História O meu destino é você - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Casamento, Distância, Família, Gravidez, Romance
Visualizações 67
Palavras 1.668
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 28 - Não acredito que você está aqui


- Marie, estou indo no mercado, quer alguma coisa? - perguntou Cami, entrando no meu quarto, fazendo eu interromper o livro que eu estava lendo.

Cami havia chegado em L.A. uns quatro dias depois que descobrir minha gravidez. Papai pediu que ela viesse para ficar de olho, já que estava ocupado com alguns problemas urgentes na empresa. Foi Logan que ficou mais feliz com a sua vinda - depois de mim, claro -, pois eu teria alguém para ficar comigo caso precisasse, mas ele não tinha com o que se preocupar, pois eu estava com tanto medo de perder aquela criança que estava tomando todo o cuidado possível, além de seguir cada mínimo detalhe que o médico havia recomendado. Eu passava o mais tempo possível de repouso só para não arriscar.

- Acho que uma barrinha de chocolate cairia bem agora - falei sorrindo e ela acabou rindo.

- Uma barrinha de chocolate sempre cai bem - respondeu, se virando para sair do quarto.

- Ah, não esqueça o meu Kit Kat branco!

- Tudo bem. Ah, e qualquer coisa a Verônica está na cozinha e é só ligar para mim que volto correndo - falou ela olhando na minha direção e quando assenti, ela se virou e saiu, fechando a porta atrás de si.

Fechei o livro e olhei para o teto. Minha cabeça estava estourando e eu estava com uma dor irritante na barriga, mas eu não queria importunar ninguém enquanto a dor estivesse suportável. Fora que todos pareciam ainda mais nervosos que eu - se isso fosse possível. Logan parecia prestes a surtar se tivesse que passar mais um dia longe, tia Esther parecia querer se dividir em duas para uma poder vir até mim e papai, bom, esse era o que parecia mais assustado com medo me perder. E eu tentava controlar todos os meus sentimentos.

Enzo também parecia preocupado. Sim, ele me dava muitas broncas como empresário, mas era um grande amigo quando não estávamos lidando com assuntos relacionados a minha carreira. Ele me ligava diariamente para saber se eu estava bem e seu eu precisava de alguma coisa. O pobrezinho teve que cancelar todos os compromissos que eu tinha marcado e criando desculpas sobre o meu repentino sumiço.

Eu passei quase um mês apenas saindo para o meu jardim e me recusava a entrar na internet para qualquer coisa que não fosse da Netflix, o meu único contato com o mundo fora dos muros daquela casa era por meio dos telefonemas da minha família e amigos, mas eu estava muito curiosa para saber o que estavam falando de mim.

Eu respirei fundo e fechei os olhos. Como todos os dias, eu ia começar a minha briga interna sobre olhar ou não as fofocas que deveriam estar criando sobre o meu sumiço. No final, como sempre, eu acabaria achando melhor não olhar e assistiria mais um filme qualquer do catálogo da Netflix.

Mas tinha uma pessoa que com certeza iria me contar tudo o que estavam falando sobre mim, por mais que ele estivesse preocupado comigo e com a criança (que ele já sabia que podia ser dele), ele não mentiria para mim.

- Oi, Marie. Como você está? - perguntou assim que atendeu a minha ligação.

- Poderia estar melhor, mas estou bem na medida do possível - respondi e escutei ele suspirar. - Não precisa se preocupar, estou tomando todas os cuidados que o médico me recomendou, além dos remédios. Tenho fé que tudo vai ficar bem.

- Eu sei, mas não gosto de imaginar que você está passando por isso. Queria que eu pudesse te ajudar de alguma forma - falou e eu forcei um sorriso, mesmo que ele não pudesse ver.

- Não se preocupe, ok? - falei e antes que ele pudesse dizer outra coisa, prosseguir. - Como está Hollywood em relação ao meu desaparecimento surpresa?

- Fazendo teorias. Algumas bem criativas, outras cruéis e algumas certas - ele respondeu.

- Já teorizaram que estou grávida? Wow, rápidos. Imagino que já estão tentando saber quem é o pai e qual é o sexo da criança. Ah, e também qual será o nome - brinquei e escutei rindo do outro lado da linha.

- Seu desaparecimento está dando lugar a tantos boatos, que nem sei se conseguir saber de todos - falou ele, ainda rindo.

Então ele me contou mais alguns boatos - alguns bem loucos, outros que… bem, outros nem um pouco agradáveis. Ficamos um bom tempo conversando, até que alguém bateu na porta do meu quarto. Imaginei que deveria ser a Abby, minha empregada, então mandei entrar.

Não esperava ver quem passou pela porta.

Meu queixo caiu.

Seus olhos verdes brilharam ao me ver deitada em minha cama.

- Ed, tenho que desligar - falei, interrompendo o que ele estava dizendo.

- Aconteceu alguma coisa? - perguntou preocupado.

