1. Spirit Fanfics >
  2. O Nerd da Escola I >
  3. Cinco

História O Nerd da Escola I - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Lembrando que esse é o último capítulo da fanfic aqui nesse site. Eu coloquei os 7, mas depois eu lembrei que não pode haver insinuação ou qualquer tipo de coisa que envolva dois menores perdendo a virgindade. Pra terminar eu só posso indicar o wattpad, onde está o final.

Capítulo 5 - Cinco


Fanfic / Fanfiction O Nerd da Escola I - Capítulo 5 - Cinco

Dentro do carro de Sasuke, Yuno fez uma breve busca em todo o automóvel, estava zangada e apaixonada ao mesmo tempo. Como Sasuke pode ser o irmão de Itachi Uchiha, não que ele não fosse capaz de ser, mas, meu Deus, era Itachi Uchiha. Porque ele ainda não tinha lhe falado algo tão importante assim, ela era sua única e melhor amiga.

— Eu pensei que já soubesse. — Comentou ele vendo-a toda vermelha, riu.

— Claro que eu sabia. — Falou irônica, Sasuke riu. — Porque você não me contou diretamente?

— Qual é? Temos o mesmo sobrenome, você poderia ter percebido. — Disse ele e vagamente lembrou-se de Sakura dizendo a mesma coisa, puta merda, ninguém percebia não? Uchiha, é um nome difícil de encontrar. — Uchiha, não é um sobrenome popular.

Yuno passou as mãos no rosto, como ela não tinha percebido? Itachi era lindo, dono de uma voz maravilhosa, cabelos e olhos negros, igual aos de Sasuke a única diferença é que Itachi tinha mais cabelos e eram longos, quanto o Sasuke, ela o olhou e....

— Para onde foi o seu cabelo? — Perguntou assustada, Sasuke apertou o volante e apenas encarou rua.

— Longa história.

— Pode conseguir um autógrafo para mim?

— Você o viu pessoalmente, porque não pediu?

Yuno sorriu e olhou para a paisagem que a janela lhe dava. Ela tinha ficado frente a frente com o cantor mais famoso do mundo, e ao invés de pular gritar, voar em seu pescoço, pedir fotos e um autógrafo um beijo e mil abraços, ela o enfrentou.  Não se comportaria igual a uma maluca na frente do cara que ela tem nas fotos nas paredes de seu quarto. E quando ela disse que não sabia quem era ele, gostou de vê-lo irritado.

— Ele disse que estava de férias. — Falou de olhos fechados. Ele não falou sobre as férias. Mas Yuno sabia tudo exatamente daquele ser humano.

— A, isso é muito chato. Se fosse eu, não ouvia mais as músicas dele. — Sasuke falou sério, e depois sorriu.

— Para com isso. Itachi Uchiha é vida. — Falou o olhando mais de perto e reparou no novo homem ao seu lado, ela sorriu de canto e depois estreitou os olhos. — Você está lindo.

— Hm? — Sasuke a encarou rapidamente.

— Não se faça de idiota, aposto que aquele gos... O Itachi quem cuidou de você.

— A, é. Quase isso.                                                                                       

— Isso é por causa dela, não é? — Yuno ficou triste de repente, Sasuke não se moveu. — Você não deve desistir dela, de verdade. — Sorriu e depois voltou a olhar pela janela. Sasuke riu entrando nos postos da escola.

Logo que ele parou o carro, tirou o sinto encarou o estacionamento lotado. E agora, como ele sairia do carro? Todos iam o olhar? Ou iam o ignorar como tinha sido todos esses anos? Claro que ele preferia que todo mundo não o encarasse, seria mais fácil para sua vida.

Yuno bateu em seu ombro dizendo “boa sorte, amigo” e saiu do carro dando um sorriso malicioso, Sasuke pensou que pelo menos aquele dia, ela o acompanharia né? Mas cadê a sua melhor amiga quando ele precisa. Pra onde diabos ela tinha ido? Sasuke estava paralisado dentro do carro, ele tinha que conseguir forças para conseguir sair daquele automóvel, pois estava a ser difícil, não sabia o que as pessoas falariam dele, o que achariam, não sabia o que ELA acharia dele, e muito menos o que falaria.

Estava trêmulo, mas decidiu realmente sair, ele tinha que sair, ele prometeu para seu irmão que não seria um covarde aquele dia, seria um homem de verdade, a partir dali, conquistaria sua rosada, porque esse era seu objetivo.

Na mesma hora em que pensou nela, ele relembrou dos momentos em que esteve ao seu lado, no primeiro dia, que ele quase não falou nada, e quando falou a deixou irritada. Das outras vezes em que brigaram naquela mesa, e do seu primeiro contato com ela, do primeiro abraço. Lembrou-se da noite em que a teve pela primeira vez em seus braços, onde pode relembrar seus motivos por amar aquela menina tão mimada, lembrou-se dela o chamando de gay por ser um homem gentil, ele sorriu de canto. Lembrou-se de vê-la beijar outro homem na sua cara e, dizer o quanto o amava, sem se importa com quem ouviria, ou quem estava vendo, naquele momento Sasuke teve que se afastar, pois seu coração estava quebrando.

Lembrou-se do primeiro beijo deles, e lembrou que ela estava morrendo de ciúmes, mas logo em seguida lembrou-se das palavras maldosas, e do quanto ele havia chorado por causa dela... Da dor que ele sentiu quando ouviu daqueles lábios doces que “Aquilo” nunca deveria ter acontecido. Lembrou-se de Sakura na porta de sua casa, lhe pedindo ajuda, da emoção que teve ao sentir seu abraço, das pernas bambas quando tocou em seu rosto e a vontade de beijá-la foi inabalável, lembrou-se do beijo que deu em seu rosto, e se tocou que nem o afastar ela fez questão.

Lembrou-se de passar uma tarde ao seu lado ensinado quase tudo que sabia, e que no final, a viu chorar por outro homem na sua frente, nesse momento ele se lembrou de Yuno, ela já o tinha visto chorar pela Sakura, se perguntou o que Yuno realmente sentia por ele, porque se fosse o mesmo amor que ele sentia pela Sakura, Sasuke devia um pedido tão grande de desculpas para ela que não caberia nesse mundo, igual o ego de Itachi.

Mas, também lembrou que ela pediu para ele nunca se afastar dela, e chorou em seus braços, puxando seu peito, seus cabelos, seu pescoço, encheu o pescoço dele de beijos, e o abraçou tanto que sua blusa, que nesse momento estava no lixo, porque Itachi tinha a jogado porque ficou com o perfume dela. Sasuke não tinha mais porque fica dentro daquele carro, Sakura gostava dele, nem que fosse um pouquinho ele tinha certeza, e esse pouquinho bastava para criar forças ainda mais para colocar os planos em ação.

.

.

Longe dali Sakura marcava no relógio quanto tempo ele ainda iria permanecer dentro daquele carro após Yuno ter saído dele. Se duvidasse, Sakura tinha sido a primeira a chegar somente para ver Sasuke em primeira mão, quando viu o carro dele entrar pelo portão da escola seu coração palpitou, ela nem sabia o que era aquilo.

Mas quando viu Yuno sair daquele carro, quase ela grita de tanta raiva, há mais ela ia tirar satisfações com ele, há mais ia. Logo se conteve se perguntando se ela tinha esse direito? Mas foi dominada por um ciúme POSSESSIVO, que só sentia quando se falava em Sasuke. Então ele iria explicar aquela história de ficar dando carona para Yuno.

Ela estava de longe, já na porta da escola, correu as escadas até chegar lá tão apressadamente que tropeçou duas vezes, e depois de estar lá, ainda esperava “seu” moreno sair daquele maldito carro, para ela bater nele por ainda está andando com Yuno. Finalmente ela viu a porta do carro abrir e ele estava saindo, ela sorriu dando um passo à frente e conteve o outro tão subitamente que quase caiu, mas quem era aquele?

— Sasuke? — Sussurrou de boca aberta quando a porta se fechou, e ele sorriu.

.

.

— Meu Deus. — A 1° comentou de olhos arregalados. A 2° cuspiu todo o suco para fora — Que isso?

— Me dá os óculos, e o binóculo, agora. — Mandou e recebeu. — Mas que braços, e que pernas, que bunda é aquela? Que homem é aquele?

— Meu Deus — a 1° estava paralisada. — Que isso?

— Joga fora o livro, vamos pegar ele para nós!

.

.

Sasuke não sabia se o mundo tinha parado, ou era impressão dele. Não! O mundo tinha parado sim, porque não era possível todo mundo do estacionamento aberto parar para vê-lo entrar na escola, ou era? Sakura estava de pernas bambas rapidamente o ciúme lhe consumiu por inteira, estavam todas o olhando, estava todo mundo olhando para seu Sasuke. Não, seu Sasuke não.... Quer dizer... sua mente nem pensava direito.

— Mas que novato mais gostoso é aquele? — Sakura deu uma olhada para o lado vendo duas alunas paradas de boca aberta, ela ajeitou a bolsa que estava na metade dos braços e voltou sua atenção para Sasuke.

— Eu pegava! — A outra respondeu, Sakura virou a cara e entrou na escola pisando duro.

