1. Spirit Fanfics >
  2. O Morango E As Espadas >
  3. Três Caminhos

História O Morango E As Espadas - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Leiam as notas finais, EXTREMAMENTE IMPORTANTE!!!

Capítulo 7 - Três Caminhos


Fanfic / Fanfiction O Morango E As Espadas - Capítulo 7 - Três Caminhos

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Mundo dos vivos, cidade de Karakura XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Isshin Kurosaki suspirou profundamente enquanto olhava para a grande foto de sua esposa na parede. O comportamento externo que ele se acostumara a apresentar na frente de Ichigo era agora inexistente, pois a depressão era claramente evidente em seu rosto. O ex-capitão não sentia mais a necessidade de ser tão maluco ou irritante quanto costumava ser devido à ausência de seu filho.

Yuzu e Karin notaram claramente uma diferença nele desde a morte de seu irmão. Isshin abriu um punho enquanto continuava refletindo no escuro silêncio da sala. Ao lado da grande foto de Masaki estava uma de Ichigo aos quinze. O adolescente de cabelos alaranjados tinha uma carranca amigável no rosto e um olhar de confiança. Isshin olhou atentamente para ela.

Isshin: Você tinha toda uma vida pra viver, Ichigo... talvez você poderia ter se tornado um Shinigami como eu... ou um Quincy como sua mãe. Eu sabia que você podia ver espíritos... Eu deveria ter avisado sobre hollows. Mas como Branco pôde nos encontrar aqui? O que quer que tenha matado você, Ichigo, estava procurando por você. Não posso deixar que a mesma coisa aconteça com Karin ou Yuzu. Talvez eu devesse falar com elas. 

Karin: O que você está fazendo? - A voz de Karin soou do nada. Isshin virou-se surpreso ao ver sua filha de cabelos negros olhando para ele confusa. O momento dela parecia irônico para seus pensamentos anteriores, levando-o a pensar se deveria contar a ela. O homem franziu a testa enquanto tentava encontrar uma resposta apropriada.

Ichigo: Uh, eu estava apenas olhando a foto de Ichigo. Às vezes me pergunto quem ele puxou mais... eu ou sua mãe.

Karin: Por que isso importa? Ele não está mais aqui - disse Karin amargamente.

O homem franziu a testa com a atitude da filha.

Isshin: Já faz mais de um ano, Karin. Você nunca falou sobre o que viu naquela noite. Até a polícia não conseguiu tirar nada de você, mas acho que já era hora de você conversar com ele. Eu lhe dei um tempo, mas agora preciso saber exatamente o que aconteceu... 

Karin: O que?! - a menina disse chocada com a franqueza do pai.

Isshin: Você pode me dizer qualquer coisa... eu acredito em você, então, por favor, diga a verdade - disse Isshin com um tom pesado de seriedade. Karin ficou chocada com seu pedido. Normalmente, seu pai nunca faria perguntas diretamente a ela; especialmente quando se tratava de Ichigo.

A menina de treze anos olhou para o pai com certa desaprovação.

Karin: De alguma forma eu duvido disso. Por que isso importa? Você não parecia tão preocupado com isso há um ano quando ele morreu!

Isshin: Ele não morreu por um assassino não é?, Você viu algo... me diga, Karin -  respondeu Isshin severamente. Ele odiava ter que ser tão robusto com sua filha, mas sabia que ela sabia algo sobre a morte de Ichigo.

Karin mordeu o lábio e desviou o olhar. 

Karin: Eu não sei do que você está falando...

Isshin: Algo mais o matou... não foi? - ele continuou apesar do fato de Karin agora parecer emocionalmente defensiva. A jovem adolescente se afastou e gritou com ele.

Karin: Pare com isso? Mesmo que eu lhe dissesse, isso não mudaria nada. Não é como se você acreditasse em mim de qualquer maneira.

Isshin: Era um hollow... você pode vê-los como Ichigo, podia... não pode? - Isshin concluiu. Os olhos de Karin se arregalaram em descrença. 

Karin: O que você está falando?

Isshin: Eu sabia que vocês dois podiam ver espíritos, porque sua mãe e eu também. Eu queria que vocês vivessem vidas normais até ter idade suficiente para aprender a verdade. Infelizmente, isso foi um erro. Ichigo não estava preparado para o pior que o mundo espiritual tinha a oferecer. Lamento não tê-lo avisá-lo sobre os hollows... mas não vou cometer o mesmo erro com você, Karin. Você precisa saber o que é um hollow - explicou Isshin.

Os olhos de Karin estavam cheios de espanto e descrença. Ela não conseguiu nem encontrar as palavras para responder, simplesmente olhando chocada para o pai.

Isshin aceitou o silêncio como uma sugestão para continuar.

Isshin- Os hollows são espíritos corruptos de almas fraturadas. A maioria se origina de almas humanas que morrem no mundo dos vivos. Você já viu espíritos com correntes no peito? Isso é chamado de cadeia do destino. Ele liga o espírito ao corpo. A morte o causa severo dano. Eventualmente, se for deixada sem vigilância, a corrente corroerá até desaparecer. Depois que sua cadeia de destino se for, o espírito deixará de ser espírito e se tornará uma criatura monstruosa com apenas um. desejo... de consumir outras almas. Isso é o que é um hollow é. Foi o que matou seu irmão e sua mãe - disse Isshin com um olhar estóico no rosto.

Isshin ficou um pouco surpreso ao ver a reação de Karin às notícias. Ela parecia menos defensiva agora enquanto mantinha a cabeça baixa.

Karin: Naquela noite... eu vi uma criatura mascarada arrastar Ichigo para longe.

Isshin: Como era? Tinha chifres e cabelos longos? Era branco e preto com manchas vermelhas? Tinha um buraco acentuado no peito? - Os olhos de Isshin brilharam com fúria enquanto ele a observava ansiosamente.

Karin olhou nos olhos dele por um breve momento. 

Karin P: Espere... cabelos compridos? Chifres? É assim que Ichigo se parece agora. Ele não sabe que Ichigo é um hollow? Devo contar a ele? 

Por alguma razão desconhecida e inexplicável, Karin sentiu que contar ao pai os detalhes do hollow que atacava Ichigo ou o fato de Ichigo agora ser um hollow era uma má idéia. Ela pensou profundamente sobre como responder.

Karin P: Dizer a ele que um hollow transformou Ichigo nessa coisa só vai machucá-lo mais... o pai já passou por bastante dor.

Karin: Eu acho que foi isso, mas não me lembro como era... mas eu sei que uma criatura mascarada definitivamente matou Ichigo - Karin mentiu. Ela se arrependeu de ter feito isso, mas sentiu como se fosse a melhor maneira de proteger o irmão e o pai ao mesmo tempo.

Isshin abriu um punho.

Karin: Aquele buraco que matou seu irmão... o nome é Branco. É um dos mais poderosos e perigosos de todos os tipos. A Soul Society vê isso como uma ameaça séria... e eu serei o único a matá-lo.

Karin: O que?! - Karin ofegou - Você... não pode matar uma dessas coisas. E o que é a sociedade das almas?!

O homem suspirou.

Isshin: Oh... acho que devo terminar de explicar como o mundo espiritual funciona para que você entenda. Os espíritos que permanecem em nosso mundo sempre terminam em um dos dois lugares. Eles se tornam hollows ou um Shinigami aparece para enviar os espíritos humanos não corrompidos. Os bons vão para a Soul Society quando um Shinigami executa um Konso. Os maus são enviados para o inferno. Este é o dever principal de Shinigami. O outro dever é purificar os hollows.

Karin: Como você sabe tudo isso? O que isso tem a ver conosco? - Karin perguntou incerta.

Isshin apontou o polegar para si mesmo.

Isshin: Eu costumava ser um Shinigami, Karin... é por isso que você e seu irmão podem ver espíritos. Masaki também podia... mas ela era uma Quincy. Eles lutam contra hollows como Shinigamis, mas são diferentes e não compartilham de nossas filosofias...

Karin: Você sabe o quão louco isso tudo soa para mim... certo? O que faz você pensar que eu acredito nisso? - Karin perguntou um pouco cética.

Ele olhou de volta para a foto de Masaki, imperturbável pela observação de Karin.

Isshin: Essas criaturas são perigosas, alguns deles são a encarnação da própria escuridão. Não posso falar pela raça deles como um todo, mas sei que os hollows brancos são os piores deles. Se você acredita em mim ou não é decisão sua, mas nunca se aproxime de um espírito mascarado sob nenhuma circunstância.

Karin: Você falou sobre os Shinigamis, que eles purificam espíritos ruins em nosso mundo. O que acontece quando um hollow é purificado? - Karin perguntou enquanto se perguntava sobre a condição de Ichigo. Ela finalmente decidiu aceitar as informações de seu pai devido à série incomum de experiências coincidentes para provar que eram verdadeiras. Ou seja, seu encontro com Ichigo é o principal fator.

Isshin pareceu surpreendido com sua pergunta.

Isshin: Hmm... bem, é a mesma coisa que acontece quando um Konso é realizado de forma positiva. O espírito do hollow é finalmente enviado à sociedade das almas e renasce lá.

Os olhos de Karin se iluminaram, mas seu pai não percebeu enquanto olhava para as fotos de seus familiares mortos. A jovem adolescente pensou por um momento.

Karin P: Então, se eles purificarem Ichigo, ele poderá ir a essa sociedade das almas? Talvez eles possam ajudá-lo lá.

Karin: Como você se tornou um Shinigami? ,- Karin perguntou ao pai ansiosamente.

Isshin virou-se novamente com um olhar de curiosidade.

Isshin: Eu nasci na Soul Society... por que você pergunta?

Karin: É possível que eu me torne uma Shinigami como você, então? - Karin perguntou devagar.

O homem parecia pego de surpresa pela pergunta de sua filha.

