História O menino de cabelo azul. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Tomorrow X Together (TXT)
Personagens Yeonjun
Tags Bangtan Boys (BTS), Romance, Txt, Yeonjun
Visualizações 5
Palavras 968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, seja muito bem-vindo a minha primeira história do TXT. Espero que se divirta muito lendo! Boa leitura!!

Capítulo 1 - Brilhante como uma constelação.


Fanfic / Fanfiction O menino de cabelo azul. - Capítulo 1 - Brilhante como uma constelação.


Korean, Busan. 18:34 p.m 

Era mais um Sábado se passando e sequer tinha feito algo de importante. Era mais um dia que já estava terminando e como todo fim de semana, estava prestes a encontrar meus amigos da escola para ir ao karaokê. Não porque eu gostava de fazer aquilo, mas sim era porque não tinha mais nada pra fazer. 

 Estava no meio da estrada, andando com meu carro minusculo, quando sinto meu telefone tocar. Pego o mesmo rapidamente, já que poderia ser algo importante e quando vejo o nome do meu gerente no visor do celular, logo trato de atender. Paro o carro no acostamento e deslizo o dedo sobre o visor, desbloqueando e colocando o celular sobre minha orelha. 

- Pois não senhor? Precisa de alguma coisa? - Pergunto sabendo que iria me arrepender logo em seguida.

- S/N Você não está ocupada está? - Ele pergunta em um tom quase que suplicante. - Ah, bom, de qualquer forma você nunca faz nada mesmo, então será que poderia ir para loja e cuidar de algumas coisas? - Ele continua a perguntar sem nem ao menos esperar pela a minha resposta. - Ótimo! Sei que posso contar com você. - Ele diz com sua voz mais confortável e então desliga o celular. 

Sem acreditar que ele tinha feito aquilo comigo, passo minhas mãos sobre meu cabelo e encaro meu uniforme que quase sempre ficava jogado no banco de trás do carro. Respiro fundo, pois eu dependia daquilo e dou meia volta indo para a loja. Depois de alguns minutos dirigindo, ainda muito brava com o meu gerente que não deixou eu dizer sequer uma palavra, procuro as chaves dentro do meu bolso e abro a enorme porta que estava em minha frente, entrando no estabelecimento e percebendo que a loja já estava em funcionamento. 

Então porque a porta estaria fechada ?  

Com medo de que tivesse ladrões tentando invadir a loja, procuro por algo que pudesse me proteger e resolvo verificar o do porque os brinquedos estarem funcionando. 

Andando devagar pelo os corredores, não encontro nada fora do lugar ou que pudesse ser suspeito. Paro de andar realmente confusa, quando sou pega de surpresa com alguém dentro da enorme máquina de lavar. 

Acabo caindo para atrás assustada, e me aproximo realmente impressionada com o que estava vendo. O rapaz ao contrário de mim, parecia desesperado, mas não por causa da minha presença, e sim pela a ansiedade de sair dali. Sem conter a risada, resolvo ajudar o pobre garoto que sorri aliviado ao se ver fora dali. 

-  O que você está fazendo aqui ? - Pergunto para ele, acendendo todas as luzes e deixando todos os brinquedos ligados, dando todo toque especial que a loja de brinquedos tinha. 

- Hmm... - Ele murmurra envergonhado, chamando minha atenção pra ele. 

O garoto a minha frente era alto, seu físico era bom, ele tinha um rosto arredondado e seu cabelo era azul. Sorri, quando menos imaginei estava encantada com a presença magnífica que estava em minha frente. 

Ele era como um tom azul escuro, não sorria muito, mas era tão bonito quanto o oceano. 

- Bom, não sei porque está aqui. Mas eu trabalho aqui sabe, tenho que tomar conta disso tudo. Será que poderia me ajudar ? - Pergunto levantando as sombracelhas e então ele sorri. 

- Na verdade, você está aqui por minha culpa. Eu aluguei por horas esse lugar, mas ninguém veio comemorar o meu aniversário. - Ele diz realmente envergonhado, passando a mão em seu cabelo. 

- Ah, eu sinto muito... - Digo sentindo meu coração se apertar. E então, olho em volta, não vendo sentido em continuar aquilo aberto. - Bom, se você alugou esse lugar todinho. Ele é seu e demais ninguém . - Digo pegando as chaves e trancando nós dois ali. 

- Mas... Você veio aqui para trabalhar não foi ? - Ele pergunta franzindo a testa. 

- Sim. Vou trabalhar pra você. Pode fazer o que quiser aqui. - Digo abrindo meus braços, girando ali mesmo. 

O rapaz do cabelo azul com todo seu jeito tímido vem até a mim e sorri sem mostrar os dentes. 

- Então vamos se divertir juntos está bem ? - Ele pergunta e então segura meu braço, me puxando para uma diversidade de brinquedos. 

A loja era enorme, havia uma variedade de brinquedos que podíamos usar. Tanto grandes quanto pequenos que davam pra usar. Ver aquele garoto sorri com pequenas coisas, haviam deixado minha noite muito mais feliz.

 Ele era assim como o céu depois do amanhecer. Não parecia ter muitos amigos, mas era sozinho que criava as melhores melodias e estar ali com ele, só confirmava tudo aquilo. 

- Como você se chama ? - Depois de um tempo resolvo perguntar. 

Ele para de jogar no fliperama, perdendo a luta e então se encosta na máquina me observando. 

- Você tem razão. Eu sequer me apresentei. - Ele sorri nervoso. - Eu me chamo Yeonjun e você? - Ele fita seus olhos puxados e profundos nos meus.

- Eu sou S/N. Muito prazer em conhecer você Yeonjun. 

Naquele momento eu mal sabia que para mim, ele havia se tornado uma constelação.

Ele acendeu os cantos mais escuros que ainda estavam presentes dentro de mim. Aqueles cantos escuros estavam diminuindo devagar, graças a ele. Mas enquanto eles ainda estavam lá, ele apenas os iluminava. Sem saber ele me ajudou  a ficar firme em um mundo onde às vezes eu me sentia vazia, sem valor, triste. Ele me acendeu, quando tudo que via era escuridão. Ele acendeu tudo.Tudo. Por mais que minha vida fosse escura, a luz dele era a mais brilhante. Ele brilhava, ele brilhava pra mim e eu sentia meus cantos escuros iluminando-se. Ele tinha se tornado minha pequena constelação privada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...