O que estava acontecendo com ela? Não podia ser, não poderia ser. Ela não estava com ciúmes, hora, nunca sentiu ciúme antes, não tinha ciúmes das amigas, não tinha ciúme de Sasori, porque teria de Sasuke? De repente a rosada trombou com uma menina no meio do caminho, sua raiva aumentou.

— Olha para onde andar sua cega! — Brigou. A menina nem olhava para ela.

— Que gato. — Sussurrou a garota. Sakura respirou algumas vezes antes de virar para ver o que tanto aquela garota olhava.

Era Sasuke, já deveria saber. Ele andava normalmente, estava de cabeça erguida e com um sorriso mínimo nos lábios, estava corado. Ela abriu a boca, Sasuke estava mais lindo que nos outros dias, ele estava mostrando sua beleza que só ela tinha visto. Sakura se mordeu por completa, não queria que ninguém visse o que só ela sabia que existia, e agora, todas estavam olhando e desejando aquele ser humano que estava desfilando sem perceber, encantando sem perceber, molhando as calcinhas sem perceber, deixando uma Haruno com ciúmes sem perceber, fazendo certas meninas se apaixonarem à primeira vista sem perceber.

Sakura se escondeu atrás da garota que trombou com ela quando Sasuke passou perto. Ele não a viu, mas teve certeza que sentiu sua presença, pois o moreno olhou para um lado e depois para o outro, mas não fez nada, seguiu em frente.

Sasuke nunca tinha sentido tanta vergonha como estava sentindo agora, mas estava feliz, se seu plano era se torna bonito e popular, ele tinha conseguido. Pois todas as meninas lhe olhavam. Sasuke prestava atenção nas expressões exageradas das mulheres, e quando ele deu um mínimo sorriso para uma, ela caiu nos braços do menino atrás dela.

Ele não entendeu nada, mas continuou a caminhar, a frase “nossa, que novato lindo” era ouvido a cada corredor. Ele se perguntava se ele foi tão invisível assim para ninguém notar que ele estudava ali a mais de cinco anos?

Quando chegou ao seu armário, foi quase comido por duas garotas já presentes, elas se apresentaram e Sasuke teve que deixar a timidez de lado para falar com ambas, elas riram, e quando foram embora deixaram um beijo de cada lado do rosto do Uchiha que corou, mas não impediu.

Por incrível que pareça até a loira mais bonita daquele colégio chegou para falar com ele, quase tirou a roupa na frente do moreno, mas ele pouco se importou, falava tímido, mas não queria deixar que pensassem isso.  E por mais bonita que fosse, Sasuke não se encantava, ele queria vê-la, queria que ela o visse e queria que dessa vez, Sakura o notasse, ele implorava por isso até demais.

— Então, está arrasando corações em? — Yuno se aproximou dele, enquanto mexia em seu armário. — Já a viu?

— Não — Ele respondeu encostando-se ao armário do lado e cruzou os braços, fechou os olhos para evitar olhar as meninas que lhe passavam encarando. — Senti o perfume dela quando cheguei, mas não a vi.

— Ela está por aí tenho certeza. — Disse alegre e encostou-se do lado. — Sasuke quando você for para sua casa, eu posso ir junto?

— Pra que? — Perguntou curioso e, abriu os olhos para encará-la ela corou e ficou de frente para o Uchiha.

— Eu quero falar com seu irmão, ele é meu ídolo, horas! — Corou desviando o olhar, Sasuke começou a rir, e viu uma garota desmoronar ao lado deles. — Tá, não vai dá para conversar mais com você não ô. — Resmungou Yuno o puxando para sair dali.

Sakura parecia a Juvia estaqueando o Gray. Já tinha matado duas garotas que ousaram beijar o rosto de Sasuke, e também estava prestes a avançar na Yuno que não lhe largava de mão, quando finalmente ela tentou dá um passo para chegar perto, uma garota desmaiou e Yuno o levou para longe. Não, ele não podia ficar longe dela, quando criou coragem para andar Ino a parou de repente. Sakura deu um grito de susto e alguns alunos a olharam rapidamente.

— Menina, você não vai acreditar. — Ino comentou, Sakura visualizou de longe Sasuke e Yuno entrarem naquele maldito banco que eles já estavam acostumados. — O Nerd Da Escola tá mais gostoso que o Gaara, Deus que cuide daquela alma, nunca vi mais lindo. — Botou as mãos na cabeça. — Se eu não fosse do Gaara...

— Hunrrum — Sakura sussurrou sem tirar os olhos deles. — Como vai Gaara?

— Bem, ele chegou e foi para o treino, ou sei lá, eu sei que quando eu cheguei me deparei com aquela criatura maravilhosa saindo do carro, quase eu desmaiei sabia?

— Hunrum.

— Meninas! — Hinata chegou olhando para trás, olhou para as amigas, olhou para trás. — Vocês estão vendo um deus grego ali? Ou sou só eu? — Perguntou olhando em direção, Ino fez o mesmo e ambas sorriram. — Quase eu tropeço ali, e caiu de boca no chão, senti minhas pernas tremer.

— Hunrrum — Sakura nem conseguia falar, pensar, se mexer, fazer um movimento, falar o que queria falar, sua mente estava totalmente obcecada por aquele homem. Como ele poderia ficar daquele jeito? Não era ciúme Sakura tinha certeza. O que ela sentia naquele momento era raiva, raiva de Sasuke, raiva de todas que o olhava, raiva dela, raiva de tudo.

O que ela mais estava odiando era saber que agora todo mundo estava vendo a beleza que SÓ ela sabia que existia e, pouco tempo ela admitia. Só ela conhecia o brilho no olhar dele, o rosto perfeito que era escondido atrás dos olhos e debaixo de seus cabelos longos. Só ela conhecia o sabor daqueles lábios finos e totalmente convidativos, completamente gostosos, e só de ter a ideia de outra pessoa desejando tudo o que ela estava desejando desde ontem, ela sentia raiva, muito raiva. Só ela conhecia, e sabia que aquele homem tinha uma pegada incrível, braços fortes escondidos debaixo das blusas largas.

E agora? E agora, todo mundo sabia disso.

Sua mente estava em branco sem saber o que pensar, e para piorar, ouvir suas amigas dizer que aquele homem era o mais lindo da escola, e o mais perfeito, que ambas trocariam seus namorados por ele na hora, porque aquele não poderia existir. As mulheres que vinha na direção delas depois de passarem por Sasuke comentando sobre sua beleza, sobre seu corpo, sobre ele, e Sakura se irritava cada vez mais.

Mas seu coração disparou mesmo foi quando ela viu aquela vaca se aproximar dele, ela se colou daquele chão porque seu corpo avançou para frente, mas ela não poderia chegar perto dele, e falar o que estava pensando – até porque ela não conseguia pensar em nada – mas depois que aquela menina se aproximou a rosada quase morreu. Preferia Yuno, ou qualquer uma menos Matsuri Saturo.

.

.

— Olá — A garota de cabelos curtos acima do ombro sorriu para Sasuke e sentou ao seu lado empurrando Yuno para um lado. — Seja bem-vindo à escola. — Cruzou as pernas quase as botando em cima de Sasuke.

— Hm! — Sasuke corou, mas depois sorriu quando Yuno botou as mãos na boca para segurar uma gargalhada. — Eu não sou novato.

— O que? Sério? Nunca tinha te visto! — Ela tocou na camisa dele o sentido — Que forte você!

— Obrigado — Sasuke sorriu e virou o rosto para encarar as pessoas, e como se o destino fosse á seu favor, seu olhar encontro o de Sakura tão rápido que ele quase gemeu. Ela lhe encarava de longe e, completamente raivosa, Sasuke percebeu isso — Eita... — Se assustou.

— Mas então, aceita almoçar comigo hoje?

— Não! — Fora Yuno que respondeu e levantou-se de trás da garota. — Ele vai almoçar comigo, como faz todos os dias, né mano? — Ela ficou na frente de Sasuke e o puxou pelo braço. — Até mais.

Sasuke deu uma olhada na direção de Sakura, ela piscou os olhos, aturdida, e virou no corredor, Sasuke sabia para onde ela iria se afastou da mulher que tentava o seduzir sendo puxado pela Yuno, assim que dobrou no mesmo corredor que Sakura tinha entrado Yuno sussurrou.

— Acho que sua garota foi para a biblioteca. — Ela cochichou. — Vai logo.

Quase mandou, ainda era difícil admitir que mandá-lo para a víbora, assim ela chamava Sakura. Era o mesmo que desistir de seu amor. Mas sabia que aquele homem a sua frente tinha mudado por Sakura, e se ele chegou a esse ponto, ela tinha que desistir mesmo. Sasuke assentiu e ajeitou a bolsa, e foi embora. De longe, Yuno o viu desfilar, mesmo sem perceber, as meninas paravam para olhá-lo, e as outras batiam atrás delas, e causava um tumulto, Yuno segurou uma gargalhada, cruzou os dedos, e foi embora.

.

.

Sakura entrou na biblioteca batendo a porta, olhou tudo, parecia que antes das aulas começarem, ninguém vinha à biblioteca, ela agradeceu por isso, passou pelas mesas vazias e foi em direção à mesa que sentou todos os dias dessa semana, a mesma que compartilhava com Sasuke. Assim que colocou a bolsa em cima da mesa ela ouviu a porta bater, não teve oportunidade de sentar.

