História O Meu Gatinho... (Romance Gay) - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Antiga Paixão, Colégio, Gay, Irmãos, Lgbt, Neko, Recomeço, Romance, Yaoi
Visualizações 47
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Nathaniel Narrando
Topázio Narrando

Capítulo 32 - O Frio Nos Favorece...


Era manhã. Já conseguia observar, sem sequer abrir meus olhos, os raios de luz que surgiam da Janela.

Manhã fria... Fria até demais! Mas, parecia não nevar... Também, havia notado que Joey já não me abraçava.

Com frio, e com carência (Gatos também são carentes, ok?!) Me virei ao lado, com os olhos fechados, na esperança de abraçar o Canino, e me aconchegar á seu peito...

Pff, ilusão...

Sem nada que pudesse me abraçar, ou no mínimo me parar, caí da cama, acordando totalmente. Joey não estava ali!

"Qual a mania que eu tenho de acordar tarde?!"

Mas, não parecia tarde... O sol brilhava como numa manhã Fria, semelhante às outras.

Por fim, resmunguei e me levantei. Arrumei minha blusa e short, que estava meio caído. E antes que pudesse ajeitar meu cabelo, ouvi algumas risadas... Familiares... Notei que elas surgiam do outro lado da porta, que estava fechada.

"Joey...." resmunguei mais uma vez, coçando os olhos e logo indo em direção a porta, e a abrindo.

De cara, me esbarrei com a visão de Joey sentado no chão, próximo á escada, ele estava lendo o...

"Meu Álbum de fotos?!"

Bom dia, Amor! – Disse em meio às risadas.

Você gosta tanto de se divertir rindo, não é? – Cocei novamente os olhos, e bocejei. – E não chame de Amor, a pessoa que você acorda em uma Manhã frienta! 

— Você é o meu Amor sim! – Se levantou ainda com o sorriso no rosto, e me mostrou uma das fotos antigas do álbum. Lembro bem daquela lembrança... Uma época, roubei a câmera de minha avó, e comecei a tirar minhas próprias fotos... Cresci e imediatamente parei de fazer isso, ao notar que eram vergonhas as! Espere... Joey estava vendo elas?! – Olha como você está fofo!

Fiquei vermelho, e não consegui decidir se era de raiva ou vergonha.

Puxa, era vergonhoso mesmo... Eu amava tirar fotos minhas aos 4 anos, principalmente em momentos aleatórios. Como, Jantar, Corrida no Parque, Recolher o Lixo, Brincar com carrinhos, e até tomando banho!

— Pelos Gatos, Joey! Essas fotos são horríveis! – Consegui fechar o álbum, fazendo o mesmo perder as páginas.

— Horríveis? Só se estiver dizendo da Câmera, do Lugar, ou da própria foto! – Deixou o Álbum de Fotos jogado no meio do corredor. – O modelo era a Estrela de tudo! Era e é! Agora, pelo menos é a minha estrela!

Sorri amorosamente. Mas, na verdade tentei hesitar de ficar tímido em torno de suas falas... Mas, não consegui.

— Ora Pois... Pare de falar coisas assim, Joey... São muito... Uh... – Tentei falar algo, mas me perdi no seu olhar, fazendo eu próprio me interromper.

— Você não gosta da verdade, Nathan... Isso é feio! – Brincou com a situação... Típico do que aquele Cãozinho faria.

— A verdade é que essas fotos são horríveis... – Ainda assim, consegui insistir em aceitar aquela verdade. Ele sorriu, mas dessa vez foi... Um sorriso malicioso.

— Você é realmente um Garoto Difícil... Quem dera eu, pudesse conquistar esse seu coração. – A última frase, foi pronunciada em um tom de Teatro antigo, me fazendo ter uma sensação de risadas, mas apenas dei um sorriso provocador.

— Eu dei uma chance ontem á noite, seu Bipolar, quer mais uma tentativa? – Observei Joey morder os lábios.

Logo, senti o mesmo me empurrar contra a parede, me deixando encurralado pelas suas duas mãos, que impediam o caminho da direita e esquerda. Não só me obrigando, mas me fazendo apreciar da visão do rosto do Canino.

— Hohoho... – Continuei a provocar, quebrando o silêncio que ele iniciou – Achei que era o Cara que não gostava de mudar de ideia, eh?..

— Humf... Seu pervertido... – Começou então, a mordiscar meu pescoço, me fazendo levemente gemer. Não demorou muito, para também, dominar meus lábios, formando um longo e quente beijo.

Era realmente quente... Mas, não era só o Beijo que esquentava...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Topázio Narrando 

Manhã... Na verdade, era uma manhã diferente.

Exatas 7:30. Com um frio, enorme, já se notava pela Janela que deixei aberta.

O quarto que fiquei era realmente grande, espaçoso...

Tudo isso da Herança dos pais de Liezel... Eles devem ter explorado muitas coisas... Mas, onde estava ela?

Me levantei da cama. Arrumada, cor branca como a neve, mas também brilhante em detalhes dourados. Era um quarto chique... Não gostava de coisas chiques.

"Imagine ter que limpar tudo isso?!" 

Viajei os olhos pelo quarto imenso. Mas, não era hora de ficar explorando aquilo que não era meu... Eu queria saber onde ela estava... Na verdade... E se ela estiver dormindo? Se estiver ocupada?

