História O mundo maluco de Kléber - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Novela, Romance
Visualizações 12
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura!
Espero que gostem!
Não esqueça de adicionar as favoritas
E comentar o que achou

Capítulo 2 - Acidentes e muitas vergonhas


*5 meses depois*

Já tenho 5 meses estudando na escolinha "novo mundo", na mesma rotina:acordo, vou para o colégio e depois vou para o colégio me encontar com a camis, a mãe dela( ester) a colocou em um colégio evangélico, eu fiquei triste no início por saber que minha melhor amiga não estaria comigo, mas por outro lado foi bom , senão eu não teria conhecido o Davi e o Luca.

Davi: 4 anos , comedor de giz de cera

Luca: 5 anos mais conhecido como "dedo de meleca "( vocês já devem o imaginar o porquê desse nome)

Minha mãe me levava para o colégio  todos os dias de  bicicleta, eu sempre ía sentado na parte de trás da bicicleta( garupa).um belo e ensolarado dia, eu genial como sempre pensei: o que aconteceria se eu colocasse eu lindo pezinho na roda da bicicleta?

Foi o que eu fiz para matar minha bendita curiosidade, Coloquei um dos meus pés na roda traseira da bicicleta, mas não foi em um momento qualquer, foi quando estávamos descendo uma ladeira, a bicicleta estava  descendo muito rápido, por que ela não tinha freio e como esperado, deu muito ruim! Meu tênis foi inteiramente triturado e meu pé estava todo rasgado e ensanguentado, tive que voltar pra casa para pegar meus documentos e ir correndo para o hospital, minha mãe atrapalhada como sempre perdeu todos os documentos dela. Chegando no hospital minha deu os documentos necessários e fomos para a sala, eu a criança comportada não estava chorando, estava apenas colocando o mar vermelho pra fora pelos meus olhos, meus pés estavam com alguns panos de prato para estancar o sangue, porque quando fomos em casa pegar meus documentos minha plenissima avó estava enxugando a louça, ai você já sabe...enfim, quando minha mãe foi tirar o pano que estava ali, para que o médico pudesse aplicar a anestesia... Adivinha... Ela desmaiou ao ver o sangue, por isso que ela era casada com meu pai, dois "frescos", ai que me bateu o desespero, eu teria que ficar ali sozinho porque a bendita havia desmaiado, eu " dei a louca" e  saí correndo pelo hospital ( ou tentando) as enfermeiras saíram correndo atrás de mim, e quando finalmente conseguiram me pegar e colocar na maca tá pensando que eu fiquei quieto? Comecei a Me debater tentado fugir nomavente, mas pra resumir, foram duas enfermeiras para segurar meus braços, três para as penas e uma para segurar minha cabeça, fora o especialista que iria COSTURAR meu pé, enfim , levei 14 pontos no pé e a melhor parte foi que no final eu ganhei um pirulito por " bom comportamento" , esse povo só pode estar louco! fFiquei com o pé todo enfaixado por duas semanas, por causa de uma curiosidade besta...

*2 anos depois*

O Davi e o Luca moram no prédio ao lado do meu então todos os dias quando chegamos do colégio nós descemos pra brincar, eles sempre bricam de bicicleta, mas eu não sei andar e fico correndo atrás deles, todo dia a mesma rotina.Minha mãe teve a brilhante idéia de me ensinar a pedalar, compramos a bicicleta e fomos para a rua, estava indo tudo bem , até que eu caio da bicicleta e Bato a cabeça na quina do passeio, advinha... Voltamos para aquele mesmo hospital, algumas enfermeiras lembraram de mim e meio que fugiram , mas esse dia não foi tão horrivel como o outro, mas levei três pontos na cabeça.

*3 meses depois*

 Meu pai ligou para minha mãe e disse que iria me levar à um programa de TV infantil para eu mostrar "meus talentos",minha mãe demorou mas concordou e eu todo felizão porque iria aparecer na TV e tals, mais aí você me pergunta " kleber o que você vai apresentar?", eu não sei! Meio que eu sou uma criança sem talento, apenas...uma criança, meu pai me mandou um CD com a música " velha infância", ensaiei tanto, mas tanto, que depois de me "apresentar" ( mais pra frente você entenderá as aspas) eu não suportava nem o toque da música de tão enjoativa.

Chegou o grande dia, fomos até o estúdio e antes de me apresentar eu tinha que ensaiar, foi o que eu fiz, ensaiei tudo bonitinho, porque o programa seria "ao vivo", no caso a probabilidade de dar ruim é maior, enfim  chegou  a  vez de eu me apresentar.

Eu cantando:

V-você é assimU

m s-sonho pra..

q-quando eu não te vejo
Eu pen.. em você
D-desde o amanhecer
Até quando eu me de...

Não conseguia cantar, 200 pessoas me olhando e muitas câmeras, comecei a chorar e chamar pelo nome da minha mãe, que obviamente não estava ali, meu pai coitado só faltou cavar um buraco em entrar de tanta vergonha, pararam a música e o apresentador do programa veio falar comigo e com meu pai , que por sinal já estava no palco tentando fazer com que eu classe a boca.

-sabe que a criança não quer vir ao programa e força só pra aparecer...- o apresentador diz

Meu pai saiu do palco vermelho igual a um tomate de tanta vergonha, eles seguiram o programa e eu não me apresentei, fiquei assistindo as outras crianças e depois fui embora. 

*chegando em casa*

- parabéns pelo fiasco , heim Cláudiooo - ela diz gritando e batendo palmas, digamos que ela está fazendo um escândalo proposital

- você não cansa mesmo,né Cristina?- ele diz

- haaam vici nin cansa minnsmo blá blá blá- ele diz fazendo caretas e revirando os olhos

Realmente, parecem duas crianças brigando... 

-parem com essa baixaria aí! - vovó diz tirando o cigarro da boca e soltando a fumaça

-ta vendo a culpa é sua- meu pai sussurra 

-volta pra tua noiva e toma vergonha na cara pra casar com ela bobão!- ela diz , pisa no pé dele e da as costas indo embora

-obrigado pela dica... -Ele diz se contorcendo de dor

-vamo entrar filho! - ela diz me puxando pra dentro da casa , e dar nele um tapa bem forte lá...( aquele lugar, países baixos)

-tchau! - ele diz se jogando no chão e se contorcendo de dor

E esse foi o dia que descobri que não tenho talento pra música!



Contínua...



Notas Finais


Gostaram? Comente o que achou e adicione as favoritas!
Espero alegrar um pouco mais seu dia com essa histórias malucas da infância do Kléber☺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...