História O Melhor Treinador - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem a demora para atualizar, estive bastante ocupada com assuntos da universidade.

Capítulo 5 - Três


"Ei, pra onde você está me levando?", Lucy, um tanto apreensiva, tremia bastante, embora continuasse me seguindo. "Você está pelada!".

Sorri para a loira e continuei a guiá-la pelo corredor até a porta do quarto onde eu e Laxus dormimos. Lá dentro, a visão do quarto amplo e bem decorado dava destaque a enorme cama de casal, onde Laxus dormia profundamente coberto pelo edredom cor de rosa com flores de cerejeira estampados.

"Mira, o q-", interrompi a loira pressionando meu dedo indicador contra os lábios dela.

"Só estou atendendo seu pedido. Você precisa foder com um homem de verdade, não?"

Me aproximei da cama, retirando o edredom de cima do corpo musculoso do treinador, revelando o enorme membro enrijecido.

"Ele fica duro quando está dormindo, me pergunto se ele sonha comigo", dei uma risada.

"Puts, o Natsu ficava duro quando dormia também… homens são bizarros", respondeu a loira com um riso nervoso.

Subi na cama e fiquei de joelhos em uma posição que poderia me deliciar completamente com o sabor do membro cavalar do meu namorado. Comecei dando leves beijos na glânde dele, e aos poucos lambendo também de leve. Percorri com meus beijos toda a extensão do pênis de Laxus até o seu saco, que abocanhei. O loiro parecia se remexer de prazer, e ainda de olhos fechados sussurrou meu nome.

"O que você está esperando, loira?", chamei Lucy, que estando tensa, se moveu que nem um robô. 

"Porra, o pau dele é maior do que eu imaginava", a loira abaixou-se também, chupando o pênis do meu namorado como se fosse um picolé.

Logo, eu e Lucy começamos a distribuir beijos por toda a intimidade de Laxus, da cabeça até o saco, enquanto isso, Laxus gemia meu nome de uma forma muito sensual. Porém, somente quando nós duas começamos a chupa-lo pra valer, o loiro deve ter se tocado da presença de, não mais uma, mas duas línguas no seu pau, e abriu os olhos.

"Mirajane? Lucy? Que porra é essa?", assustado, o loiro recuou um pouco. Parei de estimula-lo e, engatinhei pela cama até ficar cara a cara com meu treinador gostoso. Beijei-o.

"Calma, meu amor… pensei que poderíamos nos divertir juntas hoje".

O loiro pareceu não acreditar no que estava acontecendo, até Lucy voltar a chupa-lo com total intensidade, fazendo Laxus gemer de forma engraçada e fofa ao mesmo tempo. Beijei ele com paixão, o que foi prontamente retribuído com mais beijos quentes que só aquele loiro sabia como fazer. Quando nos beijávamos, o tempo parecia congelar. Éramos como duas pessoas perdidas em um deserto, morrendo de sede e insolação e nossas bocas eram um lindo oásis de águas cristalinas.

 Eu e Laxus precisávamos matar nossa sede, mas quanto mais bebiamos da água, mais sede sentíamos, o que tornava quase impossível me separar dos lábios dele… até, até bebermos tanto que estamos nos afogando. Nos separamos com um filete de saliva, respirei profundamente e voltei ao meu oásis. Lucy continuava chupando o pênis do meu loiro e masturbando ele como se também precisasse urgentemente beber matar a sua sede. 

"Eu não entendo, por quê?", Laxus disse entre nossos beijos.

"Quero que você dê tanto prazer para a Lucy quanto para mim. Faça ela gozar",  nossos lábios se separaram novamente. Levantei da cama e me sentei em uma poltrona que ficava na lateral da nossa cama, onde eu pretendia ver toda cena que se desenrolaria ali. Até onde Lucy e Laxus poderiam chegar? Quantas vezes ela gozaria para o pau do meu namorado? Espero que ela realmente aprecie um homem de verdade.