Isshin: Eu não sei... isso é algo que eu teria que perguntar ao Kisuke.  Seria perigoso já que você é humana.

Karin: Bem, eu quero ser capaz de me proteger caso outros desses hollows apareçam... - Karin tentou tranquilizá-lo.

Após o comentário dela, um pensamento estranho passou por sua mente.

Karin: Ei, espere um minuto... se você é um Shinigami, então como é que você não pôde lutar contra o hollow na noite em que mataram o Ichigo ?!

Isshin: Isso porque sua mãe e eu perdemos nossos poderes depois que Branco atacou e quase matou Masaki há muitos anos. Eu costumava ser um capitão na Soul Society... meus poderes apenas retornaram recentemente - disse tristemente. O homem balançou a cabeça - Acredite em mim... eu gostaria de ter feito algo para salvar Ichigo. Ele era um ótimo garoto... com um bom coração. Ele sempre se preocupou em ajudar os outros. Sua mãe teria ficado tão orgulhosa... - Disse Isshin como um nó formado em sua garganta.

Ele desviou o olhar da filha, envergonhado por seu próprio comportamento emocional. Depois de um momento, ele se lembrou.

Isshin: Talvez você possa se tornar uma Shinigami, Karin... mas eu não posso assistir outra pessoa da minha família morrer desnecessariamente. Se você está séria sobre isso, não haverá como voltar atrás.

Karin: Eu só queria que houvesse algo que eu pudesse ter feito pelo Ichigo... eu apenas sentei lá quando o hollow o arrastou para longe. Eu nunca me senti tão impotente antes... e nunca mais quero. Eu farei o que for preciso para me tornar forte e lutar para proteger nossa família. É o que Ichi-nii gostaria - disse Karin, um pouco emocional. Embora a afirmação fosse verdadeira, ela também esperava que, ao escolher esse caminho, acabaria vendo o irmão novamente.

Isshin sorriu fracamente ao seu anúncio.

Isshin: Bem, pelo menos você estaria mais segura no treinamento da Soul Society do que estaria aqui. Você percebe que isso significa que você precisa sair da escola, certo?

Karin: E daí? Eu realmente não me importo com a escola de qualquer maneira. Prefiro estar fazendo algo sobre esses hollows - Karin respondeu ansiosamente.

Isshin: Bem, você estaria deixando uma escola para se juntar a outra. Para se tornar uma Shinigami, você precisa passar pela academia Shinigami... isso pressupõe que você seja capaz. Deveríamos ir ver Kisuke Urahara e descobrir qual é o seu potencial. Ele tem uma mente melhor para essas coisas do que eu - observou Isshin.

Karin: Mas e a Yuzu? - Karin perguntou ao pai, curiosa sobre o que eles lhe diriam.

Isshin suspirou: Eu não sei se ela é espiritualmente adepta ou não... mas mesmo que ela fosse, Yuzu é muito gentil e doce para esse fardo. Por ela, acho que é melhor não saber.

Karin: Você está certo... Ichigo gostaria que eu a protegesse com ele não estando mais aqui - Karin assentiu em concordância. Por um breve momento, ela se perguntou se seria uma boa idéia contar ao pai sobre Ichigo ser um hollow - Eu não quero vê-lo sofrer mais com isso. Ele não precisa saber que Ichigo é um hollow. Pela maneira como ele fala sobre eles, posso dizer que o destruiria se soubesse a verdade. Talvez facilite a purificação de Ichigo se ele não souber... desculpe pai. Me desculpe, Ichi-nii. 

O pai olhou para a filha com um sorriso fraco.

Isshin: Se tudo correr bem com Kisuke, talvez eu consiga convencer a Soul Society a inscrevê-la na Academia Shinigami. Na verdade, somos nobres na Soul Society... minha antiga família, a família Shiba é uma das principais casas de lá. 

Karin: Tá falando sério?! - Karin disse boquiaberta - Caramba... há muito o que você precisa me dizer. Então... você disse que a mãe era uma Quincy, certo? O que são exatamente?

Isshin olhou para Masaki.

Isshin: Eles são humanos espiritualmente hábeis que caçam e destroem hollows. Eles coletam partículas espirituais chamadas Reishi e as refinam em armas. Normalmente elas usam arcos e são bastante poderosos... há muito tempo a Sociedade das Almas exterminou a maioria deles.

Karin: O que? Por que? - Karin perguntou chocada.

Ele deu de ombros.

Isshin: Eles destroem os hollows, diferentemente de nós que as purificamos. Isso desequilibra o mundo. A Soul Society via os Quincy e suas filosofias como um perigo para o bem-estar do equilíbrio natural do mundo espiritual.

Karin: Então, como você e a mamãe se casaram? - Karin inclinou a cabeça confusa.

Isshin suspirou: É outra longa história... vou contar sobre isso outra dia. Aceitar tudo isso de uma só vez pode ser um pouco esmagador para a minha garotinha.

Karin levantou uma sobrancelha.

Karin: Eu não sou mais uma garotinha... Eu serei um Shinigami como você.

Isshin: Ha! Eu sabia que você sempre admirou seu querido pai! - O humor sério de Isshin mudou para um coração mole quando ele pulou para abraçar sua filha.

Ela o chutou de volta com uma força tremenda.

Karin: Não exagere...

Apesar de sua observação, ela sorriu para o discurso patético de seu pai depois.

Karin: Talvez possamos ajudar Ichigo depois de tudo... 

Enquanto isso, do lado de fora da porta dos fundos, Yuzu ficou paralisada de choque ao ouvir toda a conversa entre Isshin e Karin. Ela estava com muito medo de se mexer, temendo que eles a notassem.

Yuzu ficou arrasada com a inacreditável verdade da morte de seu irmão.

Yuzu: Karin-chan... por que você não confia em mim o suficiente para me contar sobre o que aconteceu com Onii-chan ? - ela pensou perturbada. Yuzu ficou completamente impressionada com as notícias estranhas e sobrenaturais.

De volta para dentro, Isshin finalmente parou de tagarelar quando Karin tossiu para chamar sua atenção

Karin: Aham!... então o que Yuzu vai fazer enquanto estivermos nesta Soul Society?

Isshin: Vou deixá-la com Kisuke Urahara. Ele é dono de uma loja nas proximidades. Por enquanto, ele pode manter sua irmã segura enquanto estivermos na Soul Society. Embora eu não fique lá por muito tempo, já que tenho que ficar de olho no Branco... - Isshin explicou.

Karin assentiu: Ok... então e a escola? Como vamos esconder isso da Yuzu?

Isshin: Apenas deixe-me lidar com isso... - ele respondeu - a sociedade das almas tem uma maneira de ajustar os registros oficiais. Eu posso apenas 'dar aulas em casa' para vocês. Talvez mandá-las para o exterior - Isshin piscou várias vezes.

Karin: Você não acha que isso parece um pouco sombrio? - ela cruzou os braços.

Isshin suspirou: Escute, Karin... se você quer ser uma Shinigami em tempo integral, não terá muito tempo para uma vida humana. Você não precisa fazer isso se não quiser.

Karin: Eu quero fazer isso... não tente me convencer de desistir disso velho - ela retrucou.

Isshin: Velho?! Puxa... você é mais como seu irmão do que eu pensava - ele riu.

Lá fora, Yuzu não pôde deixar de se sentir alienada pela necessidade de sua família de mantê-la no escuro sobre o que estava acontecendo.

Yuzu P: Eu não sou mais um bebê... por que eles não querem que eu saiba ?! 

Sentindo-se chateada, pela situação, ela saiu silenciosamente na esquina da casa e decidiu dar uma volta. Ao longo do caminho, Yuzu começou a chorar.

Yuzu: Pobre Onii-chan... ter morrido para um... Hollow? O que papai disse que eram? Espíritos mascarados? 

Adicionando à sua melancolia e desespero, um trovão estalou no céu quando começou a chover fortemente de repente. A garota geralmente animada e otimista estava agora deprimida quando começou a correr pela chuva. Não era apenas difícil lidar com as notícias esmagadoras sobre sua família, mas o fato de não acreditarem que ela era capaz de saber que era o que mais doía. Seus sentimentos foram profundamente magoados por isso.

Depois de correr pelo que pareceram horas, a jovem adolescente estava de volta ao túmulo de seu irmão e mãe. Yuzu apertou o punho quando caiu de joelhos. Seus soluços ficaram mais audíveis quando ela abaixou a cabeça em derrota. 

Yuzu: Não é justo... por que isso está acontecendo ?! Onii-chan... Ichigo. Eu queria que você estivesse aqui... 

Enquanto olhava por um breve momento, Yuzu notou a fraca silhueta de alguém em um túmulo mais distante. A pessoa era um homem mais velho que parecia extremamente deslocado. Ao fazer contato visual, o homem imediatamente se dirigiu a ela. Ele foi rápido em dizer o que pensava.

?????: Você pode me ver?

Yuzu: Q-quem é você? Claro que posso... - Yuzu respondeu nervosamente.

Ao perceber a corrente no peito do homem, uma revelação a atingiu.

Yuzu: V-você é um espírito ?!

Os olhos dele ficaram tristes ao ouvir o comentário dela.

?????: Eu não sei. Estou aqui há muito tempo, e ninguém nunca me nota. Você pode me ver, porém... estou mesmo morto?!

Yuzu: Ummm... acho que sim - Yuzu respondeu um pouco assustada. Na verdade, ela se tornara mais consciente espiritualmente desde a morte de seu irmão. Ela foi capaz de senti-los ao seu redor, mas só agora ela era capaz de ver completamente os mortos como Karin fazia -  Por que isso está acontecendo? Por que posso ver fantasmas agora? Isto é real? - Yuzu pensou preocupada.

?????: Por favor! Você tem que me ajudar! Minha esposa! Onde ela está?? Eu preciso que você diga a ela que estou bem! - o homem implorou enquanto corria em direção à garota. Yuzu se encolheu de medo quando ela atacou e acidentalmente disparou um estranho raio de energia azul de sua mão, lançando o espírito para longe.

