História O meu cupido é gari, só me traz lixo! - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


EU TAVA MUITO, MUITO ANSIOSA PRA POSTAR ISSO!
ok, eu vou tentar não falar muito aqui, mas sério, deem o tanto de amor que vocês conseguirem, isso tá sendo um plot muito planejadinho e eu espero que quem ler, dê muito amor, pois vou tentar ao máximo ser rápida para trazer os capítulos sem comprometer a qualidade de escrita.
espero que gostem e que se divirtam lendo :)

- melon :)

Capítulo 1 - Errado.


Olimpo; Deusa do amor - 31 de dezembro de 2019, treze minutos para a meia-noite.

— Minatozaki Sana, apresente-se. — disse Sunmi, ou como era mais conhecida pelos humanos, a Deusa do Amor, enquanto estava sentada em seu trono rosado com tons de bege. Era o ritual de todos os fins de anos, todos os cupidos apresentarem-se com suas flechas e o pequeno ‘’chip’’ dentro delas mostraria todo o progresso - sendo os casais que juntaram no ano inteiro - do ano.

— Estou aqui. — a cupido acastanhada curvou-se fazendo a reverência e deixou a flecha em um tipo de plataforma que flutuou até um anjo, fazendo com que o meio do arco - onde continha um coração - abrisse e liberasse o chip que ‘‘projetou’’ e mostrou um clipe de 2 à 3 minutos com todo o progresso de Sana, e ela juntou todos os casais possíveis - até de missões que não eram suas. Ela era realmente era a melhor dos cupidos ali, e sabia disso.

Logo, logo, chamariam Kim Taehyung, o cupido mais atrapalhado, desastrado, desastroso, desengonçado e terrivelmente estabanado do Olimpo. Além de todos os incríveis adjetivos, ele também era o cupido mais novo a se aposentar e virar um simples secretário da Lee. Mas o Kim não aceitava aquilo tão facilmente, ainda mais por conta de que a decisão de aposentar-se não havia sido sua, ele achava que estava cedo demais para se aposentar, e com toda a sua coragem, faria uma última missão para tentar provar seu valor aos olhos de Sunmi: acertar a flecha em cheio no peito de Jung Hoseok, o fazendo se apaixonar por Park Jimin, que era seu melhor amigo de infância, e por acaso, eram almas gêmeas. Para cumprir a missão, Taehyung precisaria fazer uma das coisas mais simples da sua vida: fugir do Olimpo em segundos antes que Sunmi notasse sua falta, e se disfarçar de humano - o que era fácil, já que a aparência angelical de Taehyung o fazia aparentar que ele estava na faixa dos 25 anos, mesmo tendo seus 125 completos.

O jovem cupido correu como nunca — é, para você que pensa que cupidos tem asas, está parcialmente certo. Somente cupidos no nível da Sana tem asas, então, Taehyung com sua belíssima reputação, iria ter de se virar totalmente —, e ouviu seu nome ser chamado três vezes dentro do que parecia ser um palácio, a moradia de Sunmi.

 

Seul, South Korea; Park Jimin’s House - 01 de janeiro de 2020, meia-noite e dois minutos.

Taehyung realmente parecia um humano, na verdade, humano até demais por ter perdido todos os seus poderes e ter apenas seu arco e flecha consigo. Estava andando com uma mochila com seu lindo arco e flecha rosa — que estava super apertado por ser grande — dentro, enquanto olhava para dentro da janela do apartamento de Jimin, ‘‘estudando’’ a pessoa que deveria ser ajudada.

— Em pleno ano novo… sozinho? — Taehyung pensou alto demais e viu o loiro olhar para a janela rapidamente enquanto se abaixava para não ser visto. Ele ouvia os passos lentos de Jimin chegarem cada vez mais perto, mais perto, até que Kim ouviu o barulho da campainha e os passos do Park se distanciando rapidamente. Quem seria a pessoa tão importante que deixaria o menor tão entusiasmado?

— Hope! — Taehyung ouviu o menor falar em um tom um tanto entusiasmado, julgando ser uma pessoa importante, porém sem ver o seu rosto.

Hope? Hoseok! Deve ser esse, Jeon… Jung… tanto faz, Hoseok.

Taehyung numa tentativa falha de espionar um pouco mais, apenas conseguiu visualizar as madeixas negras de Hoseok e os loiros fios de Jimin. Ficou na janela ouvindo a conversa até que Taehyung notou um silêncio estranho e tentou espionar mais o que poderia ser.

— Gay? — Hoseok olhava espantado para Jimin. — Explicado então aquele dia em que você sumiu na boate que a gente foi e eu te peguei conversando ‘‘estranhamente’’ com um cara. — Fez aspas com os dedos e riu para o amigo.

 — Desgraçado, não ri, eu só não acredito que você não sabia disso o tempo todo… Tava tão na cara, Hoseok. — O menor distribuía tapas pelo braço do mais velho, que ria continuamente.

— O gaydar não falha, anão. Eu sempre soube, você acha mesmo que eu não iria suspeitar disso sendo gay? Aliás, por que você nunca me contou sobre isso garoto? Quero saber do que você tava com medo.

