História O Mistério de HG - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Ronald Weasley, Theodore Nott
Tags Drastoria, Hansy, Harry Potter, O Mistério De Hg, Romance, Romione
Visualizações 76
Palavras 2.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiê gente, espero que gostem das mudanças, e comentem oq acharam da mudança quem já leu pfvv.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Eu estava vagando pelo corredores de sua escola, observando os alunos andando sempre de um lado para o outro. Sempre me perguntava porque me sentia tão deslocada as vezes, obviamente eu não era a clássica garota adolescente que se preocupava com garotos e festas.

Sempre fui uma rata de biblioteca, pelo menos era disso que meus amigos me chamavam, mas isso não era o principal fator de me sentir "errada" em minha vida, mas já estava acostumada a me sentir um peixe fora d'água.

Mas humildemente falando eu também era o raro caso de beleza e inteligência pelo menos era o que me falavam, não sou popular, porém não sou a excluída sem uma vida social, eu tenho seus amigos, e até um namorado.

Agora, o que me deixava com dor de cabeça era minha festa de 15 anos que estava por chegar, eu não sou muito de ir para festas, nunca gostara, mas minha mãe e suas amigas imploraram para fazer-la. 

  — Mione, Mione? HERMIONE GRANGER. — Berra Carol no meu ouvido me tirando de meus devaneios.

— Oi, o que foi? — pergunto atordoada. me viro para ela vendo sua melhor cara de brava direcionada para mim.

—   Você escutou alguma coisa que eu disse? — pergunta Carol. Sorrio inocente negando com a cabeça — Poxa me da atenção também né, estou tendo um colapso.

  — Ok desculpa, o que aconteceu?  

— Eu estou encantada por aquele gato da aula de álgebra. — diz fazendo um biquinho birrento. — Mas ele nem me nota, ele só fica olhando para a bunda da Sra. Philips.

  — Que nojento, é por ele que você está afim? Esse é seu grande problema? — pergunto fazendo cara de tédio. Por mais que não me surpreendesse em nada o mal gosto dela, gamar no garoto que ficava secando a nossa professora era nojento.

— Sim, e você vai me ajudar, não é? 

— A não, porque eu? — digo relutante. Reviro os olhos para ela, escuto o sinal para aula de álgebra tocar, me levanto indo até a sala, mas Carol entra na minha frente me impedindo de passar

— Porque você é minha melhor amiga, qual é Mione por favor, e você senta bem na frente dele.— ela pede fazendo aquele olhar de cachorro pidão, juntando as mãos em frente ao corpo.

— Você é insuportável ok, o que eu tenho que fazer? — digo suspirando e ouvindo o gritinho alegre de minha amiga que começa a dar pequenos pulinhos e entrelaça seu braço no meu.

— Seguinte, hoje eu vou sentar com a Steyce e então você senta do lado dele na aula e só descobre se ele tem um rolo ou se tem namorada ou também se ta afim de alguém.  — ela diz tudo num fôlego só.

— Mas você não consegue descobrir isso sozinha não? Perguntando pra alguém?

— Não! Vai ficar muito óbvio, por favor amiga! — ela junta suas mãos frente ao corpo implorando.

— Ok droga.

Ultrapasso Carol entrando na sala vendo que a Sr.Philips já estava lá e seu assediador também.

  — Você vai ficar me devendo essa beleza, e o que eu vou fazer com Logan? Você sabe que ele é ciumento.— pergunto olhando para que meu namorado sentado em sua mesa com seus amigos do time 

— Eu falo toda a verdade depois, confia em mim, vai nessa. — na hora em que me viro para ver o garoto Carol me empurra fazendo com que eu cai encima do garoto. 

— Ai me desculpa, eu acabei tropeçando, te machuquei? — me viro para Carol com um olhar mortal, e morrendo de vergonha também, a mesma passo por mim e sussurra desculpas me olhando culpada.

— Eu ia perguntar se você havia se machucado na verdade, está tudo bem? Me chamo Toddy, e você é Hermione certo? —  ele estende sua mão pra mim me ajudando a me levantar.

— Prazer, é Hermione sim. — sinto meu rosto enrubescer um pouco e depois de um silêncio desconfortável eu tomo coragem e pergunto   — Tem algum problema de eu me sentar aqui?

  — Claro, quero dizer, não não tem. — diz o Toddyo se atrapalhando. 