O homem olhou com medo: "Oo que você é ?!"

Yuzu: O que-o quê? Me desculpe! - Yuzu quase chorou sem perceber pelo que acabara de fazer. O fantasma não perdeu tempo fugindo dela, aterrorizado, para sua descrença. Depois que ele saiu, Yuzu olhou para as mãos assustadas. Eles tinham um brilho azul muito fraco sobre eles. Ela começou a chorar novamente quando caiu no túmulo de Ichigo.

Yuzu: O que eu vou fazer? O que acabou de acontecer? 

Não demorou muito para que o choro chamasse a atenção de outra pessoa.

?????:  O que temos aqui? Uma garotinha chorando sozinha no cemitério? -  uma voz estranha soou. Os olhos de Yuzu se abriram quando ela se virou procurando por sua fonte. Para sua surpresa e pavor simultâneos, ela notou uma mulher muito incomum atrás dela. Yuzu não viu uma corrente e assumiu que essa mulher tinha que ser humana.

A mulher é uma jovem alta e bem-dotada, com cabelos longos e verde-claros. Ela tem olhos azuis, cílios proeminentes e sobrancelhas finas e em forma de raio. Seu traje é uma variação fortemente modificada e reveladora de alguma espécie de uniforme, que consiste na jaqueta trespassada, que ela mantém amarrada para revelar sua barriga, além de remover o tecido dos lados para exibir seu decote, um par de luvas brancas com detalhes dourados, shorts curtos, sustentados por uma faixa preta com uma fivela de coração presa ao lado. Ela também usa um boné branco na cabeça com detalhes dourados, que apresentam um pico preto e a insígnia Wandenreich estampada na frente, e um par de botas na altura do tornozelo. A mulher também tinha um guarda-chuva para manter seu impecável uniforme branco seco da chuva forte. ( Link no final do capítulo )

Yuzu examinou-a mais de perto.

Yuzu P: Ela parece uma estrangeira.

Yuzu: Quem é Você? - Yuzu perguntou cautelosamente quando ela se levantou e começou a limpar o rosto. Felizmente, o brilho azul ao redor de suas mãos se foi. A mulher vestida minuciosamente riu.

?????: Bem... direto ao ponto, não é? O meu nome é Candice...

Yuzu: O que você está fazendo aqui? - Yuzu agora estava muito nervosa com a presença dessa estrangeira incomum.

Candice balançou a cabeça.

Candice: Acabei de ouvir você chorando... e senti sua energia espiritual. Você é um Quincy, não é?

Yuzu não disse nada quando deu um passo atrás. A mulher rapidamente notou a desconfiança de Yuzu e suspirou.

Candice: Oh, relaxe, sim? Vocês são tão nervosos. Eu não vou machucá-la, garotinha. Eu também sou um Quincy.

A jovem adolescente Kurosaki permaneceu em silêncio apesar das informações. Candice fez uma careta para o silêncio dela.

Candice: Bem, caso você esteja se perguntando, eu estava apenas procurando por outra pessoa quando senti você, é tudo. Não é sempre que vejo uma das nossas que não conheço. Qual é o seu nome, garota? 

Yuzu: Por que eu deveria te contar? - Yuzu rebateu com um susto evidente.

Candice: Ugh... crianças são tão irritantes - a mulher suspirou - pela última vez, não vou machucá-la. Sou um Sternritter... e, como somos Quincys, somos aliadas. Agora me diga quem você é e por que eu não te conheço? 

Yuzu: Yuzu... - foi tudo o que a garota respondeu.

Candice revirou os olhos.

Candice: Então esse é o seu nome de família ou nome? próprio?

Yuzu: O que você quer de mim? Meu pai me diz para não falar com estranhos - respondeu Yuzu.

Candice: Bem, Yuzu... importa de me dizer por que você está chorando sozinha em um cemitério? Tenho certeza que se seu pai não gosta que você fale com estranhos... ele definitivamente não gostaria de você aqui sozinha na chuva - disse Candice.

Yuzu balançou a cabeça.

Candice: Eu provavelmente deveria ir para casa então...

Candice: Hmm... esse túmulo - interrompeu Candice, enquanto caminhava para perto de onde o corpo de Ichigo estava enterrado - Kurosaki Ichigo, hein? Era alguém da sua família? Vou me lembrar desse nome... Yuzu Kurosaki.

Os olhos do jovem adolescente se arregalaram horrorizados pelo comportamento assustador da mulher estrangeira.

Yuzu: Com licença...

Yuzu começou a andar o mais rápido possível para longe da cena sem parecer que estava fugindo.

Candice simplesmente se afastou e a observou sair.

Candice P: Aquele cara de pal do Ryuken me disse que ele e seu filho eram os únicos Quincys nesta cidade. Talvez eu deva investigar isso. Mas primeiro..

Candice: A propósito, Yuzu - anunciou Candice, fazendo com que Yuzu parasse momentaneamente e olhasse para trás - se você quiser aprender mais sobre seus poderes de Quincy, procure um homem chamado Ryuken Ishida. Acho que ele é o dono do hospital daqui.

Yuzu P: Ishida-san? Ele não é um dos amigos do Papa? Acho que já o vi antes. - Yuzu pensou confusa. Reunindo sua coragem, Yuzu engoliu em seco - Por que devo fazer isso?

Candice: Hmph... porque se a Soul Society descobrir que você é uma Quincy, eles a matarão. Talvez você ainda não seja adepta o suficiente para notar, mas esta cidade está cheia de Shinigamis. Seu poder parece novo e está aumentando... se você não aprender como mascará-lo, eles o rastrearão. Acredite em mim quando digo que eles não são tão bonzinhos quanto eu. 

A jovem adolescente sentiu o estômago revirar ao ouvir a notícia.

Yuzu P: Mas papai é um Shinigami, não é? Ele os deixaria me machucar ?! O que devo fazer... onii-chan, eu queria que você estivesse aqui.

Sem outra palavra, Yuzu decolou. Desta vez, ela nem tentou esconder o fato de que estava fugindo. A mulher de cabelos verdes riu quando voltou para o túmulo.

Candice: Kurosaki... isso parece tão familiar. Bem, eu tenho certeza que alguém vai descobrir tudo. Eu provavelmente deveria seguir a garota e ver o que Ryuken sabe sobre sua família. Ela pode ser uma recruta interessante. 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Hospital da cidade de Karakura, uma hora depois XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Yuzu ofegou pesadamente quando chegou ao hospital. Parecia menos movimentado do que o habitual, provavelmente devido à chuva forte. A garota Kurosaki estava completamente encharcada da cabeça aos pés e não tinha dúvida de que provavelmente ficaria doente com isso.

Ignorando sua aparência no momento, ela prendeu a respiração e entrou na porta da frente do hospital. Yuzu rapidamente se aproximou da recepção e encontrou o olhar de uma mulher muito preocupada atrás do balcão. A mulher olhou para ela.

Recepcionista: Oh, coitadinha, você está encharcada. O que aconteceu?"

Yuzu: Com licença, mas eu queria saber se havia alguma maneira de conversar com Ishida-san - Yuzu perguntou, nervosa. Ela sabia que era um pedido de longo prazo, mas Yuzu achou apropriado tentar, já que Ryuken era amigo de seu pai. A mulher na recepção riu baixinho. 

Recepcionista: Aham... bem, eu acho que não posso deixar uma pessoa aleatória da rua falar com ele. Gostaria de marcar uma consulta? Aproposito, seus pais estão por perto?

Yuzu: N-não... ele é amigo do meu pai. Eu estava apenas procurando por ele. Não sei onde Ishida-san mora - respondeu Yuzu.

Recepcionista: Por que não pergunta ao seu pai, então? - a senhora da recepção questionou. Yuzu estava começando a duvidar que ela tivesse a chance de conhecer o homem dessa maneira. Ela suspirou quando se virou para sair.

Yuzu: Acho que deveria...

Felizmente, a mulher parecia se sentir mal com a condição de Yuzu e falou.

Recepcionista: Bem... posso dizer a ele que você veio se você me der um nome - sugeriu a mulher.

Yuzu assentiu agradecida.

Yuzu: Kurosaki Yuzu. Eu agradeceria muito se você o avisar-se.

Enquanto voltava para a porta da frente, a mulher na recepção levantou-se.

Recepcionista: Você precisa que eu ligue para alguém? Uma jovem não deveria estar andando na chuva sozinha.

Yuzu: Eu vou ficar bem... - Yuzu disse suavemente quando saiu antes que a mulher pudesse detê-la. Quando ela saiu, a garota de 13 anos virou a esquina antes que a mulher pudesse persegui-la. Em parte, Yuzu não queria que a mulher ligasse para o pai. Isso apenas causaria problemas.

Yuzu: Se eles querem me manter no escuro, então eu vou jogar o jogo deles. Espero que Ishida-san possa me ajudar - Yuzu contemplou.

Ela foi tirada de seus pensamentos quando notou um adolescente mais velho encostado na lateral de um prédio com um guarda-chuva. Ele usava óculos, cabelos escuros e usava uma roupa branca. Ele não perdeu tempo chamando a atenção dela.

Uryuu: Por que você está procurando meu pai? Ele não fala diretamente com tantas pessoas. Não vejo motivo viável para uma garota da sua idade precisar conversar com ele.

Yuzu: V-você é filho dele? - Yuzu perguntou devagar.

O jovem assentiu.

Uryuu: Está certa... Uryu Ishida. Quer me dizer quem você é?

Yuzu: Meu nome é Yuzu Kurosaki... - ela respondeu quase imediatamente.

Seus olhos se arregalaram.

Uryuu: Kurosaki?! Como aquele cabeça de cenoura delinqüente Kurosaki?

Yuzu: Você conhecia Ichigo?! - Yuzu ofegou.

