1. Spirit Fanfics >
  2. O Meu Vizinho Indecente. >
  3. Chapter 1

História O Meu Vizinho Indecente. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Está sem revisão

Capítulo 1 - Chapter 1


Fanfic / Fanfiction O Meu Vizinho Indecente. - Capítulo 1 - Chapter 1

Como sabem, vida de uma escritora não é nada fácil, mas ainda ser uma desempregada e morar com os pai.

Deixa me apresentar, meu nome aurora tenho 25 anos e como sabem, sou escritora.

Eu amo escrever, tô tentando mandar uns dos meus livros para editora, ela gostou e disse escrevo bem, tenho boas ideias. Mas, disse que esta muito saturado romance e o pessoal gosta de livros erótico.

Só que tenho problema com este tema, a minha vida amorosa nesta parte, sempre foi algo sem graça e o básico. Tive um namorado, como ele fiquei 5 anos e nosso sexo era rotineiro, pai e mamãe. O meu ex era tão enjoado que não curtia chupar, mas queria que chupasse. Fiz uma vez e não fiz mais, eu também tenho direito e resumindo, uma negação este namoro. Fora, que ele era coelho e nunca tive o prazer.

Não sei por que tô falando isso, então, a editora pediu que escrevesse um livro erótico e queria que fosse o sexo, não fantasiosa.

Eu topei, não sei por que! Não sei como é ter a foda.

Estou aqui na minha mesinha tentando escrever um hot e não vinha nada na minha cabeça.

ㅡ Aurora. ㅡ Fala minha mãe entrando no quarto e me assusta.

ㅡ Que susto mãe. ㅡ Digo ofegante.

ㅡ Não sei por que insiste em ser escritora, perda de tempo e isso é pra quem tem talento, você não tem. Já tá na hora de arrumar um emprego descente. Aí! Vai na Beth buscar o meu livro de receita, eu estou precisando. Quero pra já. ㅡ Fala na porta, bufei desanimada.

ㅡ Mãe, estou ocupada tentando escrever o livro. ㅡ Digo

ㅡ Vai agora aurora, enquanto tiver na minha casa, sendo bancada por mim, tem que fazer o que mando, larga dessa porcaria vai buscar o que mandei e caçar serviço.

Minha mãe adora me por pra baixo, ela nunca apoia o que faço e tudo que faço é perda de tempo, inútil. Nunca tive apoio em nada dela e sempre me põe pra baixo e jogo na minha cara.

Fecho o notebook, levando cabisbaixa e vou até a casa da Beth, fica de frente de casa.

Caminho até a saída, quando saio vejo um carro parando na frente da casa. Quando sai um gostosão, que me excitou com tanta gostosura. Ele desce e deu um sorriso lindo, me fez gozar.

Saiu uma mulher muito linda perfeita, olhei para mim. Uma moça sem graça gorda de 79 kg. Bufei, um homem daquele nunca olharia para um mulher igual a mim, estava longe de sua lista e fora a mulher dele é gatissima.

Continuo andando passando por ele, viro para atrás dar uma espiadinha, vejo eles entrando se amassando e vejo a porta.

ㅡ Que beijão foi aquele, jesus. Mulher sortuda ter uma marido gostoso daquele. ㅡ Sussurro chegando na casa da Beth.

Ela me atende, peço para ela o livro de receita e depois volto para a casa. Quando aproximo de casa, começo ouvir um gemido baixo vindo da casa do vizinho.

ㅡ Caraca, o cara deve ser bom em! O gemido dela ouve daqui. ㅡ Sussurro boquiaberta.

Entro dentro de casa, vou até a cozinha e deixo o livro da minha mãe. Nem agradecer, ela não foi capaz. Volto para meu quarto e Aproximo da janela, arregalo meus olhos vendo os dois transando, podia ver sua costa larga e uma bunda bem perfeita. Fiquei olhando, ela fazia caras e boca de prazer, podia sentir minha buceta pulsar ao vê-los transarem gostosa mente. Ele afastou dela indo para não sei aonde, saíram dali.

ㅡ Nunca havia presenciado, uma foda real. ㅡ sussurro olhando para o quarto do vizinho.

Afastei da janela, aproximei da minha mesa, abri o notebook para escrever um livro erótica, depois dessa transa do vizinho, me inspirou.

Fico na frente do notebook, não conseguia escrever e não saia nada.

ㅡ Porra meu! Não consigo escrever e estou aqui vendo a imagem, não sai o que tô pensando, merda! ㅡ Resmungo e encosto a cabeça na mesinha frustrada.

Quando repente cai um caderno da minha estante. Levanto a cabeça e levanto indo até o caderno, o pego.

Abri estava em branco. Aproximo da mesinha sentando e pego uma caneta.

ㅡ Acho que vou escrever nele, quem sabe rola. Como será o título, ah! Já sei... O meu vizinho indecente, perfeito.

Começo escrever o título nele e depois fico pensando como começa, quando começo.

"Estava um dia perfeito, com um sol quente e um calor de acabar, então suse decidiu ir cuidar do seu gramado na frente de sua casa. Pegou a mangueira e começou jogar água em seu grama. Com calor e suando, olhou para cima vendo o sol fazendo um mal amasso de tão quente e enxugou seu suor com o braço. Suse volta sua atenção ao seu gramado e começou olhar para água jogando de sua mangueira, pensa:

"ㅡ Que calor, vou me molhar um pouco."

Suse ergueu a mangueira e jogou água sobre sua cabeça deixando a água percorrer sobre seu corpo tanto uma gostosa sensação refrescante.