Virou-se bruscamente para logo ver Sasuke caminhando em sua direção. Mas. Que. Visão. Era. Aquela? Sasuke estava completamente, deliciosamente, loucamente irresistível, e tê-lo vindo ao seu encontro, foi um tombo para seu coração, ela deu um passo para trás segurando as beiradas da mesa.

— Oi? — Ele sussurrou passando para o outro lado da mesa, Sakura o seguiu com o olhar até ele parar colocando a bolsa em cima da do objeto a sua frente. — Como vai? — Perguntou ainda de pé, debruçou sobre a mesa e encaro-a.

— Acho que você está melhor. — Ela analisou o Uchiha de cima a baixo, e depois encarou seus olhos. Há, seu corpo relaxou, o brilho dos olhos dele estavam lá, tão visíveis que ela quase voou em cima dele, mas tinha que se controlar, não é? Ela tinha, não tinha? — O que aconteceu com o seu cabelo?

Cabelo: Cortado tirando-os da face dele, revelando a beleza escondida, uma beleza que ela conhecia, somente ela conhecia e queria que tivesse continuado assim, só ela conhecendo. Ter todas as meninas ao redor dele, falando dele, olhando para ele, pensando nele, deixou-a irritada.

Olhos: Sakura amava os olhos de Sasuke, porque SOMENTE ela conhecia o brilho, mas agora todos viam. Aquele brilho deveria pertencer só a ela, e de agora em diante, não seria assim.

— Eu cortei. — Ele respondeu meio corado. — Quer fazer a revisão?

— Sim — Ela concordou logo, sem tirar o olhar dele. — Eu esqueci tudo.

— Como? — Sasuke ficou sério, Sakura se derreteu, até sério ele era gato. — Como assim esqueceu tudo Sakura? Eu te expliquei bem direitinho.

— Eu sei, — ela concordou com a cabeça e engoliu a seco. — Você tanto me ensinou, como me fez esquecer, — ela apoiou os braços sobre a mesa ficando bem próxima a ele. — O que aconteceu com você?

— Por quê? Fiquei tão ruim assim? — Sasuke fez o mesmo que ela, seus rostos estavam próximos, próximos demais, muito mesmo.

— Você ficou... perfeito. — Sakura deixou de encarar os olhos dele, e passou a encarar sua boca, seu corpo se deixou levar, e ela inocentemente encostou seu nariz no dele.

“Assim que te vir, ela vai querer te beijar então, você a afasta com alguma coisa” “está é louco, como você quer que eu me afaste numa hora dessas? ” “Sasuke, se você a beijar, eu te mato, essa é a minha vingança, faça o que tiver que fazer hoje, provoque aquela Haruno, a deixa maluca, mas não a beije, nem que ela implore” “Porque eu aceitei isso? ” “Porque você é meu irmão, e tem que ficar do meu lado”.

Sasuke sorriu de canto, levou as mãos até os cabelos de Sakura, amassando-os, passou seus dedos longos pelo pescoço dela, ela fechou os olhos sentindo aquele toque maravilhoso e, quando previu que ele iria beijá-la, ele se afastou. A rosada abriu os olhos rapidamente, Sasuke sentou e foi logo abrindo a bolsa e pegando seu caderno.

— Vamos começar pelo o que interessa. — Ele disse sério, e apontou com o lápis indicando Sakura para sentar-se à sua frente. — Por favor, sente-se.

— Hunrum! — Desmoronou na cadeira. Ele sorriu de canto por de trás do livro, e começou a explicar a matéria. — Irritante — Murmurou.

.

.

— Quem era ele? Perguntou o nome? —Perguntou a melhor amiga.

— Não sei não, mas na hora do almoço, eu vou caçar aquele homem, e ele vai ser meu. — Explicou Matsuri. — Notei o olhar da Sakura nele sabia? — Ela sorriu de canto. — Mas não é por causa dela que eu quero aquele corpo. Eu gostei dele.

— Fala sério, ele é demais.

— Tira o olhar piruá. — Matsuri sorriu – Eu vi primeiro.

.

.

— Hm um... — Gaara olhava a namorada sorrindo enquanto conversava com as amigas. — Não gostei disso não. — Naruto cruzou os braços emburrado

— Se eu não fosse noivo, e duvidasse do amor de Hinata por mim, e eu quebraria aquele cara.

— Bom! Noivo eu não sou, mas não duvido do amor da Ino, mas ainda sim... — Ambos olhavam suas amadas conversarem animadamente dentro da sala.

— O que tão fazendo? — Gaara olhou para lado vendo Sasori com as mãos no bolso, e os cabelos levemente arrepiados.

— Pensando no que vamos fazer para aquelas duas mulheres, parar de falar da porcaria do novato. — Gaara se estressou e depois pôs as mãos na “cara”. — Estou com ciúmes ô.

— Fala sério, parece até que não confiam no seu taco. — Respondeu rindo e sentou uma das cadeiras.

— Você não está preocupado? — Naruto olhou o “amigo”. — Dizem que o cara virou o deus grego da escola.

— Eu sou esse cara, falou? — Disse sorridente e, cheio de si. — Não estou preocupado, Sakura me ama demais para sair com outro homem, sacou?

Gaara olhou para Naruto, e ambos deram de ombros, voltaram a olhar suas namoradas, elas e um grupo de amigas falavam dele como se fossem o homem mais perfeito do mundo, um cantor famoso, um ator de cinema, e isso estava irritando tanto que quase matava os dois.

Naruto estranhou Hinata olhar subitamente para a porta, todos olharam em direção, Sasuke entrou de cabeça baixa, mas logo a ergueu e se deparou com o olhar de todos sobre si, ele parou de andar tão rapidamente que quem vinha atrás, uma pessoa de cabelos rosa, bateu seu rosto nas costas dele e voltou para fora da sala.

Sasuke virou rápido, e pegou antes de cair, todos ouviram um grito abafado de Ino, Sakura estava nos braços do Uchiha. Todo mundo olhou. Principalmente Sasori que se levantou tão rápido que a cadeira caiu. Lá estava Sakura nos braços de Sasuke novamente.

— Ei — Sasori puxou o braço de Sakura com tanta força que ela quase voa a sala toda. — Quem você pensa que é para tocar na minha namorada? — Falou raivoso, Sakura estava atrás dele, por mais que tentasse falar alguma coisa, ela não conseguia.

— Ela ia cair, preferia vê-la ferida? — Perguntou dando um passo na direção de Sasori, Sasuke estava nervoso, e com medo, talvez um soco de Sasori fizesse ele não levantar do chão, mas não se importou, iria para cima mesmo.

— Preferia. — Disse na maior cara de pau, Sasuke fechou a mão em punho, aquilo só poderia ser brincadeira. — Fica longe da minha namorada, falou?

— Hm — Sasuke olhou para Sakura que mantinha o mesmo olhar que passou a aula toda, ela não conseguia parar de olhá-lo. Ele ajeitou a mochila nas costas e se direcionou a sua cadeira, Yuno estava de fones de ouvido, mas percebia tudo. Sorriu quando Sasuke sentou-se, e eles se entreolharam, deram um sorriso e voltaram sua atenção para frente.

.

.

— O que foi isso? — Sasori empurrou Sakura para fora da sala e fechou a porta. — Está se jogando para cima daquele Nerd idiota?

Sakura olhava para Sasori incrédula, só de saber que ele preferia vê-la cair no chão, se machucar, ao invés de alguém salvá-la a deixava com ânsia de vômito, porque ela amava aquele homem mesmo? Logo ela fechou a cara.

— Eu estava dando em cima dele? Eu me desequilibrei e ele me segurou para não cair, e você? — Ela cruzou os braços. — Quem pensa que você é? Sasori eu vi você ontem com outra mulher... que direito você tem sobre mim? — Perguntou confiante.

— Você viu é? — Ele a cercou na parede. — Onde?

— Na lanchonete, eu estava com Sasuke...

— Com quem? — Sasori aprendeu mais, e ela se assustou. — Repete o que você disse.

— Não importa. — Ela avançou nele o empurrando. — Você estava me traindo, eu quero terminar. — Falou confiante, Sasori riu.

— Termina? Você ficou doida? — Ele olhou para lado, e depois para o outro. — A gente não vai terminar porcaria nenhuma.

— E porque não? Eu quero terminar, você é um namorado horrível, e estava me traindo. Olha aqui, você me ameaçou dizendo que se eu não transasse com você, a gente terminaria, eu não quero fazer isso com você, então eu quero terminar.

— A gente não vai terminar o.k. — Sakura ia falar, mas ele a impediu. — Eu te pedi desculpas, e disse que esperaria de novo. Você sempre sonhou com um encontro a dois, nós não marcamos para amanhã? O que mais você quer?

— Queria que você me amasse, mas você não faz isso, quero terminar e ponto final.

— Nós, não vamos terminar e ponto final... — Ele se aproximou do ouvido dela. — Aliás o que as pessoas falaram de você se soubesse que você é uma virgem medrosa?

— Sasori?! — Sakura engoliu a seco, e o empurrou, encarando seus olhos, Sakura sentiu-se com medo. — Você não seria capaz!

— Não seria? Sakura eu gosto de você e você me ama, porque terminar por um deslize meu?