O adolescente assentiu.

Uryuu: Sim... estávamos na mesma classe. Lembro que ele morreu há mais de um ano ou algo assim. Você é irmã dele, eu presumo?

Yuzu: Sim... - ela assentiu.

Uryuu: Você disse que seu pai era amigo do meu? Isso é incomum... então o que você quer dele? - Uryuu perguntou seriamente enquanto levantava os óculos.

Yuzu engoliu em seco e decidiu apenas dizer a verdade.

Yuzu: Ouvi dizer que ele era um Quincy... e que ele poderia me dizer sobre como controlar meus poderes.

Os olhos de Uryuu se arregalaram.

Uryuu: O quê?! Você também é um Quincy?... venha comigo imediatamente. Vamos nos esconder antes que qualquer Shinigami apareça.

Uryu rapidamente segurou o guarda-chuva sobre a cabeça dela e levou a garota Kurosaki de volta ao hospital em direção a algum tipo de porta lateral. Ele realizou um feitiço incomum como ação, fazendo com que ela se abrisse e gesticulou para Yuzu entrar primeiro. Ela decidiu fazê-lo, apesar do evidente risco de perigo. Uryu imediatamente selou a porta atrás deles e levou a garota para o que parecia ser uma grande câmara subterrânea embaixo do hospital.

Yuzu ficou ali, admirada com isso, mas foi atraída por sua admiração quando Uryu tossiu.

Uryuu: Bem, se você é uma Quincy, fez a coisa certa ao procurar minha família, mas, infelizmente, meu pai não será de grande ajuda para isso. Ele não se importa muito com a nossa causa ou com o fato de estarmos quase extintos. 

Yuzu virou-se para Uryu com curiosidade.

Yuzu: Mas... se ele não se importa, então como ele pode me ajudar?

Uryuu: Isso é exatamente o que me incomoda nessa situação. Como você descobriu que ele era um Quincy se você nem sabia sobre seus próprios poderes? - Uryuu perguntou.

A garota desviou o olhar.

Yuzu: Esta mulher com quem falei me disse para encontrá-lo ou então Shinigamis acabariam por tentar me matar. Eu-eu estou com medo...

O Quincy de cabelos escuros pensou por um momento.

Uryuu P: Uma mulher? Poderia ser um dos membros dos Quincys de Vandenreich sobre os quais eu falei? Hmm, eu não gosto de como isso é suspeito… mas se essa garota é realmente uma Quincy, eu deveria fazer algo sobre isso. Não posso deixar os Shinigamis pegá-la .

Uryuu: Essa mulher te disse o nome dela? - Uryu questionou profundamente.

Yuzu assentiu: Candice; acho que ela disse que era uma Sternritter ou algo assim.

Os olhos da adolescente se arregalaram.

Uryuu: Uma das Sternritters?! E ela enviou você para nós?!

Yuzu: Quem são eles exatamente? - Yuzu perguntou confuso.

Uryu ergueu os óculos e suspirou.

Uryuu: Eles são os de alto nível, Quincys poderosos... o nome em si significa Cavaleiros Estelares. Eles têm aparecido para meu pai e eu com bastante frequência ultimamente. Eles pertencem a uma organização chamada Vandenreich. 

Yuzu: O que eles querem com você? - Yuzu se perguntou em voz alta.

O jovem levantou a cruz de Quincy e mostrou a ela.

Uryuu: Meu pai é um Quincy de sangue puro e ele e eu possuímos um grande poder espiritual. Disseram que estavam recrutando sobreviventes. Meu pai não tinha interesse neles e me disse para evitar que eles Embora eu não possa deixar de me perguntar o que eles planejaram ou quantos ainda existem.

Yuzu: Por que eles me mandariam para vocês então? - Yuzu se perguntou.

O adolescente de cabelos negros suspirou.

Uryuu: Eu não sei, mas acho que não é realmente uma alta prioridade no momento. O fato é que somos ambos Quincys. Como você não tem idéia do que isso significa, então não tenho escolha a não ser ajudá-la. 

Yuzu: Isso tudo é tão... assustador - A jovem adolescente disse trêmula.

Uryu acenou com a cabeça um pouco compreensivo.

Uryuu: Apenas sente-se e relaxe por um minuto... eu explicarei a história de nosso povo para você. Então começaremos a trabalhar em lidar com seus poderes.

Yuzu: Tudo bem - Yuzu concordou enquanto se sentava.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Uma hora depois XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Uryuu: É por isso que os Shinigami são perigosos para a nossa espécie... - concluiu Uryuu.

Yuzu ficou lá, quase perdida em pensamentos, enquanto tentava refletir sobre todas essas novas informações. Depois de um breve momento, ela balançou a cabeça.

Yuzu: Mas... meu pai é um Shinigami e minha mãe era um Quincy.

Uryuu: O que?! - Uryuu exigiu chocado -  por que você não disse nada antes?! Você está dizendo que meu pai Quincy é amigo de seu pai Shinigami? Isso é um absurdo.

"Eu pensei que tinha dito para você não trazer ninguém aqui, Uryuu", uma voz soou através da sala. Ambos os adolescentes olharam surpresos ao perceber Ryuken parado ali com um olhar estoico no rosto. Ele se parecia muito com Uryu, exceto pelo fato de que seu cabelo era branco.

O homem desapareceu e reapareceu na frente deles a uma velocidade impossível, alarmando Yuzu. Ela se encolheu um pouco quando o imponente Quincy a encarou.

Ryuken: A mulher na recepção disse que uma garota estava me procurando... eu não fazia ideia de que era a filha de Isshin e Masaki. Então... você despertou os poderes de Quincy?

Uryuu: O que você está fazendo aqui?! - Uryuu quase exigiu.

Ryuken lançou-lhe um olhar frio.

Ryuken: Sou dono deste edifício e construí esta área de treinamento subterrâneo. A verdadeira questão é o que você está fazendo trazendo pessoas aqui pelas minhas costas.

Yuzu: Me desculpe Ishida-san - Yuzu imediatamente inclinou a cabeça - mas uma mulher estranha me disse para encontrá-lo, porque eu sou uma Quincy.

Ryuken: Sim... eu esperava isso. Os Sternritters provavelmente querem saber qual é a sua origem e relações com a minha própria família desde que eu disse a eles que Uryuu e eu éramos os únicos Quincys na cidade de Karakura - explicou Ryuken.

Uryuu: Então, o que devemos fazer sobre isso? Eu iria treiná-la... - Uryuu começou a se perguntar como seu pai reagiria.

Ryuken simplesmente olhou para Yuzu atentamente.

Ryuken: Você puxou a Masaki então... hmm, interessante. Estou curioso para saber como Isshin reagiria a isso.

Yuzu: Por favor, não conte ao papai -  Yuzu objetou, fazendo com que ambos Ishidas a olhassem surpresos.

Ryuken: E por que? - Ryuken questionou.

Yuzu olhou tristemente.

Yuzu: Minha irmã, Karin, quer ser uma Shinigami como o papai... eles não querem que eu saiba nada dessas coisas espirituais. A única razão pela qual descobri é porque escutei a conversa deles. Minha irmã Karin sempre foi capaz de ver espíritos... Onii-chan também. Eles acham que eu sou normal... 

O rosto de Ryuken parecia sem emoção.

Ryuken:  Há quanto tempo você é capaz de vê-los? .

Yuzu: Eu acho que sou capaz de senti-los desde que Onii-chan morreu... mas hoje eu vi um pela primeira vez - Yuzu admitiu tristemente - Eu nunca soube em que acreditar até hoje.

Ryuken: Você já viu um hollow? - Ryuken continuou. Seu rosto estava muito sério, como se ele estivesse tentando arrancar informações dela.

A jovem adolescente engoliu com medo.

Yuzu: N-não... mas eu ouvi Karin-chan dizer a papai que um hollow matou o Onii-chan.

Ryuken: Supus que foi assim que o garoto morreu... que pena. Eu ficaria curioso para ver se ele se parecia mais com sua mãe ou pai. Como você parece ser mais Quincy que Shinigami, eu vou lhe dar uma coisa, Isshin me deu isso depois que a Masaki faleceu - Ryuken falou quando enfiou a mão no bolso e puxou uma cruz estranha.

Ryuken: Isso pertencia à sua mãe... era a cruz dela de Quincy. Ela provavelmente iria querer que você a tivesse - o Quincy mais velho disse enquanto lhe entregava a estranha peça de joia.

Uryuu: Para alguém que não se importa com a nossa causa, você está mais bem com isso do que eu pensava - disse Uryuu surpreso.

Ryuken olhou para o filho.

Ryuken: Isso é pelo bem de Masaki e sua filha... não seu, meu ou mesmo de Isshin. Tenho certeza de que ela gostaria que pelo menos um de seus filhos fosse como ela. Treine a garota como você quer - deixe esse assunto para você. "

Uryuu: O que devemos fazer sobre ela querer manter em segredo? - Uryuu questionou.

Ryuken deu-lhe um encolher de ombros descuidado.

Ryuken: Quando se trata de seus filhos, Isshin é fácil de enganar... embora se você realmente deseja manter isso em segredo, não se associe a Kisuke Urahara.

Uryuu: É realmente uma boa ideia? E se o pai dela ficar bravo com isso? - Uryuu protestou.

Seu pai olhou para Yuzu tentando contemplar o raciocínio dela. Depois de um momento, ele cruzou os braços.

Ryuken: Existe alguma razão específica para isso?, Para você querer se tornar uma Quincy? 

Yuzu assentiu: Papai e Karin-chan estão sempre preocupados comigo. Eles ainda pensam que eu sou um bebê e que não consigo lidar com nada por conta própria. Eles não me dizem a verdade... então por que devo dizer a eles? 

Uryuu: Isso é um pouco infantil - Uryuu zombou.

