História O Multiverso - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Selena Gomez
Visualizações 46
Palavras 2.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Eu simplesmente quero que você fique, todos os dias.


Fanfic / Fanfiction O Multiverso - Capítulo 7 - Eu simplesmente quero que você fique, todos os dias.

SELENA GOMEZ POV.

Deitada no sofá enquanto encarava a tigela de sorvete sobre minhas pernas eu pensava em mil e uma coisas. O que havia de errado comigo era o que mais me questionava, a confusão era evidente em meu rosto e eu via minha mãe sem saber muito bem o que fazer, muito menos falar.

No entanto eu precisava, resmungava uns palavrões enquanto ela pensava incansavelmente no que me falar, no fim eu entendia que aquilo era estranho para ela, eu não era mais nenhuma adolescente, não devíamos ter esses assuntos agora.

– Tudo bem. – me arrumo no sofá e coloco a tigela de sorvete na mesa de centro. – Esse é o tipo de conversa que deveríamos ter com que idade minha?

– Bem, uns quinze ou dezesseis talvez.

– E se eu tivesse essa idade agora, o que falaria para mim depois de levar um pé na bunda?

Ela me olha espantada. – Você não levou um pé na bunda Selena. Na verdade, ele só quer que você espere um pouco mais.

– Claro, porque eu ter vinte e um e nunca ter beijado ninguém é pouquíssimo tempo.

– Ele quer que seja especial. Você gosta dele não gosta?

– Não.

– Não? E porque quer beija-lo então?

– Porque eu não quero morrer virgem. – me exalto e minha mãe apenas ri de mim o que me deixa ainda mais frustrada.

– Boa noite querida.

– Que? Mais ainda não terminamos de conversar.

– Claro que terminamos, você gosta dele e ele gosta de você. Você só está ansiosa porque é a sua primeira vez, não seja incompreensível. Tenha certeza de que quando isso acontecer você vai ver que valeu à pena esperar.

Ela sai, me deixa sozinha com meus milhões de pensamentos e todos eles são sobre Justin Bieber. Eu não posso negar que em partes ela estava certa, eu queria muito aquele beijo, tanto que se fechar os olhos agora sou capaz de sonhar com esse momento.

E por isso não durmo. Vou para meu quarto e atravesso a sacada do mesmo indo para o telhado. Tem poucas estrelas hoje e o céu está um pouco mais escuro que o normal, a noite está fria e o vento gelado me faz lembrar mais dele.

Do toque sutil em minhas mãos e bochechas. Eu não podia esconder de mim mesma que passar cada minuto das últimas semanas com o loiro maluco tem mexido extremamente comigo. Eu realmente gosto da sua companhia.

Quando estou com ele é quase como se eu não estivesse doente. Todas as coisas que ele me faz fazer, suas piadas sem graça e nossas conversas muitas vezes sem nexo, tudo isso me faz esquecer por um determinado tempo que meu corpo é um câncer.

E eu quero mais disso.

Cada vez mais e mais. Porque é algo que só ele consegue entender, talvez simplesmente pelo fato de ele entender a minha dor. De verdade eu não sei ao certo, só o que sei é que toda vez que desço de sua moto e o vejo partir eu desejo que ele pare, que ele pare, volte e fique comigo por muito mais tempo.

Muito mais tempo.

🌸🌸🌸

02 DIAS DEPOIS

Eu tenho medo.

Pela primeira vez desde os últimos anos eu senti aquele aperto no peito que nos faz vacilar por um momento. Olho novamente para a porta do hospital e em seguida para meu relógio de pulso.

A voz maldosa em minha mente ecoava de maneira absurda dizendo repetidas vezes que ele não iria vir. Quando ouço meu nome ser chamado ainda permaneço alguns minutos sentada, mas logo o toque de minha mãe me faz despertar.

Ele não vinha.

– Tudo bem? – ela pergunta e eu concordo, mesmo que nós as duas saibamos que não está nada bem.

Eu me sinto muito fraca assim que atravesso a porta do consultório e meu estômago embrulha muitas vezes me forçando a criar forças para não vomitar ali mesmo. Tremo quando sinto meus dedos encostarem no metal frio da cadeira.