Eram tantos pensamentos... Eu não gosto de me sentir inferior, mas perto de Liezel, Eu me sentia um pouco... Pior?

Ainda com uma blusa branca e uma calça preta, decidi vestir um moletom que eu sempre usava em dias de frio como esse. Já arrumado, abri a porta do quarto e saí do mesmo, me deparando com um grande corredor, com várias portas.

"isso é uma casa ou Hotel?!"

Questionei e sorri também. Na verdade, qual era o motivo do sorriso?!

Andei o corredor escuro inteiro, ao notar uma música, vindo de uma porta de vidro que ficava mais ao final do grande "labirinto"

A música era leve, até calma... Já ouvi essa música em algum lugar?

Ao finalmente me aproximar da porta e adentrar numa espécie de sala ou escritório. Me deparei com Liezel deitada no Sofá, com as pernas cruzadas enquanto lia um livro... Eu nem sabia qual era aquele!

Notando minha presença, ela abriu um sorriso.

Topá? Bom dia! – Ela se sentou ao sofá de cor branca. Ao redor, havia uma pequena caixa de som, uma TV que eu diria ser enorme. O tapete era macio... E se eu pudesse ficar detalhando tudo, eu perderia a cabeça. – Vejo que gosta de acordar, cedo... Seu irmão, não tem cara de quem faz isso!

— N-não mesmo... – Dei uma risada fraca – Bom... D-dia...

Em vez de estranhar, ela riu, e deu um espaço no Sofá.

Venha, ou quer ficar em pé até congelar? – Sorri fraco... céus... Como eu poderia reagir perto de uma Garota?! Sempre fiquei ao lado de Joey, e nunca fiz amizade com uma menina... Só com Scarlet, se é que eu possa considerar aquilo uma amizade. 

Mesmo assim, não hesitei e me sentei ao seu lado. A mesma não me olhou, e logo deitou a cabeça em meu colo, cruzou as pernas e logo estava deitada sobre mim e o sofá! Ela continuava lendo aquele livro... Como podia reagir?!

Fiquei vermelho, mas... Arg... Não gosto disso!

Passado alguns segundos, notei que aquela posição, era a posição que Nathan amava fazer com Joey na Educação Física... A posição de leitura! (Não pensem merda, garotinhos pervertidos >:/)

"O que Joey faria?!"

Comecei a me questionar novamente... Até obter a resposta:

Joey amava afagar o cabelo de Nathaniel... Então, era isso! Isso, ou nada... Certo?

Ainda com medo, comecei a acariciar o cabelo liso de Liezel. Era realmente bom fazer aquilo! Parecia como afagar a lã fofa de uma ovelha... Se é que aquilo pudesse se tornar um elogio?

A resposta daquela ação, veio de surpresa, me fazendo avermelhar de vergonha... A Jovem Gata, agora retirava seus olhos do livro e olhava para mim, com um sorriso... COM UM SORRISO.com.br! (Por que eu sinto que essa piada já foi feita?)

Hum... Então é isso? Gosta de me acariciar? – Fez uma expressão brava, que esmagou seu sorriso na hora. Aquilo me fez tremer, e soltar minha mão. Colocando as duas para cima, como um ladrão se rende ao policial.

N-não! Não gosto disso! Talvez um pouco... Mas, nada preocupante, sabe? Céus! Eu pareço algum maníaco viciado em objetivos e frases sexuais, não pareço?! E-estou virando um pervertido! N-não! Não sou eu, certo? Não sou assim, não gosto de ser assim! Eu apenas... Gosto de acariciar você... – Me rendi ao fato, mas logo notei sua risada fofa, desmascarando a falsa expressão de raiva – E-espere... Eu disse isso alto? Não gosto de dizer coisas altas! Não sou Machista também, não gosto de gritar com Garotas... Na verdade, eu nunca tive uma amizade com uma Garota antes, então isso meio que entrega o fato de... – Engoli em seco, e corei – Eu estar falando alto sim...

— Foi uma brincadeira, sabia? Você não precisa ser quem você não é... Até por que eu sei quem você é com o seu irmão, e é claro que esse é o seu jeito! – Me calei, ainda sem nada a responder aquela sua resposta... Não esperava... – Mas, tudo bem, se quiser ser falso comigo...

— Falso? D-desculpe! E-eu não... – Fui interrompido por um outro riso.

Está tudo bem, estava brincando de novo. – Sorriu amorosamente – Agora, podemos sair desse momento clichê?! Eu quero ler meu livro também! 

Agora era a minha vez de rir. Deixei com que ela se deitasse novamente, enquanto eu começava denovo á afagar seus cabelos. Dessa vez, ela assentiu! Depois de... Uma espécie de rosnado emitido por gatos... Acho que foi por causa de eu ter puxado seu cabelo... Mas, céus...

Alguém já disse, o quanto esse barulho é irritante os ouvidos? 

Continua...









Notas Finais


Estou pensando seriamente em fazer um Capítulo Hot de Nathaniel e Joey, o que acham? =)

Desculpem o capítulo curto, mas, pelo fato de eu escrever os capítulos na madrugada, faz com que meus dedos congelem com esse frio! Então... Não posso escrever mais que isso =(

Mesmo assim, coloquei conteúdo suficiente da história, assim espero continuar na próxima parte.
Espero que tenham gostado!

~~~~Byeee ❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...