Ryuken assentiu: Não, o raciocínio dela é bom. Isshin acredita que ela é muito frágil para fazer qualquer coisa sozinha. Ele provavelmente me proibiria de treiná-la adequadamente nas artes de ser uma Quincy. Por enquanto, o segredo é a melhor opção. Isso está entendido? 

Uryuu: Sim - Uryuu assentiu.

Yuzu: Umm... Ishida-san, por que você não gosta dos Sternritters? - Yuzu perguntou quando Ryuken começou a sair. O Quincy, de cabelos brancos, olhou para trás descuidadamente.

Ryuken: Na minha opinião, eles são um pouco revolucionários demais. Eu recomendaria que você os evitasse, mas se você optar por não fazê-lo, essa ainda é sua escolha.

Sem outra palavra, o homem saiu, deixando Uryuu e Yuzu sozinhos. O adolescente levantou os óculos novamente e suspirou.

Uryuu: Bem, isso resolve nosso primeiro dilema. Como você tem uma cruz de Quincy, eu posso começar a ensinar sobre o básico de ser um Quincy. No entanto, se você pretende manter isso escondido de sua família, então eu recomendo que você vá para casa por enquanto. 

Percebendo o quão tarde era agora, Yuzu ofegou.

Yuzu: Oh não! Eles provavelmente estão se perguntando onde eu estou!

Uryuu: Vou te levar para casa então... se você quiser, me encontre depois da escola amanhã em frente ao hospital e começaremos a treinar  - explicou Uryuu.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Trinta minutos depois XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Yuzu se aproximou lentamente da porta da frente de sua casa e abriu a porta. Ao entrar, ela notou Isshin parado ali preocupado.

Isshin: Yuzu? Você está em casa mais tarde do que o habitual... está encharcada.

Yuzu: Ah, sim, desculpe papai... eu estava trabalhando em um projeto na casa de um amigo e fui pega pela chuva no caminho de casa - mentiu Yuzu. Ela odiava ter que fazê-lo, mas a garota achou que seria melhor brincar na ignorância da verdadeira natureza de sua família.

O homem assentiu por um momento.

Isshin: Bem, você deveria ter mais cuidado lá fora... eu teria ido te buscar. Da próxima vez, me avise.

Karin: Oh, Yuzu voltou? - Karin perguntou enquanto virava o corredor - Ei, adivinhem?

Yuzu: O que? - Yuzu perguntou sabendo muito bem que eles estavam prestes a explicar uma desculpa para Karin ir embora.

Karin: Fui aceito em um programa de intercâmbio! - Karin disse estranhamente alegre. Mesmo em circunstâncias normais, Yuzu seria capaz de dizer que foi falsificado até certo ponto.

Fingindo ignorância, a garota sorriu.

Yuzu: Oh, isso é incrível, Karin-chan! Onde você está indo?

Karin: Em algum lugar no exterior. Não tenho muita certeza de onde ainda! - ela anunciou animadamente. A outra garota inclinou a cabeça.

Yuzu: Ooooh... quando você sai?

Karin: Amanhã, na verdade... Karin disse, um pouco menos alegre.

Yuzu franziu a testa.

Yuzu: Tão cedo? Hmmm... eu vou sentir sua falta.

Isshin: Não se preocupe, ela não vai embora para sempre! - Isshin sorriu dando um tapinha na cabeça da filha.

Karin imediatamente abraçou a irmã depois.

Karin: Eu também sentirei sua falta, Yuzu... mas não se preocupe, porque voltarei antes que você perceba.

Isshin: A propósito... eu tenho um amigo que quero que vocês duas conheçam amanhã. O nome dele é Kisuke Urahara... ele é dono de uma loja na rua. Você ficará com ele um pouco, Yuzu, enquanto eu levo Karin ao seu patrocinador no exterior. Como ela é mais jovem que a média dos estudantes de intercâmbio, eu quero levá-la lá eu mesmo - explicou Isshin.

Yuzu se perguntou se teria acreditado nessa desculpa se não tivesse aprendido os segredos de sua família mais cedo naquele dia. A garota assentiu com a explicação.

Yuzu: Ok papai... eu vou tomar um banho.

Karin: A água ainda está quente - Karin disse a ela enquanto gesticulava para a irmã ir embora. Depois que ela saiu, Karin e Isshin trocaram olhares tristes por terem que mentir para Yuzu.

O homem se inclinou e sussurrou para Karin.

Isshin: Não se preocupe... Kisuke é um cara legal. Ele vai garantir que ela esteja bem.

Karin: Espero que sim... Yuzu vai ficar solitária sem mim e Ichi-nii - Karin disse tristemente.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX No dia seguinte, residência em Urahara XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Aproximando-se da loja de Urahara não era outro senão Isshin e suas duas filhas. Um homem com um chapéu listrado verde e branco e tamancos foi rápido em cumprimentá-los na frente dele.

Urahara: Ah, Isshin, é bom ver você. Essas são suas filhinhas fofas? Estou surpreso que demorou tanto tempo para me apresentar para elas.

Isshin: Sim, eles não são os anjinhos mais doces que você já viu? - Isshin sorriu um tanto pateta.

Karin levantou uma sobrancelha irritada pelo modo vergonhoso que seu pai as chamava.

Karin: Eu disse para você não nos chamar assim... é estranho.

Isshin: Vá em frente e se apresente meninas, este é Kisuke Urahara - Isshin gesticulou.

O homem de chapéu sorriu.

Uraha: Ei, prazer em conhecê-las...

Karin: Eu sou Karin - respondeu a garota calmamente, sem muita emoção ou preocupação.

Yuzu sorriu e curvou-se.

Yuzu: Meu nome é Yuzu... obrigado por me deixar ficar aqui enquanto minha família estiver ausente.

Urahara e Isshin olharam por um momento. Era evidente para Yuzu que eles tinham algum plano tático para impedi-la de suspeitar de algo. Yuzu olhou para baixo por um momento e pensou consigo mesma.

Yuzu P: Eu quero me tornar forte como Onii-chan... eu quero que eles me levem a sério.

Yuzu: Bem, eu provavelmente deveria me apressar para a escola - Yuzu anunciou rapidamente se virando para sair. Antes que ela chegasse longe demais, ela falou novamente - Volto mais tarde Urahara-san, tenho um projeto escolar para terminar.

Isshin: Esteja segura, Yuzu - Isshin acenou - provavelmente sairemos esta tarde. 

Karin rapidamente seguiu sua irmã e a abraçou.

A jovem adolescente de cabelos escuros lançou um olhar triste para Yuzu.

Karin: Eu te amo Yuzu... caso eu vá embora quando você voltar hoje.

Yuzu: Ah, não se preocupe, Karin-chan, você vai se divertir. Eu ficarei bem - Yuzu tranquilizou o humor de Karin.

A garota então virou a esquina e acenou.

Yuzu: Tchau, tchau, estou indo para a escola agora.

Depois que ela saiu, Urahara olhou para Isshin e para Karin.

Urahara: Então... é essa que quer ser uma Shinigami?

Karin: Sim, ela mesmo - respondeu Karin, olhando para cima e encontrando o olhar do homem.

Ele levou uma mão ao queixo, pensativo.

Urahara: Hmm... tudo bem, se você não se importa, Isshin, vou ver qual é a extensão dos poderes espirituais dela. Normalmente levaria anos para refiná-los, mas eu poderia acelerar as coisas se você confiar em mim para fazer isso.

Isshin: Faça o que você precisa... mas eu não quero que você tente nenhuma de suas experiências estranhas - disse Isshin severamente.

Kisuke riu e esfregou a parte de trás da cabeça timidamente.

Urahara: Ah caramba, você fala como se eu fosse algum tipo de cientista louco...

Isshin: E você não é? - Isshin riu.

O homem suspirou quando olhou para Karin.

Urahara: Tudo bem, Karin, venha comigo e vamos começar.

A garota seguiu o pai e Kisuke até a loja e passou por vários estranhos. Um deles era um homem corpulento com bigode que acenou.

Tesai: É bom ver você Isshin... Kisuke nos contou tudo hoje. Então essa é a garota?

Issh: Sim, é ela - Isshin colocou a mão no ombro da filha.

Karin notou duas crianças discutindo umas com as outras na sala, mas elas não pareciam muito preocupadas com ela ou Isshin.

Kisuke tossiu: Bem, venha por aqui e chegaremos à minha área de treinamento secreto.

Depois de liderar os dois por vários caminhos, eles chegaram a algumas escadas que os levavam ao subsolo para uma enorme área rochosa de treinamento.

Karin ficou boquiaberta.

Karin: Oo que é isso? Isso é tudo subterrâneo?!

Urahara: Sim, eu construí essa pequena área de treinamento há um tempo - disse Kisuke casualmente.

Isshin: Para fazer experiências malucas... - Isshin acrescentou.

Urahara: Calma, calma, nem tudo é assim, Isshin. Sou dono de uma loja humilde, com alguns hobbies inofensivos - Kisuke riu.

Karin suspirou: Bem, o que eu tenho que fazer para me tornar uma Shinigami?

Urahara: Bem, normalmente, você só precisa ter alguma habilidade no uso do poder espiritual. Um Shinigami comum pode passar pelo currículo em seis anos ou mais. Embora haja exceções a isso... certo Isshin? -  Urahara virou-se para o amigo.

O ex-capitão assentiu. Ele foi em direção a uma pedra próxima e sentou-se; pouco tempo depois, seu espírito emergiu repentinamente de seu corpo. Karin olhou surpreso para seu uniforme Shinigami. Isshin apontou para seu corpo.

Isshin: Sente-se, Karin.

Seguindo as instruções, ela se sentou ao lado do corpo de Isshin, que parecia estar dormindo na posição vertical. Isshin se abaixou na altura de Karin e, para sua descrença, puxou seu espírito para fora de seu corpo. Karin estava além de chocada, pois agora podia ver seu próprio corpo na frente dela. Ao perceber a corrente no peito conectada ao corpo flácido, Karin sabia que estava em forma de espírito.

