História O monstro. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Big Bang
Personagens G-Dragon, Taeyang
Tags Abo, Big Bang, G. Dragon
Visualizações 7
Palavras 1.978
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu iria posta -lá apenas depois de terminar a do Suga mas a vontade de postar logo é maior do que tudo então, aqui estamos.


espero muito que gostem da historia, vou escreve -lá com muita atenção e carinho.


me perdoem se encontrarem algum erro e me avisem que vou corrigir assim que possível.

Capítulo 1 - O REINADO DO MONSTRO.


Kwon Ji-yong era um grande e poderoso rei de uma nação prospera, seu povo nunca passou por privações, todos eram atendidos sempre que tinham alguma necessidade. Esse respeito por seu povo veio dos ensinamentos de seus pais, os antigos reis, que morreram quando ele tinha seus vinte e cinco anos.

Apesar dessa terrível perda, ele tinha alguém a seu lado para lhe apoiar e consolar nos momentos mais difíceis, sua ômega, Dahyun, eles ainda não eram casados mas já tinham um romance ativo, pois ela morava a seu lado no castelo e já era tratada como uma rainha.

O romance teve seu inicio quando uma princesa foi escolhida para se casar com o herdeiro do trono, uma aliança muito poderosa seria formada a partir desse casamento. Quando a noticia de que ele iria se casar chegou a seus ouvidos, sua reação não foi muito boa mas assim que a conheceu ele logo mudou de ideia, não foi amor a primeira vista mas logo de cara seu lobo sentiu algo pela ômega o que os levou para seu relacionamento.

Tudo estava indo perfeitamente bem, até que um inimigo que ele não imaginava ter, apareceu.

Daesung, havia sido coroado rei de um reino próximo ao de Ji-yong assim que seu pai morreu, seu maior desejo era tornar, Dahyun, sua rainha e ômega, ele nutria uma paixão por ela a anos. Quando soube de seu noivado com o lúpus Kwon ele decidiu lutar por ela mas foi impedido por seu pai que sabia do grande poder de seu vizinho, como Daesung ainda era apenas o principe não pode ir contra a vontade do rei mas assim que assumiu a coroa a primeira coisa que fez foi declarar guerra.

Ele juntou o maior numero de soldados para atacar o lúpus, ele havia planejado tudo, atacaria a noite quando uma grande chuva estivesse caindo pois sabia que ninguém esperaria um ataque nessas condições.

Na noite do ataque, Ji-yong e Dahyun estavam na cama trocando carinhos após se amarem muito, um grande barulho foi ouvido e logo alguns guardas adentraram o quarto do casal informando do ataque.

- senhor, estamos sendo atacados.

- o que?, quem esta nos atacando?

- não sabemos.

- reuna todos os homens… me espere aqui, não saia por nem um motivo.

- não por favor, não me deixe aqui… você pode se machucar.

- eu preciso ir, tenho que proteger você e nosso reino… só me prometa que não saíra daqui.

- eu prometo… mas prometa que voltara por mim e por nosso filhote.

Ele a olhou confuso e a viu passar mão na barriga.

- sim, estou gravida então por favor, volte.

- eu prometo.

Ele deixou um beijo em sua testa e saiu com sua espada em mãos, mas ele não sabia que aquela seria a ultima vez que a veria com vida.

Assim que chegou onde a guerra estava mais intensa ele logo soube quem o estava atacando pelo uniforme dos soldados, ele não entendia o motivo mas passou a lutar por sua vida de seu povo e de sua ômega que agora carregava seu filhote.

O alfa se concentrou na luta o tempo todo, ele acreditava fielmente que sua ômega estava segura, no meio da luta ele viu alguns soldados subirem as grandes escadarias e logo foi atrás deles pois sua ômega corria perigo.

