História O "não" Alfa - Jikook (ABO) - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Jikook, Romance Gay
Visualizações 423
Palavras 3.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite ❤❤🌚

Boa leitura!!

Capítulo 18 - Quando As Máscaras Caem


Estava nos planos do lúpus, tomar apenas o necessário para distrair-se, contudo, Jennie pode ser bastante persuasiva quando quer, e bastante esperta, visto que a loira não encostou em um pingo de álcool, sequer.

Jensen por sua vez, começou a sua saga tomando apenas um copo, e ficaria apenas nisso, não fosse pela alfa enchendo o recipiente sem que o lúpus notasse. Logo, ele já estava rindo e dançando, brincando, pedindo mais bebida. Quando acabou, ele sentou na cama e começou a chorar e desabafar com a loira sobre seus sentimentos. A cada frase citando o rosado, a alfa revirava os olhos.

Já era a sexta mensagem que Jennie mandava para a sua amiga Jisoo, e a amiga não retornava. A alfa já estava ficando irritada com aquela falta de resposta, sem falar que aguentar um alfa lúpus bêbado sozinha em seu quarto, não era uma tarefa tão fácil quanto foi embebedá-lo.

Quando sua paciência chegou ao limite, ela mentiu para o lúpus, informando que iria buscar mais outra garrafa e o moreno assentiu feliz. A alfa saiu do quarto trancando a porta com a chave e foi a procura de sua amiga.

Jisoo, estava aos beijos com Yoongi na sala de convivência quando sentiu mãos grandes e femininas, puxando seu braço, interrompendo o beijo de forma brusca.

— O que você pensa que tá fazendo ? – Yoongi questionou, puxando a ômega de volta.

— Não te devo satisfações, pirralho. – Puxou a amiga de volta. — Agora, larga ela!

— Não viu que ela estava comigo primeiro? – Disse, continuando com o puxa-puxa. — Vai procurar uma fofoca pra publicar.

— Ji, você por acaso esqueceu do nosso compromisso ?

— Ain, JenJen, eu... Eu esqueci completamente. –  Agora foi a vez da ômega se pronunciar. — Desculpa Yoonie.

— Você vai com ela ? – Yoongi perguntou e a ômega confirmou com um tímido balançar de cabeça. — Okay. – Disse em um tom decepcionado.

— Ah para com esse melodrama, garoto, você nem é o alfa dela. Pensa que minha amiga é qualquer uma pra você sair beijando por aí assim, sem compromisso ? – Disse puxando a amiga para a saída. — Francamente!

Já a caminho do dormitório, Jisoo refletia as falas de sua amiga, sobre compromisso e se perguntou se Yoongi queria algo sério, ou se ela realmente não passava de um simples passatempo.

— Você fica aqui. – A loira entregou a chave do quarto para a menor. — Eu vou convencer o Jimin a vir pra cá.

— Mas como você vai conseguir fazer isso. Digo, por que o Jimin viria pro nosso quarto, justamente para encontrar um alfa bêbado ?

— Porque ele não vai saber que o Jensen está bêbado, simples. O Jensen foi idiota e brigou com ele, Jimin tá tão afim de esclarecer as coisas que vai vir correndo sem questionar, e quando ele entrar no quarto, você tranca a porta.

— Mas o Jeon...

— Não esquenta com isso. Eu vou me certificar de que o Kookie não vai atrapalhar em nada.

— Mas eu não entendi uma coisa, sua intenção é ajudar o Jimin ? Porque se for, o Jensen não está em condições de conversar, JenJen.

— Aish, Jisoo! Não seja tão tolinha! Eu quero soltar o coelhinho na toca do lobo faminto... Entendeu ?

— Entendi... – A ômega assentiu e como num piscar de olhos, captou a verdadeira intenção da alfa. — JenJen, o Jimin tem uma marca...

— Sim.

— O que acontece se outro alfa possuir ele ?

— Iremos descobrir. – Respondeu tranquilamente com um sorriso perverso.

                           ✳〰🐺〰✳

Não demorou muito para que a loira encontrasse o ômega, e para a sua sorte, ele estava sozinho.

— Park. – A alfa chamou, se aproximando. — O Jensen pediu pra te avisar que ele quer falar com você.

— E por que ele não veio aqui pessoalmente falar comigo ?