  — Se quiser eu posso...

— Não esta tudo bem, to me sentindo idiota aqui. — Rio pegando meu material e colocando encima da mesa.

— Bom dia alunos, espero que tenham tido um bom fim de semana e descansado muito, porque hoje irei passar a matéria da prova de amanhã. — diz a Sr. Philips recebendo várias reclamações dos alunos, apenas reviro os olhos e abro meu caderno. — É realmente uma pena, agora peguem seus cadernos.

Enquanto a professora escrevia na lousa, eu estava inquieta tentando achar uma brecha para conseguir conversar com o garoto, mas o mesmo tinha os olhos vidrados na professora, fazia mesmo jus ao nome de assediador, olho de relance para ele percebendo o casaco do time, como meu namorado, então finalmente tento puxar assunto.

— Você é do time de futebol? Esquece a pergunta foi idiota já que você tem a jaqueta. 

— Tudo bem — diz rindo anasalado— Eu sou zagueiro e se não me engano seu namorado é o Logan né o nosso artilheiro? 

  — Sim esse mesmo, e você tem namorada no time? Alguma líder de torcida? — boa idiota, mas direta não dava, mordo o lábio nervosa, uma mania nada boa porque depois ficavam muito vermelhos e as vezes machucados.

— Não tenho, porque? — Tento focar na lição mas vejo canto do olho que estou sendo analisada pelo garoto.

—Só para saber, alguém em potencial? — pergunto rapidamente voltando para olhar ele, até que percebo meu namorado, nos olhando com uma cara nada boa.

Me viro para frende de novo, e creio que percebendo meu incomodo repentino  ele olha para trás e acaba vendo Logan olhando-o torto. Toddy se vira para frente voltando a copiar a lousa, depois de um tempo ele se vira para mim do nada.

  — Talvez.

— Talvez o que? — pergunto olhando-o confusa.

— Talvez eu tenha alguém em potencial...

— E quem seria? —meu deus, estou me sentindo uma policial fazendo isso, Carolina me paga  —Se não quiser falar tudo bem, acho que fui enxerida...

  — Não, está bem, achei que já estaria meio obvio... — ele abre um meio sorriso tímido, que achei ele fofo demais.

  — Não me sinto muito confortável falando disso aqui, ta afim de tomar um café depois da aula?  

De inicio eu até penso em recusar mas pelo visto a Carol deve ter ouvindo porque virou para trás na hora me implorando com o olhar, suspiro baixo e me viro para responder Toddy.

— Claro, tem um perto de casa que é ótimo a gente pode ir lá então. —  assim que termino de falar escuto um rangido da cadeira arrastando no chão e vejo meu namorado sair da sala batendo a porta deixando todos sem entender nada.

— Sr. Andrews! Onde esse garoto pensa que vai? 

  — Professora posso ir ao banheiro? —  peço rapidamente, pelo visto Carol não tinha sido a única a ter ouvido a conversa.

— Pode Srt. Granger, pelo menos alguém aqui pede para sair.

Assim que ela permite eu saio correndo atrás de Logan, e como a pessoa previsível que ele era o encontrei no campo de futebol, chutando as bolas com uma certa violência. Eu vou até o campo com certa cautela, para não falar algo que o deixe um pouco mais estressado.

— Porque saiu da sala daquele jeito?  

— Porque? Não sei, você pode chegar em uma conclusão do porque com o Toddy, no café de vocês? — reviro os olhos para ele pela atitude tosca.

— Serio? Você está com ciúmes do Toddy? Eu só me sentei com ele para fazer um favor para Carol, apenas isso bebê. Ela está afim dele e ela pediu para eu ver ser ele tem alguém, só isso. —  chego perto dele encostando em ser braço, depois rodeio sua cintura com um braço e com o abaixo seu rosto para olhar para mim. — Não fica bravo vai.

— Ainda não gosto dele. — rio de seu jeito infantil e lhe dou um selinho.

— Vamos namorado ciumento.

*** 

Depois que o sinal dando o fim das aulas toca eu vou com Steyce e Carol até a entrada do colégio esperando que Logan saia para me despedir, mas como Toddy chegou primeiro para não dar briga fui embora antes. 

