1. Spirit Fanfics >
  2. O Mundo dos Pequeninos 2 (Arriety x Spiller) >
  3. Arriety e Spiller

História O Mundo dos Pequeninos 2 (Arriety x Spiller) - Capítulo 2



Notas do Autor


🤔Hum... Como se chamaria o Ship Arriety+Spiller?
*Arriller? Spiety? ArriSpil?
Comentem qual nome de casal vocês acharam melhor.(*´ω`*)

Capítulo 2 - Arriety e Spiller


Fanfic / Fanfiction O Mundo dos Pequeninos 2 (Arriety x Spiller) - Capítulo 2 - Arriety e Spiller

              *Arriety*
   No outro dia acordei, desci as escadas e parei na sala de estar, onde o Spiller estava dormindo.
   Toquei de leve o ombro dele para acordá-lo.
  Arriety: Bom dia Spiller.
 Spiller: Eu já estava acordado Arriety.
  Arriety: Então por que não levantou?
 Spiller: Estava aproveitando um pouco mais o sofá.
  Então ele abriu os olhos me encarando e eu corei. (ELE É LINDO DEMAIS! PORQUE QUE EU ESTOU PENSANDO NISSO?)
   Eu fui para a cozinha logo depois. Lá encontrei minha mãe pondo comida na mesa. 
   Sentei num lugar, minha mãe sentou do meu lado, depois chegaram o Spiller, meu pai e o anfitrião e por fim comemos.
     Chefe da Vila: Os homens da vila vão se reunir para construir uma casa para vocês.
    Pod: Que bom. Então eu ajudarei também.
  Homily: Minhas 
novas amigas combinaram comigo para costurarmos camas, almofadas, roupas, o básico para a nova casa.
   Arriety: Então eu vou com você, mamãe?
  Homily: Hum... é que é pra quem é bom em costurar e...
  Arriety: Já entendi. (Não precisa jogar na cara que eu sou péssima em dar pontos, mãe!)
   Chefe da Vila: Você pode ir com o Spiller, Arriety. Hoje é o dia dos jovens fazerem a coleta.
   Arriety: Então eu vou poder ir na coleta?! Que legal.
    Pod: Só tomem cuidado. 
  Spiller: Teremos.
  
