1. Spirit Fanfics >
  2. O monstro domado >
  3. Capítulo 2

História O monstro domado - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 3 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction O monstro domado - Capítulo 3 - Capítulo 2

Assim que abri a porta, fui envolvida pelos braços de Anita. Alessa foi até a janela puxar as cortinas para abri-las. Minha irmã me soltou e segurou em meus braços, olhando-me profundamente nos olhos.

— Eu vou resolver isso.

Sussurrou, e antes que eu pudesse responder já estava sendo empurrada para o banheiro.

— Banho, agora. E rápido, você está terrível. Tenho apenas algumas horas para dar um jeito em você.

Alessa exclamou, tentando fechar a porta do banheiro comigo lá dentro.

— Cristo, Alessa! Você vai só se sentar aí e pegar revistas de vestidos de noiva, ver decorações e fazer os preparativos para a sua bonequinha se casar? O casamento perfeito, a família perfeita, um perfeito sorriso no rosto, a porra do dia perfeito!

Anita gritou. Minha irmã não se alterou diante do ataque histérico de sua gêmea, apenas rosnou:

— Você acha que eu estou feliz? Minha irmãzinha mais nova vai se casar com o cara mais poderoso e temido da Famiglia, e você acha que eu estou radiante? Abriela não precisa de você para colocar bobagens na cabeça dela agora.

— Eu me sinto com o anjo e o demônio nos meus ombros.

Respondi, sabendo que as duas tinham suas razões. Alessa seguia rigidamente cada lei imposta pela máfia, e Anita não se importava em quebrá-las. As opiniões divergiam de todas as formas.

— Sim? Bem, seria engraçado se não fosse trágico. Nós não temos muito tempo; você resolveu acordar tarde logo hoje! Perfetto.

Percebi Anita cabisbaixa e segurei suas mãos.

— Irmã, sei que tudo o que você quer é a sua liberdade, mas comigo nunca foi assim. Sempre quis um casamento e um lar para cuidar. Talvez isso dê certo.

Tentei soar convicta, mas nem eu acreditava muito nas minhas palavras. Minha irmã jogou os braços para o ar, bufando e revirando os olhos.

— Você está louca! Sabe o que vai acontecer? Ele chegará todos os dias desses bordéis de luxo que a família DeRossi controla, cheirando a whisky caro e perfume de prostituta, vai te estuprar e, por fim, colocar meia dúzia de filhos em você, pra que fique tão ocupada cuidando dessas crianças que não poderá reclamar sobre as suas escapadas. Este é o seu sonho?

Gritou.

— Você acha que não tenho medo disso? Pelo menos estou tentando fazer funcionar; não fico arrumando qualquer desculpa numa tentativa desesperada para fugir, porque sei que não há como escapar disso! Se já é difícil para qualquer outra moça na Famiglia, imagina para a escolhida do Chefe.

Explodi, gritando as palavras de volta para Anita.

— E como está funcionando pra você? Ser uma covarde que na primeira oportunidade enfia o rabo entre as pernas e aceita qualquer merda que te dão?

Fiquei alguns segundos encarando-a, em choque.

— Vou tomar meu banho agora, e quando eu entrar neste quarto novamente, não quero você aqui.

Virei-me e fui fazer o que deveria, ainda com as palavras dela rodando em minha mente.

(...)

Quando pisei no quarto novamente, as duas estavam lá. Encarei Anita e soltei:

— Achei que tinha sido clara o suficiente.

— Me desculpe, eu não deveria ter dito o que disse. Não concordo e nem acho certo; você é tão jovem, eu apenas... eu...

Ela soluçou e eu apressei meus passos para abraçá-la.

— Shi... tudo vai ficar bem.

Deslizei os dedos por seus cabelos, tentando acalmá-la, e sussurrei.

— Eu preciso da minha irmã forte neste momento. Preciso do seu apoio, ou não vou conseguir.

Com isso,Anita rapidamente secou as lágrimas e me olhou decidida.

— Va bene! Vamos fazer isso. Temos algumas horas até o jantar, então, vamos te deixar mais linda ainda.

Alessa sorriu e se aproximou.

— Eu gosto disso.

Meia hora depois eu vestia um roupão, e uma representante da Valentino me mostrava modelos de vestimenta para um jantar. Eu planejava simplesmente pegar um dos tantos que tinha no meu armário quando Alessa me avisou que receberíamos uma profissional. Não duvidava que ela já estivesse com metade do casamento planejado.

— Você não tem algo mais inocente? Por Deus, ela vai receber o noivo, não vai a uma boate se prostituir

Anita protestou.

— Senhorita Bonucci, eu...

Os olhos da representante de vendas estavam arregalados, e ela parecia prestes a correr porta afora a qualquer momento. Prendi o riso e me levantei, indo em direção a um vestido azul claro longo. Escolhi sandálias simples, pretas, e sorri para ela.

— Obrigada por isso, e ignore minha irmã. Anita está naqueles dias.

A coitada rapidamente acenou para seu assistente, que recolheu as peças e as guardou, enquanto nos despediamos.

— Ótimo, agora você pode ir se vestir e vamos fazer seu cabelo. Depois, é só esperar.

Alessa sorriu.

(...)

Após uma tarde totalmente dedicada à minha aparência, lá estava eu, sentada no sofá da sala da minha própria casa, mais desconfortável do que nunca. Bernardo tinha se jogado em uma poltrona e ficara conversado comigo na última hora, fazendo-me rir e esquecer um pouco do que me aguardava. Agora restávamos apenas eu e meu pai. O mesmo me encarou e pareceu escolher as palavras antes de falar.

