1. Spirit Fanfics >
  2. O mundo fora do quarto - Yoonkook >
  3. Primeiro dia de aula

História O mundo fora do quarto - Yoonkook - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Nossa gente, eu até me assustei com o Spirit agora a pouco. Eu não estava conseguindo entrar na minha conta, mas já passou o susto😅
É estranho eu estar postando tão rápido, mas eu me senti culpada por o capítulo anterior ter ficado tão curto, então eu passei a tarde toda preparando este 😁



Boa leitura ❤️❤️❤️❤️

Capítulo 15 - Primeiro dia de aula


Yoongi acordou esparramado na cama sentindo a falta de seu alfa para lhe esquentar, se encolheu nas cobertas buscando o cheiro de seu alfa. 

Jungkook voltou ao quarto vendo seu esposo se remexer na cama farejando os lençóis, acabando por sorrir com a cena. 

O alfa subiu na cama abraçando o seu noivo sobre as cobertas, fazendo o menor arfar surpreso. 

-A-Alfa? - O maior afrouxou o abraço deixando o pequeno tirar apenas a sua cabeça das cobertas. 

O cabelo do ômega estava engraçado de tão bagunçado, fazendo Jungkook rir e morder levemente o bico que se formou nos lábios do menor. 

-Já está na hora de levantar, meu amor. Você não pode se atrasar para seu primeiro dia de aula. 

Os pais do alfa haviam lhe informado que os reis Min’s trouxeram um professor do reino para terminar de dar estudos ao ômega. É claro que Jungkook havia odiado a ideia, mas seus pais lhe explicaram que só assim Yoongi seria entregue completamente ao reino Jeon, e assim seria, de certa forma, livre. Pensava em adiar aquilo por mais um tempo, mas já havia enrolado o professor por semanas. 

-O que mais eu tenho para aprender com ele? Eu passei quase toda a minha vida estudando... - Falava inconformado enquanto se sentava na cama. 

-Só será por pouco tempo... 

-Tudo bem... - Saiu de vez das cobertas e correu para o banheiro. Precisava tomar banho. 

…........

O casal caminhou pelo corredor de mãos dadas até chegarem a sala onde estava o professor do reino Min. Os dois entraram na sala encontrando um homem vestindo uma batina preta, ao lado uma mesa repleta de livros. 

O professor fez uma reverência ao ver as altezas se mantendo sério, causando um certo incômodo no pequeno Jeon. Aquele clima lhe lembrava o reino Min e não era nada agradável. 

-Meu nome é Min Jaebum, a partir de hoje irei servir a, vossa alteza, Jeon Yoongi, auxiliarei em seus estudos. - Abaixou a cabeça enquanto falava. 

-Deixarei meu esposo aos seus cuidados. - Jungkook falou minimamente com o empregado, se virando e segurando o rosto do baixinho com as duas mãos. - A gente se vê mais tarde. - O menor assentiu e os dois trocaram um selinho. 

O alfa acariciou a bochecha gordinha do menor com seu polegar, sorrindo antes de se retirar. 

O ômega ficou sozinho com o professor, se sentindo julgado pelo olhar do mais velho, este que apenas o encarava. 

Jaebum não lhe encarava com malícia, apenas estava observando as reações do menor para criar o seu perfil. 

-E-Eu me chamo Jeon Yoongi... - Sua fala transbordava pavor. 

-Eu sei o seu nome, ômega. - O outro se encolheu ao ouvir a voz ríspida do outro. - Primeiramente, deixe explicar o que irei te ensinar. 

O professor sentou-se em uma cadeira atrás da mesa cheia de livros, enquanto o ex-Min ficouacuado em pé. 

Jaebum era exatamente como qualquer empregado do reino Min, usava roupas de cor cinza e preta, seu cabelo era preto e devidamente alinhado, sua postura era reta e não havia aroma desprendendo dele. A única coisa que diferenciava era que falava consigo, e não parecia nada amigável, por sinal.

-Ensinarei sobre o nosso segundo sexo: alfa, beta e ômega e tudo que envolve essas diferenças. Também terei de verificar que você é um bom ômega na visão dos Min’s, se não terei de te reeducar. Está me ouvindo? 