             *Spiller*
   Depois de todos comerem e tomarem banho,  eu coloquei minha roupa de viagem e a Arriety colocou seu vestido vermelho. Todos pegaram suas coisas e nos separamos.
   Meu avô e o senhor Pod foram para a zona de obras. A senhora Homily foi para a casa de outras senhoras e a Arriety me seguia.
    Fomos para meu quarto (Que temporariamente é da garota) e eu peguei casacos grossos de pelos.
    Arriety: Por quê os acasalhos? Não está frio hoje.
   Spiller: São planadores, servem para irmos mais rápido.
  Falei enquanto colocava um casaco nos ombros da moça.
  Arriety: Planadores?! Tipo... voar?
  Spiller: Quase isso. Venha.
   A Arriety me seguiu até uma praça onde os jovens se concentravam. Cada um pegou uma bolsa e saímos em grupo.
   Moça 1: Você é a novata de ontem. Fica perto da gente pra não se perder.
  Arriety: Ok.
  Rapaz 1: Vamos fazer duplas!
   Os jovens fizeram isso e cada par dizia o que pegaria.
  Rapaz 1 e Moça 1: Pegaremos açúcar!
  Rapaz 2 e moça 2: Pegaremos lenços!
  Rapaz 3 e moça 3: Pegaremos sal! E... quem pegará as ervas medicinais?
   Rapaz 1: Esse é o mais difícil de pegar.
  Spiller: Eu pego. Isso... não é tão difícil pra mim.
  Moça 1: Então a Arriety fica com você ou conosco? É meio perigoso ir lá...
   Arriety: Então eu protejo o Spiller.
   Garota mostrou o alfinete/espada dela para os demais com uma expressão séria. Eu acabei ficando vermelho por causa da situação.
   (Além de bonita a Arriety é corajosa e quer me proteger)
   Rapaz 3: Haha. O Spiller gostou da ideia, até está envergonhado.
   Arriety: ÓH!
  Spiller: Vamos logo!
  Segurei na mão da Arriety e a levei para longe dos demais. Tentei não mostrar meu rosto, mas acho que ela já percebeu que eu tenho uma queda por ela.
   Arriety: Onde estão às ervas medicinais?
   Spiller: Passando o jardim do lar de idosos, planando um pouco na direção sul chegamos num hospital dos humanos. Existe uma estufa de plantas para fazer remédios, só precisamos de algumas folhas.
            *Arriety*
    Meu amigo começou a escalar uma árvore e eu fui atrás. Vez ou outra ele me oferecia ajuda para passar de um galho à outro.
    Até que chegamos no topo e ele me explicou como funcionava os planadores.
    Spiller: Segure bem as pontas da pelagem que o vento te leva pelos ares. Passaremos por cima do muro e depois começamos a descer progressivamente.
   Arriety: E-Entendi.
  (Eu já tinha visto o Spiller planar, mas mesmo assim eu tremia de medo de cair daquela altura)
   Spiller: Você pula primeiro e eu irei logo atrás. Não se preocupe, se algo der errado, eu te salvo. Não tenha medo.
   Ele acariciou minha mão sorrindo e eu fiquei mais tranquila. Depois fiquei na ponta do galho e pulei.
   Realmente o vento me carregou, como um passarinho. A vista e a sensação eram incríveis.
   Arriety: UHHHUUU!!!
  Spiller: Hehehe.
    Passamos o muro, eu vi um grande prédio branco, e aterrissamos na grama.
   Depois o Spiller segurou minha mão e me guiou até algumas paredes de vidro.
   Arriety: Aquilo é uma estufa?
  Spiller: É sim.
   Entramos por uma fresta que tinha numa janela. Lá dentro havia tantas plantas diferentes, que eu não sabia nem qual pegar.
   Arriety: Aqui tem animais?
  Spiller: Não. Os funcionários daqui não deixam animais entrarem, nem comerem as plantas. Pega algumas pétalas daquelas flores amarelas ali.
    Fui até um canto perto das paredes, onde várias flores amarelas, mais ou menos do meu tamanho, cresciam. Enquanto isso o rapaz subia num caule alto para pegar as folhas de uma outra planta.
    Eu recolhi umas sete pétalas, enrolando-as e colocando na minha mochila. Quando fui colher mais, ouvi um grito.
   Spiller: ARRIETY, CUIDADO!
  Ele estava preparando seu arco e flecha quando eu olhei para trás de mim e percebi um felino gigante.
   A gata foi na minha direção, mas ao invés de me morder, ela parou, se agachou devagar e ficou me encarando.
  Mia: MIAAAUUU!!!
  Arriety: É VOCÊ MIA?! SPILLER, NÃO ATIRE!
  O rapaz ficou na posição de atirar, em silêncio, não movia um músculo e estava atento à tudo.
   Spiller: (Não posso atirar, a Arriety pediu... MAS E SE O GATO FOR PERIGOSO?!)
   Arriety: Essa é a Mia. É uma gata mansa, somos amigas!
   Fiz carinho no focinho do felino e ela mexeu o rabo um pouco em felicidade. Então o Spiller relaxou, pegou as folhas e foi até onde eu estava.
   Spiller: Como você domesticou uma gata?
   Arriety: Foi o Sho que domesticou ela para não me atacar...ESPERA! Se a Mia está aqui então...
     A gata se virou um pouco e depois se agachou, mostrando sua lateral.
   Spiller: Parece que ela quer que subimos nela.
   Arriety: Ela quer nos levar pra algum lugar. Vamos! 