— Eu sei que durante toda a semana Anita veio colocando coisas em sua cabeça. Mas esqueça tudo o que ela possivelmente disse e foque no que você sabe que deve fazer. Esse casamento vai acontecer de qualquer forma, não há como impedi-lo.

Ele se inclinou e beijou minha testa.

— Você é minha princesinha; eu queria que nunca precisasse crescer.

Suspirou, ficando de pé assim que a campainha tocou. Levantei-me de imediato, parando bem atrás dele. Respirei fundo, antecipação queimando em mim. Logo ouvi passos pelo corredor. Luigi e Dante DeRossi apareceram no meu campo de visão, logo depois, ele. Luigi me olhou e sorriu de canto, Dante apenas levantou o queixo e acenou para meu pai. Lucca se colocou à frente dos dois e pronunciou.

— Leon.

— Como vai, Lucca?

— Deixe-nos!

Ignorou-o totalmente, voltando seus olhos para mim.

— Acredito que seria melhor que um de meus meninos ou seus irmãos ficassem aqui. Não vejo como seria bom para a reputação da minha filha que ela fique sozinha com o noivo antes do casamento.

Virei-me para ele, com os olhos arregalados, e depois observei Lucca novamente. Este apenas ergueu uma sobrancelha e foi até a estante de bebidas, servindo-se de uísque como se estivesse em sua própria casa. Tomou um longo gole antes de ficar a centímetros do rosto de meu pai.

— Você sabe, Leon, que se eu quiser fazer algo com sua preciosa filha, farei. Estando numa sala com cinquenta pessoas ou apenas com ela. No entanto, não lhe dei a opção de discutir sobre isso, só ordenei que saia.

Meu pai parecia incerto sobre o que fazer, mas o temor que Lucca irradiava sobre todos era tão forte que ele logo saiu. Luigi soltou uma risadinha de fundo, enquanto Dante apenas observava a situação. Segundos depois, lançou-me um olhar compadecido e também saiu, seguido por seu irmão, que assoviava.

Lucca andou até mim, inclinou-se e, sem que eu esperasse, cheirou meu pescoço.

— Você cheira bem, Abriela.

Afastou-se e sentou-se no sofá, cruzando as pernas de uma forma tão perversamente sexy que, por alguns segundos, esqueci-me de que era o próprio Lúcifer na minha sala.

— Sente-se.

Voltei alguns passos atrás e me acomodei a uma boa distância dele.

— Giorgia irá te ligar esta semana. Você tem um mês para planejar o casamento, faça o que quiser, eu não me importo, apenas esteja pronta para se casar em trinta dias.

— Por que eu?

— Você não concorda que todo Chefe precisa de uma esposa para mantê-lo feliz?

Perguntou, irônico.

— Você não parecia muito feliz há alguns dias.

— Nem antes, nem agora. Mas sei que você será uma boa esposa, respeitosa, manterá sua postura e honrará a sua posição nesta Famiglia. Irá morar na minha casa, visitará seus familiares com meus soldados e vai me avisar sobre qualquer lugar aonde quiser ir, antes de ir. Cumprirá com suas obrigações, Abriela, tanto na rua, quanto em eventos, em casa e, principalmente, na minha cama. O que eu faço não lhe diz respeito, e não vou aturar crises de rebeldia. Você entende?

— O que quer dizer com “não me diz respeito”?

— Alguns dias chegarei tarde, outros apenas não voltarei pra casa. Você vai perguntar, talvez eu responda, e talvez, não; então, não faça uma cena por isso. Não questione qualquer regra ou ordem minha, e ficaremos bem.

Eu estava tendo dificuldades em encontrar palavras depois daquela aula de porcarias que ele me deu.

— Um pouco machista?

Assim que as palavras saíram eu quis engoli-las de volta.

Mas ele apenas sorriu de canto, sem humor nenhum, tirando algo do bolso do paletó. Pegou minha mão e colocou um diamante em meu dedo anelar. O anel que eu tanto sonhei, o símbolo do amor e do verdadeiro respeito, que para Lucca era apenas sua marca sobre mim.

Enquanto eu olhava a linda joia, ele se levantou, inclinou meu queixo para cima e com aqueles intensos olhos azuis me estudou antes de falar.

— Estamos entendidos?

Eu assenti, engolindo o nó na garganta. Ele soltou a mão e enfiou a dele nos bolsos.

— Ótimo, não faremos um noivado. O casamento está perto demais, não é necessário. Estou ansioso para isso, querida futura esposa.

( Querida futura esposa. )

Segundos depois de ele ir embora, peguei-me encarando aquele anel, pensando em como faria para que Lucca me visse com outros olhos.

Mesmo que a máfia insistisse em nos colocar como objetos e em posições submissas a qualquer situação, eu não me enxergava daquela forma. Acreditava mais em minha força a cada dia, por simplesmente não ter desistido diante da vida que levávamos. Eu não podia aceitar aquilo.

Com um suspiro, passei os dedos levemente pelo diamante e permiti que um pequeno fio de esperança voltasse a crescer dentro de mim, afinal, aquele encontro fora melhor do que o último. Deixei-me suspirar aliviada, sem me iludir, e quase sorri. Quase.

Querida.
Futura.
Esposa.

Essa frase tinha que significar algo mais e não apenas uma ironia.


Notas Finais


Espero que esteja gostando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...