Spirit Fanfics >
  2. O Melhor Treinador >
  3. Sim! Algo a mais!

História O Melhor Treinador - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Sim! Algo a mais!


O jogo das semifinais iria ser difícil, porém por um acaso do destino, recebo uma ligação de uma velha amiga que iria passar férias em Magnólia. Kyria é uma excelente jogadora de Guiltina e eu a convidei para ajudar as minhas meninas no treino, algo que ela concordou gentilmente.

A princípio, tudo parecia ir bem. As garotas gostaram de Kyria e absorveram muito bem os ensinamentos dela. Só que, quando eu comentei com minha namorada que Kyria iria se hospedar em nossa casa, a albina fechou a cara.

Mirajane não reagiu bem a tudo isso. Primeiro ela começou a evitar transitar pela casa nos mesmos espaços que Kyria estivesse e em seguida, tão perdida em ciúmes, decretou greve de sexo como castigo. Depois, além disso tudo, pegou suas coisas e voltou para casa dos seus irmãos.

Eu não julgava a albina, depois de alguns dias eu tive certeza que Kyria estava dando mole para mim, principalmente depois de três dias na nossa casa, depois de ter se acostumado com a rotina de Mirajane.

De manhã a albina estava na aula, de tarde no treino e durante a noite voltava para a casa.

Quando Mirajane não estava, Kyria sempre buscava interagir comigo sob qualquer pretexto e qualquer circunstância, trajando apenas sutiã e calcinha, ou um biquíni alegando que estava com calor. Coincidentalmente só fazia calor quando minha mulher estava fora de casa.

No terceiro dia de estadia de Kyria em minha casa, a mulher se aproximava e tentava criar um vínculo mais íntimo com perguntas mais pessoais. Eu ainda estava confuso a respeito da intenção dela, então respondia sem problemas. Até que ela começou a perguntar da minha intimidade com Mirajane: se tínhamos um relacionamento aberto, quantas vezes transavamos por semana, se ela era boa de cama e quais posições nós gostávamos no sexo.

Depois de convencê-la que eu e Mirajane éramos monogâmicos, que transavamos com bastante frequência e que nosso sexo era gostoso e intenso, Kyria então disse: "então será difícil roubar uma noite de prazer com você dela", então saiu andando. A guerra estava travada.

Mesmo nessa situação, eu nunca contei para Mirajane sobre Kyria para não deixá-la mais puta com a situação toda. Acredito que foi um erro meu.

Embora eu fizesse de tudo para ignorar completamente as investidas da loira… caramba, não dava para não olhar vez ou outra aquela paisagem.

Já fazia uma semana que Kyria estava hospedada aqui. Tentei me manter o máximo de tempo possível trancado no meu quarto, mas precisava sair para me alimentar e torcer para a loira não me ver. Porém, tarde demais. Aquela mulher estava na cozinha preparando o que seria o almoço, só que, o mais curioso era que ela não estava com calcinha e sutiã… e sim totalmente nua exceto pelo avental.

Ela me disse que eu deveria me sentar e apontou para uma cadeira da sala de jantar. Minha sala de jantar era mesclada com a cozinha, então quando me sentei, pude perceber que aquela posição era a posição estratégica para a visão da cozinheira… ou seja, a visão de Mirajane totalmente nua. Só que ali estava Kyria, e meus instintos primitivos me fizeram ficar de pau duro vendo a bunda escultural totalmente a mostra. Cruzei as pernas.

"O que gostaria de almoçar, Laxus?", a loira gentilmente me perguntava enquanto cozinhava. "Eu sei fazer praticamente tudo gostoso".

"Sexo também?", brinquei sem saber na roubada em que eu estava me metendo, obedecendo os meus instintos primitivos, e não a razão.

A mulher deu uma risadinha manhosa enquanto habilmente cortava todos os ingredientes. Ela possuía uma destreza sem igual com objetos cortantes, e me lembre que um dos títulos ostentados por Kyria era de "mestre das lâminas".

"Principalmente sexo", ela disse sem se virar para mim.