— Você faz isso o tempo todo. — Sasori ficou sério. — Eu já aguentei demais, sabia?

— Porque você quer terminar? Bastou um carinha se arrumar e se tornar o mais popular para você me largar?

— Ele não tem nada a ver com isso. — Resmungou, e deixou uma lagrima cair. — O único problema aqui é você, entendeu? Eu quero terminar só isso.

— Nós... não vamos terminar. — Ele falou sério, bem próximo a ela. — Eu não quero terminar, então a gente não vai. Você é minha, sempre foi minha. Então aceite que é melhor... — Disse por fim e roubou um selinho de Sakura, voltou para sala, deixando-a fora.

.

.

A aula se passou silenciosa, o teste estava em à frente, e ela tinha que se concentrar em lembrar-se de tudo que Sasuke explicou para ela. Quando começou a ler, e entender as perguntas, as respostas apareceram em sua mente. Ela deu uma olhada para frente, vendo Sasuke fazendo seu teste tranquilamente, tão bonito, ele estava lindo.

Ela mordeu os lábios e deu uma olhada para lado, Sasori também fazia o teste normalmente parecia saber tudo o que estava fazendo. Sakura analisou o Sasori por completo, sua cabeleira ruiva, era chamativa e isso o deixava lindo, seu corpo bem malhado, e com alguns arranhões, era sensual e totalmente gostoso. Mas iae? Só isso? Cadê o conteúdo? Sakura visualizou, procurou e comprovou, não tinha nada em Sasori que ela gostava.

Então? O que diabos ela viu nele para esta morrendo de amores? Sakura suspirou, o pior de tudo era que agora não poderia terminar. Apesar de não demonstra, ela se importava bastante com o que as pessoas pensavam dela, e se todos soubessem que ela era virgem, depois de três anos de namoro, seria um escândalo, e ela não estava preparada para isso. Mas…

.

.

Quando o sino bateu, todos começaram a sair e entregar os testes, Sasuke ao entregar o seu deu uma olhada em direção a Sakura, ela escrevia algo rapidamente, estava concentrada demais, ele sorriu se sentindo orgulho. Logo sua visão foi tampada por Sasori, ele passou encarando de perto o Uchiha, não tinha gostado nem um pouco do olhar dele com sua namorada, e estava ali para encrencar mesmo. Sasuke sorriu de canto, como se tivesse o desafiando, Sasori reenviou o sorriso aceitando aquele desafio sádico. Se for para brigar por ela, eles brigaram. — Pensaram ambos!

.

.

Sasuke saiu da sala, ao lado de Yuno, mas seus pensamentos da morena baixinha e sorridente estavam em outro local, e Sasuke notou isso, imaginou que seria em seu irmão, pois não parava de falar dele na sala, e com certeza era seu irmão babaca que dominava os pensamentos dela naquele instante.

Ele só parou de pensar, quando uma mulher parou a sua frente, ele suspirou parecendo casando. Matsuri estava ali novamente ela sorriu meiga, e tocou no peito do Uchiha. Com as duas mãos. Yuno revirou os olhos. Sasuke corou com a aproximação.

— Vamos almoçar juntos? — Perguntou sorrindo, Sasuke sorriu, e olhou para Yuno.

— Não seria uma má ideia. — Disse e viu a menina agarrar seus braços rapidamente, e começar a caminhar em direção à cantina, Yuno ficou séria, olhou para os lados tentando pensar em qualquer coisa para impedir, mas não achou nada.

Então, ela tinha que fazer alguma coisa, Yuno conhecia bem aquela garota, sabia que ela tentaria agarra Sasuke nem que para isso tivesse que amarrá-lo na mesa da cantina mesmo. E ela não ia deixar seu amigo esquecer seus planos de conquistar a patricinha número um da escola, por causa de uma mulher interessada somente na beleza dele.

Ela voltou para a sala, e viu que o professor já tinha saído, Sakura estava dentro ainda, completamente sozinha, sentada e pensativa. Yuno respirou algumas vezes, antes de abrir a porta, e ter a atenção de Sakura para si.

— Está sozinha? — Yuno perguntou gentil.

— Você está vendo mais alguém aqui? — Respondeu grossa. — O que você quer?

Sakura não gostava dela. Estava estressada com Sasori. E morrendo de raiva/ciúme de Sasuke. Estava de mau humor por não ter dormido. Então, sai do caminho dela, Yuno.

— Vim te dá um recado. — Disse ela sorrindo vitoriosa. — Sabe o Sasuke... — Sakura já a olhou com raiva. – Ele foi almoçar com a Matsuri. — Sakura arregalou os olhos levando-se da cadeira de imediato.

— O que?

— Você se importa? — Yuno perguntou interessada e com um sorriso no rosto, a reação dela foi uma das melhores, Sasuke estava no caminho certo, Sakura gostava dele. Logo a rosada de recompôs e ajeitou os cabelos.

— Claro que não. — Disse arrumando suas coisas. Claro que ela ia atrás de Matsuri e pega Sasuke para si. Desde quando Sakura deu autorização para ele almoçar com alguém? E quem Matsuri pensa que é?

— Tá bom então. — Yuno sorriu malicioso vendo-a completamente nervosa, sentou em uma das cadeiras e ajeitou os cabelos. — Se você não se importa, fique comigo dentro dessa sala até o intervalo acabar.

— Nem pensar, Sasu... — Ela se calou e encarou a menina com um sorriso desafiador.

Não ia ficar de forma alguma dentro daquela sala sabendo que Sasuke estava em mãos erradas. Ainda mais olhando para sua inimiga, número dois, enquanto a número um estava subindo no colo de Sasuke. Estava comendo com os olhos e com o que tivesse a oferecê-lo. Mas admitir isso era mais difícil que terminar com Sasori. Ela sentou na cadeira e cruzou os braços de olhos fechados. Não ia mostrar seus sentimentos na frente de uma inimiga.

— Então, vamos ficar aqui... Yuno.

.

.

Sasuke não estava feliz, mas também não estava triste. Sentando entre duas meninas lindas, tal como Sakura, porém, não tinha a mesma beleza que ela. Nem os mesmos olhos verdes, nem o mesmo corpo, nenhuma se comparava a Sakura, que não saia de seus pensamentos.

Sasuke foi paparicado durante trinta minutos por mil mulheres diferentes, estava encantado com tantas garotas ao seu redor, mas nenhuma lhe interessa, ele ria, gargalhava, recebia e fazia elogios, mas eram vagos... Sem graça, ele preferia está com ELA. Trocaria todas as garotas do mundo, por Sakura. Trocaria tudo por Sakura.

.

.

Quando o intervalo acabou, Sasuke se desgrudou das garotas e foi para a biblioteca. O caminho até foi difícil, porque hora ou outra, uma garota parava para falar com ele, sem contar que sua beleza estava tão exposta que até as professoras se encantaram por aquele pedaço de mau caminho. OPA! O Sasuke.

Quando finalmente entrou na biblioteca, todo mundo lhe olhou, ele já estava ficando cansado daquilo, corou um pouco, e se encaminhou até sua mesa. Mal tinha sentando, e uma garota apareceu a sua frente, se apresentou e passaram a conversar rapidamente. Não demorou muito e lá estavam mais duas, as conversas eram sobre qualquer coisa. Mas três chegaram e depois mais uma de mais uma, e de repente Sasuke estava rodeado de mulheres.

O que deixou uma rosada tão raivosa quando entrou na biblioteca que ela deixou seu celular cair, chamando atenção de todos, Sasuke a olhou, a rosada estava nervosa, cansada e ofegante, ele sorriu para ela. Ela prendeu a respiração. Sasuke pegou sua bolsa, e se despediu das meninas, todas lhe deram um beijo no rosto, o que foi deixando Sakura com tanta raiva que ela limpou a garganta tão alto que incomodou até a bibliotecária.

Sasuke passou por ela encarando, indicou com a cabeça para que ela o seguisse, e assim o fez, antes de sair deu uma olhada para trás, as meninas lhe olhavam com uma coisa chamada ciúme no olhar, Sakura sorriu e saiu dali.

Eles caminharam pelos corredores até chegarem a um menos movimentado, pararam em frente à janela. Sakura tratou logo de encarar aquele homem. Para ver sua beleza mais de perto. Muito perto. Sasuke franziu a sobrancelha, ele queria tanto beijá-la que seu coração estava para pular pela boca.

— Sasuke? — Ela começou ele prestou atenção. — Eu... Quero dizer... — ela pensou um pouco desviando olhar, e depois o olhou. — Obrigada por ontem. Ajudou-me muito.

— Está falando do estudo...? Ou do Sasori? — Perguntou. Ela fechou a cara.

— Você mudou. — Respondeu — E você ficou horrível. — Virou o rosto. — Agora todo mundo te olhar, e você dá bola. — Reclamou sem nem perceber. — Eu não gostei.

Sasuke sorriu de canto, lembrou-se do que Itachi pediu, não beijá-la, bom ele não poderia não beijá-la, Itachi não ia saber mesmo... Sasuke se aproximou mais de Sakura e...