— Porque... – "Ômega idiota, simplesmente vá! Ora..." a alfa pensou. — Porque ele não está bem. Ele sofreu uma pequena lesão no joelho enquanto jogava e bem, ele está no meu quarto esperando.

— Está bem, eu vou... Espero que ele esteja arrependido das coisas que me disse.

— Ele me pareceu bastante arrependido, até chorou...

Sem demora, Jimin seguiu caminho até o quarto da loira e ela teve que conter um sorriso triunfal. Alguns minutos depois que o ômega saiu, Jungkook chegou no cômodo onde ele estava, encontrando apenas a alfa, murmurando algo sozinha.

— Jennie, você tá bem ? – Jeon quis saber, franzindo as sobrancelhas.

— Oh, sim... – Sorriu. — Eu só, estava pensando alto.

— Hm... Você viu o Jimin ? Deixei ele aqui me esperando...

— Vi sim, Kookie, ele saiu dizendo que ia resolver um assunto com um amigo.

— Que amigo ?

— Aquele atleta do basquete, super lindo e que está afim do Park... Como é o nome dele... Eu sempre esqueço...

— Jensen. – A resposta saiu e em seguida o maxilar do lúpus travou.

— Isso! Eu vi ele indo naquela direção. – A alfa apontou para o lado contrário que Jimin havia seguido. — Mas vai rápido porque ele foi correndo.

— Que merda, Jimin! – Jungkook resmungou antes de sumir apressadamente por um corredor.

— Ah, porra, eu sou foda! – Jennie comentou consigo mesma, sem conseguir conter a emoção e riu encandalosa, tal como uma vilã de novela.

                         ✳〰🐺〰✳

Jisoo andava de um lado para o outro, no corredor do dormitório feminino, presa em seus pensamentos enquanto segurava a chave em mãos. Ela apertava com tanta força o objeto metálico que chegava a machucar a sua palma.

Ela pensava se aquilo era realmente o certo a se fazer. Estava entre apoiar a sua amiga de infância, que sempre esteve ao seu lado lhe defendendo do que fosse preciso, e, ajudar um ômega gentil que nunca lhe fizera nada de mal. Jimin, estava de inocente nessa história toda, e pelo que conhecia do ômega, sabia que ele não merecia ser ludibriado dessa forma.

E, além do mais, ele é o irmão de Yoongi, o alfa que ela ama. Não estava se sentindo bem em fazer aquilo. Não queria machucar o irmão do alfa.

Antes que pudesse chegar à alguma conclusão, foi surpreendida pelo ômega, que ao falhar tentando abrir a porta trancada, chamava seu nome pela terceira vez.

— Jisoo, você tá me ouvindo ?  – O rosado insistiu. — Cadê a chave daqui ?

— Jimin. – A ômega engoliu em seco, indo na direção do mais alto. — Você veio...

— Sim, preciso falar com o Jensen, você pode abrir por favor ? A Jennie me avisou que...

— Não! – Pronunciou firme. Finalmente decidindo o que iria fazer. — Você não pode entrar aí dentro.

— E por que não ? – Jimin questionou confuso.

— Porque ele está bêbado. – O ômega cruzou os braços e a pele entre suas sobrancelhas se enrugou, enquanto a dúvida aumentava. — É uma longa história Jimin... Mas é tudo um plano da Jennie, pra te separar do Jeon. Não entra aí dentro, por favor...

— Tá, eu não tô entendendo direito, depois você vai me contar tudo direitinho. Mas agora abre essa porta, precisamos ajudar o Jensen.

— Jimin, não, ele vai...

— Ele não vai fazer nada, Jisoo, ele está bêbado. É um atleta que não está acostumado a ingerir grandes quantidades de álcool, precisamos ajuda-lo, ele pode passar mal e isso pode influenciar nos próximos jogos dele. – A ômega ainda o olhava sem saber o que fazer. — Me dá isso!

Jimin puxou o pulso da ômega e sem dificuldade, tirou a chave de sua mão. Ele abriu a porta e se deparou com o lúpus de quatro, vomitando no carpete.

— Meu deus, Jensen... – O ômega se aproximou, ficando ajoelhado ao lado do moreno, enquanto passava a palma em suas costas, num movimento circular.

— Jimin... O que você tá fazendo aqui... ? – O lúpus questionou irritado.

— Vim te ajudar, o que você acha?! – Tentou ajudar o maior a se levantar, mas foi empurrado caindo no chão logo em seguida.