Laxus sentou-se e segurou Lucy pelos cabelos. Ele gentilmente conduzia a loira enquanto ela continuava com o boquete. Em certo momento, Laxus empurrou a cabeça de Lucy lentamente até ela engolir totalmente aquele enorme pênis. Minha amiga fez um belíssimo garganta profunda no pau do meu namorado e seu rostinho ficou completamente avermelhado no processo.

"Minha vez de te chupar". Laxus levantou e ergueu Lucy com os braços musculosos. Jogando-a de costas para a cama. Ele beijou-a profundamente, com um beijo de língua. Lucy retribuiu se entregando totalmente. Descobrindo toda fartura que existia no meu oásis particular. Laxus desceu seus beijos para o pescoço de Lucy, arrepiando cada pêlo do corpo da loira. Lucy ainda estava com uma das minhas camisas largas que utilizava como pijama, Laxus apenas subiu a camisa até os peitos da Lucy ficarem visíveis.

"Não são tão grandes quanto os da Mira, mas você pode utilizá-los como quiser", disse Lucy totalmente vermelha.

"São perfeitos, Lucy", Laxus balançava os peitos de Lucy, batendo-os um contra o outro. Brincando com eles como uma criança. Depois começou a lamber e chupar lentamente cada biquinho dos seios de Lucy, fazendo-a gemer baixinho.

Laxus percorreu o restante do corpo da loira com uma trilha de beijinhos, fazendo-a corar bastante, e então retirou o short de dormir que a loira usava com total selvageria, deixando-a só de camisa e calcinha, mas ele não foi até a buceta dela logo de cara. Depois de distribuir vários beijinhos na barriga malhada de Lucy, Laxus beijou toda a extensão das coxas da garota.

O treinador estava se provando um garoto malvado, pois até da minha distância dava para perceber o quanto Lucy já estava molhadinha querendo a língua de Laxus no seu clitóris.

"Por favor, não tenha nojo de mim!", Lucy disse enquanto cobria seu rosto com as mãos, porém logo foi surpreendida com uma risada de Laxus, que segurou em uma das alças da calcinha de Lucy e rasgou-a ao meio, revelando a loira por completo.

Pelo contrário da experiência de Lucy com seu ex namorado, Laxus não demonstrou nem medo, nem nojo, nem compaixão daquela buceta. Ele devorou-a tão intensamente que provavelmente os vizinhos iriam ouvir os gemidos que Lucy deu nessa noite. Depois de sua experiência com Juvia, Laxus era a segunda pessoa que desfrutava por completo da loira, dando-a o merecido prazer… e porra, Laxus dava prazer pra caralho.

Laxus tinha um misto ao mesmo tempo de delicadeza e ferocidade quase inexplicável. Ao mesmo tempo em que gentilmente ele percorria os grandes lábios da buceta da loira, e distribuía diversos beijinhos delicados, se parecia com um animal selvagem que devorava a presa indefesa.

Acho que é o brilho no olhar. Aquele brilho intenso de quem se excita vendo sua parceira gemer e se contorcer toda de prazer. Isso só se comprova ainda mais quando Laxus começou a chupar o clitóris da loira e a penetra-la com o dedo ao mesmo tempo. Lucy exclamava seu prazer, que reverberava pelas paredes do quarto.

Lucy agarrava a colcha de cama com tanta firmeza que poderia rasgar, ao passo que parecia que iria esmagar com as coxas a cabeça de Laxus, que não parava nem por um segundo de explorar a buceta de Lucy com os dedos enquanto chupava e lambia o clitóris com vigor. Eu sabia que logo, logo era iria…

"Gozar! Goza, Lucy!", Gritei quando enfim um jato de prazer esguichou em Laxus, que chupou-o por inteiro.