... Suas mãos alcançaram e rodearam sua cintura puxando-a para si tão rápido que Sakura pisou no pé dele, deixou sua bolsa cair e inocentemente suas mãos estavam no pescoço dele, ele encostou suas testas, suas respirações ficaram ofegantes, ela estava quase se matando, queria tanto beijá-lo que estava se agonizando por completa. Ele encostou seus narizes, roçou seus lábios no dela, mas não a beijou, seus lábios foram de encontro a sua bochecha, mas tão perto de sua boca...

... Sakura sentiu suas pernas bambas, apertou ainda mais suas mãos atrás da nuca dele, e pelos cabelos ela o puxou para mais perto de si, ela queria que ele a beijasse, que a beijasse logo, ligeiro. E na boca.

— Então você não gostou? — Sasuke sussurrou no ouvido dela, Sakura se arrepiou.

— N-Não g-gost-tei do que? — Perguntou ofegante, e fechou os olhos sentindo um beijo dele em seu pescoço Sakura foi ao delírio.

— Da minha mudança...? — Completou. Sasuke por um lado ficou magoado. Por, qual é? Ele tinha mudado por ela, não era possível que ela não tinha gostado, mas por outro lado, ele sabia que Sakura estava mentindo, pois seu corpo tudo dizia isso, e seus olhos mostrava o ciúme tão bem, que Sasuke se sentiu feliz.

— N-não é isso. — Ela sussurrou e suas mãos pequenas foram até os cabelos dele. — Todas estão te olhando, estão tão perto... — Foi falando e Sasuke sorriu vitorioso, beijou o pescoço cheiroso dela com volúpia, sugou sua pele, deixando uma marca muito bem deixada.

— Ah — Gemeu e virou o rosto novamente, encostou sua testa na dele, ofegantes, e completamente apaixonados, e não aguentando as vontades de seu coração, eles colaram seus lábios, dando um beijo tão cheio de amor, que ambos sentiram seus corações vibrar...

Sasuke á agarrou um pouco mais embaixo, ficando da sua altura, ela aproveitou para agarrar os cabelos dele tão forte que, ouviu um ruído entre os beijos. Nem o ar foi um motivo de parar aquele beijo. Suas línguas dançavam juntas. Uma com a outra. Cada um saboreando o gosto do outro, e agradando bastante.

Sakura acalentou seu coração com aquele beijo fervente, ela queria aquilo mais do que nunca, tinha passado a noite desejando, e agora que o tinha, nem Sasori que via tudo iria impedi-la de beijar um pouco mais.

Nem Sasori que estava olhando, completamente cansado de ter corrido até ali, nem a multidão que se aglomeravam atrás dele, nem Yuno que tampava a boca, nem Ino e Hinata que estavam de boca aberta, nem Matsuri que encarava o que estava prestes a acontecer com orgulho, e muito menos a diretora que os encaravam, iriam impedi-los de se beijaram um pouco mais... Ou iam?

— Que porcaria é essa? — Sasori praticamente gritou assustando os dois, que nem se soltar, eles tiveram coragem. Apenas viraram o rosto para encarar a multidão de gente que lhes olhavam.

E agora?

.

.

Matsuri era uma garota linda, meliante a nova rainha do verão da escola Premium, mas para isso teria que enfrentar a garota que ganhava todos os anos o título de rainha em todas as estações: Sakura Haruno. Ao entrar na escola e conhecer a rosada, achou que seria impossível vencer, pois Sakura era linda, e além de ser esbelta, era a mais popular, namorava o melhor jogador do time de Futebol Americano, e era respeitada e amada por todos.

Os meninos eram caidinhos por ela, e alguns garotos sonhavam com a rainha de cabelo rosa em sua cama. Então, como competir com a Haruno? Mas em um belo dia, em um dos jogos da escola contra outra, ela se encontrou por acaso com Sasori, e ele a beijou tão deliciosamente que ela se derreteu e se apaixonou. Parecia um sonho ela está beijando o namorado da mulher que ela tanto tinha inveja.

Mas para o azar dela, foi só aquele beijo. Mas o que quase ninguém sabe, é que a partir daquele beijo, Matsuri constatou que Sakura não era tudo aquilo. Sim, ela era bonita, popular a mais bela garota da escola. Mas sua falha vinha da própria: Sasori. Esse a deixava para baixo, pois só o seu pensamento em traí-la já deixava todos a pensar que Sakura tinha algo que ele desejava.

Tudo isso deu uma brecha para que Matsuri se contorceu por completa de felicidade, e ter uma agradável chance de discutir com Sakura Haruno, na frente da escola inteira. E adivinha o que aconteceu depois disso? Matsuri se tornou popular, ela fora a única menina capaz de enfrentar Sakura em uma discussão que ela sabia que todos ficariam do lado da rosada.

Depois disso, Matsuri prometeu que um dia venceria Sakura em tudo na vida. Ela se tornou popular e, de repente, se descobriu linda. Matsuri tinha os cabelos curtos acima dos ombros, era loira, uma loira linda de olhos cinza, dona de um corpo bonito. Depois de mudar somente suas roupas largas para roupa que adornava mais seu corpo, ela se tornou tão desejada quanto Sakura.

Mas para ela ainda não era o suficiente.

Matsuri passou a encarar a escola, os homens e as atitudes de um jeito diferente, tudo que ela fazia era para destruir Sakura de qualquer forma, para que a rosada sentisse vergonha na frente da escola inteira, o que nunca, nunca conseguia. És que... Apareceu um “novato” de tira o fôlego, ela jurava nunca ter visto tamanha beleza.

A primeira coisa que ela pensou foi fisgar aquele homem de qualquer forma, pois no mesmo instante em que o viu, se apaixonou. Poderia se aproximar mais tarde, poderia ter dado em cima dele um pouco mais tarde, mas...

... O olhar que Sakura lançava para ele dentre os corredores, foi como um incômodo e uma oportunidade maravilhosa de ganhar de Sakura em algo. Matsuri sabia que Sakura namorava Sasori, e que o relacionamento deles não era às mil maravilhas, e sabia também que aquele ruivo não prestava para nada. E o mais importante: Sakura se apaixonaria sempre pelo garoto mais popular da escola, não?

Ta aí mais uma chance de ganha dela...

Quando ele se recusou a almoçar com ela, quase a loira desistiu, mas ela ia seguir em frente com seus planos, afinal, com planos ou sem planos ela queria aquele “novato” e ponto final. Com esse pensamento, ela foi atrás dele. E dessa vez ele disse sim, se aproveitou disso, o levou, deu em cima, tirou foto, cochichou, quase se jogou em cima dele, mas ele nada, não a agarra, nem tão pouco se importava em falar com ela.

O seguiu até a biblioteca, se encheu de raiva quando viu todas aquelas meninas em cima dele, e quase desmaiou quando ele foi embora com Sakura, e o que era pior, os dois lançavam olhares comprometedores, Sakura sorria quando ele a olhava, e ele fazia a mesma coisa, notou na hora que Sasuke era apaixonado por ela, estava na cara, muito na cara, mas e Sakura? Também era apaixonada por ele?

Naquele instante a loira pirou, ela não podia perde para a rosada de novo, não perderia mesmo... Correu para o ginásio onde sabia que Sasori habitava, atrapalhou o treino que até a diretora assistia naquele dia, pois os jogos estavam jogando e ela queria ter certeza que estava tudo bem. Explicou a situação ao ruivo, que na mesma hora mandou dela de todas as formas, mas ela conseguiu o convencer, e aproveitou oportunidade para chamar a direita para o show.

Sakura Haruno não ia vencer dessa vez.  Sakura estava com raiva, só que não era pela quantidade de gente a olhando, e sim por aquela quantidade de gente a olhando ter atrapalhado o beijo mais gostoso de sua vida. Ainda pendurada no pescoço de Sasuke, ela sorriu para Sasori, e depois para a diretora, outra pessoa largaria o Uchiha de uma vez, e correria dali para chorar sentindo-se envergonhada, só que Sakura, não correria para longe.

Primeiro: Ela não queria nem pôr um segundo se afastar de Sasuke. Isso lhe doía o coração fica longe de Sasuke era um sacrifício. Compreende?

Segundo: Ela não se importava com quem olhava, sentia-se segura nos braços do Uchiha, e nada importava mais a ela.

Terceiro: ... Todo mundo já sabe.

— Que droga você está fazendo com minha namorada? — Sasori se aproximou puxando Sakura para seu lado que se desprendeu rapidamente. — Quem você pensa que é?

— Foi ela que me beijou. — Sasuke disse e logo deu um sorriso de canto. E por causa desse ato, ouviu gritinhos agudos de algumas meninas, e um rosnado de Sasori.

— Fica longe dela. — Sasori mandou.

— Se ela conseguir ficar longe de mim. — Sasuke sorriu maroto, Sasori perdeu a cabeça.

Sasori avançou contra Sasuke, e nem Sakura conseguiu impedir Sasori de bater no Uchiha, e nem o Uchiha conseguiu evitar. O rosto do Uchiha estava ferido, e o ruivo estava tão vermelho quanto seus cabelos. Sakura ficou entre os dois, não permitiria que Sasori destruísse o brilho no olhar que ela... Amava!

— Ficou doído Sasori? — Sakura se virou para Sasuke agachando ao seu encontro. — Você está bem?