— Você não acha que já ajudou o bastante, huh ? É por sua causa que estou assim...

— Ele não te obrigou a beber, Jensen. – Jisoo comentou, ajudando Jimin a se levantar.

— Fica na tua, cadelinha da Jennie! – Jensen esbravejou.

— Veja como fala com ela, Jensen. – Jimin o advertiu. — Estar bêbado não te dá o direito de ser babaca com as pessoas.

— E você nem usa disso não é, ômega ? – O lúpus se levantou, e cambaleou dando alguns passos na direção da porra. – Não preciso da sua ajuda.

— Mas você não está em condições de sair por aí sozinho. Se meu pai te pegar assim, com certeza te expulsa.

— Oh, ele se importa... Palmas pra ele. – O lúpus debochou. — Pena que não se importou tanto a ponto de abrir as pernas pra aquele metido lá, e ainda se deixou ser marcado.

— Jensen, eu nunca, em nenhum momento te dei falsas esperanças, eu nunca disse que estava afim e nunca demonstrei algo a mais que não fosse apenas amizade. – Jimin se aproximou do lúpus na porta, percebendo que ele já estava ficando sóbrio. — Como eu ia saber se você tinha outras intenções se nunca teve coragem de falar?! Diferente de você, o Jungk...

— Porra! – Jimin foi surpreendido pela mão de Jensen que agarrou seu pescoço e o empurrou contra a parede, apertando os dedos em volta daquela área. — Você ia mesmo falar o que eu estou pensando ? É muita ousadia da sua parte, não acha ?

— Solta ele! – Jisoo avançou em cima do lúpus tentando ajudar o ômega, mas com apenas um movimento com o braço livre, Jensen jogou a garota pra longe.

— Sai daqui, sua puta! – O moreno gritou colérico. Logo em seguida voltando sua atenção para o ômega a sua frente. — Você acha que foi fácil dar uma de amiguinho bonzinho só esperando uma oportunidade pra meter meu pau na tua bunda ? Porra, se tivesse só dado pra ele, era de boa! Mas você tinha que deixar ele te marcar ? Você acabou com tudo seu inútil!

Jensen não percebeu quando Jisoo, após se recuperar, saiu correndo a procura de ajuda. Ainda apertando o pescoço do menor, ele aproximou seu nariz da mandíbula do ômega, na curva logo abaixo de seu lóbulo e inalou sua essência, em seguida, urrou de ódio ao sentir mesclado entre o cheiro de Jimin, o aroma forte de Jungkook.

— Jen...sen... – Jimin tentava pronunciar, sentindo o aperto dolorido em sua garganta, e a falta de ar deixando-o levemente zonzo. – V-voc... N-não é... A-assim.

— Você não me conhece! – Quando o ômega estava prestes a desfalecer, o maior soltou seu pescoço, fazendo com que o corpo de Jimin, fraco devido a breve privação de oxigênio, fosse de encontro ao chão.

Sentado no chão, Jimin tossia desesperadamente enquanto massageava o pescoço, na medida em que ia recuperando o fôlego. Seu corpo tremia e ele sentiu alívio ao perceber que o alfa havia lhe deixado.

Pouco tempo depois, Jisoo chegou juntamente com Yoongi preocupado, ao seu lado. O alfa sem demora, se aproximou do irmão, abaixando-se ao seu lado, logo notou aquelas marcas de dedos em seu pescoço.

— Eu vou matar aquele filho da puta! – O alfa pronunciou raivoso, mas antes de se levantar, foi impedido pelo irmão.

— Yoon, não. Ele é um lúpus, você não tem chance... – Jimin pediu.

— Que se foda Jimin, não tenho medo! Olha pra você, ele te machucou...

— Yoongi, olha pra mim! – O ômega mais velho aumentou o tom de voz, e quando teve a atenção do seu irmão mais novo para si, logo voltou ao seu tom habitual. — Eu to bem, esquece isso.

— Tá bem, eu vou esquecer, por hora... – Jimin revirou os olhos, suspirando, mas antes que pudesse contrapor, o alfa continuou. — E você, vai me contar essa história direito. – Disse apontando para a menor.

Jisoo assentiu, engolindo em seco. Os três logo entraram no cômodo da ômega sentando em círculo no chão e ela começou a explicar tudo, desde o súbito interesse de Jennie pelo alfa quando soube que ele é um lúpus, o episódio da faixa na cantina, e todos os planos até o atual momento.

