História O Menino Dos Tênis Azuis-Choi Beomgyu TXT - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Tomorrow X Together (TXT)
Personagens Beomgyu, Personagens Originais, Soobin, Yeonjun
Tags Beomgyu, Kai, Soobin, Taehyun, Txt, Yeonjun
Visualizações 62
Palavras 1.195
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction O Menino Dos Tênis Azuis-Choi Beomgyu TXT - Capítulo 7 - Capítulo 7

| Beomgyu on |

Eu estava de certa forma ansioso, muito ansioso. 

Iria voltar para minha antiga cidade, rever meus parentes, meus antigos amigos ou o que se assemelhava a isso, e quem sabe até ela. Quero dizer, é bem capaz de ela nem se lembrar de mim, se passaram 3 anos, por que ela se lembraria de mim?

Uns dias atrás conversei por telefone com Pedro, ele assim como eu estava muito ansioso, ele diz que não sente minha falta mas praticamente berrou no meu ouvido quando eu disse que voltaria.

Quando eu fui embora eu não tinha número, então quando me despedi dele pensei que seria pura sorte o reencontrar de novo, mas ele me pegou de surpresa. Enquanto eu estava distraído pegou o número de meu pai, sabe-se lá como, porque meu pai pode ser bem rabugento quando quer, mas ele parecia ter gostado do loiro.

Eu estava terminando de arrumar minhas coisas em uma mochila, enquanto as mudanças não iam eu já iria para lá, ficaria na casa da minha avó, seria até bom para reencontrar o loiro antes. E dessa vez não é só ele o loiro. Eu havia ficado de certa forma loiro também, descolori meus fios, e minha mãe desde então não para de dizer o quanto isso tirou minha cara de bebê. Acho que esse era o plano, até porque, eu com meus quase 16 ainda tenho essa carinha de bebê, nem pareço ter minha idade.

Ao ir até a sala de casa encontro Any, uma das minhas únicas amigas que fiz aqui. Eu sou bem tímido, e ela que me enturmou no grupo, mas eu era mais grudado com ela.

ㅡ Tem que ir mesmo, cabeça de batata? ㅡ Reviro os olhos pelo apelido e abro os braços, tendo-a entre eles em seguida, em um abraço forte.

ㅡ Eu prometo te visitar, e você também pode ir me ver, já que vai 'pra lá direto. ㅡ Digo e abro um sorriso pequeno.

ㅡ Na próxima vez que eu e a Isa formos vistar a S/n eu passo 'pra te ver também. A propósito, vou falar 'pra ela cuidar bem do meu bebê. ㅡ Afagou minha cabeça, fazendo um beiço.

ㅡ Até hoje não sei quem é essa S/n.

ㅡ Nem ela sabe quem é você, mas sempre ri das nossas vergonhas. ㅡ Ela sorri e eu fico confuso mas dou de ombros.

ㅡ Vamos? ㅡ Meu pai aparece na porta. ㅡ O Pedro já me ligou nem sei quantas vezes perguntando se já saímos. Quando foi que dei essa intimidade para esse garoto? ㅡ Bufa e eu e Any rimos.

ㅡ Fala 'pra Isa cuidar bem de você. Ah! E a Lua também, já que ela é sua namorada. ㅡ Ela ri da minha cara e eu fico confuso.

ㅡ Você é tão fofo que dá vontade de esmagar! ㅡ Sai do abraço. ㅡ Tchau, cabeça de batata.  ㅡ Sorri minimamente.

ㅡ Tchau, cabelo de miojo. ㅡ Sorrio e beijo sua testa, indo em direção à porta, segurando bem minha mochila e dando uma última olhada na casa.

Eu dormi o caminho todo, estava realmente cansado, pois não dormi a noite toda, rolei na cama pela ansiedade, então liguei para a Any, ela estava em uma chamada com a tal S/n, mas mal conversei com ela, pois a garota estava sonolenta e a única luz em seu quarto era bem fraquinha, mal dando para ver seu rosto. Ela não demorou desligar e me disse que foi um prazer meio que me conhecer antes de desligar, depois fiquei em chamada com a Any Gabrielly, até eu dormir e ela desligar. 

