1. Spirit Fanfics >
  2. O meu melhor erro... >
  3. Aquele morro

História O meu melhor erro... - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Aquele morro


Fanfic / Fanfiction O meu melhor erro... - Capítulo 5 - Aquele morro

Mais um dia começa nessa pequena e demorada fanfic (Eu sei, desculpa. Pelo menos eu estou à tentar).

Mas dessa vez o dia não havia acabado de começar, nem ao menos estava à tarde e muito menos estava de manhã. Mais especificamente de madrugada.

Na verdade, naquele dia e mais naquela hora estava à noite. Uma fria, escura e úmida noite.

Não estava nem fria, estava totalmente gelado, congelando tanto que até parecia ser inverno, mas não era esta estação do ano, era uma outra.

Era um frio quase insuportável já que não estava no inverno. Estava um dia muito estranho por conta de todo aquele frio daquele inverno sem neve.

Tudo era e estava muito assustador. Toda aquela noite obscura, o frio, por todos estarem na floresta e também por estarem perto da cidade de Lavender, mesmo que não soubessem disso.

Ash, Brock, Misty e Pikachu estavam andando por uma rota desconhecida que ficava dentro de uma gigantesca e densa floresta escura e gelada.

Aquele céu estava totalmente coberto por algumas gigantescas e densas nuvens carregadas de pura água, mas continuavam cinza como uma rocha.

Estava totalmente óbvio que iria, ou, pelo menos poderia chover densamente.

Uma chuva pesada muito forte e pesada, daquelas que era muito possível de causarem muitas enchentes (Mas que bom que eu moro em uma ladeira, porque aqui não alaga, mas em um esgoto aqui perto realmente alaga).

Então, Ash, Misty, Brock e Pikachu estavam caminhando por aquela floresta densa e cada passo à mais que eles davam.

Era como se as suas esperanças de conseguir algum lugar para passar naquela noite que podia chover.

Mas eles caminharam tanto que dava para ouvir o som das gigantescas ondas de um lindo oceano azul e transparente que ficava à frente de um lindo e vasto litoral digno de lindas e maravilhosas praias com belos Pokémon.

Então, eles decidem caminhar muito mais rápido para conseguirem achar algum lugar para ficar. Como um quiosque, hotel, Centro Pokémon, ou, até mesmo um pequeno e apertado hostel.

Eles andaram e já estavam sem esperanças de achar algum lugar para conseguirem ficar para passar aquela assustadora noite congelante que estava naquele dia.

Mas eles decidiram continuar toda aquela trilha e aquele caminho por dentro daquela floresta densa.

Eles andavam, andavam e andavam até que eles encontraram uma gigantesca montanha, ou, morro pois não era tão grande assim.

A ponta daquele morro continha um gigantesco farol que continha algumas árvores em sua volta e também parecia um cigarro, ou, aquelas bengalas doce.

Era um morro incrívelmente íngrime que era muito grande para se subir.

Com certeza era muito difícil ir à pé, seria difícil ir de moto, impossível de bicicleta, muito menos de Skate, só era mais fácil se eles fossem dentro de um carro.

Eles começavam à subir aquela gigantesca ladeira. Quanto mais pesado a pessoa fosse, melhor ele(a) se daria naquele morro.

Brock estava conseguindo subir melhor do que todos os seus outros companheiros de equipe em suas jornadas.

Misty e Ash estavam cada vez mais com dificuldades para subir aquela ladeira daquele morro, mas Pikachu estava no ombro de Ash.

Chegou em um ponto, que os dois estavam precisando se agarrar em algumas árvores, porque estava extremamente difícil para subir para aquele farol.

Ash caminhava com o máximo de força da qual ele tinha e poderia utilizar. Ele subia aquela ladeira pensando que passaria a noite no farol.

Chega um certo momento totalmente inoportuno em que Ash tenta se agarrar em mais uma árvore.

Até que quando ele estica o braço para segurar-se, mas acaba não alcançando e descendo escorregando morro à baixo.

Ele arremessa Pikachu para o colo de Misty que tomou um susto ao vê-lo descer tudo aquilo.

Ash estava caindo, escorregando de bunda virada para à ladeira escorregando aquele morro inteiro direto para o chão e apenas parando no fim do morro, no local onde eles começaram o caminho.

Ao terminar a sua descida. Ash grita para que Misty, Brock e Pikachu continuem à subir o morro, pois ele continuaria subindo para alcança-los lá dentro do farol da ponta do morro.

Eles decidem obedece-lo e continuar seus caminhos naquele morro.

Ash descansa deitado no chão do morro, pois descer praticamente todo o morro de bunda no chão doeu demais (deve ter ficado com a bunda vermelha, ou, até mesmo roxa de tanto ter se ralado lá).

Ash abre seus olhos novamente e quando levanta, ele fica apertado e vai direto para uma moita qualquer para urinar.

Depois que ele termina as suas necessidades biológicas, ele acaba olhando para o lado de trás e acaba avistando uma figura, uma sombra que parecia um ser humanóide.