Lucy, desfalecida na cama ainda estava no "mundo onírico da lua" e mal pode se recuperar da gozada que deu quando Laxus levantou as duas pernas da loira e fodeu ela com força, martelando a buceta dela, fazendo um som erótico da fricção do pênis com a buceta encharcada de prazer ao mesmo tempo que as coxas e o saco dele batiam naquela bundinha suada.

Lucy continuava agarrando com força a colcha da cama enquanto Laxus estocava fundo. Ela estava apoiada de costas na cama enquanto suas pernas cruzadas para cima apoiavam-se no ombro de Laxus, que estava de pé e abraçava as coxas grossas da loirinha ao mesmo tempo em que fodia ela sem parar. Eu já havia transado inúmeras vezes com Laxus naquela posição, mas não fazia ideia de que daquele ponto de vista essa era uma posição tão sexy. Laxus tinha uma visão total da bunda da loira enquanto poderia se deliciar a vontade com o rosto de prazer daquela mulher deitada.

Aquele sexo selvagem entre esses dois ficou ainda mais quente quando Laxus abriu de vez as pernas da loira, expondo todo o corpo sarado dela. Ele segurou com ambas as mãos na cintura dela e fodeu com ainda mais intensidade, castigando a buceta safada da Lucy, que escorria bastante líquido.

Laxus segurava as pernas de Lucy pelas coxas enquanto comia ela paixão. Eu posso dizer que Lucy derretia de prazer ao ponto de começar a perder o controle do seu corpo, o que fez meu namorado descer as pernas dela segurando-a pelas canelas para enfim, levantar as pernas da loira em direção ao tórax dela, enquanto ele aproximava-se, subindo na cama de joelhos, e então penetrando Lucy profundamente. Os dois pés da garota estavam juntos apoiados no peitoral dele, enquanto os joelhos dela estavam colados no seu próprio tórax. Lucy a essa altura suava bastante e se esforçava para não perder a cabeça embriagada de tanto prazer, mas não parecia dar tanto resultado, ainda mais quando era penetrada com tanto ímpeto, estimulando seu ponto G.

"Caralho, tô gozando! Me come com força!", Lucy gritava de prazer e escorregava suas pernas para 'abraçar' Laxus com elas. O loiro inclinou-se para frente quase deitando-se sobre Lucy e comia ela enquanto chupava os peitos da loira.

Não demorou muito, logo Lucy gozou novamente, com o loiro rapidamente saindo de cima dela para deixá-la curtir o momento, para então chupar a buceta de Lucy.

"Acha que ela se divertiu?", perguntei para o homem na minha frente, enquanto eu ainda estava sentada na poltrona, assistindo tudo de camarote, enquanto segurava uma taça de vinho com uma mão e me masturbava com a outra.

"Acho que sim… e você?", Laxus me olhou com um sorriso matreiro.

"Eu me diverti", respondi com um outro sorriso enquanto o loiro se aproximava de mim.

"Não posso deixar o meu amorzinho só olhando", abri as pernas para Laxus, que logo encaixou o enorme pênis em mim.

"Não vai nem me chupar primeiro, seu grosso? 80 por cento do prazer feminino se conquista com uma boa chupada", respondi com deboche, enlaçando minhas pernas na cintura de Laxus, que meteu fundo em mim.

"Você foi malvada, me fazendo chupar outra mulher…".

Sentada na poltrona e com minhas pernas ao redor da cintura do loiro, eu estava sendo profundamente devorada por aquele pênis, enquanto segurava meu vinho com uma das mãos. Éramos bastante conectados, ao ponto de que nenhuma gota caia da taça em minhas mãos.

Levei a taça até meus lábios e tomei um bom gole da bebida, logo em seguida Laxus se inclinou para frente onde podemos desfrutar dos lábios um do outro. Aquele pênis gostoso me estimulava muito e não pude deixar de escapar diversos gemidos de tesão.

Laxus pegou a taça de vinho e tomou o restante do líquido enquanto ainda me fodia, e em seguida arremessou para longe o recipiente, que se partiu em centenas de pedaços.