-Sim. - Abaixou a cabeça para responder, se sentia inferior ao outro. 

-Sente-se. - Indicou a cadeira a sua frente e o menor fez o que lhe foi mandado. 

-E-Eu posso perguntar algo? - O professor apenas o olha, fazendo o pequeno ômega se encolheu na cadeira intimidado. - Qua-Qual é o seu se-segundo sexo? - Gaguejava por medo. 

-Eu sou um alfa. - Respondeu indiferente, porém, logo aproximou seu corpo a mesa encarando ameaçadoramente o pequeno. - Está na hora da sua primeira lição. “Não gagueje”, isso transmite vulnerabilidade. Você é um príncipe, precisa mostrar que é confiável para seu povo. Segunda lição: “Não seja tão fraco”, mesmo sendo um ômega, sua fraqueza afeta o alfa que lhe marcou. 

O Min se sentia cada vez mais coagido, porém ele estava falando que seu alfa iria sair prejudicado por suas ações e isso era o que menos queria.

-Me-Me desculpe. – Sem querer, o menor acabou gaguejado.

De repente o alfa bateu com uma régua na mesa, fazendo o ômega se encolher mais no assento.

-O que eu disse sobre gaguejar!? – Sua voz parecia irritada. – Pelo jeito eu terei muito trabalho com você. Não pense que eu irei pegar leve só por você ser um príncipe. Antes de você ser um príncipe, você ainda é um ômega, e eu irei ensinar da mesma forma que ensinamos um ômega qualquer. Está claro?

-Sim, senhor. – Olhava para baixo enquanto falava. 

-Ainda acoplado na segunda lição; “sempre que falar com alguém de classe hierárquica menor que você, não abaixe seu rosto”, você um príncipe, no mínimo, olhe para mim enquanto me responde.

Yoongi levantou seu olhar, encarando o olhar irritado do alfa, este que acabou bufando, batendo com a régua na mesa, fazendo o ômega pular no lugar.

-Eu disse para não abaixar o rosto, não para olhar nos meus olhos! Você faz tudo o contrário! – Gritou com o mais novo. – Você não deve manter a cabeça abaixada, mas não deve olhar nos olhos de alguém que seja superior no segundo sexo!

Algumas lágrimas brotaram nos olhos do ômega, porém, não as deixou escorrer, apenas fungou, temendo ser repreendido de novo. Desejava que seu alfa aparecesse para lhe tirar de lá.

-O que está esperando!? Levante seu rosto! – Bateu novamente com a régua na mesa.

Yoongi levantou lentamente o rosto, enquanto olhava para o chão e deixava uma lágrima solitária escorrer pelo rosto.

-Muito bem. Finalmente estamos tendo progresso. Mas, agora, enxuga as lágrimas, eu já disse que não deve ser fraco. 

O menor enxuga os olhos com o braço rapidamente, depois arruma a sua postura e espera com que o alfa lhe desse outra instrução.

-Então, vamos continuar. – Pegou um dos livros. – Vamos estudar sobre o segundo sexo, primeiro. – Entregou o livro para o menor. – Tudo que nós temos sobre a origem do segundo sexo está nas lendas. Os lobos não conseguiam controlar com quem iria ter um laço, então, evitando a extinção, houveram mudanças genéticas ao decorrer do tempo. Dessa forma, poderíamos continuar a procriar sem se preocupar com o primeiro sexo.

O menor parecia inquieto, estava com uma dúvida entalada na garganta, mas estava com medo de dizer algo.

-Pode perguntar. – Transparecia calmaria.

-Mas, e a lenda? – Perguntou ainda receoso.

O maior deu a volta na mesa, sentando sobre a beirada dela, enquanto encarava o ômega.

-Dois lobos com o primeiro sexo semelhante se apaixonaram, mas tiveram de ser separados para poderem procriar. No entanto, eles ficaram atados, e nunca conseguiram ter a sua cria. Então, como em todas as lendas, eles pedem as divindades para que pudessem ficar juntos novamente, e, ao ver o sofrimento de ambos e que vários outros lobos estavam com o mesmo problema, elas atendem o pedido, só que aos poucos. Surgindo aos poucos o segundo sexo.