   Eu disse já subindo nos pelos do felino e o Spiller subiu depois.
   Spiller: Você é uma gatinha muito inteligente, Mia.
   Mia: MIIIAAAUUU!
  É claro que o animal ficou feliz com o elogio do Spiller. Depois ela levantou e correu rapidamente até um quarto específico.
    Felizmente a Mia ia pelos cantos, desviando de todos os funcionários. Estávamos praticamente invisíveis.
  Spiller: Agora sei como ela entrou na estufa, mesmo sendo proibido animais. Gatos burlam o sistema, haha.
   Arriety: Uma cama?
  Chegando no quarto a Mia se agachou e descemos. Olhei para o alto e percebi um humano dormindo.
   (Não é um humano tão grande...talvez um adolescente, um menino... SHO!?)
   Arriety: É o meu amigo!
  Spiller: Você quer vê-lo? Pode ir... eu e a Mia ficamos vigiando a porta.
  Arriety: Obrigada, Spiller.
  Ele acenou para mim em silêncio e depois o coletor e a gata ficaram perto da porta olhando para fora.
   Eu fui subindo os lençóis até o alto. Foi uma escalada complicada e eu usei meu alfinete às vezes para não cair.   
     Quando finalmente pude ver o rosto do Sho, percebi que ele estava com vários equipamentos de respiração e algumas "cordas" conectadas no braço levando sangue.
    Arriety: Oi Sho. Você está bem?
   Toquei a bochecha do garoto e mesmo assim ele não respondeu.
   Arriety: Sho, a sua gatinha que me trouxe até aqui. Sho?
   Lágrimas começaram a se formar nos meus olhos.
  Arriety: Me responde por favor...
   Minha visão embaçou, senti a Mia saltando para a cama e o Spiller me puxou para subir em cima do felino.
    Depois a Mia saltou novamente e correu para longe do quarto antes que dois humanos nos vissem.
   Médico: Aquilo foi um gato?!
  Avó do Sho: Acho que foi a Mia, mas não vi direito. Ela é uma gatinha muito inteligente, até veio visitar o Sho pelo jeito.
             *Spiller*
     Sorte que eu tirei a Arriety de lá antes que os humanos entrassem, mas ela parece abalada.
   Spiller: Gatinha-san, pode nos levar para fora do hospital?
   Mia: Miau!
  O felino correu até passar o jardim do prédio, enquanto minha amiga não parava de chorar.
    Quando a Mia parou e descemos dela, o animal fez um pequeno ronronado para a Arriety.
     (Parece que a gata está tão preocupada com a Arriety quanto eu)
    Fiz carinho na bochecha da felina em agradecimento.
   Spiller: Eu cuidarei da sua amiga. Não se preocupe, Mia. Volte para o seu dono agora.
    Então o animal se foi e eu e a Arriety nos abrigamos debaixo de uma árvore quando a chuva se intensificou.
     Spiller: Arriety, ficará tudo bem...
   Arriety: Não, não ficará! Você viu como o humano estava... ele parecia ruim...    
   Spiller: Ou talvez só estivesse dormindo... se recuperando...
   Arriety: Mas!...
   Eu abracei a garota para acalmá-la.
   Spiller: Amanhã arranjamos alguma desculpa para sair da vila e visitamos seu amigo de novo.
   Arriety: O... Obrigada pelo apoio...
   Ficamos alguns minutos abraçados até eu perceber que a chuva diminuía de intensidade.
    Spiller: Acho que podemos ir agora...Seus pais já devem estar de esperando.
   Arriety: Nós pegamos todas as ervas necessárias?
   Ela me mostrou sua bolsa lotada de pétalas e eu mostrei minha mochila cheia de folhas.
  Spiller: Sim. Pegamos mais do que o suficiente. Hum... espera um minuto.
   Corri para longe dela, o que deixou Arriety confusa. Depois eu peguei uma  grande flor branca e dei para ela.
    Spiller: Usa como guarda-chuva. Eu não gostaria que você ficasse resfriada.
   Arriety: Mas e você? Com o que vai se proteger?
   Spiller: Hum... Só tinha uma flor...
  Arriety: Va-Vamos juntos.
  A coletora segurou no meu braço e ficamos bem próximos debaixo da flor. Por fim caminhamos juntos corados.
   Chegando na vila a senhora Homily foi logo abraçando a Arriety.
   Homily: FILHAAA, EU ESTAVA TÃO PREOCUPADA!
  Arriety: Mãe, você está me sufocando...
   Pod: Por que demoraram? Aconteceu alguma coisa?
   Spiller: A chuva deixou alguns locais alagados, desculpe a demora.
   Chefe da vila: O importante é que vocês chegaram bem. Conseguiram as ervas?
    Arriety: Aqui está!
   Eu e minha amiga abrimos nossas mochilas e os adultos sorriram.
    Homily: Uau! Quanta coisa!
  Pod: Vocês são ótimos coletores! Estou orgulhoso.
  Chefe da vila: Bem... então agora é melhor os dois tomarem um banho e descansarem um pouco. Depois jantaremos.
    Spiller: Sim vovô.
  Arriety: Certo!
    Fizemos o que meu avô disse...chegou a hora do jantar... foi uma noite tranquila.


   
   

   

 


  
  

   
   

   
  


Notas Finais


Antes que alguém pergunte... Tem mais um capítulo, que postarei amanhã.(✿^‿^)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...