Jimin, a princípio não teve nenhuma reação, senão fechar os olhos e respirar profundamente, tentando digerir todas aquelas informações. Já Yoongi, ficou impactado com aquela confissão, ele tinha Jisoo como uma garota boa e gentil, e de repente descobre que ela participou de maquinações contra seu irmão.

— Eu não acredito que você fez isso. – O alfa pronunciou, com um olhar de repulsa.

— Me perdoa, por favor, eu tô arrependida do que fiz, eu sei que não deveria ter feito, mas a Jennie é muito persuasiva...

— Vai colocar a culpa na sua amiga agora ? – Yoongi argumentou. — Você é tão culpada quanto ela, ou até pior. Ela pelo menos tinha um motivo, e você ?

— Eu queria ajudar minha amiga...

— Fazendo outra pessoa sofrer ? Que tipo de pessoa é você ? Eu tô muito decepcionado, Jisoo...

— Yoon... – Jimin tentou intervir. — Ela se arrependeu atentou me ajudar, e acabou se machucando, olha... – Disse mostrando o braço da garota, que continha uma marca arroxeada. — Eu te perdôo, Jisoo.

— Obrigada Jimin! – A ômega que já estava chorando muito, abraçou o ômega com alegria sincera.

Jisoo separou o abraço e voltou o seu olhar, agora para o alfa, na espectativa da sua decisão.

— Tá, tudo bem... – Yoongi decidiu, comprimindo os lábios. — Mas se voltar a conspirar maldades com a Jennie contra o meu irmão, eu não vou te perdoar.

— Eu juro que nunca mais faço esse tipo de coisa. – A garota prometeu, agora abraçando o mais novo, sendo retribuída.

— O que está acontecendo aqui ? – A voz de Jennie se fez presente, e os três que estavam ali sentados, ergueram seus olhos e viram a loira ao lado de Jungkook.

— JenJen... – Jisoo pronunciou se levantando, assim como os outros dois.

Jungkook olhou para Jimin e logo notou as marcas da agressão em sua pele alva. Ele se aproximou do menor e o puxou com cuidado para mais próximo de si. Enquanto Jennie buscava uma resposta de sua amiga, que evitava lhe encarar, se escondendo atrás de Yoongi.

— O que foi isso ? – O lúpus perguntou, examinando o pescoço do menor.

— Foi o Jensen. – Sem delongas, Yoongi respondeu.

— O que?! – Jungkook cerrou os punhos e seu aroma ficou forte, dominando o ambiente.

— Amor, foi um acidente. – Jimin tentou amenizar a situação, alisando o braço do alfa.

— Não, não foi. – Jisoo negou. — O Jensen estava bêbado e descontrolado, Jimin tentou ajudar e o Jensen machucou ele. E a mim também.

— Isso não vai ficar assim... – Jungkook comentou, sentindo o aperto das mãos de Jimin em seu braço.

— Jungkook-ah, por favor, eu estou bem. Vamos apenas esquecer isso... – Ele olhou para Jennie e depois para Jisoo e sorriu. Em seguida, ele puxou os alfas consigo. — Vem, Yoon.

— Certo, me conta, o que aconteceu de verdade ? – Jennie perguntou para a ômega, quando os meninos se afastaram.

— Foi exatamente isso que eu contei. – Jisoo respondeu. — Ele ficou fora de si e agarrou Jimin pelo pescoço.

— Como você sabe disso ? Eles não estavam sozinhos no quarto ?

— Não, eu... Escutei um barulho estranho e abri a porta pra ver o que tava acontecendo e...

— Não, não, não, Jisoo! Aish, não era pra você ter se intrometido!

— Mas JenJen, ele poderia ter matado o Jimin...

— Que matasse! Assim seria bem mais fácil. – A ômega olhou para a loira assustada e Jennie logo disfarçou. — Ora, eu estou brincando, bobinha.

                         ✳〰🐺〰✳

— Eu já disse que estou bem, amor. – Jimin tentava evitar sua ida até a enfermaria, que ao seu ver era desnecessária. — Como a gente vai explicar isso pra Srt. Puff ?

— Exatamente como aconteceu. – O alfa respondeu. — Quem sabe assim aquele covarde não é expulso de vez.

— Jungkook-ah...

— Shhh, Jimin, sem mais.

Os garotos entraram na enfermaria, e o ômega foi examinado. Foi receitado um remédio para tratar da área lesionada e só assim, Jungkook se deu por satisfeito.

