História O meu talvez "felizes" para sempre - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Tags Romance
Visualizações 1
Palavras 653
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Capítulo 8


Fim de semana, que delícia, só passeios por esse lugar lindo e muito café.

Levantei me espreguiçando como um gato, coloquei uma blusa comprida que vai até o joelho e desci para a cozinha.

Coloquei água ferver e estava pegando a vasilha que contém o pó de café quando a companhia tocou.

Prendi o cabelo num coque e fui abrir num reflexo.

Assim que ela se abriu totalmente, tomei um belo de um susto, o Igor estava ali.

- Posso entrar? - ele pediu tocando meu braço que estava no batente da porta.

- Pode. - dei passagem para ele.

Ouvi um barulho na escada e meu lindo vizinho estava descendo com um sorriso no rosto.

- Que porra é essa Flávia? Passei uns dias sem conversar direto contigo e tu já tá me traindo? - ele perguntou furioso.

Comecei a gargalhar.

Primeiro: não temos nada sério, ou seja, nada de traição.

Segundo: Não devo satisfações da minha vida.

Terceiro: nós nem nos falamos nos últimos dias.

Quarto: ele não tem direito de ficar irritado.

- Olha aqui queridinho, sou solteira e desimpedida, posso tranzar com quem e quando eu quiser. - respondi calmamente.

Ele me fuzilou com os olhos e foi para cima do gatinho.

- Isso já é demais. Saí de cima dele. - Sofi apareceu na sala colocando ordem na porra toda.

- Ela tava me traindo, e você sabia disso dona Sofia? - ele olhou mortalmente para ela.

- Na verdade, essa trouxa estava chorando ontem porque ninguém respondia ela, e eu que tranzei com o vizinho gostoso. - ela deu um sorriso vitorioso.

Eu fiquei envergonhada, corei rapidamente, e ele ficou confuso.

Se levantou rapidamente e se aproximou de mim.

- Flávia, eu e você não temos nada sério, não sou obrigado a te responder sempre que você manda uma mensagem besta. - ele disse em tom cortante.

- E nem eu manter a nossa relação sexual, não quero mais ter nada contigo, muito menos sexo. - respondi igualmente.

Ele ficou chocado, não esperava essa reação de mim.

Ele deve estar se achando o deus do sexo, das putas, mas ele se esquece que todo homem sabe tranzar, e com exceção dos gays e dos comprometidos, eu posso pegar quem eu quiser.

Dei um tapa em sua cara e meu vizinho o colocou para fora da minha casa.

- Não quero te ver nunca mais. - gritei.

O Igor só virou as costas para nós e caminhou para seu carro.

- Agora, eu preciso tranzar, e quero você. - puxei a Soh.

- Isso é interessante. - o gostoso foi abrindo o zíper de sua calça.

Peguei em suas mãos e os puxei para meu quarto.

Tirei a pouca roupa que estava vestindo e eles fizeram mesmo.

A nossa urgência era mútua, e isso é interessante.

Seu membro pulou rijo da cueca, e eu lancei um sorriso safado.

- Quero você sua puta. - ele veio para cima de mim.

Sua mão foi logo para minha intimidade, e ela certeza que vinha em cada toque dele, me deixou excitada.

- Sofia? - chamei rouca.

- Sim. - ela respondeu.

- Chupa ele. - ordenei.

Ela colocou o pau dele em sua boca e eu me sentei na cara dele.

Sua língua logo invadiu minha intimidade, e em pouco tempo meu corpo estremeceu e eu gozei.

- Você é uma delícia. - ele comentou e eu sorri.

Ele colocou me colocou de quatro e meteu fundo em mim, me fazendo arquear as costas ainda mais.

A Sofi deitou em minha frente e abriu suas pernas, me convidando a chupá-la.

Me apoiei em meus cotovelos e agarrei seu quadril.

Coloquei minha língua para fora e dei início na brincadeira.

Ela logo gemeu alto e eu me aproveitei disso para pressionar ainda mais seu clitóris.

Em pouco tempo seu leite foi derramado, e eu tomei tudo obedientemente.

Aproveitamos um pouco mais nosso vizinho gato, gostoso e maravilhoso, e depois tomamos o café da manhã.

Assim que nos damos por satisfeitos, nós três nos arrumamos e fomos passar algumas boas horas calmas no Vondel Park.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...