Kisuke olhou para Isshin seriamente.

Urahara: Você percebe que teremos que cortá-la se ela quiser continuar com isso...

Karin: Espere... o que isso significa? -  Karin perguntou.

Isshin: Isso significa que você terá que morrer... uma maneira de fala - disse Isshin, distante.

Karin inclinou a cabeça. 

Karin: Eu não entendi...

Isshin falou seriamente.

Isshin: Você tem o espírito de um Shinigami, mas também é humana. Ao cortar a corrente, você será capaz de seguir completamente o caminho dos Shinigamis. Enquanto estiver fora, Kisuke preservará seu corpo para que você pode retornar quando apropriado. Tecnicamente, você estará morta, mas poderá retornar ao seu corpo. Será um gigai perfeito... e ele garantirá que envelheça em correspondência com o seu espírito. 

Karin P: Isso é... Insano - Karin pensou um pouco nervosa agora.

Isshin lançou-lhe um último olhar nos olhos quando alcançou a espada.

Karin: É isso... aqui e agora, Karin. Você ainda pode voltar. No entanto, uma vez que essa corrente é cortada, você nunca pode ser totalmente humana novamente.

Karin pareceu pesar suas opções por um momento, mas o pensamento de Ichigo em sua forma hollow perversa solidificou sua decisão.

Karin P: Eu preciso fazer isso... pelo bem de Yuzu e Ichi-nii - Esse era o caminho que ela sonhara por tanto tempo. Finalmente, ela teve a chance de ver seu irmão novamente e fazer algo sobre o destino horrível que ele sofrera. Karin fechou o punho quando olhou para o pai - Faça isso...

Isshin assentiu com certa relutância enquanto pegava seu Zanpaktou. O homem segurou-o sobre a cabeça por um breve momento e desceu a lâmina, cortando a cadeia do destino de Karin. A sensação de "morrer" não era o que ela esperava. Não era necessariamente doloroso, mas Karin sentiu uma ampla gama de sentimentos incomuns quando caiu de joelhos.

Kisuke olhou para Isshin seriamente

Urahara: Você sabe o que vem depois, certo?

O pai da garota desviou o olhar tristemente.

Isshin: Sim... faça o que você tem que fazer, Kisuke.

Na verdade, Isshin não era totalmente a favor de Karin perseguir a vida ou a morte de um Shinigami. No entanto, ele havia passado muito tempo pensando sobre isso nos últimos dias.

Isshin P: Se o capitão geral insiste que eu precise voltar, então suponho que Karin também deva estar lá, é o melhor. Embora eu ainda não tenha idéia do que fazer com Yuzu... Talvez nada de mais, talvez eu possa pedir a Ryuken ou Kisuke para ficar de olho nela enquanto estamos lidando com Branco.

Karin: O que está acontecendo?! - Karin gritou chocada quando sua corrente cortada começou a se comer. Ela olhou horrorizada para o pai - O que devo fazer?"

Urahara: Você deve despertar seus poderes Shinigamis antes da invasão da hollowficação. Se não conseguir, você se tornará um hollow e seu pai terá que executar um Konso em você - explicou Kisuke. Isshin desviou o olhar um pouco arrependido. Ele odiava ter que colocar sua própria filha nisso, mas sabia que era a maneira mais rápida de extrair o poder de Karin.

Karin: Mas como eu devo fazer isso?! -  ela ofegou. Antes que Isshin pudesse responder, Kisuke criou um poço profundo e a jogou para dentro. No caminho, seus braços ficaram presos por algum tipo estranho de mágica espiritual. Karin caiu de bruços e virou a cabeça em direção ao topo, parecendo preocupada - O que você está fazendo?!

Urahara: Você precisa sair desse poço, e a única maneira de fazer isso é se tornar um Shinigami. Se não o fizer, você se tornará um hollow. Você tem setenta e duas horas... boa sorte - Kisuke anunciou

Karin: Como eu devo fazer isso? Eu não sei nada sobre como ser um Shinigami! - Karin protestou.

Issh: Eu acredito em você Karin... eu não teria concordado com isso se não acreditasse que você já era uma Shinigami. Apenas se concentre no seu mundo interior - Isshin a tranquilizou.

Isshin sentou-se perto e olhou para Kisuke.

Isshin: É melhor você estar certo sobre isso... estou confiando em você para garantir que isso funcionará.

Urahara: Tenho certeza que vai dar certo... além disso, se tudo correr bem, isso reduzirá bastante o tempo que ela tem para gastar na academia. Isso combinado com a sua herança Shiba, e ela será colocada na primeira classe - Kisuke notou.

O ex-capitão sorriu.

Isshin: Espero que sim... . Você provavelmente deverá subir sempre que Yuzu voltar. Diga a ela que já partimos, se ela perguntar por nós.

Urahara: Claro que sim - Urahara assentiu.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXxXXXXXX Hospital da cidade de Karakura naquela tarde XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Depois da escola, Yuzu rapidamente voltou ao Hospital da Cidade de Karakura. Ela olhou em volta da entrada em busca de algum sinal de Uryuu e ficou agradecida quando o viu encostado na parede. O Quincy se aproximou dela casualmente. 

Uryuu: Fico feliz em ver que você conseguiu... vamos começar a treinar no subsolo.

Yuzu: Tudo bem - Yuzu assentiu enquanto seguia Uryuu pela lateral do prédio e para a câmara subterrânea. Ao chegarem, Yuzu olhou surpresa ao ver que havia sido remodelado com uma grande variedade de equipamentos de treinamento, manequins de treinamento, alvos e qualquer tipo de ferramenta útil que se pudesse imaginar.

Uryuu olhou para ela e falou calmamente.

Uryuu: Para entender seus poderes de Quincy, você precisa saber de onde eles se originam. Os Quincys absorvem o Reishi próximo e o usam para criar armas de energia improvisadas. Idealmente, a maioria usa um arco... por exemplo.

O adolescente levantou sua Cruz Quincy e a transformou em um arco espiritual azul, para surpresa de Yuzu. Brilhava da mesma cor que as mãos dela no outro dia. O adolescente de cabelos negros puxou a corda do arco e disparou uma enxurrada de flechas azuis do nada. Eles dispararam em um arco torrencial, cada um atingindo perfeitamente um dos alvos estabelecidos.

Após sua exibição, Uryuu explicou.

Uryuu: Primeiro você precisa entender o que é esse poder. O poder espiritual que forma as almas e enche o ar é chamado Reishi. É muito menos prevalente no mundo dos vivos, mas é o que os Quincys atraem. O poder de nossas armas é o Reiryoku, o poder espiritual bruto que uma alma possui. É o que permite que você sinta o poder espiritual e veja os espíritos. Quanto mais você tem, mais forte é a sua alma. Finalmente, existe Reiatsu ou pressão espiritual. pressão manifestada pela própria assinatura espiritual que pode ser sentida e usada para uma grande variedade de coisas.Eu poderia entrar em detalhes, mas isso é principalmente o que você precisa saber.Para você aprender a usar seu poder, você deve primeiro usar seu próprio Reiryoku e usá-lo para absorver Reishi nas proximidades sobre sua Cruz Quincy, o que formará uma arma.

Yuzu sentiu-se incerta ao levantar a cruz de maneira semelhante a Uryuu. Ela olhou para ele confusa.

Yuzu: Como eu devo fazer isso?

Uryuu: Concentre-se no seu espírito interior... deve parecer natural. Se ajudar, você também pode se concentrar em algo que o motiva. Uma força de vontade forte é a chave para fazer isso - explicou Uryuu.

Yuzu assentiu enquanto fechava os olhos. Ela tentou se lembrar outro dia em que o espírito a carregou. O medo e a reação evidentes não eram algo que ela realmente pudesse reproduzir adequadamente. Ela fez uma careta porque tentou se concentrar mais na energia.

Uryuu suspirou: Também ajuda se você tiver um motivo para querer usar seu poder. Você diz que um hollow matou seu irmão? Pense nisso... o que você faria se usar esse poder fosse a única coisa que poderia salvá-lo?

Isso pareceu eficaz em incitar a força de vontade da garota quando suas mãos começaram a brilhar levemente. Uryuu sorriu com aprovação.

Uryuu: Bom, mantenha esse pensamento... imagine que o hollow está bem na sua frente agora. Está zombando de você. ..."

Para aprovação de Uryuu, Yuzu conseguiu manifestar um pequeno arco da cruz de sua mãe. Os olhos da garota se abriram quando ela instintivamente disparou uma enorme flecha. Não atingiu nenhum alvo, mas voou para a parede oposta.

O adolescente Ishida olhou para a flecha grande com curiosidade, pois ela não se dissipou com o impacto. Então, para seu choque, explodiu, abrindo um enorme buraco na parede.

Yuzu estava tremendo um pouco, enquanto olhava para seu colega Quincy.

Yuzu: Como eu fui, Uryu-kun?

Seus olhos se arregalaram visivelmente quando ele levantou os óculos. 

Uryuu: Isso foi... bom.

Ele a encarou um tanto surpreso. 

Uryuu P: Eu não esperava que ela tivesse resultados tão rápidos. Aquela flecha Reishi explodindo, não é algo que eu conheça. Seu Reiryoku deve ser poderoso se ela foi capaz de manifestar tal ataque. Ainda assim... se for esse o caso, então por que seu irmão cenoura também não era tão forte? Hmm... e não é muito normal desenvolver forte poder espiritual nessa idade. A maioria simplesmente nasceu com ela. Talvez isso tenha algo a ver com o pai ser um Shinigami e a mãe como Quincy. 

Para sua descrença, a voz de Ryuken soou ao lado dele.

Ryuken: Não pareça tão surpreso, Uryuu, sua mãe era um prodígio entre os Quincys e seu pai era um capitão Shinigami. Eu ficaria decepcionado se ela não estivesse nesse nível. 