O loiro meteu fundo e colou nossos corpos, me agarrando com uma mão pela bunda e a outra pelas costas, me trazendo junto a ela enquanto ele me levantava da poltrona. De pé, eu estava dentro dele e enlaçava-o pela cintura com minhas pernas e pelo pescoço com as mãos. O loiro ainda me segurava pelo quadril, e me olhava fixamente nos olhos. Transamos assim. Ele me segurava, me ajudando a fazer o vai e vem, e eu rebolava loucamente meu quadril.

O maluco começou a andar pelo quarto até me escorar na parede enquanto fazíamos sexo loucamente. Ele me fodia com uma velocidade surpreendente e devorava meu pescoço. Eu estava literalmente colada na parede e minhas perninhas balançavam no ar quando eu desfazia o laço na sua cintura. "Você vai me derrubar, seu bobo", eu gemia e gargalhava da falta de noção e criatividade de Laxus, que também ria, mas que estava muito ocupado me cobrindo de beijos.

O loiro me desgrudou da parede e andou até a cama, onde me jogou ao lado de Lucy, que assistia deitada eu e o loiro fazendo amor. Laxus puxou Lucy pelas pernas, que protestou com um susto, e trouxe-a para perto de mim. Depois deitou-se e Lucy entrou por cima, sentando sobre o colo de Laxus e sendo penetrada. Eu imediatamente me ajoelhei no rosto do loiro, onde fiquei cara a cara com a garota enquanto era ferozmente chupada por Laxus.

"Porra, adoro ser chupada. Me devora, meu amor", eu gemia de prazer enquanto a língua de Laxus percorria o trajeto que já era tão acostumada pela minha buceta.

Lucy implorava pelo pau que comia ela sem pudor. Ela era realmente muito fofa enquanto recebia um pênis na buceta e não pude me conter, dei um beijo apaixonado naquela garota que desfrutava o pau que era somente da minha raba. Era minha primeira vez beijando e tendo sexo com uma garota. A sensação de beijar Lucy era completamente diferente da de beijar Laxus, ainda assim eu sentiria que poderia beija-la para sempre, sentir o néctar da sua boca, dos seus seios, do seu suor e da sua buceta, explorando-a por completo. Ficamos assim até Lucy decidir inverter as posições comigo.

Não demorou tanto tempo até que fosse a minha vez de gozar naquele pau, que me fez esguichar um pouco. Me joguei de costas para a cama enquanto sentia aquele momento, onde o orgasmo tingia meu mundo de cores vibrantes.

Lucy imediatamente saiu de Laxus e deitou-se em mim, fazendo um 69, chupando toda minha buceta e também oferecendo a dela, que prontamente foi devorada em retribuição. O gosto da buceta de Lucy era impressionante. Me pergunto se a minha era tão gostosa assim quanto a da loira.

"Albina, seu gosto é ótimo", disse Lucy como se houvesse lido a minha mente.

"O seu também, loirinha".

Laxus levantou da cama e se aproximou da mesinha onde estavam as taças e vinhos e encheu uma delas com um dedo de Toro Loco, seu favorito. Isso dizia muito sobre ele. O loiro se deliciou lentamente com o vinho enquanto assistia o espetáculo de beijos, lambidas e chupadas. Ele pegou um frasco da gaveta que eu sabia ser o lubrificante e então se aproximou de Lucy, derramando o líquido incolor na bunda da garota, que estava por cima de mim, e então penetrou um dedo no cu dela, o que fez a loira gritar com um misto de dor e prazer.

"Tudo bem eu comer seu cu, Lucy?".

"Sim… meu ex só fodia meu cu mesmo".

Laxus deslizou lentamente o pau dentro do cu de Lucy, que entrou com muito mais facilidade que no meu. Fiquei feliz e com ciúmes ao mesmo tempo por saber que a loira poderia satisfazer essa necessidade melhor do que eu, que não era tão adepta do sexo anal.