Suse havia esquecido que estava sem sutiã e com sua blusinha molhada marcava seus seios e suas perfeitas curvas... Apreciando a refrescante água por conta do calor, só não imaginou que logo ali em sua frente, acabaste de chegar um carro com um homão da porra, olhando ela se refrescar com a mangueira.

Ele afastou do carro e caminha em direção de suse se refrescando.

ㅡ Boa tarde. ㅡ Ele a cumprimentou.

Suse levou um susto que soltou a mangueira a deixando cair sobre o chão, olha para o homem em sua frente com sorriso de canto.

ㅡ Boa tarde, posso ajudar? ㅡ Suse pergunta olhando para o homem sem graça.

Suse começa sentir uma sensação estranha com o olhar de malícia do rapaz, podia sentir sua buceta pulsar por olhar para este homem lindo em sua frente.

ㅡ Sou o novo vizinho, estou sem água e está um calor, poderia me dar um copo de água gelada, desculpa ㅡ abriu um sorriso de canto percorrendo olhar sobre suse ㅡ atrapalhar e incomodar você em um momento excitante, quero dizer... Refrescante.

Suse ficou sem graça, assentiu com a cabeça concordando.

ㅡ Me acompanhe ㅡ disse com sorriso tímido.

Suse afasta e o seu vizinho veio logo atrás dela. Enquanto ele olhava para ela andando em sua frente, o deixava excitado que ajeitou seu membro ficando ereto por ela toda molhada em sua frente com o corpo marcante pela roupa molhada.

Eles chegam na porta da cozinha de suse ficava ao lado. Ela entrou dentro, enquanto ele encosta no batente e olhando para suse abaixando para pegar a água na maior espontanealidade. Ele ficava olhando para sua perfeita bunda e seu pinto crescia por admirar a curvatura de suse.

Suse vira para o homem logo atrás e derruba sua jarra de água ao ver o tamanho do pinto dele sobre a calça.

ㅡ Tudo bem? ㅡ Perguntou ele com sorriso de canto.

ㅡ Tudo sim. Desculpa, vou pegar seu pinto... Quero dizer uma vassoura. ㅡ Suse fala toda sem graça.

Ela vai até a lavanderia ofegante por ver o homem excitado em sua frente e o vendo naquele jeito, a deixou excitada. Quando aproximou da vassoura e olhou para cabo da vassoura, veio a imagem pegando no pinto do homem gostoso em sua cozinha e excitado por ela, soltou um gemido imaginando segurando aquele pinto qual viu duro em sua casa.

Viajando com o cabo da vassoura, soltando gemido. O homem ali em sua cozinha ouvido o seu gemido o deixava mais ainda excitado. Caminha até aonde ouvia gemido de suse e olhava ela ali soltando gemido segurando o cabo da vassoura.

Ele abriu um sorriso de canto vendo ela delirar por ele. Aproxima dela mordendo seu lábio inferior e segura ela pela cintura, encostou seu pinto em sua bunda molhada. Ela abriu seus olhos arregalando quando sentiu a sua mão forte e seu membro em sua bunda.

Ele virá suse, a encostando na parede com um braço esticado por cima do seu ombro a presença entre o seu corpo forte e grande.

Suse sentindo seu magnetismo vindo do homem e do seu cheiro que a drogava de tão cheirosa que se encontrava. Ele olhando para ela entregue pedindo para aquele homem a pegar de jeito, estava a sua mercê.

Suse ali suspirando pelo tesão sentindo por este homem, ficava com seus olhos fechado sentindo entrar em combustão. Quando de repente ele abocanhou o peito dela a fazendo abrir os olhos e soltar um gemido.

Ele sob sua blusinha a tirando deixando suse exposta com seus peitos durinho e os acariciava e os abocanha com gosto.

Suse delirava sentindo aquela boca gostosa do homem sua frente. Ele enquanto chupava o peito de suse, ia tirando a calça, ficando sem elas. Quando, ele para tirando a sua camiseta e suse vendo a gostosura em sua frente, a excitava mais ainda.

Ele abaixa indo para seu shortinho larguinho, mas estava coladinho em seu corpo, abaixa. Suse fica nua em sua frente e vendo ela assim, o deixava louco para fuder a mulher em sua frente. Ele segura em sua cintura, a coloca sobre..."

ㅡ Aurora. ㅡ Grita minha mãe.

ㅡ Justo agora que estava chegando na parte boa da minha historia. ㅡ Resmungo.

ㅡ Aurora, vem aqui, menina! ㅡ Grita de algum lugar da casa.

Suspirei desanimada, fechei o caderno e vou até minha mãe. Quando chego na sala, vejo o vizinho gostoso.

ㅡ Credo mãe, fica gritando assim perto dos vizinhos. ㅡ Falei olhando para ela babando no vizinho.

ㅡ Desculpa Henry, pela minha falta de educação. ㅡ Ela falou toda sem graca olhando para o vizinho.

Henry, que nome sexy igual ele.

ㅡ Tudo bem, senhora. ㅡ Ele disse com uma voz rouca de locutor de rádio.

A voz dele entrou em minha alma de tão linda, ele, sua aparência e a voz. Fodeu com meu juízo. Não sei da onde este Deus grego saiu.

ㅡ Aurora! Aurora! ㅡ Ouço a voz da minha mãe.

Saio do meu devaneio, quando olho para eles me encarando, ela boquiaberta e ele com sorriso...


Notas Finais


Oq acharam do capítulo, tirando erros ortográfico?
Deixa seu comentário e até em breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...