Yuzu: De onde você veio ?! - Yuzu ofegou quando notou Ryuken agora parado do nada. O homem de cabelos brancos cruzou os braços.

Ryuken: Eu vim para observar por alguns minutos.

Uryuu: Por que demorou tanto tempo para que seus poderes espirituais se manifestassem então? - Uryuu perguntou ao pai não entendendo completamente a situação.

Ryuken deu de ombros.

Ryuken: Eu não poderia dizer com certeza, mas se você quer minha opinião sobre o assunto, acredito que isso se deve em parte à falta de presença espiritual. Masaki e Isshin perderam seus poderes há mais de vinte anos. Apenas Isshin recentemente recuperou o dele. Ela disse que podia sentir os espíritos depois que o irmão morreu... provavelmente devido ao encontro próximo com um hollow. Embora tudo isso seja simplesmente especulação. 

Yuzu: Com licença, Ishida-san, mas papai está levando Karin-chan para a Soul Society para se tornar uma Shinigami - Yuzu disse enquanto se virava para Ryuken.

O homem assentiu.

Ryuken: Sim, acredito que você mencionou isso ontem à noite.

Yuzu: Ele me deixou com Kisuke Urahara enquanto eles estiverem lá... o que devo fazer sobre isso? - Yuzu perguntou curiosamente.

Os olhos de Ryuken se arregalaram.

Ryuken: Hmm... se você vai estar perto dele, é imperativo que você aprenda a mascarar seu poder espiritual. Sugiro que ensine isso a ela imediatamente, Uryuu.

Uryuu: Sim pai - disse o adolescente suspirando em aceitação.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Abaixo da Loja Urahara XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Urahara: Como está indo aí em baixo, Karin? - Urahara perguntou enquanto olhava para o poço abaixo. Karin fez uma careta enquanto lutava de joelhos. A corrente estava rapidamente se consumindo. A garota não tinha como saber quanto tempo havia passado, mas se sentia preocupada à medida que via os links corroendo um ao outro.

Isshin: Está ficando tarde, Kisuke... você deveria subir as escadas para o caso de Yuzu chegar em casa. Eu vou passar a noite aqui - afirmou Isshin.

O homem de chapéu e tamancos assentiu.

Urahara: Ok, continue o bom trabalho aí em baixo, Karin.

Ela olhou para ele de sua posição semi-inclinada e amarrada, mas não disse nada enquanto tentava se concentrar em seu espírito interior.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX No andar de cima XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Yuzu se aproximou lentamente da entrada da loja de Urahara e foi gentilmente recebida pelo homem.

Urahara: Ah, ei Yuzu, seja bem-vinda de volta. Como foi o seu pequeno projeto?

Yuzu: Eu devo terminar logo - Yuzu sorriu.

Kisuke assentiu: É bom ouvir isso. A propósito, seu pai e sua irmã já foram embora hoje à tarde. Eu sei que as coisas podem ser um pouco chatas por aqui, mas não se preocupe. Vou garantir que suas necessidades sejam atendidas. Então, se você precisar de alguma coisa... dinheiro, ajuda com a lição de casa, etc., não tenha vergonha de vir até mim. 

Yuzu: Obrigado Urahara-san... Estou realmente pensando em ingressar em um clube depois da escola, já que não terei muito pra fazer com Karin-chan e papai longe -  respondeu a garota.

Urahara: Ah, legal, de qualquer forma, venha aqui dentro - respondeu Kisuke.

Yuzu ouviu e entrou. O homem lentamente seguiu atrás dela e apontou para o corredor.

Urahara: Essa porta no final à esquerda é onde você estará dormindo. Além disso, eu disse a Jinta e Ururu para não incomodá-la muito, então sinta-se em casa. 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Três dias mais tarde XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Karin fez uma careta de medo quando sua corrente estava quase acabando agora. Em um momento de desespero, ela sentiu sua consciência sumir. Em pouco tempo, ela se viu em algum tipo de paisagem estranha. Era um oceano com uma lua azul brilhando sobre uma noite escura.

Ela estava de pé no que parecia ser uma pequena ilha com uma única árvore maciça. Karin ofegou enquanto tentava descobrir onde estava. Uma voz rapidamente chamou sua atenção.

?????: Karin...

A jovem adolescente olhou para a origem da voz e notou uma mulher com cabelos azuis da mesma cor que a da lua. Ela estava sentada em um dos galhos da árvore. A mulher rapidamente pulou e olhou-a seriamente.

?????: Acho que você não tem idéia de quem eu sou ou de onde estamos?

Karin: Este é... meu mundo interior? -  Karin assumiu.

A mulher de cabelos azuis sorriu.

?????: Correto...

A visão de outro indivíduo rapidamente chamou sua atenção também. Parecia ser um homem de cabelos castanhos compridos e óculos escuros enfeitados com um casaco esfarrapado esvoaçante. Ele tinha uma barba rala e um olhar de seriedade.

Karin: Quem são vocês? - Karin perguntou curiosamente enquanto olhava entre o homem e a mulher.

?????: Bem, agora essa é a questão, não é? Você é uma garota inteligente, não é? Talvez você possa descobrir isso? - a mulher provocou.

Karin olhou para ela.

Karin: Você é muito condescendente com alguém que acabou de me conhecer.

?????: Esta pode ser a nossa primeira vez nos vendo, mas sabemos tudo sobre quem você é... - o homem falou, fazendo Karin mudar seu foco para ele.

Foi então que Karin teve uma melhor compreensão do que eles eram.

Karin: Por que duas pessoas estariam no meu mundo interior?, a menos que...

?????: Isso mesmo, somos uma parte de você - a mulher respondeu por ela.

Karin olhou para o homem e fez uma careta.

Karin: Então, o que há com ele? Tenho certeza de que um velhote assustador não faria parte do meu mundo interior.

?????: Talvez você devesse se preocupar mais com a sua cadeia do destino que corroeu a si mesma. O tempo da invasão está quase chegando - explicou o homem.

A mulher balançou a cabeça e riu.

?????: Talvez ela queira se tornar um hollow como seu precioso Onii-chan?

Karin olhou furiosamente para a mulher.

Karin: O que você acabou de dizer?!

?????: Tenho certeza que você me ouviu... - a mulher riu.

O homem suspirou: "Não há tempo a perder... você deve despertar seus poderes Shinigamis se quiser se salvar. Este mundo interior já está entrando em colapso.

Karin olhou em volta e notou que a ilha em que estavam estava começando a afundar. O próprio céu parecia estar se esvaindo na escuridão. A mulher ergueu os olhos casualmente.

?????: Faça sua escolha agora, Karin... aceite-nos ou torne-se vazia.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Abaixo da loja de Urahara XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Karin despertou de seu mundo interior com energia espiritual azul surgindo de seu corpo. As restrições em seus braços não podiam mais segurá-la quando a garota conseguiu se libertar deles. Olhando para o peito, ela notou um elo final prestes a se mastigar.

Alcançando isso, ela de repente manifestou uma espada de seu corpo. A corrente desapareceu repentinamente quando o brilho azul do poder irrompeu, seguido por sua rápida fuga do poço.

Kisuke pareceu impressionado, e Isshin aliviado ao perceber que a garota agora vestia roupas Shinigamis com uma Zanpaktou selada na mão.

Karin ficou chocada com a mudança dos acontecimentos e olhou para sua aparência, espantada.

Karin: O que aconteceu?

Urahara: Bom trabalho, Karin... eu nunca duvidei de você - Kisuke disse sorrindo enquanto esfregava a parte de trás da cabeça. Isshin lançou-lhe um olhar curto e intimidador antes de se virar para a filha com um sorriso largo. Ele imediatamente a abraçou.

Isshin: Minha linda filha agora é como seu querido pai!

Em circunstâncias normais, ela teria desviado comicamente o carinho dele, mas devido ao seu alívio e excitação, a garota o abraçou de volta. Depois, ela rapidamente lhe deu um soco no estômago.

Karin: Da próxima vez, é melhor você me avisar quando me deixar ficar em um buraco por três dias!

Isshin: Urgh! - Isshin dobrou - isso realmente dói agora!

Após uma discussão rápida e divertida, Kisuke tossiu para chamar a atenção deles.

Utaha: Bem, de qualquer forma, desculpe-me por ter que fazer isso, Karin, mas isso tornará seu tempo gasto na academia Shinigami uma brisa. Na verdade, eu vou na frente e arrumar a porta para a Seireitei. Tenho certeza de que seu pai a matriculará em pouco tempo. 

Karin: Como está Yuzu? - Karin perguntou preocupada.

Kisuke deu de ombros.

Urahara: Ela parece bem... disse algo sobre ingressar em um clube da escola.

Karin: Isso é bom... eu só não quero que ela fique sozinha - Karin assentiu.

Isshin: Enquanto Kisuke está arrumando a porta, vou explicar como a Sociedade das Almas funciona, Karin - disse Isshin enquanto fazia sinal para a filha se sentar ao lado dele.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Hueco Mundo XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Quando Ichigo e companhia se aproximaram de Las Noches, todos e cada um deles puderam sentir a esmagadora coleção de poder espiritual reunida lá. O som de cantos e batidas podia ser ouvido mesmo à distância em que estavam.

Harribel olhou para Ichigo preocupada.

Halibel: Eu nunca senti tantos hollows em um só lugar antes...

Apacci: O chão está tremendo! Vocês sentem isso? - Apacci interrompeu quando sentiu a batida rítmica continuar.

Ichigo estreitou o olhar para o horizonte.

Ichigo: Para tantos hollows se reunirem... Barragan provavelmente quer uma audiência para a nossa batalha. Parece que essa batalha realmente decidirá o destino do Hueco Mundo.

Lilynette: O que eles estão cantando? Eu não consigo entender! - Lilynette acrescentou enquanto tentava se concentrar no canto entre as batidas rítmicas.