— Lógico — Replicou, Sakura estranhou, tentou tocar nele, mas ele a repeliu se levantando. — Preciso ir. — Disse, levantou-se meio tonto, quando passou ao lado de Sasori ele o encarou com tanto ódio, que mesmo não querendo admitir, Sasori sentiu medo.

Assim que ambos pararam de se encarar, Yuno voou em Sasuke, estava preocupada, não por ainda gosta dele, o que ela agora estava em dúvida, e sim porque seu verdadeiro amigo estava machucado, só que para o azar dela Matsuri estava mais a frente fora quem aparou o moreno, e o levou para longe dela...

Sakura levantou fervendo de raiva, e quando viu a loira levá-lo junto a uma multidão de meninas e Yuno ao seu lado, seu sangue esquentou dentro de seu corpo, que queria pega fogo, tremeu de raiva, de ciúmes, tinha muito menina tocando nele, tinha muitas meninas com ele, tinha muitas meninas...

... Muitas meninas...

— Que droga você achou que estava fazendo? — Sasori perguntou assim que todos se foram ficando somente eles dois. — Ficou maluca?

— Você é quem ficou maluco. — Ela se aproximou dele. — Porque você bateu nele? Na verdade porque você me atrapalhou?

— Porque aquele maldito estava beijando a minha namorada. — Sakura cruzou os braços sorrindo.

— Sou sua namorada somente na sua cabeça, eu já falei que queria terminar, e quando eu digo que quero terminar, eu termino. E não a nada e nem ninguém nessa face da terra que mude minha opinião.

Disse confiante, Sasori sorriu.

— É mesmo, nem sua maravilhosa reputação? — Sakura engoliu a seco. — Se eu ver você junto com ele de novo. — Ele se aproximou beijando o rosto da rosada. — Eu falo para Deus e o mundo inteiro, que você é uma virgem medrosinha... Uma tremenda criança mimada com corpo de uma mulher poderosa.

Ela desfez o abraço com raiva, olhou nos olhos daquele ruivo, e se amaldiçoou de há dois anos olhar naqueles mesmos olhos e dizer: Sim, eu aceito namorar você, eu te amo.

.

.

Matsuri caminhava ao lado do Uchiha sendo seguidos por uma multidão de meninas, todas queriam saber o que tinha acontecido com o Uchiha, ou somente segui-lo, cuida do rosto dele, dos cabelos, dos lábios, do corpo, dele todo, e tomar para si. Mas ao lado de Matsuri quem diabos conseguiu fazer isso?

Já Sasuke nem se dava conta do que estava acontecendo ao seu redor, a única coisa que vinha em sua mente era Sakura, ele tinha a beijado de novo, e dessa vez ela não tinha o rejeitado depois, para falar a verdade, ele sabia que ela queria tanto quanto ele desejava.

Só isso já era um motivo de alegria para o coração pequeno do Uchiha, nem pensar ele conseguia direito, a emoção era tão grande que ele não sentia dor, não conseguiu nem se mexer quando Sasori o socou, ele estava completamente petrificado de tanta felicidade. Ele tinha a esperança de Sakura o amar, o amar demais. E isso era só o que ele queria.

Ele parecia um bobo apaixonado, mas ele tinha esse direito, a mulher que ele amava gostava dele, isso ninguém, ninguém, mais em a própria Sakura poderia negar, ele viu isso nos olhos dela, ele sentiu isso quando ele a tocou, quando a beijou, quando estava ao seu lado, a eletricidade marcante daquele dia tinha sido percorrida por seu corpo quando os corpos estavam colados, a emoção estava presente, o amor estava no ar.

— Você precisa ir para a enfermaria. — Sasuke acordou de seus pensamentos e olhou para a mulher que lhe puxava. — Seu nariz está sangrando.

— Ta? — Ele tocou no mesmo, estava doído, mas não o bastante, notou algum molhado era realmente sangue, mas ele estava totalmente bem e tinha tudo para ficar melhor. — Não, preciso ir. — Ele parou bruscamente no corredor, fazendo as meninas pararam um pouco atrás, e Matsuri ao seu lado.

— Tem certeza? — Perguntou se aproximando ainda mais do homem, ela tocou em seu peito, e fora subindo lentamente para rosto do Sasuke, o moreno nem percebeu, ele estava tão aturdido com a ideia de Sakura lhe amar, que só acordou quando Yuno segurou seu queixo e virou em direção a ela. — Droga! — Matsuri rosnou beijando o rosto do Uchiha.

— Vamos Sasuke, eu te levo para casa. —–Disse Yuno soltando as mãos de Matsuri de cima do Sasuke e o arrastou dali abrindo caminho com a mão fazia, puxando o Uchiha com toda a força que tinha, já que o moreno nem se quer estava em si.

Sasuke era puxado com uma mão para fora da escola, enquanto sua outra mão estava em cima de seus lábios, o sorriso bobo estava estampado na cara, parecia um idiota apaixonado que nem se ligava nos fatos ao seu redor. Quando chegaram ao carro, Yuno tratou logo de busca a chave, literalmente jogou Sasuke no banco de trás e entrou no do motorista, olhou em volta, algumas pessoas olhavam para o carro de Sasuke, Yuno esperou por alguns minutos, na esperança de aparecer Sakura por ali, talvez Sasuke acordasse se visse ela, ou virava um retardado de vez. Mas isso não aconteceu, ela não apareceu.

.

.

Dentro da escola Sakura via de uma janela tudo o que se passava, queria muito descer, queria entrar naquele carro, dá uma boa surra em Yuno, e tomar Sasuke para si. Já estava vermelha de ciúmes, e de raiva, porque Sasuke depois de beijá-la estava de novo com Yuno? Isso era brincadeira?

— Você não vai lá com ele? — Ino que estava do seu lado esquerdo perguntou.

— Eu não posso. — Respondeu triste. — Não quero que ninguém saiba mais do que deve sobre mim Ino... Isso é humilhante.

— Ser virgem não é defeito.

— Não, não é... Não quando você tem o Sasori como namorado, o que os meninos vão achar? Que eu não sou boa o suficiente para eles? E as meninas, vão falar tanto...

— Você se importa demais com isso. — Hinata disse e depois se virou para Sakura. — Acabei de ver minha melhor amiga beijar um gato maravilhoso, e essa mesma amiga está deixando esse homem ir embora, com medo da sua reputação falhar, Sakura pelo amor de Deus. — Hinata sacudiu a menina. — Para de ser chata mulher, você não deve se importa com o que os outros homens vão pensar de você, você tem que se importa com o que o Sasuke vai pensar de você.

— E se...

— E se o que? — Ino se meteu. — Eu só acho que o moreno-delicia-tesudo-lindo-maravilhoso-gostoso-tudo de bom-gato-Sasuke, vai adorar saber que você é virgem.

Sakura encarou o carro novamente que agora se movimentava, será mesmo que valia a pena jogar tudo pelos ares por Sasuke? Sakura analisou essa pergunta em sua mente, ela gostava dele, gostava bastante, e não era por causa da beleza que ele tinha mostrado para todos.

Sasuke sempre foi diferente com ela, sempre foi calmo e incrivelmente bem humorado, sabia irritá-la podia ter certeza, mas ele sabia exatamente como deixá-la calma. Seus abraços lhes passavam segurança. Seu olhar demonstrava algo que ela não sabia identificar o que era exatamente. E sua boca lhe dava os melhores beijos de sua vida. Ela de um sorriso de canto, tudo valia a pena por ele.

— Mas então, vamos ao cinema, amanhã? — Sakura olhou para Ino, essa mexia no celular calmamente. — Eu e Gaara vamos assistir a aquele filme romântico, e altamente recomendado somente para casais. — Disse a loira caminhando em direção ao banco e logo sentou.

— E eu não sei. — Hinata foi atrás sentando logo depois. — Li uma nota na internet que até os casais brigados saem da sala do cinema com um amor só, eu quero muito assisti com o Naruto, estou muito ansiosa.

— E eu então? Gaara foi quem me explicou sobre o filme, tem o namorado mais perfeito que o meu? — Sorriu boba mostrando uma foto de ambos se beijando, Sakura sorriu, e novamente sentiu inveja de não ter um relacionamento daquele jeito.

— Tem querida — Hinata sorriu. — O Naruto é o cara mais romântico do mundo, tá bom? Eu o convidei para assistir esse filme, ai ele ficou me olhando por um instante até me mostrar os ingressos já comprados, eu estraguei sua surpresa, claro, mas eu passei a amar mais um pouco ele. — Contava sorrindo, ambas deram um gritinho de felicidade e olharam para Sakura. — Amiga?

— O Sasori me convidou — Disse meio triste.

— Você não vai não é? — Ino levantou-se com Hinata ao seu lado, ambas desesperadas. — Sakura voc...

— Eu vou sim — Sakura sorriu de canto. — Mas não vai ser somente para assisti essa porcaria de filme. — Ela cruzou os braços olhando para o portão por qual Sasuke tinha ido embora. — O Sasori vai me pagar por ter quebrado o clima que eu tinha construído com Sasuke. — Disse numa frieza tão grande que Ino e Hinata tremeram. — Aquele imbecil, eu preciso me livrar dele. — Disse por fim virando as costas.

.

.

Longe dali, Itachi estava muito bem relaxando jogado no sofá, uma perna em cima, outra em baixo, os cabelos arrumados, o controle da TV na mão, nada nesse mundo poderia atrapalhar seu sono de beleza profunda...

