1. Spirit Fanfics >
  2. O muro que nos separa >
  3. Cap 06 - O teatro (A)

História O muro que nos separa - Capítulo 13


Escrita por: btzssousa

Capítulo 13 - Cap 06 - O teatro (A)


Fanfic / Fanfiction O muro que nos separa - Capítulo 13 - Cap 06 - O teatro (A)

Yeah, I, I know it's hard to remember
The people we used to be
It's even harder to picture
That you're not here next to me

You say it's too late to make it
But is it too late to try?

Boyce Avenue - Payphone cover


No vestiário:

Ao ouvir o sinal acabei deixando de lado a minha pergunta, na verdade, acredito que isso foi o destino me ajudando. Eu tinha pensado numa forma de perguntar quem era seu amor misterioso, mas
obviamente a azulada ia achar aquilo estranho.

— Mas? - ela perguntou.
— Você poderia ir comigo pegar a minha mochila? É que bateu o sinal e já devem estar todos no pátio... - falei a primeira coisa que veio na minha cabeça.

— Ah... - ela tinha uma expressão meio triste. - C-claro.


Saímos do vestiário e andamos lado a lado; novamente pensei em perguntar e acabar com esse mistério, mas alguma coisa dentro de mim parecia querer me alertar que talvez, eu não fosse gostar da resposta. Então, acabamos ficando em silêncio nesse curto tempo.


Na sala:


Ao entrar, vimos a Chloé de costas pra porta - ela falava com alguém no telefone.


— Pai, eu não quero saber se você está ocupado. - sua voz era rígida, como se estivesse tentando se manter firme no que acabará de dizer.


Ela ficou em silêncio por uns segundos.


— Droga! - gritou. - Eu estou cansada desse colégio inútil, cansada das pessoas, dos professores, desses heróis medíocres, dessa cidade horrível e de você! - a loira jogou o telefone na mesa e murmurou alguma coisa.


Eu e a Marinette trocamos olhares - provavelmente a Chloé não gostaria que tivéssemos escutado essa conversa.


A loira virou pra trás.


— O que vocês querem? - sua voz era trêmula.
— Viemos buscar a mochila do Adrien... - a azulada falou.


Notei que a expressão da Chloé não era nada feliz, ela parecia estar com muita raiva e ao mesmo tempo muito magoada. Fiquei preocupado, a última coisa que eu queria era ver ela akumatizada novamente.


Desde o dia que a Ladybug virou a guardiã, a vida dela mudou drasticamente. A loira se fechou mais e as pessoas passaram a ser duras com ela, além dos ataques virtuais que a filha do prefeito andava sofrendo. Os fãs dos heróis de Paris botaram a culpa toda nela pela exposição dos portadores de miraculous.


— Você está bem? - perguntei preocupado.
— O que você acha? - a loira respondeu irônica.
— Que você precisa de um amigo pra desabafar. - andei até ela.


A Chloé mudou sua expressão, ela parecia querer muito conversar comigo, mas apenas negou com a cabeça.


— Vou ver aonde a Sabrina está. - ela pegou as suas coisas e saiu da sala dando um esbarrão na Marinette.


Senti uma tristeza ao ver ela saindo daquele jeito, mesmo depois de tudo meu carinho pela loira não havia mudado.


— E-está tudo b-bem? - a azulada disse tocando meu ombro.


Vi que ela tinha sentado em cima da mesa e me sentei ao seu lado.


— É triste vê-la assim, Marinette. - falei abaixando a cabeça. - essa história da Ladybug mexeu muito com a cabeça dela.
— Imagino... - a azulada suspirou. - é triste o que estão fazendo com ela.


Olhei pra Marinette.


— Sabe, nesse tempo que eu vim estudar aqui, reparei bastante na amizade dela com a Sabrina - falei. - É bom saber que mesmo com tudo, ela não está só.
— Verdade... - acabei me lembrando da nossa amizade, era bom saber que eu podia contar com a azulada.
— Isso me faz pensar a sorte que eu tenho de ter você como amiga, sabia? - nossos olhares se encontraram.

Senti meu coração bater mais forte e do nada uma onda de sensações invadiu meu corpo. Que coisa mais estranha, era sempre assim quando eu estava com a Marinette.

De repente a azulada pegou seu celular. A expressão dela me fez ficar curioso.


— Aconteceu alguma coisa? - perguntei.
— V-você sabia disso? - ela me mostrou a mensagem de sua amiga.


"Amiga, já que você matou aula hoje, vou te atualizar umas coisas: o diretor apareceu lá na sala no segundo tempo, ele parecia preocupado com a volta dos akumas e teve uma ideia brilhante... - ideia brilhante? Fiquei meio preocupado, o diretor era uma pessoa muito excêntrica quando tratava de suas idéias. - "O diretor quer fazer um grande evento escolar com o tema anti-akuma; ele pensou em ter uma grande apresentação no meio desse evento e nele teria tipo um teatrinho... - Que não seja pra interpretar a Ladybug e o Chatnoir, por favor. - "Resumindo: a peça vai ser sobre a Ladybug e o Chatnoir; como provavelmente eles tem a nossa idade, o diretor vai sortear na nossa sala quem vai interpretar eles". - Ah não.


Isso não poderia estar acontecendo... Eu não deveria ter dado ouvidos ao Plagg e saído da sala. Já basta o dia que eu quase tive a minha identidade exposta por causa do vídeo clipe da Nightingale, agora isso? 