Apesar da experiência da garota, estava claro que o pênis de Laxus era muito mais avantajado que o de Natsu pela dificuldade da penetração. Laxus enfiava só até um pouco depois da cabeça do pau, o que era o bastante para desestabilizar a loira completamente.

A loira ficou ainda mais desestabilizada quando eu voltei a chupar seu clitóris enquanto Laxus comia o cu dela, que com alguns minutos de sexo passou a se abrir mais, abrigando o pau de Laxus quase por completo.

Laxus posicionado de joelhos flexionados enquanto comia a loira ferozmente, Lucy no meio tendo seu cu arregaçado e sua buceta explorada, e eu por baixo chupando, lambendo e brincando com os dedos por toda a extensão da buceta safada de Lucy, éramos a torre do prazer perfeita.

Toda essa intensidade logo contribuiu para que Lucy gozasse, esguichando tudo na minha cara, me molhando com o néctar precioso dela.

A loira caiu desfalecida de lado, seu cu tremia tanto quanto a sua buceta. Chupei Lucy, não deixando nada para Laxus. O loiro por sua vez me pediu para empinar minha bunda. Agora seria a minha vez.

Enquanto eu chupava a loira, fiquei de quatro e empinei minha bunda recebendo o lubrificante e sendo penetrada com os dedos em seguida. Antes de me penetrar com o pau, Laxus deu três beijinhos no meu cu, me fazendo rir. Laxus era muito fofo.

Ele começou muito lentamente, só com a cabeçinha. Com o tempo eu ia acostumando e ele ia entrando mais, mas não como Lucy. Sempre ele dizia: "Mira, seu cu é tão apertadinho" e gemia intensamente, me fazendo corar. Laxus me confidenciou certa vez que sexo anal também não era o seu favorito, então não se irritava com o fato de eu não curtir muito, mas quando comeu meu cu no vestiário pela primeira vez gostou bastante de fazer isso comigo, então às vezes queria fazer assim. Eu também nunca recusei, gostava de explorar completamente a minha sexualidade com o loiro.

Depois de satisfeito, Laxus tirou o pênis da minha bunda e meteu na minha buceta logo em seguida, me fazendo gemer alto. Você pode me achar careta, mas duas posições que eu simplesmente amo são o papai e mamãe e sexo de quatro. Enquanto o primeiro faz eu me sentir completa e desejada, o segundo eu sinto que me torna a vadia mais depravada do mundo.

Ao mesmo tempo em que fodia minha buceta, o loiro retirava o pênis e fodia meu cu de novo, alternando entre ambos os buracos com uma técnica tão surpreendente que parecia que eu era penetrada por dois homens. Laxus tinha esse superpoder de a cada transa me surpreender de uma maneira diferente, ainda que tenha sido eu a surpreendê-lo nessa noite ao trazer uma garota para um ménage à trois.

Eu ainda chupava Lucy com vontade enquanto a loira sorridente na cama apenas desfrutava da minha carícia. Logo Laxus me agarrou pelos cabelos formando um rabo de cavalo e com um misto de brutalidade e gentileza trazia o meu rosto para um beijo apaixonado. Se eu me sentia uma vadia depravada dando de quatro e nem sequer olhando para o meu parceiro, agora fodendo enquanto olhávamos para os olhos um do outro tornava tudo romântico novamente.

Laxus distribuía beijinhos pelo meu pescoço e me enlaçava com os braços, enquanto me trazia cada vez mais pra perto de si, ao ponto em que eu estava praticamente sentada no colo dele, se não fosse pelos movimentos de vem e vai que agora eram de minha responsabilidade.

