1. Spirit Fanfics >
  2. O Menino Dos Tênis Azuis - Choi Beomgyu >
  3. Capitulo 15

História O Menino Dos Tênis Azuis - Choi Beomgyu - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Capitulo 15


ㅡ S/n? ㅡ Beomgyu chamou a garota, assim que adentrou o terraço.

Seu olhar passou por todo o lugar, um pouco boquiaberto, fazendo a garota sorrir.

A boa impressão que queria, ela conseguiu passar.

ㅡ Oi, Beom. Não te vi chegar... ㅡ Cumprimentou, sorrindo pequeno.

Não era mentira, antes do rapaz chegar ela estava distraída, pensando em coisas aleatórias para não ficar nervosa, assim como Isabella havia lhe instruído

ㅡ Percebi, você parecia que estava em meio às estrelas, estava voando bem alto. ㅡ Brincou. ㅡ Ficou incrível!

ㅡ Eu não queria fazer feio. ㅡ Sorriu. ㅡ Uma vez eu vi um terraço cheio de luzes assim em um dorama, então eu fiz isso no meu. Serviu para algo além de alimentar minha fértil imaginação de viciada em doramas. ㅡ Olhou para seus dedos.

ㅡ Então você gosta de doramas? Isso parece me perseguir. ㅡ Ele riu fraco, fazendo a garota o olhar completamente confusa.

ㅡ Como assim?

ㅡ Minha mãe é viciada em doramas, em principal um que chama Playful Kiss. Ele é meio bobinho, mas não é ruim. ㅡ Deu de ombros.

ㅡ Esse foi o primeiro que assisti. E ele não é bobinho! ㅡ Fez careta, pegando uma uva na cesta.

ㅡ Não queria te irritar, cara S/n. ㅡ Começou a rir. ㅡ Mas é que muitas coisas ali não acontecem na realidade. O beijo é um belo exemplo. Ninguém fica só em selinho na idade deles ali. ㅡ Pegou uma uva também, pondo-a na boca.

ㅡ Os beijos de doramas realmente me decepcionam nisso, quero dizer, não todos, alguns se pegam pra valer. Mas o que mais não é realidade? Ninguém poderia ter a mesma sorte da Oh Hani? ㅡ Ergueu uma sobrancelha.

ㅡ S/n, pensa comigo: ㅡ Se virou para a garota e ela fez o mesmo, ambos com as pernas cruzadas. ㅡ quando que uma casa que acabou de construir vai desabar com uma batida na parede, e, por coincidência, seu pai é amigo do pai do seu crush e você vai morar com ele? A probabilidade é bem baixa.

ㅡ A probabilidade da gente se reencontrar também, mas olha onde estamos. ㅡ Abriu os braços e olhou ao redor, fazendo o loiro rir. ㅡ Essa é a graça. Acontecer o que nós julgamos ser impossível, nós, entre aspas, experimentarmos isso. Às vezes, o que parece ser impossível de se acontecer parece ser mais interessante do que está na cara, com o que sempre acontece. ㅡ Ergueu uma sobrancelha.

Beomgyu levantou os braços em rendição, fazendo a morena sorrir vitoriosa.

ㅡ A propósito, o que é Gone Days? A Isabella gritou para mim isso, falando que era para eu usar isso caso não tivesse assunto. ㅡ Falou meio risonho.

A morena arregalou os olhos, morrendo de vergonha.

ㅡ Essa garota só me passa vergonha... ㅡ Escondeu o rosto entre as mãos, enquanto Beomgyu riu, levando suas mãos até as da morena, tirando-as de seu rosto.

ㅡ Me conta, o que é? ㅡ Perguntou em meio aos risos da garota.

ㅡ A gente vai ficar falando somente de coreanos mesmo?

ㅡ Eu não vejo problema. ㅡ Deu de ombros e sorriu.

ㅡ Gone Days é uma música de um grupo chamado Stray Kids. É uma música que eu gosto muito, porque, sinceramente, eu gostaria de mostrá-la a muitos adultos. Muitos ficam presos ao passado, a geração deles, e muitas vezes não entendem que a nossa geração é completamente diferente da deles, se prender ao passado e querer nos prender nele também, não irá fazer ser igual a antes. Isso as vezes chega a sufocar. ㅡ Suspirou. ㅡ Eu geralmente falo com bastante entusiasmo, mas é que eu me sinto representada ouvindo. Meu pai é gringo, e uau, ele é estrangeiro, mas eu prefiro que ele fique por lá, obrigada. Sempre quando ele vem me ver fica dizendo sobre meus gostos atuais e como os jovens andam levando as coisas. Isso incomoda. Eu sei que ele se preocupa, mas ele tem que me deixar arriscar, certo? Acho que por isso que minha mãe e meu padrastos me criam na liberdade, entram na minha, porque quando vou ver ele, eu fico fechada.

ㅡ Na minha opinião muitos adultos não estão sabendo lidar com as mudanças de hoje em dia. Meu pai é um exemplo, faltou quebrar o celular quando ele achou que travou, mas na real era um print. ㅡ Negou com a cabeça, fazendo um barulhinho com a boca, tirando risadas altas da garota.

ㅡ Muitas coisas hoje em dia não sabemos definir, tudo é diferente, até para nós. ㅡ S/n fez um bico, olhando para as estrelas.

ㅡ Até para nós, mesmo. Se alguém perguntar o que acontece entre a gente, iremos ficar igual dois patetas olhando para a cara do indivíduo.

S/n virou seu rosto, olhando para o loiro com a boca aberta, na tentativa de falar, enquanto ele apenas sorria de lado.

ㅡ E-eu não estava falando disso...

ㅡ Eu sei, mas você vermelha é a coisa mais fofa que eu já vi.

Os dois ficaram se olhando sem falar nada, apenas sentindo os corações acelerados no peito.

ㅡ A pizza chegou, boa noite! ㅡ Bella apareceu do nada, voltando a descer as escadas.

ㅡ Pizza? ㅡ Beomgyu olhou confuso.

ㅡ Isso aqui é apenas distração, o que vai te fisgar pelo estômago está lá embaixo. Em outras palavras, eu e a Bella cagamos no que cozinhamos, queimou tudo, então esse é o plano B. ㅡ S/n disse, se levantando, enquanto Beomgyu apenas ria.

ㅡ Vocês queimaram tudo? ㅡ Ele olhou desacreditado, ainda rindo.

ㅡ Meu filho, a gente ficou ensaiando no meu quarto, sabe para a apresentação escolar, foi só o berro da minha mãe que fez a gente lembrar que tinha algo no fogo. ㅡ Colocou as mãos na cintura, falando em seriedade, o que tornou tudo ainda mais cômico.

Beomgyu começou a rir alto, deitado na toalha de piquenique, enquanto sua mão estava em sua barriga.

ㅡ Como eu queria ter visto!

ㅡ Eu não gostei, cheiro ruim do caralho!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...