Muitas vezes ela é bem mãezona comigo pelo fato de eu ser mais novo, sempre me chamando de bebê ou afagando meu cabelo, coisa que eu adoro, amo carinho e ela sabe disso. Obviamente ela me dá muitas broncas também, porque isso está no contrato, sabe naquelas letras miúdas? 

Eu acordei com batidas no vidro, acordando meio atordoado, sem saber onde estou, mas logo vejo a casa da minha vó e Pedro abaixado com a cara no vidro. Saio do carro coçando os olhos e Pedro pulou em mim.

ㅡ Até que enfim, loiro falsificado! ㅡ Bagunçou meus cabelos e eu rio.

ㅡ Também estou feliz em te ver. ㅡ Ironizei e ele ri.

ㅡ Pronto 'pra voltar para o hospício daqui? ㅡ Passou o braço por meus ombros.

ㅡ Mas você não mudou da Miralda?

ㅡ Estou no Rodolfo agora, mas você também, bati um papo com teu pai. ㅡ Rio negando com a cabeça. O carro de meu pai já havia ido e eu nem percebi. ㅡ Vamos que a vó está nos esperando.

ㅡ Ela é minha avó.

ㅡ Minha também, roubei ela de você! ㅡ Brinca.

[ ... ]

Que tipo de pessoa tem o primeiro dia de aula em uma sexta-feira e vai mesmo assim? Eu mesmo.

A escola é enorme, com toda certeza! 

Assim que bateu sinal indicando o segundo horário, meu melhor amigo levantou como o Flash me puxando. Educação Física, por isso a agitação.

ㅡ Você está pensativo. Está esperando 'pra ver a S/a? ㅡ Disse em tom provocativo.

ㅡ Quem é S/a?

ㅡ A S/n. A garota na qual você ficava viajando na época que ainda morava aqui, e que perguntou de você quando foi embora, mais precisamente a melhor amiga dela, a Bella, porque ela estava toda envergonhada. ㅡ Sorrio bobo e ele dá um tapa na minha cabeça.

ㅡ Como você conhece elas? ㅡ Pergunto, massageando a área do tapa.

ㅡ A S/n também é das antigas na Miralda, então eu já havia falado com elas antes. Mas no último ano delas lá eu me aproximei, por causa da Melina, eu fiquei bem grudado com ela, você sabe. ㅡ Solto um "oh". ㅡ Seu coração está bom?

ㅡ Por que? ㅡ Pergunto confuso pela sua pergunta.

ㅡ Olha 'pro final da arquibancada. ㅡ Sussurra em meu ouvido. Levo meu olhar até lá, parando em três meninas que nos olhavam, mas a surpresa se estampa em meu rosto ao olhar para a do meio. É ela. Seus cabelos ainda são ondulados como eu me lembro, só mudou que está com as pontas azuis. Ela está...Linda. Seus olhos estão arregalados me olhando, enquanto sua amiga sorria para Pedro, em um sorriso cúmplice. ㅡ Baba menos, temos Educação Física agora, não quero escorregar na sua baba. ㅡ Brinca rindo e eu lhe dou um tapa no braço. ㅡ Cara, de onde saiu essa coisa entre vocês, mas caralho! ㅡ Diz e eu rio.

Sua fala me lembra uma conversa que tive com a minha tia e ele no natal. Estávamos em um assunto tão aleatório, ainda mais pela embriaguez dela. Ela estava com meu celular em uma chamada com ele, toda chorosa porque eu iria embora, justo quando ela havia se mudado para Arcos.

ㅡ Aposto que ele tá todo abobado por ver a garota que ele vivia observando. Nunca entendi o que acontecia ali.

ㅡ Amor não tem motivos, simplesmente se ama. ㅡ Minha tia disse embolado e eu comecei a rir.

Não sei quem é mais doido!

 


Notas Finais


cheguei
opa

eu enrolei pra escrever esse capítulo meo pai
o 8 já tá pronto e eu nessa enrolação

beom é um nenê
besos

espero que tenham gostado!

beijão da unnie <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...