Já no caminho para o café eu e Toddy conversávamos sobre coisas aleatórias, chegamos no café e pegamos uma mesa no fundo para termos mais privacidade. Fizemos nossos pedidos e assim que  a garçonete saiu perguntei a ele.

— Então quem é a talvez?

— Você é muito curiosa sabia. — rio um pouco ficando envergonhada.

— É eu sei, é meu charme, mas então eu conheço? — ele olha para mim um pouso exitante e então suspira e diz:

— Achei que já tinha conseguido deduzir, mas ok, a talvez é a Sra. Philips.

Eu o olho um pouco descrente, mas eu já desconfiava já que não parava de olhar ela.

  — É você realmente não disfarça bem, mas é reciproco? — pergunto levemente desconfiada.

— Não, não, ela nem sonha com isso e eu espero que continue assim, por enquanto.  

Depois de um tempo conversando eu vejo que já está na hora que tinha combinado com Carol para contar as coisas e me despeço dele, depois de cinco minutos de caminhada eu chego em casa.

  — Oi mãe — a comprimento pegando um biscoito da assadeira que estava encima da bancada.

— Oi filha, pegue alguns desses biscoitos e leve para seu quarto a Carol ligou faz alguns minutos pediu para você retornar.

Pego um pote e coloco uns seis biscoitos e subo, assim que entro pela porta me jogo na cama pegando o telefone e discando o número de Carol.

 — E então o que ele disse? — ela pergunta na linha parecendo uma criança.

— Ele é afim da Sra. Philips, mas acho que você consegue ficar com ele, e só uma admiração de garoto afim da professora gata. — me viro de barriga para cima pegando um biscoito.

— Sabia, que patético, se ele não fosse tão gostoso eu ia até desistir mas ok, conseguiu se resolver com o Logan?

— Sim, sim, ele só ficou um pouco enciumado mas já está ok.

  — Ata...  

 — Vou sair aqui, estou necessitada de um banho, tchau beijo.

  — Beijos.  


***


Uma semana depois


—Steyce me passa o delineador aí por favor? — Carol pede sentada em frente a penteadeira fazendo sua maquiagem.

—Affs, espera só um pouco que eu to terminando de arrumar meu cabelo. — vejo Steyce termina de fazer a chapinha em seu cabelo e logo em seguida ligando o babyliss para fazer cachos. 

  — Isso vai acabar com o seu cabelo. — olho para ela em plena negação. 

—Mione passa pra mim então porfavorzinho. — Carol ela pede com um olhar de cachorrinho me fazendo revirar os olhos.

—Ok, só um segundo. — me levanta da minha cama pagando o delineador no móvel ao lado e entregando a Carol.

  — Vocês estão se produzindo mais que eu, e a festa é minha.

Steyce e Carol são amigas de infância cresceram juntas e depois eu cheguei, elas são minhas melhores amigas e as únicas também.

Steyce sempre foi meio burrinha então eu sempre ajudo ela com as matérias, já Carol sempre foi a mais festeira, sempre com um namorado novo. Ambas eram lindas, Steyce tinha cabelos loiros e incríveis olhos verdes que pareciam enxergar sua alma, já Carol tinha aspectos mais fortes, cabelos castanhos com olhos castanhos meio avermelhados, o que chamava muita atenção, principalmente dos garotos. 

—Vamos logo meninas a festa é minha e eu preciso estar presente. — digo apertando o ombro de Steyce para ela levantar.

—Mione relaxa que essa festa não vai terminar tão cedo. — Steyce lançando um sorriso travesso as suas amigas.

—Verdade, mas se quiser descer e abandonar a gente como sempre faz. — reviro os olhos para a dramatização de Carol

Solto um suspiro desistindo da ideia de descer, a festa mal começou e eu já quero que acabe, esse salta é desconfortável, e essa maquiagem e tão desconfortável quanto o sapato.

—Vamos meninas por favor!!— imploro para elas

—OK! Já to pronta, credo. — Steyce ergue suas mãos para o alto em forma de rendição.

—Também. — Carol ela se levanta sorrindo e indo em direção a porta e a abrindo.

Suas amigas desceram primeiro afim de anunciar sua descida, assim que apareci no topo da escada senti uma luz na minha cara, chamando atenção de todos na festa. Eu já estava nervosa o suficiente, e agora fui cegada por essa luz maldita.

Quando chego no final da escadaria Logan estava lá com a mão estendida, sorri para ele estendendo a minha mão.