O maior se abaixa um pouco na direção do ômega, virando a página do livro, revelando uma pintura em homenagem àquela lenda.

-Agora, deixe-me explicar o segundo sexo. – O alfa voltou a cadeira. – Começando com alfas; eles são mais evoluídos que as outras classes. – O menor torceu o nariz ao ouvir aquilo. Não fazia sentido para si. – Eles têm mais força, dominância está em seu sangue, muitas vezes ocupam o lugar de líderes, independentemente do problema eles enfrentarão de cabeça erguida, e também tem a voz de alfa. – Fez uma pequena pausa enquanto percebia a feição curiosa do menor. – A voz de alfa, como é bem explicito, é uma voz que só o alfa tem. Esse timbre é normalmente usado para impor dominância sobre as outras classes, mas os ômegas são mais afetados, muitas vezes ficando submissos.

Era a primeira vez que Yoongi ouvia falar sobre aquilo, sequer sabia que existia uma voz especial.

-Betas são aqueles que não tem tanta dominância, e são ótimos para intermediar entre alfas e ômegas, principalmente em época de cio, o qual eu irei explicar melhor na próxima aula. Mas, enfim, os betas não são tão afetados pelos cios de alfas e ômegas, então eles são os melhores para afastar ambos, e isso é uma das grandes vantagens do beta, já que seus lobos não perdem o controle facilmente. Outra grande vantagem está relacionada ao cio. 

O alfa pegou um copo de agua, cujo só agora Yoongi percebera estar ali, bebendo o liquido, sinalizando para que o outro pudesse perguntar ou comentar algo.

-E onde os ômegas se encaixam?

-Bom, os ômegas são o sexo mais frágil. Eles são extremamente fracos, submissos e, por isso, sempre que nasce um ômega no reino Min, eles já são prometidos para algum alfa ou beta. Eles precisam de proteção.

-Mas o Jin não precisa de proteção. – O menor comentou, interrompendo o alfa. Ao perceber seu erro, arregalou os olhos e abaixou a cabeça, enquanto o professor lhe encarava sem muita paciência.

-Talvez eu tenha me esquecido da terceira lição de hoje. – Sua fala carregava ódio. – Terceira lição; “nunca desrespeite alguém de classe superior a sua!” Se coloque no lugar, ômega! – Yoongi apenas concordou com a cabeça. O alfa pensou um pouco na afirmação do menor, se dando conta de quem o outro falara, deixando um sorriso discreto adornar seus lábios. – E, “Jin”, não é um ômega do reino Min, ele não é devidamente educado. Ele é apenas um ômega afrontoso do reino Jeon, mas, você deve ser educado da forma que sua família desejar. Iremos terminar a aula por hoje.

O Jeon fez menção de se retirar, porém sentiu o olhar reprovador do maior sobre si, então voltou a se sentar.

-Então, para amanhã, eu quero que leia até a página 158 do livro em suas mãos. – O ômega encarou o livro com certo desânimo. – Te vejo amanhã no mesmo horário, agora, pode se retirar.

O menor saiu o mais rápido possível da sala, fazendo o professor pensar em quanto deveria ainda ensinar bons modos para o ômega.

 

............

 

Por mais que estivesse cheio de problemas, Jin não conseguia deixar de se preocupar com a sua cria quando não a viu em nenhuma das duas refeições servidas.

Sua mente estava tão cheia que sequer conseguia se concentrar no que fazia, sentindo uma forte pancada na costela, fazendo cair no chão.

-Seokjin! Se não está com cabeça para o treino, saia do campo! – A professora grita furiosa.

O ômega se levanta bufando e deixa o campo, sem olhar para trás. Ele tinha problemas para resolver, não tinha tempo para ficar perdendo com o treino com a espada.

Ele precisava lidar a mãe de seu namorado, precisava fazer relatórios sobre o reino Min, precisava ainda fazer seus trabalhos comuns de empregado e agora precisava ver o que havia acontecido com Yoongi. Parecia que tudo estava caindo em suas costas em um curto período de tempo.

Antes de passar no quarto do príncipe, precisava passar na enfermaria, já que o golpe lhe pegara em cheio.