– Como se sente hoje, Selena? – uma das muitas medicas que me acompanha pergunta calorosa.

– Na verdade eu espero que você mesma me responda. Afinal de contas vocês quem me ligaram pedindo que eu comparecesse com urgência no hospital, então ou de alguma forma inexplicável eu melhorei ou então eu vou morrer amanhã. Estou certa?

– Não totalmente. – ela diz se levantando e minha mãe apenas escuta tudo em silêncio. – Quero examinar você antes de conversarmos melhor.

Sem protestar me levanto e caminho até a maca, mesmo com frio levanto a blusa para que ela possa me auscultar, ela anota algumas coisas e depois volta para sua mesa pedindo que eu faça o mesmo.

– Então?

– Selena infelizmente às noticias não são boas. – eu de certa não me sinto impressionada, mas me abalo e sinto o nó se formar em minha garganta.

– Seus medicamentos não estão mais funcionando, como você tem se sentido nos últimos dias? Cansada demais por poucas coisas, tonturas, enjoos e calafrios constantes?

– Sim.

– Qual desses sintomas?

Olho para ela e respiro com dificuldade porque a cada segundo ficava mais difícil falar. – Todos eles.

Eu nem olho para minha mãe, mas posso ouvir seu suspiro pesado. Minha médica me olha atentamente e eu faço o mesmo.

– Quanto tempo eu tenho?

– Não posso te dar um tempo exato Selena.

– Mais pode me dar uma previsão, não vamos processar você se estiver errada sobre isso. Eu apenas preciso saber.

– Contando que seus medicamentos não possuem mais nenhum efeito e que você se recusa a fazer o tratamento você pode ter uns dois meses ainda, mas é muito incerto.

– E se eu fizer o tratamento agora? Tem como prolongar isso?

– Sim, mas de toda forma você...

– Eu não passo desse ano.

– Eu sinto muito.

Tudo que eu consigo fazer é correr, para bem longe e o mais rápido que minhas pernas me permitem, as pessoas que me olham assustadas na rua aos poucos vão ficando para trás.

Eu só consigo parar para pensar quando chego ao local que não sei ao certo quem me trouxe. Meu peito dói e eu me desmancho em lágrimas pela primeira vez, eu me sinto fraca e pequenininha.

Eu posso enxergar sua silhueta um pouco mais acima do pico, parado com as mãos em seus bolsos, me olhando.

E eu me lembro exatamente de suas palavras a cada passo que ele se aproxima. Meu peito queima e eu sinto o ar fugir de meus pulmões e minhas pernas fraquejarem, mas ele não permite que eu caia. Ele faz exatamente o que ele prometeu na primeira noite em que estivemos aqui.

– Eu não sei se consigo. – sussurro entre meus soluços e ao mesmo tempo tento recuperar meu fôlego.

Nós caímos lentamente e sem dizer absolutamente nada ele segura meus rosto entre suas mãos. Me sinto de certa forma acolhida.

– Você não foi, eu esperei por você e você não foi.

– Eu sei disso.

– Eu vou morrer a qualquer momento.

– Eu sei disso também.

– Eu não quero morrer Justin.

O suspiro que ele deixa escapar entrega o quanto ele também se sente fraco agora. 

– Eu sei disso. Quando você me disse que era uma chamada de emergência do hospital eu soube o que iria acontecer. Eu sabia que não deveria ir para o hospital, por que eu sabia o que você ia fazer, e eu tinha que está no lugar certo para segurar você quando você caísse.

– Você me prometeu isso na primeira vez que viemos aqui. – o lembro e ele apenas sorri.

– Eu prometi muito mais que isso.

Seu polegar desmancha a lágrima que desce saliente por minha bochecha e eu entendo exatamente o que ele quer dizer, só consigo sorrir.

– Há duas noites atrás você disse que queria que fosse especial. Não sei se isso aqui é muito especial.

– Não é o momento, é você. Agora você sabe que é especial para mim, mais do que isso você é essencial Selena Gomez, e eu fico feliz de ter acertado na minha escolha.

Consigo sorrir verdadeiramente pela primeira vez naquela tarde. E quando Justin me puxa para junto dele eu sinto meu coração pulsar muito rápido.