- Não, depois conto - falei, então desliguei em seguida e me levantei da cama rapidamente, apenas para me jogar nos braços do Logan que me envolveu em seus braços de uma modo suave, mas que me fazia sentir protegida. - Não acredito que você está aqui.

Ao sentir o cheiro da sua loção pós-barba, meus olhos se encheram de lágrima e eu as deixei cair no conforto dos seus braços. A saudade e o medo se misturavam em meu peito, liberando as lágrimas que segurei durante todas aquelas semanas. Logan, ao ver o meu estado, me levou até a cama se deitando ao meu lado e me puxando para ficar abraçada a ele, enquanto minhas lágrimas continuavam a cair.

- Cadê a Laura? - perguntei depois de uns minutinhos.

- Pedi que a sua empregada ficasse com ela um pouquinho - falou e eu assenti.

- Então você conseguiu continuar com a guarda dela - falei e foi a vez dele assenti.

- Sim, mas vou ter que levá-la para ver a avó, no mínimo, de três em três meses - respondeu. - E como você está? Alguma dor ou outra coisa que devemos nos preocupar?

- Só dores normais, nada com o que se preocupar por enquanto - falei.

- Quando é sua próxima consulta?

- Daqui a dois dias. Vou fazer a ultrassom - respondi.

- Vou com você. E irei em todas as outras ultrassons que eu puder, ok? - falou e eu assenti, então senti seus lábios em minha testa. - Vamos passar por isso juntos.

- Eu sei - sussurrei, então ficamos em silêncio e, assim, acabei dormindo colada a ele.

 

Acordei com um barulho de algo caido e olhei ao redor, procurando a fonte do barulho, mas o meu quarto estava vazio. Levantei devagar para não ficar tonta, então caminhei para fora do quarto e vi Logan parado na porta do quarto ao lado, falando com alguém.

Assim que me viu, ele caminhou até mim com um sorriso.

- Desculpa por terem te acordado, pedi para a Cami comprar um berço para a Laura e arrumamos alguém para montar, só eles estão fazendo mais barulho do que eu esperava - falou Logan.

- Não tem problema, eu já estou com fome mesmo - respondi sorrindo e ele me roubou um selinho super rápido.

- Então vamos alimentar você e esse bebêzinho - falou colocando a mão na minha barriga e meu sorriso apenas se alargou ainda mais.

Ao entrar na sala, vi Cami brincando com a pequena Laura que estava no carrinho de bebê. Sem nem pestanejar, caminhei até elas e peguei aquela criaturinha maravilhosa de quem eu estava morrendo de saudades. Senti seu cheirinho gostoso de bebê, então sorri assim como fiz com o Logan. Aqueles dois eram a minha família.

- Como você tá, minha princesa? - falei com aquela voz idiota que sempre fazíamos para falar com crianças e animais.

Continuei brincando com a Laura, enquanto Logan foi preparar algo para comermos e Cami inventou que tinha um encontro marcado com um homem que ela tinha conhecido no shopping. Logo depois, os caras que tinha montado o berço foram embora e a pequena Laura adormeceu, então Logan e eu resolvemos ver um filme na Netflix, mas não prestei atenção por estar perdida em pensamentos.

- Logan? - chamei, fazendo-o olhar para mim.

- Oi - respondeu.

- Eu estava pensando sobre possíveis nomes para o bebê - falei. - E acho que sei um nome perfeito caso seja um menino.

- Qual? - perguntou curioso.

- Eu até pensei em colocar John, como eu tinha planejado antes, mas agora que ele se foi, acho que Benjamin é a melhor opção. Uma homenagem ao vovô Lewins - falei e eu seus olhos vi as mesmas emoções que eu senti quando Ivy e ele contaram que o nome de sua filha seria Laura.

- Ele ficaria muito feliz com isso - ele falou com a voz embargada de emoção.

- Eu sei. E ele merece - respondi.

- E já sabe escolheu um para o caso de for menina?

- Não, mas eu estava pensando em algumas opções - falei. - Como Laura é em homenagem a minha mãe, poderíamos colocar Estela para homenagear a tia Esther. Claro, não é muito parecido, mas…

- É perfeito - falou Logan, me interrompendo, com os olhos transmitindo a alegria do momento e amor que sentia. - Já falei que você é uma mulher maravilhosa? E que te amo?

- Hoje ainda não, mas você está transmitindo por aqui… - falei, tocando suavemente suas pálpebras que se fecharam assim que ele viu que eu queria tocá-las. Então coloquei a mão sobre seu coração. - E sei o que você sente aqui, porque também sinto aqui - completei, colocando a outra mão sobre o meu coração.

- Obrigado por me fazer o homem mais feliz e sortudo do mundo - falou Logan, juntando nossas testas, com as mãos na minha bochechas, mas sem me beijar. E, de alguma forma, está daquele jeito com ele, foi mais íntimo do que qualquer beijo ou qualquer outra coisa.


Notas Finais


Espero q tenham gostado e, se preparem, tem surpresa no próximo capítulo
Bjs e até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...