Ele estava quase deixando seu lobo tomar conta de seu corpo pois assim ele atacaria qualquer um com força total e protegeria sua família mas quando chegou a seus aposentos ela não estava mais lá, ele matou os guardas que haviam entrado no lugar e se desesperou, olhou por todos os lugares e finalmente a janela, ele se aproximou, ela estava aberta e logo soube que sua amada havia pulado dela para se esconder, ele deveria ter se preocupado com o fato de ela estar gravida e ter pulado de uma altura de cinco metros mas logo lembrou que os lobos tinham habilidade de dar grandes saltos e isso o confortou, ele logo pulou do mesmo lugar e viu que os rastros dela o levaria a floresta que ficava ao lado do castelo.

Ao adentrar o lugar ele logo teve a ideia de seguir o cheiro dela mas a chuva e o vento forte acabavam o distraindo, apesar de ser um lúpus e poder distinguir muito melhor os cheiros do que os alfas comuns, havia muitos lobos por perto e sua angustia para encontra- lá o deixava ainda mais desesperado.

O alfa apenas foi seguindo em frente, correu pela floresta por alguns minutos e de repente se deparou com a pior cena que poderia ver me toda a sua vida, no meio de um campo na floresta, apenas a lua cheia iluminava o lugar, sua ômega caída no chão, sangue ao redor, ela apenas soltava gemidos de dor, em pé a sua frente um alfa com uma espada suja de sangue e ele sabia que aquele sangue na espada do soldado era dela misturado a de seu filhote, que apesar de saber a pouco tempo de sua existência, ele já estava louco para conhecer.

Ele não pensou em mais nada, largou sua espada e correu em direção ao alfa que havia ceifado a vida da ômega, era perigoso ir até ele desarmado, mas seu ódio era tão poderoso por ter deixado seu lobo assumir o controle que nada o pararia.

Foram vários golpes desferidos contra o soldado o deixando cada vez mais machucado, ele não parou até ter quebrado o pescoço de seu oponente, ao sentir que já não havia mais vida naquele corpo ele o largou e olhou para o lado, viu sua amada ainda murmurando e foi até ela, se ajoelhou e a pegou no colo como pode, viu que saia sangue por de baixo de seu vestido e logo soube que se tratava da criança que estava perdendo.

- meu amor... me perdoa eu não deveria te –lá deixado sozinha.

- eu tentei, eu juro que tentei proteger nosso filhote- fala entre gemidos e suspiros.

- eu sei que fez isso, eu te prometo que vou me vingar por ele e por você.

- não, não quero que você seja igual a ele.

- eu não posso perder você também, por favor fica comigo.

- tudo o que eu mais quero é que você seja feliz... me prometa que vai ser feliz, que vai encontrar alguém e ama –lá mais do que amou a mim.

- não, isso nunca... você é a única pessoa que eu posso amar.

- não diga isso, eu sei que pode amar de novo, eu sei... só quero que seja feliz.

- eu só vou ser feliz com você... só com você.

- eu te amo.

Ela deu seu ultimo suspiro e ele viu o momento em que a vida deixou aqueles olhos que costumavam ser doces e brilhantes.

Naquele momento o desespero o tomou, naquele momento ele não era mais um alfa lúpus rei de uma nação muito poderosa e aclamada por muitos povos, ele era apenas um homem apaixonado que havia perdido a mulher que ele amava junto a seu filho.

Ele não suportou mais, seus gritos de dor e angustia podiam ser ouvidos a quilômetros, principalmente por alfas, ele chorava e implorava para que ela voltasse para ele.

E assim ele ficou por longos minutos até que seu lúpus o dominou sem nem ao menos um aviso.

- eu vou matar aquele que te tirou de mim.

Ele deixou o corpo de sua amada naquele mesmo lugar, assumiu sua forma de lobo e correu por entre as arvores, ele sabia para onde deveria ir, seus instintos o estavam guiando, ele sabia que o rei Daesung sempre montava acampamento perto de uma vila, ao norte da floresta, onde ele recebia ajuda sempre que precisava pois adorava caçar naquela região.