Aquele ser misterioso começava à se aproximar de Ash lentamente com seus cabelos pontiagudos e cada vez mais o treinador Pokémon (Ash Ketchum) continuava à se afastar dele.

Ash acaba se encostando na montanha sem ter para onde mais fugir.

Quando ele fica contra a luz. Aquela figura revela suas cores e principalmente sua aparência e ainda mais a sua face totalmente familiar para o treinador iniciante Ash Ketchum.

Era o seu "amigo" e rival (eles possuem uma relação complicada) muito mais conhecido como Gary Carvalho vindo da cidade de Pallet e também o neto do professor Samuel Carvalho.

Gary: Então, você tava regando as plantas da floresta?

Ash: VOCÊ VIU!? 

Gary: Sim, tu foi mijar em um lugar público.

Ash: NÃO TINHA NINGUÉM! VOCÊ TÁ INVADINDO A MINHA PRIVACIDADE TOTALMENTE... ESPERA AÍ, VOCÊ VIU O MEU...

Gary: Para a sua sorte não, mas eu até que poderia ter visto. Toma cuidado.

Ash: Você queria ver?

Gary: Depende da sua resposta.

Ash: Quer saber!? Tchau!

O treinador Pokémon se direciona à montanha e começa à subir, mas Gary o puxa novamente em direção ao seu corpo cintura com cintura.

Gary: Eu não terminei ainda com você.

Ash: Mas EU SIM, tchau.

Gary: Caguei, eu queria ficar um pouco aqui contigo.

Ash: Porém eu não compartilho de sua vontade, ou, seja, o sentimento não é reciproco, tá?

Gary: Não, eu sei que tu gosta, mas porque você tá me negando tanto assim?

Ash: Eu continuo um pouco bravo pelo que você fez lá no laboratório do professor Carvalho!

Gary: Ele disse que entendeu o motivo! E você havia me perdoado.

Ash: Não ligo! Ainda tô magoado, porque foi eu quem tive que cuidar dos seus machucados depois da briga.

Gary: Espera, é só por isso?

Ash: Sim, já acabou?

Gary: Ma-mas eu só vim aqui pra falar o que eu deixei de dizer antes.

Ash: Dá pra parar de implorar, tu tá ridículo.

Gary: Então, eu vou repetir aquilo que eu fiz que deu certo!

Ash: Ééééé, como assim!?

Gary novamente puxa Ash que havia o afastado e o beija com firmemente. Ash estava lutando, mas acaba desistindo, retribui, mas logo volta para a realidade e o empurra para longe de seu corpo.

Gary: O que que foi?

Ash: Eu... Disse não!

Gary: Então, tá bom. Me desculpa, eu nunca mais farei isso.

Ash: Minha confiança em você acabou, e nunca mais vai voltar.

Gary: Ash, eu te quero só pra mim, nem que seja só como amigo! Por favor, volta à falar comigo.

Ash: Tá bom, pelo menos mais uma chance pra você.

Gary o abraça e Ash aceita e também retribui. Eles se despedem, Ash volta à subir o morro e dessa vez ele consegue subir toda aquela ladeira.

Alguns dias depois, eles voltam para a rota certa e após isso, eles voltam para a última cidade da qual eles estavam quando Gary tentou dizer alguma coisa, mas Pikachu chegou bem na hora.

Após algumas horas após a noite ter chegado, Misty, Brock e Pikachu decidem ir dormir. Mas Ash decide ir dar um passeio pela cidade para fazer um tour.

Ash caminha por parte daquela cidade, passa por várias ruas e começa à ficar cada vez com mais sono.

Ele senta no banco lá do Central Park e acaba relaxando e dormindo lá naquele banco de parque público.

Do nada ele acorda, olha em volta e vê que não estava de manhã. Quando ele olha para frente, ele acha Gary em cima dele e acaba se assustando e ficando vermelho.

Ash: O que é que você tava fazendo aqui?

Gary: Eu que pergunto. Por que você tá dormindo aqui?

Ash: Foi sem querer, eu apaguei.

Gary: E por que é que você tá de blusa com essa blusa diferente, em?

Ash: Tá cheio de perguntas né?

Gary: Vamos dar um passeio pela cidade?

Ash: ... Tá bom, vamos lá.

Gary e Ash caminham por vários pontos turísticos daquela cidade, conversam muito, riem demais (eles sempre são mais felizes e riem quando estão juntos, um ao lado do outro).

Eles acabam voltando o caminho quase inteiro, mas é claro que eles pegam um pequeno atalho por um beco assustador e Ash se agarra em Gary.

Quando eles ficam em frente ao Centro Pokémon, Ash passa suas mãos por seu pescoço e o beija apaixonadamente e Gary acaba permitindo.

Eles se despedem e Ash acaba voltando para dentro do Centro Pokémon com um lindo, brilhante e grande sorriso estampado em sua face.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...