-Hoseok, você pode me atender agora? – O maior adentra a enfermaria, encontrando Hoseok conversando com uma das funcionárias do castelo, porém, havia um clima estranho entre eles.

-Claro, Jin. – Arruma a sua mesa, fingindo que nada acontecera antes. – Por favor, nos dê licença Sooyeon.

A beta sai da sala bufando, enquanto Seokjin a encarava. O que havia acontecido?

-Eu atrapalhei algo? – Perguntou encabulado.

-Não atrapalhou nada. Ela só estava me pedindo remédios. – Respondeu rispidamente, se virou para o amigo. – O que você sente? – Se aproximou com o estetoscópio.

-Eu levei uma espadada, mas não me cortou. – Levantou um pouco da sua camisa, deixando o médico ver a lesão.

-Está bem roxo... – Hoseok tateou levemente o local, ouvindo um alto gemido de dor do colega. – Isso está bem feio, mas eu tenho uma boa notícia. Nós recebemos aparelhos novos dos outros reinos, podemos ver melhor como está essa lesão.

Jin abaixou a camisa e olhou sem muita animação para a fala do amigo.

-Eu preciso que você tire as roupas e coloque esse avental, depois deite naquela maquina ali. – Apontou para um aparelho que estava no canto da sala.

Seokjin retirou as roupas e pegou o avental dado pelo outro, porém, antes de se vestir, Hoseok lhe empediu.

-Ao menos seque seu suor! O seu cheiro está empesteando a enfermaria! – O médico passou um pano nas costas do colega, dando-lhe outro para que secasse sozinho.

O maior fez o que lhe foi dito e finalmente vestiu-se e deitou na máquina. Hoseok ligou aquele aparelho e depois de uns vinte minutos, o exame já estava pronto.

O ômega menor sentou-se na cadeira e viu os exames, enquanto Jin voltou a colocar as próprias roupas.

-Não fora tão grave quanto parecia. Tudo está inteirinho, só é um hematoma enorme. – Virou-se pegando alguns potes na estante, e entregando ao amigo. – Tome duas vezes ao dia. Vai diminuir a dor.

Seokjin pegou o que lhe foi entregue e agradeceu, indo agora para o quarto de sua cria. Precisava resolver os problemas um por um.

 

..........

Bateu na porta de Yoongi, mas não houve resposta. Se o ômega menor não estivesse no quarto, até iria embora, mas sentia o aroma do outro através da porta.

-Yoon? Está tudo bem? Você não tomou café nem almoçou.... Quer que eu traga algo para comer? – Não recebeu resposta, então girou a maçaneta, porém, a porta estava trancada. – Yoon!?

-Está tudo bem! Só me deixe sozinho! – O menor gritou de dentro do quarto.

Yoongi nunca havia agido dessa forma e isso assustou ao mais velho, no entanto, aquilo devia ser os hormônios do pequeno, que finalmente sentia a transição da adolescência.

-Eu vou, mas, se precisar de algo é só pedir. – Soltou a maçaneta e encostou a testa na porta, sentindo um pequeno afastamento que estava surgndo entre os dois.

Novamente não obteve resposta, mas sabia que o outro ouvira, então, mesmo com um peso no coração, se afastou da porta e deu a paz que o menor tanto queria.

Yoongi, ao sentir que o aroma do outro ômega ficou mais fraco, voltou a ler o livro dado por seu professor. O pequeno Jeon estava cansado de tanto ler, principalmente por conter palavras difíceis e antigas, muitas tinham de procurar no dicionário.

Não aguentava mais ler aquele livro chato, sentia até sua cabeça rodar. Ficou tanto tempo lendo que nem viu o dia passar, só se deu conta da passagem do tempo quando ouviu novamente alguém bater na porta.

-Yoon, vem jantar. – Era o seu alfa do outro lado.

O ômega saiu da cama e destrancou a porta, abrindo-a em seguida, encontrando seu alfa escorado no batente.

-Eu não estou com fome...

-Pequeno, você precisa comer alguma coisa. Assim você vai começar a passar mal, e eu sei que você está cansado, eu estou sentindo pela nossa marca.– Acariciou delicadamente a bochecha do menor com o polegar.