Tentei me distrair com um livro enquanto Kyria rondava pela cozinha preparando o almoço. Ainda sem se virar para mim, ela perguntou o que eu gostava de comer. Eu disse a ela que não possuía besteiras e comeria qualquer coisa. Tentei encurtar nossa conversa o máximo possível para que tudo terminasse o mais rápido possível e para que a besteira que eu falei ter o mínimo de impacto possível.

Porém, não adiantou. Apesar de eu tentar não manter contato com ela, ela queria o total oposto. Kyria então se virou e caminhou até onde eu me sentava. Ela sentou no meu colo de supetão e perguntou o que eu estava lendo.

"Um livro sobre… psicologia do desejo", disse no automático e bem nervoso, percebendo depois de soprar as palavras com os lábios que a temática do livro combinava bastante com o momento, algo muito ruim.

"Parece interessante. Sobre o que diz o livro?".

"Eu ainda estou lendo", disse-lhe para encerrar aquilo.

"Me conta até onde leu".

"Não sei explicar".

"Utilizando o exemplo da gastronomia, para mim, desejo é querer comer algo cheiroso, bem aparentado e delicioso… o mais rápido possível, para não esfriar".

"Eu não posso…".

"Seu pênis duro pulsando na minha bunda diz o contrário", Kyria me deu um beijo apaixonado. Muito rapidamente ela forçou a passagem da sua língua, entregando um beijo ardente que já deveria ter sido entregue a muito tempo. Toda a ação durou menos do que dez segundos, pois logo eu voltei a mim mesmo e me desvencilhei do beijo e tirei a mulher do colo, me afastando dali o mais rápido possível e sem olhar para trás. No meu quarto, uma punheta me ajudou a encerrar a primeira semana sem Mirajane e com aquela loira gostosa querendo fazer o que minha albina estava se recusando.


Depois de uma semana sem Mirajane, eu temia pelo pior. Eu já não conseguia resistir aos meus instintos, como se um fogo me consumisse e precisasse ser apagado a qualquer custo. E tinha alguém naquela casa doida para usurpar o lugar da minha albina.

Fazia um lindo dia quando eu fui até a área de recreação da minha casa quando encontro Kyria próxima da piscina tomando sol de uma maneira bem peculiar… ela estava completamente nua, mas dessa vez sem nenhum avental como no caso do dia anterior.

"Olá Laxus, que bela piscina vocês têm aqui", a loira disse sorrindo.

Eu a princípio fiquei sem reação vendo a bunda perfeita dela totalmente exposta. Quando encarei a mulher novamente, ou melhor, a bunda dela, ela pareceu achar tudo muito divertido.

"Estive te esperando. Eu preciso que você passe o protetor solar nas minhas costas pois não consigo alcançá-las".

Pensando novamente com a cabeça de baixo, peguei o protetor solar, me ajoelhei do lado da loira e despejei o produto nas costas dela, espalhando com as mãos por toda a extensão das costas.

"Aposto que a Mirajane deve ter o mesmo problema, né?".

"Tem sim", eu disse, terminando de espalhar pelas costas dela.

"Não esqueça da minha bunda também", a loira disse me provocando.

"Só posso chegar até aqui, desculpe", eu disse.

"Deixa de besteira… aposto que você deve comer a Mirajane bem aqui, desse mesmo jeito", Kyria colocou a mão esquerda entre as minhas pernas, sentindo meu órgão. "Que caralhão. Você está duro assim só por causa da minha bunda?".

Me levantei para ir embora, mas a loira se levantou junto, deixando seus peitos e vagina à mostra.

"Sua esposa sem graça nem mesmo quer transar com você. Eu sou muito mais gostosa que ela. Vamos transar aqui e agora, ninguém precisa saber".

Me deixei levar por um tempo pelas palavras da loira. Mirajane não queria transar comigo e meu cérebro, preferindo ouvir a voz da emoção, me impulsionou a agarrar a loira pela bunda e dar um beijo nela.

Troquei uns cinco beijos com Kyria enquanto as mãos dela estavam dentro do meu calção, me masturbando.

"Você já já irá esquecer daquela fodida da Mirajane", as palavras cruéis de Kyria a respeito da mulher que eu verdadeiramente amava me fizeram despertar do transe. Afastei a loira na mesma hora, que no alto de sua arrogância apenas lambeu os lábios e sorriu.