– Eu ainda continuo achando que não sou boa nisso. – sussurro quando seus lábios estão tentadoramente perto dos meus.

Eu quero tanto.

E fico feliz que ele trata minha insegurança com tanto carinho. Mesmo de luvas posso sentir minhas mãos geladas pelo nervosismo. Era meu primeiro beijo afinal, eu podia sentir isso.

De primeiro é apenas um toque sutil, seus lábios se encostam nos meus me permitindo sentir a maciez do mesmo, eu faço exatamente os mesmos movimentos que ele. Sinto as mãos de Justin apertarem meu corpo bem perto do seu e seus lábios se encaixam nos meus em um movimento rápido e bom, no entanto, não é como os beijos malucos de cinema que já vi.

É bem melhor na verdade e eu posso sentir o gosto bem sutil de balas de menta. Quando eu sinto a falta de ar me atingir eu me afasto devagar, apenas com medo de assusta-lo.

O momento que vem à seguir é quase tão bom quanto o seu beijo. Ele apenas me puxa para seu colo e eu faço daquele pedaço de gente o meu porto seguro e desejo mais daquilo por toda à noite.

🌸🌸🌸

UMA SEMANA DEPOIS.

– Ele disse qual é a ocasião? – minha mãe pergunta curiosa enquanto vasculha entre os cabides os vários vestidos da loja.

– Ele disse que vamos para um baile de inverno.

– Um baile de inverno? – eu posso sentir sua felicidade do outro lado das divisórias de roupas. – Vocês são lindos.

– Não faça isso. – peço sentindo meu rosto queimar. – O que acha deste?

– É bonito, mas eu acredito que esse aqui realce melhor seus olhos.

Eu concordo com ela e sem mais procuras levamos o vestido. As horas passam rapidamente hoje e eu só quero que ele chegue logo.

Quando Justin desce do carro com uma pulseira de flores em mãos eu me sinto uma adolescente de novo. Com certeza a mais feliz de todas.

– Eu não tenho palavras para dizer o quanto você está linda.

– Pode me dizer de outra maneira. – sugiro sorrindo abertamente. Me tornei uma completa maluca e posso dizer que me viciei absurdamente em seus lábios.

Justin coloca a pulseira em meu braço e elas caem perfeitamente com o vermelho escuro do vestido. De seguida sinto seus lábios em contato com os meus, no entanto é algo rápido e logo estamos à caminho do baile.

Riordan é imensa e simplesmente linda. Eu sempre tive vontade de entrar em uma escola, assistir aulas e guardar meus materiais nos armários da mesma, mas é claro que isso nunca foi possível.

Tinha muita gente ali, todas absurdamente felizes. A música estava em um volume considerável e muita gente já estava dançando na pista de dança. Tudo estava muito bem decorado e eu estava encantada apenas.

– Vamos tirar a foto e vamos nos encontrar com alguns amigos. – o loiro sugere e eu apenas concordo sem saber muito bem o que fazer.

Eu estava feliz, mas também perdida, afinal de contas tudo ali era muito novo para mim.

Algo estava errado.

– Você está bem? – Justin pergunta no momento que atravessamos a entrada e eu apenas concordo sorrindo. – O Ryan está logo ali.

– É o garoto que conseguiu os ingressos dizendo que você só tinha uma semana de vida?

– Sou eu mesmo, e você deve ser a Selena. – o loirinho de cabelos baixos sorri para mim e eu faço o mesmo.

– Essa sou eu.

– É bom te conhecer finalmente. – ele é quase tão gentil quanto seu amigo, aliás, todos são.

Ryan namora Ashley, ela é alguns anos mais nova e está no último ano, por isso ele está acompanhando ela. A mesma por sinal é bem maluquinha, no entanto, um amor de pessoa e eu me sinto intima da mesma em pouco tempo ali.

Não demora muito para que ela esteja na pista de dança comigo me ensinando à não passar vergonha, suas mãos me guiavam no ritmo da música e em pouco tempo eu consegui me encaixar naquele padrão de dança.

Isso durou um tempo e logo se deu espaço para uma música lenta. Senti de imediato os braços de Justin envolverem minha cintura me virando para ele.

– Me concede essa dança?