... Mas a campainha tocou, Itachi fechou os olhos, não estava na hora de Sasuke chegar, e quem quer que fosse ficaria no lado de fora. Só que essa pessoa era insistente por demais, Itachi ficou nervoso, foi ficando com tanta raiva que lançou o controle não muito longe. Levantou-se com raiva, mas quem cão estava atrapalhando seu sono de beleza profunda?

— Seja lá quem for vai em... — Ele parou de falar assim que viu Yuno, ela sorriu de canto mordendo os lábios. — Sasuke não tá aqui — Ele sorrindo de canto também. — Mas eu estou então se voc... — Itachi parou de falar quando viu o carro de Sasuke atrás dela, e nas mãos da menina a chave do carro, da casa, e quarto do Uchiha caçula, ele olhou no fundo dos olhos dela. — Você estava com a chave, porque você não entrou? Pow! Você atrapalhou meu sono de beleza profunda, sabia?

— Sabia, e sabia também que seu irmão tá dentro daquele carro parecendo um retardado porque beijou a Sakura na frente de todo mundo? E isso não é o pior, o namorado dela viu, e também temos um Sasuke sangrando pelo nariz.

— Sua boca é linda quando você a mexe tem um... — Itachi sorria de canto.

— VOCÊ OUVIU O QUE EU DISSE? – Gritou com ele. Itachi se recompôs.

— Claro — Itachi pareceu pensar um pouco. — Aquele filho da mãe, ele não me obedeceu. — Itachi saiu de casa seguindo até o carro do irmão, abriu a porta do banco de trás vendo um Sasuke tocando em seus lábios com um sorriso idiota, ele olhou para Yuno e depois para o irmão tornou a olhar para a menina. — Ele é adotado tá bom? Não é meu irmão de sangue.

— Sei, sei, tira logo ele daí. — Ordenou.

— Mas você é muito chata. — Ele levantou-se ficando de frente a garota. — E muito mandona também, você não tem medo de morrer não?

— Morrer como? Você vai me matar com seu cabelo de Rapunzel? Ou com sua beleza adquirida do seu sono de beleza profunda? — Rosnou para ele.

— Aff — Ele botou a mão no queixo — Isso foi um elogiou, ou eu tô enganado?

— Não importa — Ela corou desviando o olhar. — Você pode cuidar do irmão? Ele parece tão...

— Idiota? É eu tô vendo. — Itachi pegou o irmão fazendo-o sair do carro, Sasuke andava como se estivesse pisando nas nuvens, pouco se importava com o que rolava.

Estava feliz, muito feliz, pois a menina que ele amava, estava o amado, e isso era incrivelmente bom, queria gritar para todo o mundo e dizer para todos que Sakura o amava, mas a voz não saia. Sasuke só foi despertado de seus devaneios profundos quando recebeu uma tapa em seu rosto. Ele fechou os olhos quando sentiu a dor, e voltou seu rosto para frente, vendo um Itachi furioso e logo atrás Yuno com as mãos na boca, provavelmente segurando uma risada.

— Itachi?

— Seu retardado — Itachi deu outra tapa. — Qual foi à parte do: Não a beija hoje, porque eu quero me vingar dela através de você. Que você não entendeu hein?

— Eu, eu não pude evitar Itachi. — Sasuke se levantou todo alegre. — Ela me ama sabia? Eu sentir isso, cara você não sab- — Outra tapa.

— Você me desobedeceu, eu disse pra você não beijá-la. — Sasuke se calou. — Em pensar que eu tinha planos para seu casamento seu moleque. — Itachi limpou uma lágrima não. — Mas, o mais importante, é que você... — Itachi olhou para o irmão. — O que diabos você fez mesmo?

— Bom... — Sasuke voltou a sentar no sofá.

— Ele chegou na escola totalmente molhando as calcinhas das meninas, todas deram em cima dele, e se não fosse eu, com certeza ele estava sendo assediado até agora por ela. — Yuno respondeu. Itachi fechou a cara, cruzou os braços e ficou de frente para a morena.

— Então quer dizer que se não fosse por você, Sasuke estaria beijando uma garota, ou tento um encontro, ou até mesmo dentro de quatro paredes perdendo a virgindade? — Yuno revirou os olhos. — Muito bem, meus parabéns. — Ele começou a bater palmas. — Melhorou muito a vida do meu irmão.

— Seu babaca. — Ela gritou. — O seu irmão ama a Sakura, seria bonito para ele se esquecesse desse amor bonito para fica com outra depois dele muda tanto? — Itachi se calou. — Será que você não pensa?

— Mas você é muito chata mesmo.

— Troca o CD isso eu já escutei de você.

— E você vai escutar isso para o resto da sua vida, sabia? — Brigou ficando sério — Mas primeiro, eu vou cuidar do meu irmão, depois eu me viro com você. — Virou de costas para a menina que pareceu pensativa de repente. — Você, vai subir agora e se arrumar, vamos ao shopping, você precisa de alguma coisa para vestir amanhã, alguma coisa de homem — Disse orgulhoso, quando prestou atenção no irmão sorrindo abobalhado. — Pelo amor de Deus.

.

.

A noite tinha chegado, e junto dela trouxe a lua clara no céu, Sakura vislumbrava a visão daquela bola no céu, relembrando do momento em que viu a mesma bola nas írises negras de Sasuke, e no quanto ele tinha ficado bonito aquela noite. Logo os momentos em que esteve com ele vieram em sua mente.

Ela fechou os olhos para senti aquela sensação, que mesmo longe ela sentia os braços dele em volta de si, ou até mesmo quando imaginava perfeitamente, sentia os lábios dele tocando nos seus, a única diferença era que, o beijo sentindo era frio e o beijo dado por ele era completamente quente, era completamente inesquecível.

Logo seus pensamentos foram interrompidos por uma batida na porta, Sakura levantou da varanda caminhando lentamente por seu quarto até chegar à porta, quando abriu encontrou sua mãe altamente elegante com um sorriso nos lábios.

— Boa noite filha, vamos jantar? Já está na hora? — Abraçou a filha enquanto a convidava.

— Sim, claro — Respondeu já saindo do quarto. Mebuki Haruno era uma mulher loira muito bonita, elegante e fazia jus a sua reputação.

Quando chegaram ao andar de baixo encontraram o pai de Sakura, ele havia acabado de chegar de seu trabalho. Foi prontamente recebido por sua esposa com um beijo nos lábios, Sakura ficou parada admirando o tamanho do amor que eles tinham um pelo outro. Mas alguém fez Sakura parar o sorriso de uma vez, a rosada enxergou o mesmo brilho que via no olhar de Sasuke, em seu pai.

Olhando bem direitinho, notou que Kizashi, sempre olhou para sua mãe daquela forma, cheio de amor. Então era amor? Sakura entreabriu os lábios, pensativa. Será que Sasuke a amava? Era isso? Todo esse tempo ele teve aquela mega paciência com ela porque ele a amava? Foi carinhoso, e quando ela precisou ele estava lá, porque ele a amava? Os beijos dele eram mais gostosos do que qualquer outra coisa que ela já tinha provado, porque ele a beijava com amor? Era isso?

Era amor?

Sakura sentiu seu sangue ferver, tombou para trás quase não conseguindo se controlar. Essa nova descoberta fez o coração da Haruno bater tão forte que quase ela não conseguia respirar, ele a amava, e ela gostava dele. O que estava faltando para ele ficarem juntos?

— Sakura, como vai o namoro com Sasori? — E a resposta veio como uma facada no coração acelerado.

— Não há mais namoro papai. — Sakura sorriu. — Nós terminamos. — Respondeu sorrindo, e voltou para seu quarto, ela precisaria da ajuda das amigas para um plano perfeito, tinha que termina com Sasori o mais rápido possível, Sasuke amava ela e ela gostava dele, nada poderia impedir ela de fazer qualquer coisa que fosse.

Pegando o celular ela digitou o números apressadamente, queria falar com as amigas o mais rápido possível, seu coração batia tão forte que ela já estava para pedir arrego, mas antes falaria com suas amigas, pediria ajuda, ajuda para termina com Sasori, pois mais do que nunca Sakura queria Uchiha Sasuke em seus braços.

— Alô — A voz grossa do outro lado da linha fez a Haruno duvidar do número de Ino.

— Ino?

— Não, Gaara. — Ele sorriu. — Ino está ocupada, deliciosamente ocupada... Ai meu Deus... Deseja deixar algum recado?

— Claro, diga ela que eu preciso da ajuda dela amanhã quando a gente for para o cinema, sabe? – Ela disse animada e recebeu um gemido.

— Claro, assim. — Ele ficou em silêncio — Ajuda pra que?

— Quero terminar com o Sasori, ela precisa me ajudar.

— Hááááááá — Ele gritou do outro lado, Sakura sorriu com certeza ele também tinha ficado animado. Demorou um pouco para ter outra voz do outro lado da linha mais teve.

— Sakura amiga, o que foi? — A voz Ino era divertida e ao mesmo tempo rouca, por quê?

— Preciso de ajuda, quero terminar com o Sasori.

— Sakura, eu estou numa noite maravilhosa, então não venha com brincadeira para cima de mim.