— Você é um exagerado, sabia ? – Jimin comentou enquanto caminhava de mãos dadas com o alfa, e a cabeça apoiada em seu ombro.

— Só estou cuidando do meu ômega. – Jungkook respondeu simplista, puxando o menor para um beijo no meio do corredor.

— Jungkookie, alguém pode ver... – O ômega ditou com os lábios entre os do alfa, mas sem intenção de interromper o beijo.

O lúpus o abraçou pela cintura e ergueu seu corpo, Jimin logo passou suas pernas em torno do torso de Jungkook, e teve as costas prensadas contra a parede, sem interromper o beijo. O alfa retirou parte da roupa debaixo do menor, o suficiente para deixar sua entrada exposta e seguidamente, a sua, roçando seu pênis no orifício alheio.

Talvez a libido duplicada pela marca, deixou os dois amantes entorpecidos pelo desejo desenfreado que um sentia pelo outro, e fez com que eles ignorassem totalmente os possíveis transeuntes que poderiam seguir caminho por ali.

Jimin abriu a boca em muda satisfação e conseguiu conter um gemido quando sentiu o falo de Jungkook o preencher completamente. Sem o luxo de poder esperar que o ômega se acostumasse com aquela invasão, Jungkook começou a movimentar seu quadril estocando o rosado sem dó.

Jimin mordia o lábio inferior tentando conter a fisgada de dor que sentia entre o deleite de cada estocada, e rapidamente foi sentindo cada vez mais prazer. Suas mãos agarradas aos fios negros do alfa, puxava-os enquanto suas bocas se juntavam novamente, e suas línguas trabalhavam incansavelmente.

Era uma mistura voluptuosa de adrenalina e luxúria. O medo de serem pegos fazendo aquilo no corredor em pleno horário corriqueiro, fazia os pelos de seus corpos se eriçar ainda mais.

— Ahn, Jungkook, meu deus... Hmmm – Jimin gemia baixo enquanto o outro não parava de movimentar o quadril contra o outro.

— Porra, pequeno... – Jungkook apertava ainda mais a cintura do ômega, mordendo o lábio inferior do menor.

Jimin abriu os olhos ao ouvir a aproximação de alguém e antes que pudesse ao menos tentar afastar o alfa que lhe estocava o membro freneticamente, viu a figura de Seokjin aparecer, fitando boquiaberto o casal que transava naquele local.

— Jin! – O ômega suspirou, ainda fraco pelo ato.

Jungkook, não se importou com a presença do ômega, muito pelo contrário, pareceu nem notar o garoto ali, e atacou a pescoço do rosado, fazendo Jimin arfar, apertando seus ombros entre os dedos com um gemido baixo.

— Ahn... Jungkook-ah...

— Meu deus...! – Seokjin exclamou e sua voz pareceu despertar o alfa assustando-o, Jungkook sobressaltou o corpo estocando mais profundamente.

O base do falo de Jungkook recebeu mais sangue aumentando o seu volume, em resposta, o sistema reprodutor de Jimin, fez com que o seu anel fibromuscular, reduzisse o seu diâmetro, deixando o membro do alfa preso em sua cavidade anal, permitindo apenas um canal ligado ao seu útero disponível para a passagem do esperma.

Jungkook havia atado Jimin, sexualmente.

— Aaaahhh! – O ômega não conteve um grito de dor assim que sentiu o nó sendo feito dentro de si. — Tira! Por favor!

— Meu amor, não dá... – Jungkook informou em um tom leve, abraçando o ômega enquanto o beijava, tentando acalmá-lo. — Vai acabar logo...

— Não! Tira, tira logo... – Jimin pedia chorando. A dor de ser atado por um lúpus era quase que insuportável. — Tá doendo muito!

Seokjin assistia a tudo incrédulo, com as mãos na boca, preocupado com seu amigo mas incapacitado de ajudar de outra forma, ele apenas ficou de olho se alguém iria aparecer no corredor, e para a sua sorte, não veio ninguém.

Quando todo o liquido foi expelido e a ereção de Jungkook acabou, o volume de seu membro diminuiu e assim, pode sair de dentro do ômega. Jimin, que estava completamente exausto, acabou desmaiando nos braços do alfa, e este, com a ajuda de Seokjin, levou o rosado até o dormitório dos ômegas.

Continua...


Notas Finais


Tururu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...