1. Spirit Fanfics >
  2. O meu vizinho - Hyunin >
  3. Tudo graças a gripe

História O meu vizinho - Hyunin - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Fds, capítulo pequeno dnv



― Boa leitura e até lá em baixooo 💕💚💫

Capítulo 4 - Tudo graças a gripe


Jeongin não sabia quanto tempo ficara dormindo, pois só acordou depois de ouvir os gritos de Jisoo praticamente em seu ouvido. Desde que chegara em casa e se deitara em sua cama, apagara completamente.

― Ô JEONGIN! ACORDA PORRA!

― Hm? ― abriu os olhos lentamente, sem sentir forças para se mexer. ― Ai, minha cabeça. Ai, meu corpo inteiro. Tá tudo doendo, noona...

― É, eu percebi, seu dramático e irresponsável! Você tá ardendo em febre, idiota! ― ela colocou a mão na sua testa.

― O que eu tenho? ― murmurou, fechando os olhos.

― Tá com gripe, obviamente, ninguém precisa ser médico para saber isso. ― revirou os olhos. ― Você pegou a chuva de hoje, né?

― Sim...

― Você não tem guarda-chuva não, jumento?! ― ela questionou irritada.

― Eu esqueci em casa, caramba! Agora deixa eu dormir que eu vou melhorar, beleza? Não sou um bebê para você cuidar, noona.

― Primeiro eu vou pegar um remédio, tá bom? Já volto.

Jeongin observou a amiga sumir de vista, depois de deixar a porta do quarto entre aberta. Se tinha algo que Jeongin odiava era que os outros cuidassem dele, como um bebê. Jisoo sempre fora a mãe que ele perdera, e ele agradecia muito, só pedia para que não agissem como se ele fosse um bebê! E o fato de que ele era fofo sem fazer esforço deixava isso mais fácil ainda.

Quando Jisoo voltou, aparentemente segundos depois com um remédio em mãos e um copo d’água, o Yang soube o que viria pela frente. Provavelmente quase vomitaria, conhecia bem aquele remédio, era horrível.

― Argh, eu não vou tomar isso! É ruim!

― Vai tomar sim! Abre a boca. ― mandou. ― Abre a porra da boca, por favor?! Eu estou sem paciência hoje então você trate de abrir essa boca!

Jeongin engoliu seco com a expressão intimidadora e brava da Kim. Por fim acabou cedendo, como sempre.

― Argh, que nojo! ― fez uma careta, botando a língua para fora após engolir o conteúdo do remédio. ― Você está em plena consciência de que se tiver me dado veneno, tu vai ser presa, né? Porque isso aqui não pode ser um remédio, pelo amor de Deus!

Jisoo acabou por rir. Ele ficou bem mais rápido do que eu pensava, pensou ela.

― Certo, certo. Agora você trate de dormir, ok? Já se passam das oito horas da noite e daqui a pouco chove. Se você não melhorar, não vai para aula. Hm... Acho que posso passar aqui depois, para ver como você está. Se não, peço para Hyunjin, tenho certeza de que vai adorar conhece-lo.

― Ok. Mas quem é Hyunjin?

― Você vai ver. Agora tchauzinho, o dever me chama! ― cantarolou ela, indo até a porta. ― qualquer coisa é só ligar, e pelo amor de Deus, não morra!

O Yang riu, vendo Jisoo sumir novamente. Deitou-se na cama novamente, e logo pegou no sono.

Hyunjin estava na sala, terminando um trabalho de faculdade, quando ouviu algumas batidas na porta.

― Já vai!

Abriu a porta, dando de cara com Jisoo meio envergonhada.

― Oi?

― Oi. Desculpa te incomodar, Hyunjin... ― pronunciou. ― Eu vim aqui te pedir um favor...

― Pode pedir, se estiver ao meu alcance eu faço.

― É que eu... Vou sair com a minha namorada e uns amigos dela e... Eu precisava que você desse uma olhada no Jeongin, o amigo que eu te falei que tinha cabelos vermelhos, sabe? ― pediu ela, claramente envergonhada por estar deixando o amigo nas mãos de um quase desconhecido.

― Ah... Eu acho que posso dar uma olhada nele sim. ― esse era um dos problemas do Hwang, ele não sabia dizer não. ― Ele está doente ou algo assim?

A mais nova murmurou um “uhum, ele está com gripe”.

― Oh certo.

― Muito obrigada! Sério, de verdade, você quebrou um galhão para mim! ― ela suspirou, aparentemente, aliviada. ― Boa sorte e, só uma dica: ele é meio teimoso às vezes e odeia ser chamado de bebê, mas você vai ver que é quase impossível, ele é muito fofo.

O Hwang sorriu, assentindo. Algo nele dizia que essa noite seria longa.

Depois de ver a morena sair, literalmente, pulando, Hyunjin fechou a porta, suspirando. Acabaria o seu trabalho de medicina e então iria a casa desse tal Jeongin.

Estava em frente à porta ao lado do seu apartamento, criando coragem para bater. Se bem que, se batesse na porta, certamente ela não seria aberta, já que provavelmente o garoto estaria na cama, dormindo.

Decidiu então entrar sem bater, vendo que a porta não estava trancada. Ao entrar, constatou que o apartamento era igual ao seu, porém mais colorido. Vagou pelo cômodo que era a sala e ao mesmo tempo a cozinha, observando cada detalhe do lugar. Por fim parou em uma porta, qual estava entre aberta. Ao abri-la totalmente e parar encostado na borda, viu uma figura de cabelos vermelhos dormindo tranquilamente.

Em um impulso, foi chegando mais perto, até ficar consideravelmente perto da cama. Reconheceu que quem dormia era o atendente da cafeteria, tomando um leve susto. Ficou um tempo fitando o belo rapaz ― cujas bochechas estavam vermelhinhas e tinha aparelho dentário ―, que também julgou ser muito fofo como Jisoo havia dito.

De repente percebeu o verdadeiro motivo de ter vindo ali; para cuidá-lo e não admirá-lo. Se levantou, indo até  a cozinha e começando  a preparar algo para ele comer quando acordar.

 

 

 


Notas Finais


É isso aí, Hyunjin já tá ficando apaixonado
Bem, não vão ficar acostumados com dois capítulos por dia não, pq nem sempre vai ser assim kkk

~Saranghaeyeo 💕💚💫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...