— Ino, eu estou falando sério. — Sakura sentou-se na beira da cama. — Eu sei que nunca fui uma boa amiga, sempre tentei humilhar vocês, e mesmo assim vocês estavam comigo, eu me sinto uma amiga horrível por passar momentos difíceis da minha vida guardando somente para mim, sendo que eu poderia compartilhar com vocês, e só não fiz isso porque o orgulho me impediu. Agora mais do que nunca eu quero a ajuda de você e da Hinata sei que não tenho o direito de pedir isso a vocês, mas eu sou Sakura Haruno, e ainda tenho essa cara de pau.

— Não fale em pau nesse momento. — Ino rosnou. — Fico feliz que você tenha percebido isso, e é claro que a gente... Deus... Perdoa-te amiga. — Terminou a frase quase ofegante. — Eu vou te ajuda a se livrar daquele homem, sou sua amiga, e mesmo você sendo a pior das mulheres desse planeta, eu aceito suas desculpas.

— Nossa — Sakura sentiu seu peito se aperta. — Você me deixou para baixo agora em? Minha blusa molhou com minhas lágrimas.

— Não fale de molhado. — Suplicou Ino quase rouca. — Eu tenho um leão pra alimenta, a gente se fala amanhã. — Desligou sem ter resposta.

— Leão? — Sakura olhou para o celular. — Essa vadia comprou um leão de estimação e não me avisou? — Levantou zangada. — E depois eu é que sou pior amiga.

Sakura se olhou no espelho, estava tão feliz, seu sorriso era maravilhoso, estava pronta para tomar um novo rumo em sua vida.

Primeiro: Terminaria com Sasori na frente de todos, Sakura sabia exatamente como humilhar uma pessoa, então ela usaria isso contra Sasori. Já tinha cansado daquele namoro meia boca, mas ainda não tinha percebido isso, eles não agiam como namorados há muito tempo, e ela tinha sido besta o bastante de não perceber aquilo.

Sakura se sentia uma inútil por alguns segundos, tanto tempo sendo esperta o bastante para derrubar as inimigas muito antes de elas botar seu plano em ação, humilhando as invejosas de plantão, e tinha caído nas garras do Sasori sem perceber isso? A mais ele iria pagar, O se ia.

Segundo: Queria Sasuke!

Só isso, sem argumentos ou desculpas.

.

.

Na casa dos Uchihas, Itachi ditava cada regra detalhadamente, Sasuke prestava atenção e, quanto ia questionar levava uma tampa, seu rosto já estava vermelho de raiva e o de Yuno, que até a essa hora estava na casa deles, estava vermelha de tanto ri da cara dos irmãos. Era animado fica ali, preferia viver assim com amigos, a passar o dia dentro de uma casa enorme com regras a seguir, sendo que nenhum membro de sua família estava presente.

— Você está me ouvindo? Estou te explicando o plano “B” então, não faça nada de errado. — Itachi parou a frente do Sasuke que estava sentado na cama prestando atenção. — Quero que você fique feliz, mas feliz com cara de homem, e nem de otário? Tá bom?

— Eu não fiquei feliz com cara de otário. — Rosnou. Itachi olhou para Yuno atrás de si, e depois voltou a olhar para Sasuke, ambos caíram na gargalhada. — Tá bom, eu fiquei sim. — Sasuke levantou. — Mas vocês não fazem ideia da emoção, pela primeira vez, eu... Eu senti que ela pode gosta de mim, nem que seja um pouquinho. Eu tenho a esperança, mesmo que seja mínima dela ser minha, entendeu? — Itachi estava com uma sobrancelha levantada, de braços cruzados, e uma expressão de pena. — Você não sente esse sentimento porque nunca se apaixonou.

— Sei, sei, quando eu me apaixonar, eu não vou sair por aí beijando uma mulher pelos corredores para ser interrompido. — Ele desviou o olhar. — Prefiro leva ela pro meu quarto, já que está muito tarde para levar para casa... — Sussurrou, Sasuke olhou para Yuno e depois para o irmão. Itachi notou os olhares e quando Sasuke ia falar algo ele recebeu uma tapa. — Se você falar alguma coisa eu te espanco.

— Chega de bate em seu irmão... Seu bruto. — Yuno sentou ao lado de Sasuke e o abraçou, levando a cabeça do menino a encosta em seus seios. — Você é muito chato e violento, Sasuke é sensível.

— Ele é macho. — Itachi visualizou aquela cena. — Aff — Virou o rosto. — Agora a gente precisa achar uma garota para você leva no cinema amanhã, se vai todo mundo da sua escola, é provável que sua amada vá também, e se você tiver acompanhado, ela vai amar, se é que me entende.

— Eu tenho a Yuno. — Respondeu e sentou direito largando o abraço da morena. — Eu a convidei antes de tudo isso acontece, a gente pode ir junto. — Ele sorriu para a Yuno que ajeitou os óculos.

Itachi deu uma olhada na garota, mas não foi uma simples olhada, um desejo de bater nela e em seu irmão preencher seu torso rígido, mas não fez nada.

— Ok então, leva a Yuno. — Revirou os olhos. — A única coisa que eu peço, é que você seja homem, seu moleque. — Itachi sorriu e depois olhou para Yuno. — E você se encostar um dedo no meu irmão que seja, eu acabo com você.

— Credo Itachi — Sasuke se levantou. — Vai bater numa mulher?

— Quem foi que disse que eu ia bater desse jeito? — Ele empurrou o irmão para que ele saísse da frente da menina. — Vamos, eu vou te levar para casa. — Ele puxou a menina pelo braço.

— Seu bruto.

– Cala a boca.

E assim eles saíram, Sasuke deu um sorriso de canto, caminhou pelo quarto dando uma leve olhada. Estava arrumado como sempre foi às roupas novas que Itachi escolheu ainda estavam jogadas pela cama. Ele deu um suspiro longo. Tudo o que ele estava fazendo era para conquista à garota que ele amava. Mas será que tudo valia a pena?

Seria justo ele muda até o último fio de cabelo por ela? Seria justo ele muda o seu eu, para que ela gostasse dele? Será que ela não podia o amar do jeito que era? Novamente ele suspirou, mesmo com essas perguntas o incomodando, ele não desistiria, ele amava Sakura, ninguém poderia o fazer desistir. Ele ia conquistá-la, ele ia tomá-la para si, nem que fosse a última coisa que ele fizesse.

Caminhando pelo quarto ele parou e olhou-se no espelho, não podia negar que tudo que Itachi tinha feito melhorou bastante sua vida, não que ele se importasse com as garotas que ficaram devassas para seu lado, que deram em cima dele, paparicam, na verdade ele pouco se importou com isso, nem gosta ele tinha gostado daquele alvoroço todo. Ele se olhou mais no espelho emoldurado na parede, ele estava bonito, nunca havia se sentido assim. E Sakura tinha gostado.

A única coisa que importava era Sakura gosta dele, o que tinha concluído quando tocou em seus lábios. Tendo esse pensamento ele tocou com os dedos sua boca, o gosto do beijo dela ainda estava ali, ele sentiu a mesma emoção quando estava com ela em seus braços, aquela eletricidade, aquela paixão, aquele desejo descontrolado da parte dela era incrivelmente inesquecível. Além de ser totalmente importante para ele.

Ele sorriu. Agora seu rosto aparecia mais, estava sem óculos, o que no caso ele só usava para se esconder ainda mais das pessoas, mas agora estava expondo tudo, toda sua beleza divina, suas roupas, claro, aquelas não faziam parte de seu estilo antigo, e nem tão pouco poderia fazer do futuro, mas no agora estavam servindo muito bem, e ele ia continuar.

Tudo por ela.

Ele encostou um braço no espelho, e logo sua cabeça no mesmo, fechou os olhos para pensar melhor, ele só precisava de coragem para fazer com que o plano “B” de Itachi ser concluído, pedia a Deus para que Sakura não o detestasse depois do que iria fazer, sendo que sua vontade era de pegar seu carro e dirigir até a casa dela e se declara, agora sua coragem para dizer o quanto a amava para ela tinha crescido, pois sabia que ele o amava também, e jamais seria rejeito, não de novo!

De novo não.

Agora mais do que nunca ele estava decidido do que fazer, que venha o amanhecer revelando um novo dia, e que esse dia, venha carregado de:

Amor.

Carinhoso.

Olhares raivosos.

Rosnados de raiva.

Ciúmes.

Raiva.

Treta.

Raiva.

... Briga...

Raiva.

Sakura Haruno v.s. Sasuke Uchiha.

Sasori V.s. Sasuke.

Amor v.s. Um Grande Amor.                                                                    

Ele sorriu de canto, o novo amanhecer traria uma nova chance de guerrear por Sakura. E se não conseguisse naquele dia, esperaria pelo outro, e pelo outro e, assim sucessivamente. Simplesmente porque ele era Sasuke Uchiha, um homem apaixonado, medroso, romântico e covarde, mas disposto a enfrentar o que fosse por seu amor.


Notas Finais


Lembrando que esse é o último capítulo da fanfic aqui nesse site. Eu coloquei os 7, mas depois eu lembrei que não pode haver insinuação ou qualquer tipo de coisa que envolva dois menores perdendo a virgindade. Pra terminar eu só posso indicar o wattpad, onde está o final.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...