-Mas alfa... – Manhou baixinho, enquanto sentia a carícia.

-Quer comer no quarto hoje? – Abraçou ao mais novo, sentindo-o aconchegar o rosto em seu peitoral.

Yoongi assentiu minimamente, sentindo o alfa desfazer aos poucos o abraço.

-Eu vou ir buscar a nossa janta. Já volto. – Depositou um singelo selar na testa do menor, e foi buscar a comida.

O ômega suspirou feliz, escorando na porta, por ele, fechada. Estava cada vez mais apaixonado pelo seu marido.

Por mais que quisesse passar o resto de seu dia pensando em como seu alfa era a melhor pessoa do mundo, ainda tinha de terminar de ler aquele livro. 

Voltou para a cama arrastando os pés e voltou a ler. Pelo menos só faltava a última página para a tortura ter fim.

Quando terminou de ler, ouviu a porta ser aberta e seu alfa entrar com uma bandeja cheia de comida.

Havia legumes, carne, arroz e, o mais importante, a maçã. O pequeno aproximou-se rapidamente da bandeja e começou a devorar a comida. Terminar o livro deu abriu o apetite do ômega.

-Nossa, e você me disse que não estava com fome.... Cuidado para não engasgar. – O maior riu ao ver a boca do menor suja.

Jungkook se aproximou de Yoongi e, suavemente, passou seu polegar nos lábios alheios, limpando o local. 

O ômega corou com aquilo, ele não era mais uma criança para ficar sujando seu rosto daquela forma.

-Você é tão lindo, Yoon. – Sua voz saiu mais rouca do que esperava, causando um certo arrepio no menor.

-A-Alfa... – Gemeu instintivamente, sentindo o maior beijar seu pescoço.

Yoongi deixou a bandeja de lado e subiu no colo de seu marido, sentindo-o agarrar de forma possessiva suas coxas.

O maior subiu os lábios, capturando os lábios vermelhos e macios do ômega, este que apertou os ombros alheios, ansiando por mais.

Quando o ar se fez necessário, as duas bocas tiveram de se separar. Jungkook queria ir mais além do que simples beijos, simples boquete (o qual só ele fez), ele queria dar mais prazer ao seu pequeno, mas ainda não achava que o menor estava pronto, então teria paciência para espera-lo.

Yoongi arfou ao sentir o maior chupar bem em cima da marca, gemendo de dor e de prazer ao sentir as presas alheias cravarem novamente naquele local sensível.

Ao retirar as presas, o alfa lambeu o local, limpando o pouco de sangue que insistia em sair, enquanto a respiração do menor estava descompassada.

-Está doendo, meu amor? – Jungkook alisou a marca, que estava mais vermelha do que antes.

O menor negou, escondendo seu rosto na curvatura do pescoço do alfa, esfregando seu nariz no local para sentir mais aquele aroma gostoso que desprendia da pele alheia.

-Eu estou bem, alfa. 

O mais velho acariciou as costas do esposo e lhe afastou para encarar suas órbes escuras. 

-Gostou da aula hoje?

-Não. – O ômega responde emburrado. Pelo menos não estava mentindo. – Eu não gostei do professor. Não dá para ser outro? – Ainda tinha um pouco de esperança, mas seu alfa negou silenciosamente. 

-Me desculpe, meu amor, mas eu não posso fazer nada. São ordens do reino Min.

-Mas, eu não sou mais um Min! Eu sou um Jeon! – Respondeu indignado. Como pode ainda ser controlado pela sua antiga família se já o abandonaram!?

-Mas, existia um acordo entre os reinos para com o nosso casamento, e o reino Min não havia cumprido tudo. Faltou terminar de dar estudos para você.... Eles que enviaram o professor... – O maior falava com pesar. – Mas, eu prometo que não irá durar isso por muito tempo. – Segurou as mãos do ômega, transmitindo confiança.

Ainda meio tristonho, Yoongi sorriu para o alfa e assentiu.

-Eu vou aguentar isso. Eu sou um ômega forte. – Falou animadamente.

Jungkook sorriu de volta para o esposo, dando lhe um beijo na testa, puxando-o novamente para um abraço.

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...