Em determinado momento ele inclinou-se até se deitar enquanto eu cavalgava sentada nele. Laxus ajudava a manter o ritmo com ambas as mãos na minha bunda e eu estimulava ele ainda mais acariciando seus testículos. Passamos alguns minutos assim quando eu decidi me virar de frente para ele, acariciando seu belíssimo peitoral definido com as mãos enquanto sentava como nunca e gemendo como uma virgem.

Transamos nessa posição até eu atingir meu orgasmo mais uma vez, em um curto espaço de pelo menos 40 minutos. Laxus me deitou de costas ao lado de Lucy. Com a mesma técnica de alternar entre meu cu e minha buceta que ele demonstrou antes, ele alternava entre eu e Lucy de forma espetacular. Nós gemiamos como se Laxus tivesse duas picas enquanto trocávamos intensos beijos.

"Preciso gozar, não aguento mais segurar", Laxus parou com a penetração e, masturbando-se por uns segundos, gozou um jato de porra na minha face e na face de Lucy. Nós ainda trocávamos beijos e dividimos o esperma de Laxus assim. O loiro completamente esgotado caiu sentado na poltrona, bastante ofegante.

"Desculpe por ter sido tão malvada com você, amor. Primeiro te fiz me comer mais cedo e agora te fiz comer eu e outra mulher", disse para Laxus, que apenas sorriu para mim. "E me desculpe por ter sido egoísta com você Lucy, era para ter sido só entre você e Laxus…".

"Eu acabei não resistindo", Laxus disse.

"Sem problemas, vocês se amam afinal, e… Vai se foder porra, esse cara não é humano", Lucy sorria completamente satisfeita. "Agora eu posso dizer que trepei com um homem de verdade".

"E eu não conto?", respondi com uma risada.

"E com a mulher mais gostosa da Fairy Tail", Lucy me deu um selinho.

"Caramba, já são quase seis horas da manhã, impossível termos passado quase duas horas fazendo sexo", Laxus se assustou olhando para o relógio.

"Vamos tomar banho juntos…", disse me levantando e seguindo o loiro. "...vem Lucy", acenei para a loira.

Laxus abriu uma porta ali dentro do quarto, o que revelou um enorme banheiro, não tão grande quanto o quarto de casal mas que ainda assim era grande e luxuoso. Só a Jacuzzi parecia uma piscina pequena, que dava para umas seis pessoas.

Relaxamos e nos banhamos ali por uns quinze minutos. Eu e Laxus trocávamos carícias e amassos enquanto Lucy participava em alguns momentos mas que parecia mais distraída com o celular, olhando para o contato e a mensagem da Juvia, às vezes escrevendo algo sem enviar e logo em seguida apagando, as vezes abrindo a foto de perfil da azulada e contemplando a imagem.

"Vou preparar o café da manhã e sair para a universidade. Você gosta de comer frutas, Lucy?", Laxus disse enquanto me dava um último beijo e levantava.

"Amo qualquer tipo de frutas", Lucy respondeu com uma empolgação no rosto.

Quando Laxus saiu do banheiro, me aproximei da loira e abracei-a de lado.

"O que achou?", Perguntei.

"Maravilhoso. Foi a foda mais intensa e prazerosa que eu tive, mas…"

"Mas…?".

"Laxus é o seu homem, e… apesar dessa noite eu descobrir que realmente gosto de homens, também não consigo parar de pensar na azulada e no quanto o que tivemos foi especial e só nosso, entende?"

"Claro que entendo. É o mesmo que acontece entre Laxus e eu. Uma conexão que nunca senti com ninguém".

"Sim, uma conexão…", a loira abriu novamente a foto de perfil de Juvia. "Eu acho que é amor, né?"

Lucy voltou a digitar para o contato da Juvia no aplicativo de mensagens. Na tela ainda constava a última mensagem da azulada: Juvia: 'Como estamos, eu e você?'.


Lucy: 'Como se sente?'


Juvia está digitando...


Juvia: 'Juvia sente que quer te ver de novo'


Lucy: 'Eu também'.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...