Starrk: Vamos nos aproximar e descobrir - respondeu Starrk.

O resto da comitiva de Adjuchas ficou em silêncio desde que começaram a ir em direção a Las Noches. Todas elas estavam preocupadas, mas alguns a escondiam melhor que outras. Sung-Sun riu.

Sung-Sun: Bem, eu tenho certeza que será um espetáculo. Um encontro como este é sem precedentes.

Mila Rose: Mal posso esperar para ver o olhar no rosto ossudo de Barragan quando ele nos ver! - Mila Rose acrescentou.

Loly sorriu.

Loly:  Ele vai ficar aterrorizado!

Menoly franziu a testa um pouco nervosa.

Menoly: O ar está ficando muito pesado... espero que ninguém se machuque. Algo assim deve fazer com que todo Vasto Lorde restante se esconda.

Apacci: Isso não é uma coisa boa? Ichigo quer unir todas as entidades: poderosas - Apacci interrompeu.

O canto agora podia ser entendido quando o grupo se aproximava do palácio. Ele ecoou como um trovão quando o som de milhares de hollows cantou: "Branco, Branco, Branco, Branco, Branco!"

Harribel olhou para Ichigo.

Halibel: Eles estão cantando seu nome? Por quê?

Ichigo pensou por um momento.

Ichigo P: Eu sabia que esse dia chegaria, mas eu não tinha ideia de que ele iria convidar metade do Hueco Mundo para nos assistir batalhar

Ichigo: Eu não sei... mas meu palpite é que eles estão me chamando aqui para desafiá-lo - Ichigo supôs.

Apacci: Então devemos agradecer! Mal posso esperar para chutar alguns traseiros! - Apacci acrescentou.

Harribel assentiu.

Halibel: O reinado de terror de Barragan termina hoje.

Ulquiorra silenciosamente olhou para Ichigo profundamente pensativa, antes de voltar o olhar para o enorme palácio na frente deles.

Ulquiorra P: Eu nunca soube que essa estrutura existia por aqui... eu nem sabia que havia tantos hollows no Hueco Mundo. 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Dentro de Las Noches

Nas profundezas do palácio colossal, além das grandes paredes, Ichigo e sua comitiva chegaram rapidamente ao que ele só poderia descrever como algum tipo de cúpula sem teto, como um anfiteatro. Seu tamanho era monumental e, nas arquibancadas, ele podia ver milhares de cavidades, principalmente as mais comuns e os Adjuchas. O canto era quase ensurdecedor, enquanto eles continuavam batendo no chão ritmicamente.

Menoly: Isso é um coliseu? - Menoly falou chocada.

A chegada de Ichigo passou despercebida no começo, enquanto ele e seus seguidores caminhavam mais para o que parecia ser um trono ridiculamente grande na parede oposta do coliseu titânico. Ichigo rapidamente calou a multidão quando ele carregou um cero entre seus chifres e o disparou diretamente no trono onde um Barragan impaciente estava sentado.

O esquelético Lorde esqueleto rapidamente puxou o machado e cortou o cero ao meio, enviando as duas metades ao longe, danificando muito as paredes e a paisagem atrás dele. Um Adjucha aleatório na multidão rapidamente declarou o óbvio: "É branco! Ele está aqui!"

A multidão explodiu de emoção quando começaram a uivar e torcer em sede de sangue. A empolgação deles foi imediatamente silenciada quando Barragan levantou a mão.

Barragan: Quietos!

Silêncio morto seguiu seu comando enquanto Barragan e Ichigo se entreolharam por um breve momento. O rei do Hueco Mundo rapidamente percebeu os seguidores de Ichigo e zombou.

Barragan: Bah... isso significa que Harribel escolheu apoiá-lo contra mim. Essa é a extensão de sua ignorância, Harribel? Ou você simplesmente está ajudando para me insultar mais?

Halibel: Eu já disse que não estava interessada em trabalhar para você - anunciou a loira Vasto Lorde.

Barragan resmungou.

Barragan: E, no entanto, parece que agora você trabalha para o Branco... que divertido. Ouvi os rumores, mas não acreditava que eles fossem verdadeiros até agora. Então, você finalmente se tornou um Vasto Lorde, Branco, agora você acha que estamos de igual para igual?... - Barragan zombou.

Ichigo: Vim aqui para derrotá-lo e acabar com qualquer dúvida de que sou o hollow mais forte do Hueco Mundo! - Ichigo rosnou. Sua exclamação excitou a multidão, causando um tumulto de aplausos.

Barragan acenou com a mão para acalmá-los depois de um momento e riu.

Barragan: Se bem me lembro, você fugiu da última vez que lutamos. Sua ameaça é tão vazia quanto o buraco no seu peito.

Ichigo: Estou aqui agora... e estou desafiando você. Vamos colocar essa pequena vingança para descansar, não é? -  Ichigo disse sombriamente.

Barragan rapidamente aterrissou embaixo de seu trono e na enorme arena aberta abaixo. O rei olhou para Starrk e Lilynette divertido.

Barragan: Então você pegou algumas coisas que na cê vê com muita frequência. O que são aqueles hollows com máscaras quebradas?

Ichigo: Eles são arrancars... e são leais a mim - respondeu Ichigo. Seu comentário pareceu intrigar a multidão que agora estava fofocando como louca.

O rei notou Ulquiorra e não pôde deixar de inclinar a cabeça.

Barragan: O que é isso aí? Um dos moradores do poço? Eu nunca tinha visto um assim antes... hmm, você reuniu alguns aliados interessantes, Branco. E são esses seus Adjuchas? Isso é lamentável. Você acha que unir dois Vasto Lordes, alguns Arrancars e essa patética assembléia de Adjuchas é suficiente para me desafiar ?! Estou insultado, verdadeiramente! Nem preciso do meu exército para derrotá-lo e todos os seus servos! 

Seu comentário irritou muito Ichigo, causando uma tremenda e brutal de onda  poder espiritual. Assustando enormemente a multidão fazendo todos calarem a boca e assistirem com medo. Suas duas espadas enegrecidas se formaram enquanto ele gritava alto.

Ichigo: Então vamos resolver isso, aqui e agora! Eu desafio você pelo seu trono e pela autoridade sobre o Hueco Mundo!

Barragan: Você não tem coragem de lutar comigo sozinho... é por isso que você reuniu esses outros Vasto Lordes? Você estava com muito medo de enfrentar o seu destino? - Barragan provocou.

Ichigo olhou de volta para seus aliados.

Ichigo: Eu vou lutar sozinho. Todos vocês para trás.

Halibel: Isso é suicídio, Branco... eu sei que você é forte, mas não pode contar com Barragan para lutar de maneira justa - objetou Harribel.

Starrk: Faça o que ele diz... se ele realmente deseja conquistar o respeito do Hueco Mundo, então ele não tem escolha - interrompeu Starrk.

Cada uma das Adjuchas teve seus próprios protestos, mas todas caíram em ouvidos surdos quando Ichigo lançou-lhes um olhar afiado.

Ichigo: Todo mundo sai da arena...

Halibel: Tenha cuidado... - Harribel disse um pouco preocupada enquanto levava as adjuchas para longe. Starrk teve que praticamente arrastar Lilynette para as arquibancadas, que pareciam ter a intenção de ajudar Ichigo de alguma forma.

Isso deixou apenas Ulquiorra. A hollow de olhos verdes não deixou muito a surpresa de Ichigo. Ele se virou brevemente para a companheira silenciosa. Ele não disse nada enquanto ele e Ulquiorra trancaram um breve olhar.

Barragan foi rápido em interromper o momento de silêncio.

Barragan: Aqueles que moram nas covas não são hollows comuns. Eles não pertencem à superfície ou sob a luz da lua do meu domínio. Nunca vi um assim antes... embora geralmente sejam do tipo dela. não se afaste da escuridão. Sua mera presença no meu palácio é um insulto. 

Ulquiorra simplesmente dirigiu um olhar estóico para Barragan, mas Ichigo, por outro lado, ficou furioso com o comentário.

Ichigo: Ela não é um deles! Ela é uma de nós! Vou lhe dar algo para se sentir insultado quando tirar seu título!

Barragan riu dele.

Barragan: Você realmente conquistou minha ira, Branco. Nunca houve um hollow tão ousado para questionar minha autoridade suprema sobre nossa espécie.

Ichigo: Volte... ele é meu! - Ichigo falou com Ulquiorra finalmente convencendo a Hollow pálida e sem boca a se mover em direção ao resto do grupo de Ichigo, que havia se encontrado na primeira fila graças a um pouco de intimidação.

Barragan levantou o machado e falou com segurança.

Barragan: Venha me mostrar o quão poderoso você pensa que é, Branco!

Antes que Ichigo pudesse dar uma resposta, um borrão azul se abateu ao lado deles. Ichigo e Barragan pareciam surpresos ao ver um Vasto Lorde de cabelos azuis. Ele tinha uma aparência muito familiar e, depois de examinar os ouvidos e os traços felinos, Ichigo rapidamente percebeu quem era.

Ichigo:  Grimmjow?

Grimmjow: Desculpe interromper, mas vocês dois não são os únicos competindo pelo trono do rei!!! - Grimmjow rugiu.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Notas Finais


Candice: https://pin.it/4E2yabY

Eae gente, gostaram do capítulo? Espero humildemente que sim, mas eu vou falar uma coisa que a maioria vai achar chata de se fazer.

O próximo capítulo da fic só será lançado quando ela atingir a Marca de 120 favoritos, eu pensei muito nisso e um colega autor também me incentivou a fazer isso, e eu também acho as vezes que a fic está sendo desvalorizada, vocês não fazem ideia de como é difícil escrever uma fic de Bleach com capítulos desse tamanho, já é difícil quando ele são curtos!; por isso espero que entendam.

Bom é isso, agradeço humildemente pela atenção✌.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...