— Hã... Não... - respondi a pergunta da azulada. - será que ele vai sortear hoje? - perguntei tentando parecer tranquilo.
— N-não sei, vou ver se encontro a Alya e pergunto isso pra ela. - ela se levantou da mesa.
— Eu vou com você.


Na cantina:


Como ainda estava no intervalo, tivemos a ideia de procurar a morena na cantina. Entramos e vimos ela conversando com nossos amigos (Nino, Alix, Rose, Juleika e Max), eles estavam sentados numa mesa perto da porta. Fomos até eles.


— Oi gente. - eu e azulada falamos juntos.


A morena se levantou ao ver a Marinette.


— Hoje você se superou no atraso, amiga. - elas se abraçaram.


Eu olhei pro Nino e ele piscou pra mim ao me ver perto da Marinette.


"Ta né" - pensei.


— Desculpa, perdi a hora hoje. - a azulada deu uma risada. - hã... Alya, que história é essa sobre sorteio?


Antes de responder, a morena ficou olhando pra mim e pra Marinette, ela parecia pensar alguma coisa, mas acabou deixando seus pensamentos de lado.


— É praticamente isso. - disse ela após repetir tudo o que escreveu na mensagem de texto. - a única coisa que eu esqueci de mencionar, é que o sorteio vai ser daqui a pouco na biblioteca.
— Eu estou tão animada! - falou a Rose. - quem vocês acham que vão interpretar a Ladybug e o Chatnoir?
— Se fosse uma escolha do diretor, eu acredito que seja a Marinette e o Adrien. - tomei um susto ao ouvir meu nome ser pronunciado pelo Max. - eles até que são parecidos com os heróis, mas como é sorteio...


Todos que estavam na mesa olharam novamente pra mim e pra azulada, isso estava indo de mal a pior. Eu tinha pensar numa estratégia caso fosse sorteado.


— De novo isso gente? - a voz da Marinette era calma. - lembra de quando eu tentei interpretar a Ladybug no clipe da Nightingale? Foi um fiasco e a semelhança entre nós duas não é tanta assim. - ela riu.
— Pois é... - concordei com ela. - não acho nenhum de nós dois parecidos com a Ladybug e o Chatnoir verdadeiro.


O sinal tocou.


— Bom, acho que vamos descobrir quem vai interpretar agora. - o Nino falou.


Na biblioteca:


Me sentei ao lado do meu melhor amigo, ele tentava conversar comigo, mas os meus pensamentos estavam em outro lugar.

Não posso ser sorteado, a Ladybug iria me matar caso eu acabasse revelando a minha identidade.

Olhei discretamente pra minha bolsa e vi o Plagg, ele parecia tranquilo.


— Relaxa garoto, você não vai ser sorteado. - ele disse sussurrando. - eu acho.


O diretor foi pra frente da classe.


— Turma, não se esqueçam que irei fazer essa apresentação como uma forma de alertar vocês sobre os perigos do akuma. - ele falou. - esse teatro também está incluso nisso. Vou fazer o sorteio e logo depois irei passar as datas pra vocês.


Eu tentava não pensar na possibilidade de ser sorteado.


— Bom, botei o nome de todos da turma nesse cubo e irei começar a falar os nomes. - o diretor balançava o objeto. - vamos ver quem vai ser a Ladybug ou o Chatnoir...


Ele pegou dois papéis e leu os nomes atentamente.


— Nosso Chatnoir é o... Adrien Agreste. - gelei. O diretor olhava pra mim. - venha até aqui, rapaz.


Andei lentamente até parar ao seu lado. Comecei a pensar rapidamente em várias desculpas diferente pra não fazer esse papel.


— E a nossa Ladybug é... - olhei em direção a azulada, por algum motivo ela parecia tão aflita quanto eu. - Marinette Dupain-Cheng

Quase todos da turma bateram palmas, notei uma certa angústia em seus olhos, mas ela simplesmente sorriu e veio ficar ao meu lado.


— Agora, vou sortear um vilão. - ele pegou outro papel. - Lila Rossi.


"Ah não..." - pensei.


Depois de explicar tudo direitinho pra nós três, falou sobre a data, sobre os ensaios e nos entregou um papel com as falas.


Enquanto as pessoas começaram a sair da biblioteca, olhei novamente pra minha bolsa, eu precisava falar com o Plagg.


— Em casa. - o Kwamii sussurrou.

Balancei a cabeça.

Pensei em ir falar com o diretor, mas sei que isso só levantaria suspeitas. Eu teria que enfrentar isso, talvez a Ladybug me ajude a pensar em alguma coisa.

No pátio:


Sai da biblioteca meio avoado, precisava ir pra casa urgente, mas quando fui em direção a porta reparei que a morena e a azulada estavam conversando.


Ao chegar perto delas acabei ouvindo uma parte da conversa.


— Vai me dizer que você prefere o Luka como Chatnoir do que o Adrien? - falou a Alya. Ela bateu com a mão na própria testa ao me ver.


Fiquei meio chateado com a pergunta, será que a Marinette preferia o Luka no meu lugar?


— Vim perguntar se você queria ensaiar em algum lugar mais tarde? - falei a primeira coisa que veio na minha cabeça.
— C-claro. - a azulada parecia sem graça.
— Depois a gente combina então, hoje não dá por causa da esgrima, mas que tal amanhã?
— P-perfeito. - ela disse encarando meus olhos.


Senti um arrepio, mas dei de ombros.
Me despedi das meninas e fui em direção a porta.


O Gorila já estava me esperando com o carro, então entrei e fui pra casa.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...