A noite passou como num passe de mágica para todos, menos para mim, quando estavam no final da festa eu já estava descansando em uma das cadeiras da sala,  estava afastada de todos naquele momento só os observando.

— Onde está Logan? — a festa já estava esvaziando, não era possível que ele tenha ido embora sem se despedir. 

E foi nesse momento que eu vi. Carol estava agarrando Logan num canto perto da escada. Senti meus olhos começarem a embaçar e uma dor estranha no peito. Assim que levantei senti meu corpo ser segurando por alguém.

—O que está achan... Meu Deus Mione o que aconteceu?

Depois disso foi impossível controlar o soluços, eu abraço Steyce sendo retribuída.

—E-Eu vi a Steyce e o Logan se beijando...

—A não, que merda.

Steyce não mostrou surpresa, apenas pena, o que estranhei, levantei a cabeça confusa.

—Você sabia deles? Você sabia Steyce, me responde agora.

Nunca me senti tão mal quanto agora, quero que tudo isso seja um sonho, um pesadelo, mas infelizmente não é. Olho de novo para onde eles estavam e vejo que se separaram, Logan vinha na minha direção normalmente como se nada tivesse acontecido.

Sinto um bolo na minha garganta, assim que ele chega perto encostando eu mim eu dou um tapa na sua cara.

  — Qual o seu problema? — o olho com repulsa, então ele olha para Steyce e para minha de novo parecendo entender o que tinha acontecido.

  — Mione, vamos conversar lá no seu quarto vamos. 

— Não me chama de Mione, vocês três perderam esse direito.  

Eu saio andando sentindo que estava sendo seguida por Logan e Steyce. Mas para frente vejo Carol sentada na fonte do jardim de conversa com outro garoto.

  — Vai embora da minha casa sua vadia. 

— Como é que é? Está se achando demais, não acha?  

  A essa altura o garoto já tinha ido embora e Steyce já circulava Carol e Logan estava bem atrás de mim.

— Não precisam ficar circulando a gente, eu não vou me rebaixar ai nível dessa aí.  

— Você está passando dos limites garotas. —  ela se aproxima de mim e eu dou mais um passo para frente. 

  — Relaxa, que pior que você já foi chamada eu não chamo, mas realmente, você é barata demais, uma vadia de quinta. 

Assim que Carol levanta a mão para dar um tapa em mim eu fecho os olhos esperando o choque acontecer, mas a única coisa que ouso é o barulho de água. Assim que abro os olhos vejo Steyce e Carol dentro da fonte completamente molhadas.

  — Como você fez isso. — urra Carol.

  — Mas não fui eu...  

Ela olha para as duas desentendida, vira para trás e Logan olhava tudo de uma certa distância até que se pôs a se aproximar

  — Não chega mais perto de mim ok.

— Mas Mione...  

—Você ainda espera que fique com você, ou você é idiota ou é muito burro.—rio da cara dele. — Não, você é os dois.

—Hermione, era só uma coisa carnal, eu ainda quero fica com você. — Logan diz pegando na minha mão, que faço questão de afastar.

  — Não quero mais olhar na cara de vocês três, e fora da minha casa.  

Eu entro para dentro da minha casa, vendo que a mesma já estava vazia, subo para meu quarto sentindo meu corpo ser pega pelo exaustão, quando deito na cama desabo, vejo Bichento deitado na cama dormindo, o abraço choro tudo o que não me permitir chorar na frente deles. Mas minha paz durou pouco.

De repente escuto um barulho, tipo batidas em sua janela. 

  — Ele não entendeu que eu não vou falar com ele...

Depois de minutos daquele barulho infernal, me levanto pronta para xingar Logan, que podia jurar que ela, já que ele tinha o habito de tacar pedrinhas na minha janela quando aparecia aqui escondido.

— O que esse babaca... Que coisa é essa? 

Assim que olho para a janela tem uma coruja bicando o vidro com uma cartas aos pés, ou patas não sei dizer.

—Não tem como meu dia piorar ou ficar mais esquisito.

 Abro uma fresta da janela, o suficiente para eu pegar a carta sem ser bicada ou da coruja virar almoço do Bichento que já estava a espreita perto da janela. Viro a carta tentando ver o remetente.

—Hogwarts? O que diabos é isso?




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...