Sorrio e deixo meu corpo colar ao seu. Bem ali naquele momento eu sinto que nada disso está certo, que na verdade a vida é extremamente injusta.

Tinha mesmo algo errado.

– Isso é errado. – falo me dando conta de tudo e me afasto de Justin. – Eu não quero.

– Selena...

– Me tira daqui, por favor, vamos embora.

Ele me olha confuso mais ainda assim faz o que eu peço e anda comigo para fora dali. De uns dias para cá eu me sinto tão fraca que nem consigo explicar, mas desde que me permite chorar pela primeira vez depois de anos é como se eu não conseguisse mais.

Eu estava completamente sensível e eu odiava admitir isso até mesmo para mim. Mais era a verdade, toda essas coisas ainda estavam sendo processadas por mim e quando penso que eu estou bem comigo Justin surge me mostrando que na verdade eu não sei de nada.

Eu não o culpo, claro que não. Na verdade eu sou grata por ele ter aberto meus olhos, mas parte de mim quer socá-lo por fazer eu me envolver tanto.

– O que aconteceu? – ele pergunta calmo mais ainda posso sentir que ele está perdido com tudo isso. – Você está chorando?

– Sim.

– Selena.

– Não use esse tom comigo, nunca. Um dos motivos de gostar de você é por você ser diferente e nunca falar comigo nesse tom de pena, então, por favor, pare.

– Eu só preciso entender. Eu achei que quisesse isso.

– E eu quero. – sussurro passando o dorso de minha mão no nariz. – Esse é o problema, eu quero demais. Se não esta óbvio eu me apaixonei, por tudo, pela vida, pelos momentos que eu vivi todos esses dias, por você... E eu não quero que acabe, mas eu posso sentir o quão perto está.

– Não vai acabar. – sua convicção me faz rir. Justin me puxa para o banco na arquibancada e me faz sentar do seu lado. – Você conhece a teoria do multiverso?

– Multi o que?

– Multiverso. – seu indicador tira alguns fios de cabelo da minha bochecha e depois sinto seus lábios tocarem a mesma, de seguida seu abraço me acolhe. – É uma teoria de que essa vida não é a única.

– Como vida após à morte?

– Mais ou menos isso, a única diferença é que nessa teoria você vive a mesma vida, com as mesmas pessoas, mas é claro que nada ruim como por exemplo o nosso câncer existe.

– Continuo sem entender onde quer chegar com isso.

– O que estou dizendo é que nada disso aqui vai acabar aqui. Nos ainda vamos nos encontrar no nosso multiverso.

– Isso é apenas um conto bobo.

– Pode ser que sim, mas pode ser que não. Mais o que realmente importa é que eu ainda estou aqui e eu vou continuar aqui. Aqui, no nosso multiverso ou em qualquer outro paralelo você continuaria sendo a garota que eu escolheria para me apaixonar.

– É loucura dizer que eu quero mais disso a cada dia que passa? Quero mais disso, de nós dois.

– Isso é um pedido de namoro Selena Gomez? – ele posa na minha frente e me faz rir.

– Você é ridículo, isso não é um pedido de namoro.

– Bom, porque eu é quem pretendo fazer isso.

Nego com um sorriso sereno em meus lábios e jogo meu corpo para cima do seu sentando em seu colo, deixo seu rosto bem perto do meu e sorrio.

Eu simplesmente quero que você fique, todos os dias, sem despedidas, apenas fique comigo.

– Eu ficarei com você até que meu coração pare de bater.

– E depois?

– Eu vou te esperar e te escolher de novo.


Notas Finais


Oi meus xuxus, voltei com mais um capitulo.
De verdade, eu não ia atualizar hoje porquê não tinha nem metade do capítulo pronto mais resolvi largar de preguiça e aqui está.
A fanfic ja está no fim e eu nao to podendo com isso, eu gosto tanto dela que nem sei. Talvez, apenas talvez, eu estenda um pouco ela, mas nao é certeza isso so vai acontecer se eu não conseguir encaixar tudo que deve ser feito nos proximos 3 capitulos.
Enfim, o beijo saiu hein? Haha eu nem sei o que dizer mesmo então deixo isso com vocês.
Muito obrigada pelos comentários e favoritos na fic, vcs sao uns amores 💗💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...