— É que, além disso eu tenho outra coisa pra te contar. — Seu semblante se tornou um tanto sério e olhou nos olhos de Hoseok. — Eu tô a fim de uma pessoa lá do campus.

— Ui, é da área de humanas? Jimin você tá me deixando com medo, você tá tão sério que você deve ter se apaixonado por alguém que faz ADM, não é possível.

— Hoseok, é que a pessoa que eu gosto, eu gosto faz muito tempo… E ele é incrível e muito talentoso. E ele-

Exatamente quando ele diria que era Hoseok, o tal talentoso e dono de seu coração, o nosso querido cupido espirra.

Sim, espirra. Ele espirrou bem alto por sinal.

O que fez Jimin ter um ataque de raiva por novamente ouvir algo da sua janela e sair em sua direção, mas quando chegou, nada viu além de neve — já que aquela era a época de inverno.

 

[...]

 

Passou-se um mês após a virada do ano, haviam se iniciado as aulas na faculdade de Jimin, que ainda não havia conseguido recuperar sua coragem para declarar-se ao melhor amigo. Você deve estar se perguntando onde estaria nosso cupido, Kim Taehyung, certo?

Ele passou uma semana tirando documentos falsos para se passar por humano, e conseguiu um emprego temporário na biblioteca da faculdade do Park, onde ficaria apenas para observá-lo até acabar sua missão — que, não era tão sua assim…

Eram meio-dia, horário em que as aulas davam seu intervalo para alimentação de professores e alunos, que se prolongava até às duas. Jimin estava com Hoseok aguardando em uma longa fila para comprarem o almoço, quando a pessoa mais odiada por Park Jimin em toda Seul, Coreia e toda face do planeta Terra: Jeon Jungkook.

Jeon era o típico riquinho, filho de papai e bobão que não sabia quase nada da vida por ter nascido em berço de ouro. Fazia administração, que por acaso também era o curso ‘‘rival’’ com o de Jimin, havia uma rixa estranha desde sempre, com o motivo sendo como desconhecido. O Park apenas odiava Jungkook por pura diversão, sem nem ter motivos concretos ou plausíveis que explicassem tal ódio.

Jimin observava com nojo o dongsaeng odiado passando à sua frente,que fazia reverência à todos os hyungs e, olhava morrendo de medo para o baixo, que o olhava com sangue nos olhos. Logo, Jimin notou que Jungkook simplesmente se juntou aos veteranos de administração à sua frente, ou, dizendo mais claramente, furando fila.

— Ei, o que pensa que está fazendo? — Jimin deu um leve tapa no braço de Jungkook o chamando a atenção, enquanto falava bem alto. Hoseok não sabia onde enfiar a cara, e apenas tentava acalmar o amigo.

— Hyung, eu apenas estou com os meus sunbaes, eu já havia pagado o almoço.

— Jimin, deixa isso pra lá, é só uma fila, não arrume brigas por besteira. — Hoseok sussurrava.

Um tanto perto dali, atrás de uma árvore, dois trapalhões ouviam a confusão, que aliás, também estavam criando confusão.

— Seu desgraçado, eu demorei mas te achei! — Sana arqueava uma das sobrancelhas enquanto empurrava e gritava com Taehyung. — Você tá causando uma bagunça no Olimpo, seu idiota! Vamos voltar comigo antes que dê uma merda maior.

— Sua cupido doente, olha a caceta da boca e desencosta, acho que você não notou que eu tô tentando recuperar meu posto de cupido. Dá licença que eu preciso acertar naquele garoto de cabelo preto. — Apertava um dos olhos enquanto tentava mirar em Hoseok, que estava segurando Jimin para o amigo não agredir ou chegar muito perto de Jungkook.

— Eu vou acertar a flecha antes de você! — Sana rapidamente puxou seu enorme arco e começou a empurrar o Kim sem mais ali mesmo, enquanto os dois tentavam mirar no garoto de cabelo preto.

Bem, o que os dois não haviam pensado é que Jeongguk e Hoseok possuíam cabelo preto.

Taehyung optou por mirar em Hoseok, pois estaria mais em contato com Jimin do que o outro garoto, então, deduziu por ser a pessoa que deveria atingir com a flecha.

Já Sana, como não sabia bulhufas da história e tudo que queria era atiçar a raiva de Taehyung, apenas mirava em Jungkook.

Em um momento que parecia ser em câmera lenta, Sana e Taehyung atiraram a flecha no momento em que Hoseok esbarrou um tanto forte em Jimin, o fazendo ficar em sua frente, enquanto Jungkook tentava se aproximar de Jimin para acalmá-lo, e isso enquanto a flecha ia em direção à eles.

Acertaram.

Os dois acertaram a flecha… 























 

No garoto errado.

 


Notas Finais


sem comentárioskkkkk eu me identifico mto com esse mlk mdskkkkkkkkkk
ai, o que acharam? eu acho que precisa de uma continuação urgente, KKKKKK
enfim, obrigada se você leu até aqui, <3 meu coração é todo seu.
até uma próxima história, ou, ao próximo capítulo :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...