O grande lobo correu por cerca de dez minutos até avista as tochas que iluminavam as ruas da pequena vila, ela não fazia parte de seu reino, os lideres dela eram o ultimo povo que restou de um reino que ficava distante dali, eles viajaram por muitos meses para encontrar o lugar certo par passarem o resto de seus tempos depois que seu reino foi atacado e destruído por guerras, o pai do lúpus, permitiu que eles ficasse pois era um homem muito sábio e piedoso e jamais deixaria alguém desprotegido.

Assim que viu a vila, logo a adentrou, ele não queria perder tempo e logo sentiu o cheiro do mandante do crime. Ainda em sua forma lupina ele estava caminhando pelas ruas quando virou um das esquinas e viu seu inimigo parada com alguns alfas ao seu lado.

- eu sabia que viria atrás de mim... mas você não pode me culpar, eu disse a ela que se ela não deixasse você e viesse até mim ela também não seria sua.

O lúpus deus um rosnado que fez até mesmo os alfas presentes se sentirem intimidados, ele deu um passo a frente e os guardas se posicionaram a frente do rei para protege –ló, mas isso não podia ser evitado, Kwon deu um grande pulo e apenas com uma patada derrubou três alfas, ele sabia que logo chegaria a vez do outro rei então estava apenas se aquecendo matando os soldados e assim que terminou de elimina –lós ele foi atrás de seu rival, por vê –ló matar todos a sua frente ele ficou com medo e fugiu tentando se esconder em alguma das casas da vila, mas nada adiantou, o lúpus o encontrou, ele tentou lutar mais foi em vão, apenas o impacto de seu corpo se arremessado contra a parede de uma das casas foi sentido e então viu os grandes dentes do alfa vindo em sua direção, era seu fim.

O lúpus abocanhou a cabeça de Daesung a arrancando de tanta raiva que sentia.

Assim que terminou ele voltou para sua casa.

-

O dia ainda estava amanhecendo e a noticia de que o castelo havia sido atacado chegou aos ouvidos de todos que logo correram para ver o que tinha acontecido. Muitas pessoas estavam amontoadas em frente aos portões do palácio e a única certeza que tinham era que o rei estava desaparecido desde a noite anterior, todos estavam com medo, ele era o único herdeiro e não sabiam o que aconteceria a eles se o rei morresse assim como seus pais.

De repente, eles ouviram pequenos rosnados e então todos olhavam para trás e ao abrir caminho eles viram seu rei, ainda em forma lupina, com a cabeça de seu inimigo na boca, caminhando em direção ao castelo. Todos estavam chocados com a cena, em tantos anos de governo eles nunca haviam presenciado uma cena tão animalesca de um de seus superiores, claro que todos ali sabiam como era alfas em campos de batalha mas a aura em torno dele era assustadora, seus olhos eram de um vermelho sangue vivo, seu fusinho e pelos manchados de sangue fizeram aquela cena se tornar mais assustadora do que deveria ser, crianças estavam assistindo aquilo.

Ao chegar na porta do palácio ele virou para seus súditos e soltou um rosnado forte e poderoso, no mesmo momento todos se ajoelharam a sua frente, os portões foram abertos e ele entrou sem olhar para trás e as portas foram fechando atrás de si.

Depois daquele dia o rei nunca mais pós seus pés fora do castelo, tudo era resolvido lá dentro, a noticia de que ele havia massacrado a pequena vila se espalhou como fogo e o rei que assumiu o lugar de seu inimigo implorou ao lúpus que ele não atacasse seu reino, todos ficaram assustados com os acontecimentos daquela noite.

E foi assim que o reinado solitário, do poderoso alfa lúpus , temido por todos, o agora considerado monstro, teve seu inicio, com vingança pela morte de sua amada.


Notas Finais


comentem pf, quero saber o que acharam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...