Todo esse desejo acumulado era como uma panela de pressão. Parecia que meu pênis controlava o meu corpo e ele estava querendo gozar dentro de Kyria. Fui até o banheiro e sem aguentar mais, precisava aliviar o desejo que sentia pela loira.

Quando abri a porta do banheiro, coloquei meu pênis para fora da calça e comecei a fazer o movimento já conhecido. 

No desespero eu nem lembrei de fechar a porta, tirei meu pacote do calção e tentei gozar o mais rápido possível. Só percebi que deixei a porta aberta quando fui abraçado pelas costas e uma mão substituiu a minha no meu pau. Kyria encostou o rosto no meu ombro e gentilmente me masturbava.

"Kyria, por favor, não", eu disse.

"Tudo bem, só quero te ajudar a aliviar isso".

"Eu vou permitir, mas isso é o máximo que chegaremos, ok?", a loira nada respondeu, apenas continuou o movimento.

Soltei alguns gemidos no processo. Kyria sabia muito bem como dar prazer usando as mãos.

"Você disse para a albina que rompeu um noivado? Que ela te roubou de mim?".

"Não foi exa-".

"Ou seja, você traiu a sua noiva com a Mirajane".

"Entenda que-".

"Você é o pai da minha filha, porra! Já disse isso para a albina?".

"Entenda que não existia amor no jogo. Eu e você estávamos bêbados. Já Mirajane, eu amo ela com todas as células do meu corpo. Eu não amo você, Kyria".

"Você diz que ama ela mas é um hipócrita. Ela não sabe sobre nós e sobre nossa filha… Minha oferta final para você, loiro: Pare de lutar contra isso!".

"Eu confesso que não tive coragem de dizer…".

"Você quer foder intensamente comigo. Por qual motivo então você deixou sua albina ir embora? Por qual motivo eu estou a mais de uma semana na sua casa? Nós dois queremos a mesma coisa".

"Nós dois somos comprometidos! Eu soube que você casou recentemente… eu pesquisei sobre você, me desculpe".

Kyria pareceu pensativa e olhou para o lado.

"Um casamento por interesse, você diz… ou acha que aquele velho significa algo para mim?".

"Você é cruel".

"Realmente acha que eu chegaria na posição que eu mereço apenas por mérito? Isso não existe".

"Não vou trair minha mulher com você".

"Eu cansei de brincar com você. Eu te ofereço uma foda comigo. Só uma. Vou te dar tanto prazer que você nem vai lembrar da Mirajane. Eu posso largar meu marido e você ela. Eu ainda sou perdidamente apaixonada por você. As férias é só a porra de uma desculpa. Eu vim até Magnólia SÓ pra te ver! Então fode comigo, por favor!".

A loira continuou me masturbando sem parar enquanto me abraçava gentilmente e beijava meu ombro com delicadeza. Ficamos por algum tempo sem dizer nada um para o outro. Eu gemia um pouco e ela beijava meu ombro.

"Eu quero muito te comer Kyria. Desde que eu te vi passar pela minha porta. Você é muito gostosa, gostosa pra caralho. Mas a Mirajane é tudo para mim e eu não vou fazer isso com ela".

"Tudo bem… pelo menos pude tocar uma pro homem que eu me apaixonei", Kyria continou a beijar meu ombro como se fosse algo precioso.

Embora eu me mantivesse firme nas minhas convicções, aquela punheta tinha que ser dedicada para quem eu amava. Imaginei que eram as mãos carinhosas de Mirajane ali, até gozar tudo.

"Whoaa, saiu bastante!", Kyria disse.

Meu sêmen sujou praticamente o banheiro todo e também a mão da loira. Ela chupou cada gota dos seus dedos com a voracidade de uma recompensa estimada.

"Então é isso? A menina mais nova sai vencedora… já que não vou ganhar nada aqui, irei embora".

"Acha que é só assim, fofa?", eu e Kyria olhamos ao mesmo tempo para a porta que estava entreaberta, encontrando ninguém mais e ninguém menos que Mirajane. "É só vir na minha casa, dar em cima do meu homem e ir embora?".



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...