História O namorado da minha mãe. - Kim Taehyung. - BTS - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bts, Fanfic, Hentai, Incesto, Kim Taehyung, Romance
Visualizações 226
Palavras 844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus amores 💕

Capítulo 9 - Você é.


— Você também é. — Sussurrei em seu ouvido, ele sorriu e roçando seu nariz em meu pescoço voltou a me beijar. 

Seokjin me beijava com tanta vontade que várias vezes nos separamos por falta de ar, ele deslizava suas mãos grandes e macias por minha nuca, indo em direção ao meu colo, onde  depositava beijinhos quentes e gostosos.

Ficamos nos pegando por um bom tempo e consequentemente estávamos pegando fogo, mas uma coisa né deixava meio chateada e triste, Seokjin parecia se conter  sempre para não avançar o sinal comigo. Eu já estava começando a pensar que, ele não queria ir tão longe comigo, ou eu não era tão atraente assim pra ele.

— Jin... — O afastei vagarosamente e ele me puxou pra outro beijo, mas eu o afastei novamente.

— Hum? — Me roubou outro beijo e eu me levantei da cama, o deixando confuso.

— Jin... Eu não sou...?

— Não é o que?

— Nada não... — Mordi os lábios e ajeitei meu vestido.

— Fala minha princesa. — Levantou-se e me puxou para si, mordeu meus lábios e sussurrou em meu ouvido. — Fala pro oppa o que você está sentindo, fala. — Apertou minha cintura e eu senti meu corpo arrepiar.

— Oppa... — O olhei tímida. — Sei que éramos amigos e ainda somos, mas agora é diferente...

— Sim... Agora é diferente, nós somos um casal de namorados. — acariciou minha cintura. — Agora eu posso te beijar e te amar como uma mulher, coisa que evitei por muito tempo.

— Então... Você me deseja? — Senti minhas  bochechas arderem. 

— Claro! Desejo é muito... Mas...

— Mas o que?

— Não quero estragar nossa relação, indo rápido demais com as coisas, não quero te assustar. — suspirou.

— Mas, oppa... Você não me assusta! — meu coração batia forte e eu estava nervosa.

— Vem aqui, vamos namorar mais um pouquinho. — Me puxou para si, iniciando um beijo gostoso e intenso.

Seokjin me mordia e eu sempre que podia o mordia os lábios, tão forte que cheguei a arrancar sangue de sua boquinha carnuda. Estava cada vez mais difícil me segurar com ele, eu nem me reconhecia e Seokjin sempre que podia me afastava sem querer, sempre que o clima estava bem bultaoreune ele quebrava nosso contato. 

A essa altura eu já tinha desistido de tentar alguma coisa com ele, se ele não quer quem sou eu para o instigar? Resolvi então parar de o beijar e sempre que ele queria aprofundar o beijo eu separava nossas bocas, definitivamente eu iria deixar ele só na vontade também.

Meu telefone tocou e eu corri para atender, olhei a tela e vi que era Kim Taehyung e resolvi atender. 

Oi, desculpa incomodar é que eu não estou conseguindo falar com a sua mãe, você pode pedir pra ela me ligar?

Desliguei o telefone e corri até o quarto de minha mãe, bati a porta e ela não me atende, resolvi então mandar uma mensagem para Tae, para que ele viesse até minha casa e tentasse conversar com ela. Voltei para meu quarto e disse para Seokjin que eu estava exausta e que ele precisava ir, porque eu teria que cuidar de minha mãe, ele assentiu e se despediu de mim, na porta de casa tentou me beijar mas eu desviei o rosto, o deixando aparentemente triste. Eu não queria o deixar assim, mas eu estava muito frustrada.

Não demorou para que a campainha tocasse, revelando Kim Taehyung na porta, abri para que ele entrasse e ele me olhou estranho, parecia me analisar. 

— Você está chateada com alguma coisa? —

— Ah, eu? Não... — Desviei o olhar para meus pés.

— Não é o que parece, você nem está sabendo disfarçar. — Riu soprado.

— Ah... É uma  coisa nada a ver, relaxa. — Sorri, tentando disfarçar minha frustração. — Vamos até lá acordar minha mãe. — Fiz sinal para que ele me seguisse mas ele me impediu, segurando uma de minhas mãos.

— Deixe que ela descanse um pouco mais, agora vem aqui. — Me levou até o sofá, onde sentamos. — Agora pode desabafar, sei que não tenho idade pra ser seu pai e nem padrasto, mas temos a mesma idade, e posso ser seu amigo. — Sorriu sem mostrar os dentes.

— Ah, é sério Kim Taehyung, não é nada....

— Claro que é, eu posso ver o quão frustrada está. Se eu puder ajudar, ajudarei.

— AH, — Suspirei. — É que eu acho que Seokjin não me acha atraente. — Me escondi entre minhas mãos e Tae as afastou e sorriu com ternura.

— Por que você acha isso?

— Sempre... Que estamos num clima quente, ele...

— Ah, entendi. — piscou os olhos tentando assimilar a situação.

— Ah, estou morta de vergonha... Nem ouse contar isso pra alguém, por favor.

— Posso ser sincero? — Me olhou nos olhos.

— Acho que pode.

— Não acho que ele não te ache atraente. — coçou a nuca e me olhou de cima a baixo. — Você é... Com todo respeito eu te acho muito linda e atraente. — Me encarou e eu senti uma sensação estranha tomar conta de mim. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...